Aumentar limite do crédito consignado é um novo crime

Wilson Baptista Jr.

É inaceitável a notícia de que vai ser elevado o limite de endividamento dos empréstimos consignados de 30% para 40% da renda dos tomadores. O consignado já é um dos maiores responsáveis pelo endividamento das famílias. Como é totalmente seguro para os bancos, porque é descontado diretamente do salário ou da aposentadoria do tomador, e este não tem como adiar ou não pagar as prestações, os bancos fazem uma campanha cerrada para que as pessoas contratem estes empréstimos.

Depois que me aposentei, se vou a um caixa eletrônico surge na tela, assim que coloco o cartão, a opção para contratar um empréstimo. Recebo telefonemas de bancos com os quais nunca tive nenhum relacionamento, que se valem dos arquivos do INSS para saber nome e telefone dos aposentados, oferecendo tais empréstimos.

Aumentar este limite num momento destes é mais do que irresponsabilidade, é um crime.

9 thoughts on “Aumentar limite do crédito consignado é um novo crime

  1. Concordo. Lembrando que o nível de endividamento das famílias brasileiras com o sistema financeiro, segundo o relatório do Banco Central, atinge 46% de seu orçamento anual.

    Se juntarmos a isso o comprometimento com a carga tributária, que segundo o IBPT atinge 41% do orçamento das famílias, então temos uma realidade absurda em relação ao comprometimento dos recursos de sobrevivência da família brasileira, isto é, 87%!

  2. Este é o Partido dos Trabalhadores destruindo o Trabalhador e os Aposentados do INSS.

    Lembrando que as “Perdas nos benefícios do INSS já atingem 81,77%”

    http://www.diariodolitoral.com.br/conteudo/26400-perdas-nos-beneficios-do-inss-ja-atingem-8177

    Reajuste de 5,56% rebaixa 372 mil aposentados para o salário mínimo. Cobap diz que discriminação no reajuste atinge mais de 9,5 milhões de aposentados
    Da Reportagem

    Desde a implantação do Real, em julho de 1994 e a partir da política de valorização do salário mínimo, iniciada em 2003, os aposentados e pensionistas do INSS sofrem perdas acentuadas em suas rendas, pois não são contemplados pelo Governo Federal com reajustes acima da inflação.

  3. A militância não fede e não cheira, mas a direção partidária e seus dois governos estão mancumunados com o sistema financeiro desde 2003 para agiotar os miseráveis aposentados do Regime Geral da Previdência, em particular.

  4. Eu havia me concedido uns dias de férias a partir de ontem, mas diante desta postagem, decidi fazer este comentário a respeito de uma dos maiores crimes cometidos contra o trabalhador em todos os tempos!
    Eu não estaria exagerando em comparar o tal “crédito consignado” com a mesma medida tomada por Collor quando confiscou a poupança e o dinheiro depositado em conta corrente, deixando uns trocados para o dia seguinte.

    CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.

    Art. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social:
    X – proteção do salário na forma da lei, constituindo crime sua retenção dolosa;

    A intimidade deste governo corrupto e desonesto, imoral e criminoso, com o sistema bancário, criaram um método para lucrar TRILHÕES DE REAIS, a partir de gente que teria ou um crédito pequeno ou nenhum face ao seu cadastro, BURLANDO A LEI MAIOR, A CONSTITUIÇÃO FEDERAL,

  5. Mas, trabalhador em geral não oferece garantia em caso de demissão. Na prática, isso só interessa e funciona para agiotar aposentados e principalmente do Regime Geral, os mais miseráveis. O único risco aí do sistema financeiro é a morte do endividado quando cessa a aposentadoria.

  6. Mais uma vez apertei a tecla errada, peço perdão.
    Concluo o comentário acima:

    … que impede o salário servir como garantia de empréstimos!
    Se, antes, 30%, já deixava as famílias endividadas, com este aumento para 40%, o cidadão estará nas mãos dos bancos por anos a fio!
    No entanto, o mais grave, é que o poder judiciário quando interpelado, INDEFERE a solicitação do cidadão para retirar da Folha este desconto, indo de encontro à Lei Maior, que proíbe o salário ser usado desta forma.
    Não é possível que, Suas Excelências, interpretem como aceitável a decisão do tomador desse empréstimo de ceder o seu salário ilegalmente, e concedem ao credor o privilégio desta maneira de garantir o dinheiro emprestado!
    Em outras palavras:
    O Brasil é o único país do mundo que os bancos possuem total segurança quanto aos financiamentos concedidos!
    Não há risco, como em qualquer outro negócio.
    O salário do trabalhador NÃO LHE PERTENCE!!!
    Ora, mas não estamos em um Estado Democrático de Direito?!
    Por acaso, a Constituição Federal pode ser ignorada por esta violência contra um dos mais comezinhos direitos do cidadão, que é o seu salário?!
    E por que a Justiça ampara esta modalidade ILEGAL?!
    Na razão direta que o ente credor está emprestando uma quantia com garantia do desconto na fonte, deveria ser o primeiro a saber que estaria correndo o risco de ver anulado este modo de cobrança, decidindo por outro meio receber seus créditos legítimos, tais como, Nota Promissória, Cheque pré-datado, carnê, boleto bancário … menos o desconto em Folha porque INCONSTITUCIONAL!
    Peço, humildemente, ajuda ao Dr.Béja se estou certo ou errado nesta minha interpretação sobre o pagamento de empréstimos com desconto na fonte.

  7. Não custa lembrar que são 32,2 milhões de aposentados e pensionistas (22,9 milhões da área urbana e 9,3 milhões da área rural) que recebem em média R$1.001,07 (R$1.119,46 os da área urbana e R$708,10 os da área rural).

    Se olharmos as aposentadorias e pensões individualmente chegamos à dura conclusão de que é uma miséria o que o aposentado recebe em média. Mas, os bancos não olham assim, eles enxergam o volume montante de todo esse contingente de milhões de beneficiados. Esse montante pago pela Previdência foi de R$32,2 bilhões em fevereiro.

    Fazendo pouco caso sobre a repercussão do endividamento individual na vida dos aposentados e pensionistas, os bancos sabem que aumentar de 30% para 40% a fatia do consignado sobre as aposentadorias e pensões representa uma investida de 10% sobre os R$32,2 bilhões. Não é pouco, tendo em vista o poder de multiplicação que o banco tem sobre esses 10% cobrando taxas de remuneração sobre o capital emprestado que podem chegar a 29,38% ao ano, dependendo do banco.

    Tais taxas podem ser consultadas aqui: http://www.bcb.gov.br/pt-br/sfn/infopban/txcred/txjuros/Paginas/RelTxJuros.aspx?tipoPessoa=1&modalidade=218&encargo=101

    Fonte de informação: Banco Central e Boletim Estatístico do INSS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *