Em busca de uma saída, Temer faz uma reunião atrás da outra no Palácio Jaburu

Temer e Marcela recebem os ministros tucanos

José Carlos Werneck

O presidente Michel Temer teve um dia cheio, neste sábado, no Palácio do Jaburu. Pela manhã o presidente conversou com o deputado Júlio César, do PSD do Piauí. O parlamentar disse que Michel Temer estava “tranquilo” e a conversa foi apenas sobre o projeto que trata da legalização dos incentivos fiscais dados pelos estados dentro da chamada guerra fiscal. A Câmara dos Deputados pretende votar o projeto já na terça-feira, e o assunto é de especial interesse da bancada do Nordeste, coordenada pelo deputado piauiense.

Em seguida, o presidente almoçou, com os ministros tucanos Aloysio Nunes Ferreira, das Relações Exteriores; Antônio Imbassahy, da Secretaria de Governo; Bruno Araújo, das Cidades; e com o ministro- chefe do Gabinete de Segurança Institucional,Sérgio Etchegoyen.

APOIO TUCANO – Temer sabe que o apoio do PSDB é fundamental, em seu hercúleo esforço para vencer a crise política e tentar se manter no poder. Experientes analistas estão convencidos que o partido dos tucanos é o ‘fiel da balança’ para manter unida base aliada do governo diante de uma das maiores crises políticas vivida pelo país, desde a proclamação da República.

Depois do almoço, foi a vez do ex-presidente José Sarney chegar ao Palácio do Jaburu. José Sarney, com sua experiência e vasto conhecimento dos bastidores da política nacional, procura ajudar o presidente, articulando diretamente o desfecho da crise, mantendo conversações com parlamentares do PMDB e de outros partidos. Mais tarde, Temer encontrou-se com o titular da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco.

Nesta segunda-feira, não obstante a crescente turbulência gerada pela crise política, Michel Temer pretende comparecer, à noite, a um evento empresarial. Será?

LULA COMO AVALISTA – Mas o diálogo mais significativo foi o ocorrido entre o presidente e um veterano jornalista, observador atento e conhecedor profundo da política brasileira, desde a década de 1960. Ele disse a Temer que o maior avalista de sua permanência no poder é Luiz Inácio Lula da Silva.

Espantado, Temer perguntou ao interlocutor: “Por quê?”

E a resposta:”Enquanto,Lula estiver solto, ninguém tem moral para pedir que o senhor deixe a Presidência da República!”

Estranho país o Brasil…

13 thoughts on “Em busca de uma saída, Temer faz uma reunião atrás da outra no Palácio Jaburu

  1. É isso mesmo, devemos rir, a palhaçada é muito grande. Vejam: Sarney, que deveria ser apelidado de Jaburu, vai ao palácio do mesmo nome para aconselhar o atual presidente. Que moral pode restar ao presidente depois desse encontro.
    È uma tragédia grega (nunca vi uma, mas repito o que os outros dizem). Ou Shakespeariana, que também não li. É uma bosta (disso eu entendo por ser brasileiro nascido no Rio de Janeiro de Cabral). Moro em Bangu. Mas não precisam rimar.

  2. Pois eu já acho que nisto não há alguma coisa para rir, o que existe, é motivo, e muito para chorar.
    Não é palhaçada, e drama puro, tragédia a brasileira, políticos desavergonhados meteram a mão no baleiro e agora procuram um meio de se salvar.
    Já conspiram até anistia total a todos e enquanto isso o Temer quer ferrar o povão com suas famigeradas reformas, incompreensíveis ao momento do pais.
    Quem viveu o pré 64, sabe que a situação atual é bem mais grave.

  3. Políticos que não estão envolvido em corrupção pode-se contar nos dedos, só o Joesley disse que corrompeu 1.829 políticos e as empreiteiras devem ter corrompido outros tantos.
    É bem sensato dizer: enquanto não prender. Lula, vou incluir a Dilma, que arrasou o país e num áudio bem claro querendo dar foro privilegiado ao Lula, obstruindo a justiça, não se pode prender o Temer..
    Como não se sabe o que passa na cabeça do Janot e Fachin. Vamos aguardar.

  4. MINISTRO BARROSO NA SINTONIA DA VERDADE COMO ELA REALMENTE É. Vc que ainda sonha e luta por um país realmente melhor para todos, por amor a si mesmo, seus filhos, netos e descendentes, garanto-lhe que vale a pena ver e ouvir o entrevistador e o entrevistado, na íntegra. São 46 minutos que comprovam a necessidade de envidarmos esforços conjuntamente em torno de um grande ideal comum que dialoga com o descortino do possível novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso, que acredito, piamente, começa pela Democracia Direta Já, que não depende de muita coisa não, mas apenas de um gesto de grandeza de espírito, nobreza, consciência, sensibilidade e desprendimento que pode ser executado pelo próprio congresso nacional que ai está e que pode caracterizar a sua própria redenção histórica, inclusive como copilotos do novo Trem da história, que consiste apenas na rendição dos me$mo$ em prol do Projeto Novo e Alternativo de Política e de Nação, a ser incluído na Constituição que ai está, Já, aqui e agora, porque o adiantado da hora não admite mais firulas e delongas em vão. Ademais, a mim não importa nenhum troféu à título de pai da criança, mas, isto sim, que a criança, que representa o novo de verdade, que já nasceu há mais de 20 anos, cresceu e desenvolveu-se, ocupe o lugar do velho que já morreu, e que dê ao povo brasileiro pelo menos 100 anos de estabilidade e prosperidade e que eleve o Brasil ao topo do IDH mundial, sendo essa a competição local, regional e mundial que realmente vale a pena: a de melhor IDH do mundo. http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2017/05/28/para-barroso-relator-da-lava-jato-sofre-cerco/

  5. É impressionante mesmo que nenhum deles sequer ventile o parlamentarismo, até mesmo e principalmente como uma tábua de salvação para o Michel Temer chegar no cargo até o fim de 2018. Aí sim, nas próximas eleições o povo deveria num referendo ou plebiscito optar ou não por essa forma de governo. Mas se optar pelo não significa que ainda continua em busca de um salvador da pátria, eu espero que com os recentes traumas sejam suficientes para as pessoas mudarem de idéia e acabarem de vez com esse Presidencialismo falido

  6. Houve no Brasil, em 1993, um plebiscito para votar a forma de governo entre Presidencialismo e Parlamentarismo e Monarquia. Os herdeiros monárquicos tinha uma propaganda: vote no Rei. O povo, como sempre, desinformado, votou pela continuidade do Presidencialismo. É preciso que a população saiba que parlamentarismo é um sistema democrático de governo ,no qual o comando do país é de um parlamentar eleito para ser o Primeiro Ministro e que pode ser destituído se o Congresso não confiar mais nele. Votei, na ocasião pelo Parlamentarismo, lembro-me bem.

    • Em 1993 eu ainda era criança, mas me lembro dessa votação para mudar o regime. Morava, como sempre morei, em Bangu, cidadezinha pacata, perto de Realengo. Eta vida boa aquela. Não se ouviam querelas, a vizinhança, à tarde nas janelas, bisbilhotava discretamente a vida das donzelas. Ah, que vida boa, todo mundo à toa, mesmo sem a ajude de um bolsa-família para equilibrar o nosso orçamento magro de pedreiro – profissão do meu pai.
      Naquele tempo os ladrões preferiam as galinhas, diferentemente dos de hoje, muito mais sofisticados – os canalhas atuais vendem Medidas Provisórias! Ou investem em joias. Todos, sem exceção, têm mulheres bonitas – e é isso que me dá raiva dos desgraçados.

  7. Pingback: Temer, tentando se salvar – Debates Culturais

  8. Isso ocorreu na casa do Presidente? Sinceramente acho irreal esse ataque de sinceridade sem levar um pé na bunda.
    Quem é esse “veterano jornalista, observador atento e conhecedor profundo da política brasileira, desde a década de 1960” ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *