PMDB comanda desaparelhamento da máquina estatal

João Bosco Rabello
O Estado de S. Paulo

A emenda constitucional que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, cuida pessoalmente de fazer tramitar, reduzindo para 20 o número de ministérios, é um problema para a presidente Dilma Rousseff, mas para o PT, um golpe duríssimo, com poder para retirar do partido o combustível de sua militância e feri-lo de morte.

Sem mais o monopólio das ruas, protagonista de escândalos de corrupção em série, no comando de um governo que levou o país à recessão, o PT sofre a ameaça de perder o controle dos cargos estratégicos na estrutura administrativa, que lhe garantiu na última década e meia a consolidação de uma militância ativa a partir do uso partidário da máquina pública.

É desse desmonte que trata a emenda constitucional que Cunha impulsiona a partir de sua cadeira de presidente da Câmara. O pior para o PT é que a causa contagia e não dependerá mais de Cunha ou de qualquer outro líder para andar sozinha. O desaparelhamento da máquina estatal constrói maioria por ser desejo permanente de todos os partidos, inclusive os da base aliada.

VAGAS E MAIS VAGAS

Nos últimos dez anos, o número de ministros chegou a 39 e os ocupantes de cargos de livre nomeação, subordinados a eles, passaram de 17,6 mil, no final de 2003, para 22,6 mil em outubro de 2013, segundo dados de 2014.

Ao longo da administração petista, o número de ocupantes de DAS 4, 5 e 6 saltou 46% em uma década, chegando a 4.814, crescendo a taxa bem menor, de 24%, no grupo dos DAS 1, 2 e 3, destinados a servidores de carreira que assumem funções de coordenação e assessoria técnica.

A remuneração mensal dos cargos vai de R$ 2.152 a R$ 12.043. Servidores públicos nomeados podem acumular seu salário com parte da comissão, segundo limites definidos na legislação. É fato que não só o PT ocupa a máquina, mas a prevalência do partido é notória e responde pela queixa geral dos aliados, especialmente o PMDB.

Reduzir o número de ministérios significa um abalo nessa conta e pode ser o início de um desgaste que se somará ao já em curso, que produziu importante perda política ao partido, identificado nas pesquisas como responsável pelos erros do governo e patrocinador da corrupção, nos casos do mensalão e do “petrolão”.

SEM BLINDAGEM

Nem mais o ex-presidente Lula desfruta da blindagem que parecia inabalável: as pesquisas recentes registram que 67% da população entendem que ele tem responsabilidade nos acontecimentos da Petrobras e o desgaste do governo Dilma o alcança, pois é identificado como quem a elegeu.

O PMDB cumpre, com precisão cirúrgica, um roteiro para reduzir a força do PT. O partido está visivelmente isolado no contexto partidário e não é imaginável supor que contornará seus problemas no Legislativo sob a liderança de perfis como Sibá Machado (AC) e José Guimarães (CE), segundo os quais, a legenda é vítima da agência de espionagem norte-americana, a CIA, e de “uma lavagem cerebral midiática”, nessa ordem.

Em paralelo, a reforma política do PMDB avança na Câmara em versão rejeitada pelo PT, roubando ainda ao governo a iniciativa concreta em defesa do tema que usa como escape para as críticas da população, a cada nova manifestação.

Outros temas de importância econômica, caros ao governo, andam também à revelia do Planalto, casos da reforma do Simples, da ampliação dos direitos dos empregados domésticos e da regulamentação do mercado de terceirizados – todos com origem no Executivo, mas que vão ganhando dono novo – o PMDB.

PMDB À FRENTE

O governo, portanto, está na Câmara sob a liderança do PMDB que, por isso mesmo, quer diminuir o tamanho da estrutura administrativa onde o espaço que lhe foi reservado durante os anos de poder do PT, não corresponde à sua importância como aliado.

Com a anemia política que tomou conta do governo Dilma, a qual corresponde brutal índice de desaprovação popular, o PMDB roubou o governo. Se nele não pode entrar, fez-se governo. Tem a iniciativa política e executiva que chega agora ao ponto de patrocinar uma reforma administrativa que o governo hesita em fazer, mesmo diante da obviedade de seu acerto.

FORTE SIMBOLISMO

Não é sustentável a recusa à proposta de cortes, ainda que ínfimo em relação ao que se precisa, mas de forte simbolismo. Pergunte-se a qualquer cidadão na rua para que servem 39 ministérios e ele responderá sem pestanejar que é para atender aos políticos – no mínimo.

Na véspera da aprovação de medidas recessivas, se não cortar na carne, o governo perde o que resta de autoridade para impor o ajuste fiscal. Resta pouco para a presidente Dilma fazer e, a continuar nessa toada, restará cada vez menos.

Bandeiras positivas, capazes de sugerir alguma ação de governo, estão sendo tocadas pelo Legislativo, como os casos já citados. A redução dos ministérios poderia ser uma porta de saída para a presidente acuada pela desaprovação, mas Cunha já a tomou.

(artigo enviado pelo comentarista Celso Serra)

14 thoughts on “PMDB comanda desaparelhamento da máquina estatal

  1. Essa mensagem das ruas que os defensores do golpe tanto propagam nada mais é que as manifestações pró impeachment, e pelo fim da corrupção do PT ,do PT hein, na verdade é a mensagem dos que votaram no aecim. Todo mundo sabe que o aecim quase se elegeu, teve muitos votos, e foi por ter tido muitos votos que aecim, FHC e Agripino do DEM quiseram dar o golpe, a folha atiçou e os eleitores do aeim e eles foram para ruas desafiar a democracia. Só que a Presidente os venceu na política, e como foi eleita democraticamente, obteve o apoio das instituições democráticas e os paneleiros sumiram, ainda mais depois que o aecim saiu na lista do janot, o enfraquecimento dessa oposição farsante foi grande, mais um papelão de aecim . Dilma esperou com inteligência os acontecimentos e assim foi desgastando essa oposição fragilíssima, liderada pelo pseudo intelectual FHC. Agora com o swissleaks a oposição do moralista PSDB vai diminuir mais ainda.
    A presidente deve estar achando ótimo, se livrar de 20 ministérios que só servem para satisfazer os políticos. Se os políticos, o parlamento, estão reduzido os ministérios não vejo em que isso mostra fraqueza da presidente. Muito pelo contrario, vai sobrar recursos.

    A presidente Dilma e o Lula são feras na política, sabem esperar , são pacientes, adversários duríssimos de serem batidos,essa tucanalhada sem poeira nas botas perderam 4 eleições seguidas, perderam a prefeitura de São Paulo, nas manifestações contra a copa ficou claro a manipulação porque não tinha líderes e a Presidente Dilma mais uma vez esperou e saiu vitoriosa, antes da eleição um bombardeio ataques de todos os lados mas venceu a eleição. Agora, todos os escalões do governo sabem da canalhice do FHC e sua sucia gananciosa pelo poder , e a presidente saiu fortalecida porque muitos vendo a covardia passaram a cuidar melhor de suas pastas , quem sabe a ABIN já não passou para a Presidente o nome dos brasileiros que têm contas no HSBC da Suíça ?
    Imagino a Presidente chegar para o FHC e dizer: Senhor, por favor, deixa eu governar em paz, eu não quero briga, a lista ficará em segredo de Estado, agora pegue aecim e suma daqui senão eu revelo a lista.

  2. Isso seria o mesmo que o Executivo determinar formatos e prazos para a votação de leis; ou pior ainda controlar a presença dos deputados e sua folha de pagamentos. Cada um no seu quadrado, é o que reza a constituição.

  3. Os historiadores brasileiros tem obrigação de escrever a verdadeira história, registrar tim tim por tim tim o que está acontecendo. A história do PT nestes últimos 12 anos é fantástica. Milhares de brasileiros foram inseridos na sociedade de consumo, muitos emergiram para uma nova classe média, brasileiro se instruíram mais, o Brasil avançou socialmente. Não corresponde a realidade afirmar que a Dilma faliu o Brasil, que a economia está o caos, que tem recessão, porque o que
    se vê nas ruas não é nada disso. Uma campanha mentirosa que não reflete a realidade do país. Ainda mais se considerarmos as crises internacionais que o Brasil saiu praticamente incólume.
    Dizer que a Dilma é despreparada é outra mentira, na verdade ela preparadíssima tecnicamente e politicamente, é bem assessorada, se não fosse, não teria a caneta mais poderosa do país. Uma mulher forte que suporta como poucos uma oposição covarde, desleal, desrespeitadora, mas no entanto a nossa Presidente nunca agrediu ninguém , nunca demostrou fragilidade, sempre usa o pronome no plural. Nem no dia internacional das mulheres ela foi lembrada pela mídia. Uma maldade, uma indelicadeza, uma falta de sensibilidade monstruosa.

    Dilma, espero sinceramente, que todos os espíritos de luzes vos aconselhem para que tu tenhas cada vez mais sabedoria.

  4. “Sem mais o monopólio das ruas, protagonista de escândalos de corrupção em série, no comando de um governo que levou o país à recessão, o PT sofre a ameaça de perder o controle dos cargos estratégicos na estrutura administrativa, que lhe garantiu na última década e meia a consolidação de uma militância ativa a partir do uso partidário da máquina pública”

    Quem escreve assim é o que ? Situação ou oposição, hein ? Tem que rir de vocês. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Só perdem, mas insistem em mentir.

  5. É assim que a geranta combate os ‘malfeitos’…
    ” A crise chegou à PF do Rio de Janeiro. Os setores operacionais estão sem acesso à internet desde o início da semana devido a um corte de despesas provisório. Os investigadores estão com dificuldades de tocar inquéritos desde então.

    Por Lauro Jardim

  6. Caro Renato.

    Agora entendo.
    Concordo que o PSDB seja (ou pode ser) tão corrupto quanto o PT, mas isso não me obriga a votar no PT.
    Nem no PSDB.

    Abraços.

  7. Senhores,

    Quando o Partido dos Trabalhadores começou, era formado apenas por sindicalistas e sindicalizados e a intenção “OFICIAL” era conseguir benefícios salariais para essas classes para que pudessem sair do “jugo do patrão”. Com o decorrer das eleições, o partido se difundiu, além dessas associações, nas escolas, universidades (onde atuavam os ditos “intelectuais”), estudantes e outras classes chamadas “esclarecidas” e “escolarizadas”.
    Sempre no período eleitoral era possível ver algumas dessas pessoas vendendo, VOLUNTARIAMENTE, chaveiros e broches com a estrela do partido para financiar alguma campanha. Quem contribuía e comprava alguma coisa ficava admirado com tanto altruísmo, com tanta abnegação.

    Enquanto nas carreatas e manifestações dos outros partidos os participantes recebiam dinheiro, gasolina e condução para participarem, nas do PT as pessoas compareciam voluntariamente, muitas vezes iam passando na sua e se integravam às fileiras. Enquanto os seus simpatizantes empunhavam bandeira do partido de graça, os dos outros partidos recebiam condução, dinheiro e marmita. Com o tempo, essas pessoas, supostamente esclarecidas, influenciaram as pessoas com quem tinham contato e até mesmo aqueles que não faziam parte de nenhuma instituição começaram a votar no partido.
    Existe a tendência natural das pessoas imitarem àqueles que são bem sucedidos na vida, financeiramente ou intelectualmente, mesmo que seja se valendo de produtos falsificados: “se o doutor votou em fulano, deve ser chique e eu também vou votar!”. E estes acabavam por contaminar os seus parentes com palavras difíceis e ininteligíveis, como “socialismo” e “capitalismo”.

    Com o decorrer das eleições e sucessivos governos petistas, já no século XXI, o povo e os “intelectuais” que não faziam parte de nenhuma agremiação foram caindo na real e perceberam que o Partido dos Trabalhadores é igual “peru” de jogo de dominó: Quando está fora da mesa, fica dando palpites e querendo ensinar os jogadores que estão jogando; quando se sentam para jogar, não sabem fazer nada… São ótimos na teoria e péssimos na prática.

    O resultado disso tudo pôde ser visto claramente nas manifestações dos dias 13 e 15:

    -Nas manifestações do dia 13 compareceram apenas sindicalistas e movimentos organizados que, de uma forma ou de outra, estavam alinhados com o governo ou que precisam de uma mãozinha deste para a liberação de verba ou de alguma outra benesse pública. Dizem que teve até manifestante que recebeu dinheiro para participar, comportamento idêntico ao adotado pelos outros partidos quando o PT tinha supremacia eleitoral.
    -Já na manifestação do dia 15, as pessoas que compareceram foram todas voluntárias e não estavam cooptadas por nenhum partido, sindicato de classe ou associação, apontando uma TOTAL INVERSÃO DE PAPÉIS e decepção com o Partido dos Trabalhadores. Os que antes eram ativistas voluntários do Partido dos Trabalhadores se sentiram traídos, mudaram de lado e passaram a atuar, também voluntariamente, contra o Partido dos Trabalhadores.

    O PT, abandonado por essas pessoas, teve que buscar apoio para as passeatas nas mesmas classes que, originalmente, o apoiavam quando era um PARTIDO INSIGNIFICANTE: os sindicatos e associação de classes. E o pior: teve que fazer o que os partidos que condenava faziam: pagar ativista, dar gasolina, marmita e transporte para que alguém tenha a disposição de sair de casa, comparecer e permanecer na sua manifestação.

    RESUMO: O Partido dos Trabalhadores hoje está reduzido a sua mesma insignificância inicial.
    Só falta agora o LULA deixar o cabelo crescer e ficar emaranhado, a barba ficar no estilo de “náufrago” e prometer que usará o dinheiro destinado ao pagamento da dívida pública na saúde, educação e na segurança.

    -Hoje DUVIDO que você encontre alguém nos semáforos vendendo broches ou chaveiros da Estrela, voluntariamente.

    -DUVIDO.

    Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *