O dilema existencial do poeta e compositor Antonio Cícero

Irmão de Marina Lima, Cícero compõe grandes sucessos

O filósofo, escritor, compositor e poeta carioca Antonio Cícero Correa de Lima escreve poesia desde jovem, mas seus poemas só apareceram para o grande público quando sua irmã, a cantora e compositora Marina Lima, passou a musicá-los. Antes, porém, já eram suas canções como Fullgás, Para Começar e À Francesa – as duas primeiras em parceria com a irmã, e a última com Cláudio Zoli. Neste poema que transcrevemos, Cícero reconhece um dilema existencial, que o confunde bastante.

DILEMA
Antonio Cícero

O que muito me confunde
é que no fundo de mim estou eu
e no fundo de mim estou eu.
No fundo
sei que não sou sem fim
e sou feito de um mundo imenso
imerso num universo
que não é feito de mim.
Mas mesmo isso é controverso
se nos versos de um poema
perverso sai o reverso.
Disperso num tal dilema
o certo é reconhecer:
no fundo de mim
sou sem fundo.

                (Colaboração enviada por Paulo Peres – site Poemas & Canções) 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *