Dilma diz que cometeu erros na economia, mas não sabe dizer quais foram…

A presidente afastada, Dilma Rousseff, da entrevista exclusiva à Folha no Palácio da Alvorada

“Quem paga o pato, quando não se tem imposto, é a população”

Mônica Bergamo
Folha

A presidente afastada Dilma Rousseff diz que o presidente interino Michel Temer deveria fazer como ela: defender a recriação da CPMF. Para a petista, “quem paga o pato, quando não se tem imposto num país, é a população”, com cortes em áreas como educação e saúde. Ela nega ter dado guinada na política econômica depois de eleita. Admite que cometeu erros, mas sem dizer quais, pois “essa volta ao passado não existe”.

No dia em que saiu do Planalto, a senhora pedia às pessoas que não chorassem. A senhora não chora?
Eu não choro, não. Nas dores intensas, eu não choro. Cada um é cada um, né?

E o Lula?
O Lula chora. Ele chorou, sim. O Lula ficou muito triste ali, quando eu saí.

Nas conversas gravadas por Sérgio Machado, José Sarney diz que Lula está deprimido e com os olhos inchados de tanto chorar.
É mentira. Gente, o Lula é uma pessoa com fortes emoções. O Lula chora porque tem dor. Ato contínuo, ele se recupera e enfrenta a vida. Que Lula tá com olho inchado de chorar, o quê!

Houve um pior momento nesse processo? A maior traição?
Você não vai me perguntar da maior traição, né? Ela é tão óbvia!

Michel Temer?
Óbvio. E não foi no dia do impeachment. Foi antes. Em março. Quando as coisas ficaram claríssimas.

A senhora não esperava?
Você sempre acha que as pessoas têm caráter. Eu diria que ele não foi firme. Tem coisas que você não faz.

Olhando em perspectiva, a senhora não acha que teria sido melhor ter cedido o lugar para que Lula fosse candidato à Presidência em 2014?
A Barbara Tuchman escreveu um livro fantástico, “A Marcha da Insensatez”. A insensatez só é insensata quando você percebe que isso pode ocorrer e insiste. Não vale a pena olhar para trás, com tudo já passado, e falar “tinha de ser assim”.

Lula também insistia para que a senhora nomeasse Henrique Meirelles para o Ministério da Fazenda, cargo para o qual Temer agora o convidou.
Cada um é cada um. Eu respeito o Henrique Meirelles, tá? Agora, eu não concordo com essas medidas [anunciadas pelo ministro na semana passada]. Gosto mais do Meirelles no Banco Central que no Ministério da Fazenda. Pelo menos até agora. Não sei se é dele essa ideia de propor o orçamento base zero [que só cresce de acordo com a inflação do ano anterior]. Mas não é possível num país como o nosso, não ter um investimento pesado em educação. Sem isso, o Brasil não tem futuro, não. Abrir mão de investimento nessa área, sob qualquer circunstância, é colocar o Brasil de volta no passado. É um absurdo.

No governo da senhora também houve cortes e o então ministro da Fazenda Nelson Barbosa, numa proposta fiscal rigorosa, chegou a prever mudança na política de reajuste de salário mínimo.
Nós passamos um ano terrível em 2015 e fizemos todo o esforço para não ter corte em programa social. Nós assumimos [a proposta de se recriar] a CPMF, sem pudor. Nós nunca entramos nessa do pato [símbolo criado pela Fiesp para protestar contra aumento de impostos]. Aliás, o pato tá calado, sumido. O pato tá impactado. Nós vamos pagar o pato do pato, é? Porque quem paga o pato, quando não se tem imposto num país, é a população. Vai ter corte na saúde. Já falaram em acabar com o Mais Médicos, já falaram que o SUS não cabe no orçamento. Depois voltaram atrás. Os que são chamados de coxinhas acreditam que o Bolsa Família é uma esmola. Não é. Ele tem efeito enorme sobre as crianças. Entre fazer isso [cortes em área sociais] e criar um imposto, cria um imposto! Para com essa história de não criar a CPMF. Só não destrói a educação e a saúde. Não tira as crianças da sala de aula. É essa a discussão que precisa ser feita e não uma discussão genérica sobre o pato.

A senhora fala que o programa de Temer não passou pelas urnas. Mas a senhora também falou uma coisa na campanha e fez outra depois de eleita.
Quando é que o pessoal percebeu que tinha uma crise no Brasil, hein? A coisa mais difícil foi descobrir que tinha uma crise no Brasil.

Na eleição, todo mundo tinha percebido, menos a senhora?
Me mostra a oposição falando que tinha crise no Brasil! Ninguém sabia que o preço do petróleo ia cair, que a China ia fazer uma aterrissagem bastante forte, que ia ter a pior seca no Sudeste.

A senhora diz então que não deu uma guinada de 180º, como até seus aliados afirmam?
Eu vinha numa política anticíclica e acabou a política anticíclica. A guinada é essa. Agora, isso não significa que não possamos ter errado nisso e naquilo. Porque senão fica assim “não errei em nada”. Não é isso.

Errou em quê?
Ah, sei lá. Como é que eu vou falar da situação depois?

Na escolha do candidato a vice-presidente?
Ah, não vou falar isso. É tão óbvio! Mas não tem essa volta ao passado. Isso não existe.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – As explicações da “doutoranda” Dilma Rousseff para a crise econômica são patéticas. Uma das mais criativas colocações foi dizer “eu vinha numa política anticíclica e acabou a política anticíclica“, como se tivesse dirigindo e de repente acabasse a gasolina. E afinal, o que é uma política anticíclica??? Outra pérola foi afirmar que não sabe os erros cometidos: “Ah, sei lá. Como é que eu vou falar da situação depois?“. Quer dizer que um governante (no caso, governanta) não tem condições de falar depois sobre o que aconteceu antes??? Genial! Ou, como dizem os portugueses, bestial! Deve ser por isso que eles consideram o Brasil como o país da piada pronta. (C.N.)

21 thoughts on “Dilma diz que cometeu erros na economia, mas não sabe dizer quais foram…

  1. Da mesma forma que sempre foi despreparada para ser presidente , Dilma Rousseff é despreparada para deixar de ser. Muito mal orientada pelos 35 assessores especiais em “quarentena” , esta senhora continua vomitando falácias que só podem ser resultado da própria indigência mental. Afinal , aparentemente, no tal bunker do exílio essa gente tem um banco de dados à sua disposição para a “luta política”.
    Nesta entrevista , Dilma mais uma vez MENTE quando foi questionada . pela jornalista , sobre a quantidade de encontros que manteve com Marcelo Odebrecht. Ela diz:
    “Eu não recebi nunca o Marcelo no [Palácio da] Alvorada”, afirmou Dilma. “No Planalto, eu não me lembro.”
    É MENTIRA!
    De acordo com os arquivos eletrônicos do Planalto, consultados pelo jornalista Josias de Souza , Dilma recepcionou o cúmplice quatro vezes desde que virou presidenta, sendo que o tapete vermelho foi estendido ao condenado duas vezes no Palácio da Alvorada em 2014, mais precisamente às 11h30 do dia 26 de de março de 2014 .
    Notem que os atores da corrupção se reuniram perto do horário do almoço e que o compromisso seguinte na agenda da mentirosa compulsiva era com no José Eduardo Cardozo, o então Ministro da Justiça.

    http://imguol.com/blogs/58/files/2016/05/AGendaDilmaOdebrechtMarco2014.jpg

    Novamente e às 9h30 do dia 25 de julho e de 2014 a presidente afastada e o meliante estiveram juntos.
    Após o artigo de Josias ter sido publicado , a assessoria de Dilma Rousseff entrou em contato com seu blog , segundo o jornalista para dar as seguintes explicações

    “Ao dizer que ‘NUNCA’ esteve com Marcelo Odebrecht no Palácio da Alvorada a presidenta referia-se ao segundo mandato”.

    Essa ex-presidenta é patética. Parece bêbado em bar , se levantando para apanhar de novo.O jornalista acaba de atualizar a matéria como segue:

    “Noves fora os encontros ocorridos no Planalto, Odebrecht foi recebido por Dilma no Alvorada pelo menos duas vezes em 2014, último ano do primeiro mandato de Dilma. O blog havia entendido que ‘NUNCA’ significa ‘NUNCA’. De resto, Dilma reafirma, segundo sua assessoria, que “a última vez” que esteve com Marcelo Odebrecht “foi no México, em maio de 2015.” Natural. No mês seguinte, junho de 2015, por ordem do juiz Sérgio Moro, o personagem foi recolhido a um xadrez de Curitiba, onde permanece hospedado”.

    • De tanto ouvir o José Eduardo Cardoso dizendo que só poderia ser processada por crimes cometidos no segundo mandato, Dilma apagou da memória tudo do primeiro mandato. E mais ainda seu tempo de presidente do conselho da Petrobrás.
      Por isso não se lembra dos seus erros dentro e fora da presidência nem das mentiras contadas para a reeleição nem da extensão de suas pedaladas.
      Só vai lembrar quando cair nas mãos do Sérgio Moro… Esse dia há de chegar.

      • Em breve a Folha vai criar o ” Cantinho da vovó Dilma ” , onde ela falara coisas importantes, como a receita do pudim de mandioca que ela faz para o neto Gabrielzinho e como congelar vento estocado .

        • Parece que a receita é outra, segundo O Antagonista….
          —————————————
          O golpe do PT para não desaparecer
          29.05.16

          O golpe das novas eleições presidenciais, que Lula quer aplicar juntamente com parte da imprensa, tem uma razão emergencial: o partido pode desaparecer se ocorrerem apenas eleições municipais em outubro.

          Andreza Matais e Marcelo Moraes tiveram acesso a uma pesquisa interna do PT que mostra que, nos atuais 619 municípios com prefeitos petistas, os candidatos do partido têm chance de vitória em apenas 7% no Sul e Sudeste e 8% no Nordeste.

          É só juntar lé e cré: com novas eleições presidenciais, o PT terá mais tempo na TV, poderá reforçar o discurso de que Dilma sofreu uma tentativa de golpe e, quem sabe, o fator Lula poderá servir para enganar mais trouxas.

  2. Mônica Bérgamo, ex-namorada de Dirceu, dê um rivotril pra louca! Ela continua mentindo e vivendo em outra realidade. Dizer que nunca ninguém sabia da crise em 2014 é pra nos deixar estarrecidos… Pessimildo mandou lembranças!

  3. Dois fatos apenas se confirmam com essa entrevista (a entrevista em si não serve pra nada):

    1º – a tendenciosa e garganta de aluguel do PT conhecida nas bancas como FALHA de São Paulo dando bom dia a cavalo. Uma entrevista que ninguem entende nem dá atenção, exceto os blogs sujos da esgotosfera petista;

    2º – a tendenciosa Mônica Bérgamo, colunista social e garganta de aluguel do PT criando um espaço para os blogueiros sujos terem algum assunto para alimentar a semana vazia (para eles, claro).

    Nada mais do que isso. A tal entrevista é um zero à esquerda, não acrescenta nada e só serve para os fins descritos acima.

    Jornal desacreditado a cada dia que passa e que terá grandes dificuldades para se manter de pé após a queda do império petista, que já se avizinha.

    Acho que, em breve, teremos mais gente na fila do desemprego.

  4. CPMF só para sustentar mais dos me$mo$ é brindeira, né ? Dilma perdeu um boa chance de ficar calada. Em Junho, três anos depois do aviso prévio, DEMOCRACIA DIREITA JÁ, segue para Brasília de malas prontas, para se instalar para os próximos 100 anos. Pacto nacional já, ou rendição incondicional do sistema político apodrecido. Basta. Acabou. Não há mais o que esperar dos me$mo$. Contatos prévios serão feito com Michel, Dilma, Renal e Maranhão, Força Tarefa da Lava-Jato Moro e STF. Chega dos me$mo$.

  5. Dilma cometer erros é pleonasmo, ela é o próprio erro. Um poço de insensatez, incapacidade, mentira, desfaçatez e cara-de-pau. A cada dia que passa me pergunto a toda hora: Como é que essa mulher conseguiu chegar a presidência do Brasil ?

  6. Ela é um erro humano, um mal que destruiu uma Nação junto com seu chefe e comandante de toda sujeirada e podridão em que colocaram o Brasil nestes 14 anos de “lulodilmomídiaesgotosferapetralhismo” , 100 anos de cadei á pouco para os petralhas !!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *