CHEGA! BASTA!


Carlos Chagas

“De boas intenções o inferno está cheio”, dizia o refrão popular. Está na hora de refluir  o movimento pelo passe livre e demais reivindicações. É imprescindível que os jovens deixem as ruas. Obtiveram sucesso. Em quase todas as cidades do  país os prefeitos revogaram o aumento das passagens dos transportes coletivos. Provavelmente o governo federal tomará a iniciativa de investir mais em educação e saúde.

Então, chega! Basta! Porque as manifestações ditas pacíficas transformaram-se na  guerrilha urbana mais violenta de nossa História. Por certo que sem desejar a imensa baderna que nos assola, os líderes não tiveram força para impedir a ação do que chamam de minorias empenhadas em depredar, invadir, assaltar e destruir. Minorias? Há dúvidas. São esses animais que  hoje chefiam  o movimento de protesto. Filmados e fotografados, mas não presos, eles instituíram a violência como regra, aproveitando-se da ingenuidade da maioria. Ou da complacência, talvez conivência, também.

Está demonstrado que as autoridades públicas tornaram-se incapazes de preservar a ordem. Policiais militares fugindo só não é imagem mais deprimente do que policiais militares atirando sobre a multidão, mesmo quando as balas são de borracha. Prédios públicos atingidos, lojas comerciais saqueadas, avenidas sitiadas e gente ferida – é esse o saldo dos protestos urbanos que já duram dez dias.  Até agora, um cadáver, mas quantos outros,  se a baderna continuar?

Vem à lembrança o episódio  do aprendiz de feiticeiro. Passou a hora de ficar apenas elogiando as  monumentais  passeatas, a coragem  dos jovens em  reivindicar melhores condições de vida e mais eficientes estruturas institucionais. Aplausos para eles, mas chega! Basta! Os efeitos da iniciativa tornaram-se incontroláveis. As criaturas ultrapassaram os criadores. Para interromper o vandalismo generalizado que  conquista cada vez mais adeptos,  a solução deixa de passar pelas polícias. Está provada a insuficiência delas. É preciso interromper essa prática antes dita democrática e agora transformada em portal do caos.

Se houver patriotismo e bom senso por parte dos líderes e do conjunto de manifestantes, devem ficar em casa. Deixar que  os animais fiquem sozinhos e  isolados, se decidirem continuar.

A PATA DA DIREITA                                                               

Representantes da finada ditadura militar esfregam as mãos de satisfação. Espalham que no tempo deles  conseguiram calar a voz jovem das ruas e obtiveram o apoio do cidadão comum. Afiam suas garras, imaginando poder, de novo, botar a pata em cima da nação. Que Deus nos proteja deles.

PENSARAM OU AINDA PENSAM?

No auge das lamentações sobre a baderna de quinta-feira funcionários da Fifa pensaram em suspender a Copa das Confederações, alegando falta de segurança para eles e para os competidores. Ainda pensam, se não houver a interrupção das manifestações. Quanto à Copa do Mundo do ano que vem , vão pensar muito, inclusive na imensa multa que o governo brasileiro precisará pagar,  por contrato.

VEXAMES

Fora algumas exceções, foi monumental o vexame oferecido pelos âncoras das principais redes de televisão,  na tentativa de descrever as manifestações. Se as imagens fornecidas pelos cinegrafistas foram excepcionais, assim como o relato dos repórteres, quando chegava a vez dos comandantes das transmissões, só restava ao telespectador rir para não chorar. Mostrando  São Paulo, imaginavam, ser o Rio.  Sequer conheciam as cores do fardamento das polícias militares, fator que lhes pouparia a credibilidade. Além de pontificarem, eles e elas, com ridículos sermões patrióticos.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

35 thoughts on “CHEGA! BASTA!

  1. Brasileiro, massa de manobra, reclama de barriga cheia: foi assim que cairam os governos progressistas e nacionalistas de João Goulart logo assim que vedou a remessa de lucros para o exterior e apoiou reformas de base e Getúlio Vargas, pouco depois de criar a Petrobrás.

  2. Certo, certissimo (não há nisso novidade alguma)o comentário de Carlos Chagas, sobre a necessidade de dar um basta às reivindicações. Esse basta impõe-se ser adotado pelos meios de comunicação, que ultrapassam todo o bom senso ao repetir noticiário sobre o vandalismo havido, o que só serve para açular os malfeitores, oferecendo-lhes a vitrine para a pratica continuada seus atos injustificados e extremamente covardes.

  3. Carlos Chagas,
    Voce é daqueles que morde e assopra. Num dia voce orienta, estimula os avanços. Na madrugada seguinte, voce desestimula-os. Com todo o respeito, com todo o apreço que lhe tenho, mas esse tipo de comportamento já foi identificado em outras oportunidades. Tudo bem que voce se excedeu no artigo anterior, embora muitas das sugestões poderiam e podem ser aproveitáveis. Portanto,nem tanto o ceu nem tanto a terra.

    Os principais interessados em descaracterizar o movimento são os militantes dos partidos de esquerda no poder. Amordaçaram a insatisfação, alienaram as mentes dos brasileiros e como? o que está acontecendo, onde falhamos?
    A ditadura civil imperava. Quiseram até mesmo coibir a imprensa de emitir suas opiniões e críticas. Divergência é tramar sua queda. E onde fica o controle estabelecido nas bases estudantil, sindical e nos movimentos sociais?
    E como diz o Helio Fernandes: devemos continuar nas ruas, mas coibindo os arruaceiros. Estes, atuam para enfraquecer o movimento, que está sendo tão ou mais importante de qualquer outro que já tenha acontecido. Afinal, em qualquer movimento contestatório, reivindicatório de massa está presente os sem coisa nenhuma, os alijados, os excluídos, que as vezes se excedem com atos de revoltas. O que difere daqueles que arquitetam sua destruição, o seu fracasso.

    Creio que a luta contra o Pec do Ministério Público, agora, se faz oportuno, senão urgente. Os que estão no poder não admitem a crítica, a divergência. A coisa pública é propriedade privada deles. A liberdade de expressão? Somente se for para expressar opiniões favoráveis. Divergências são o prenúncio de conspiração.

    Por isso defino o movimento atual como a expressão da verdade. E a Tribuna da Imprensa nas ruas, literalmente. Não nos basta o virtual. O que vale é o real.

  4. NA VERDADE, CHEGA E BASTA DE AS AUTORIDADES NÃO IDENTIFICA-LOS E EM SEGUIDA PRENDE-LOS! ESTOU EQUIVOCADO OU O SR. ESTÁ SUGERINDO TIRAR O SOFÁ DA SALA? HÁ ALGUM TEMPO NÃO VENHO CONSEGUINDO ENTENDER A SUA ,TALVEZ SUPOSTA, IMPARCIALIDADE. LAMENTÁVEL.

  5. Os manifestantes que não são somente jovens estão transmitindo o que a grande maioria gostaria de está fazendo protestando contra tudo. O movimento não é sem causa é que as causas são muitas. O SUS não é pra todos porque não tem capacidade de atender nem os que mais precisam dele; o transporte no Brasil é caótico não só o transporte de pessoas mas de produtos também; a educação só melhorou um pouco com o FHC depois não se fez praticamente mais nada, algumas questões pontuais mas insuficiente para uma educação que padece de qualidade; a corrupção foi institucionalizada pelo anterior que não viu nada e não sabia de nada, mas ficando cada vez mais sínico e rico o Lula chama todo mundo de idiota ao endossar o maior sistema de roubo desse país do qual ele é um dos beneficiário, pra comprovar bastaria pesquisar o patrimônio atual dele e dos seus laranjas; o atual governo ensaiou um caça ás bruxas mas recuou e hoje está empregando em ministérios os mesmo que já foram pegos com a mão na botija; e corrupção e uso político da Petrobrás? Dizer que basta é se entrincheirar nas fileiras dos que nunca fizeram nada. Deixa de basta e vamos pras ruas protestar de qualquer jeito. Os ricos também são culpados por fazem lobby contra o imposto sobre grandes fortunas, porque não querem ajudar? Porque estão na zona de conforto e precisam ser tirados dela. Parabéns aos manifestantes que estão falando pela grande maioria dos brasileiros que não têm coragem ou oportunidade ou saúde pra fazer o que deve ser feito ou seja o que estão fazendo.

  6. Vejam os leitores como o articulista é ingrato e caradura. Foi assessor de imprensa do ditador Costa e Silva nos anos 60 e agora teme que supostos milicos golpistas, como aqueles que ele serviu, estejam a afiar as garras para “botar a pata em cima da nação”. Ou será que ele “teme” ser convocado para voltar a servi-los docemente constrangido?

  7. “Provavelmente o governo federal tomará a iniciativa de investir mais em educação e saúde ”
    Agora, o Sr. escolheu o termo certo, o “PROVAVELMENTE”. Até a presente data, com raras exceções os governos sempre foram reativos. O que se viu na fala de todos os que se viram obrigados a dar suas caras nos meios de comunicação? Contabilizaram em reais, dinheiro, os danos provocados pelo vandalismo e baderna, que eu condeno. Criticaram mas sem a honesta e necessária autocrítica. Nenhuma palavra digna de crédito sobre a corrupção com seus desvios bilionários e a consequente falta de investimentos públicos em toda a infraestrutura necessária à sobrevivência digna da sociedade brasileira. Veja que eu falei em “sobrevivência digna”; sequer aventei a hipótese de uma sociedade beneficiária de uma justa distribuição da renda gerada pela exploração das riquezas naturais humanas e materiais existentes no nosso país. Só para ficar em São Paulo e Capital, mas sem esquecer do Rio, governador e prefeito, Alckmin e Haddad, diante das circunstâncias obrigados à revogação dos aumentos das passagens, visivelmente contrariados advertiram que “não existe almoço de graça” e que portanto teriam que retirar recursos previstos para outras prioridades, ou seja, que a corda vai arrebentar no lado mais fraco da corda, nós! No Brasil de hoje, onde se enfiar o dedo o fedor exalado é insuportável. Por favor, tira o burro da sombra e “VEM PRA RUA!”

  8. Bruno, o que você sugere é muito perigoso. Em 1959, quando a população se revoltou contra valor cobrado na travessia Rio-Niterói e incendiou a estação das barcas (centro de Niterói), o movimento se estendeu a todo o centro da cidade, um jovem foi morto próximo ao Jardim São João, e a rebelião alcançou a noite. Nesse ínterim, residência da família que explorava os serviços nas barcas foi depredada próximo ao Ponto Cem Réis e o povo se dirigiu a Cachoeira de Macacu a fazenda pertencente ao mesmo grupo. Tudo terminou à noite, com intervenção pacífica do Exército. Eu estava lá.

  9. Gosto quando pessoas inteligentes e conhecedoras da História do nosso País intervém nessas horas com intuitos de desmoralizar mentirosos, demagogos e oportunistas que aproveitam do caos para se auto promover, como no caso o Sr, Carlos Chagas.
    Parabéns Sr Laco Silva pela lembrança e por ter passado essas informações sobre esse ingrato que hoje “cospe no prato que comeu”.

  10. “PENSARAM OU AINDA PENSAM?”

    “No auge das lamentações sobre a baderna de quinta-feira funcionários da Fifa pensaram em suspender a Copa das Confederações, alegando falta de segurança para eles e para os competidores. Ainda pensam, se não houver a interrupção das manifestações. Quanto à Copa do Mundo do ano que vem , vão pensar muito, inclusive na imensa multa que o governo brasileiro precisará pagar, por contrato.”

    Caramba, o jornalista escreveu inspirado a coluna de hoje, é terrorismo catastrófico puro!!!! Por que não muda a Pauta e escreve sobre as verdadeiras causas de tudo o que está acontecendo´? Sei que é cansativo, dá trabalho e precisa QUERER, mas prestaria um enorme serviço à coletividade, se o fizesse nos mesmos moldes de seus discursos quando escolhido paraninfo nas festas de formatura de alunos de jornalismo Acredito que, por maior que seja a “imensa multa”, ainda não sabemos o seu valor, com toda a certeza será uma pequena fração do que foi gasto com a enorme farra na construção dos estádios. Se for muito alta e significante podem apostar que foi multa superfaturada! Concluindo, a presidenta disse, em seu pronunciamento, que não há financiamento público mas em sequência afirmou, interessante porque em contradição pareceu avalizar, que o dinheiro gasto será pago direitinho. BNDES é ou não é dinheiro público,se quem o alimenta é o Tesouro e o mundo inteiro sabe que o retorno desses eventos,além de subjetivo é sempre uma pequena fração do valor dos investimentos (real+superfaturamento) realizados?!
    Volto a repetir, tire o burro da sombra e VEM PRA RUA!

  11. Se o governo estiver contra a baderna deve colocar a polícia na rua para GARANTIR a manifestação da insatisfação popular. Só tem um detalhe: vai precisar de muuuuuita humildade (de onde?) para aceitar que as manifestações são contra…ele mesmo.

  12. Coitado do Carlos Chagas! Já não sabe mais em que direção vai a sua caneta! Dá pena, mas já não diz coisa com coisa; ora é parcial, ora imparcial e, às vezes, “neutral”! Faça um favor a si mesmo, “abra o olho” peça aposentadoria e procure um pesque-pague para aproveitar os neurônios restantes…

  13. Está lá no Cláudio Humberto, nossos pobres políticos, dona Dilma acaba de comprar mais um imóvel em Porto Alegre, além dos três apartamentos, tem agora uma casa em POA de cinco milhões e o povo que é vândalo.

  14. Não, não basta!! Isso é só o princípio.

    “Povo marcado, povo feliz”…não pode mais ser assim.
    Temos muito o que reivindicar. Muito!

    Não à PEC 33!! Não à PEC 37!
    Cadeia para os mensaleiros!
    Renan e Alves, 2 corruptos presidindo o Brasi8l. Isso é um acinte!
    Lula e seu caso asqueroso com Rosemery Noronha engavetado.
    Tem muito lixo, mas muito lixo sob o tapete.

  15. caro Chagas,que espanto com sua cronica,ou melhor que decepção.Acho que temos como separar os bandidos dos cidadões as reivindicações são justa e necessárias para ver se os governantes olhem para o povo que os elegeu.

  16. O Chagas está viajando na maionese. Estive na manifestação de BH, nesse sábado. Acontece que a polícia, quando começou a lançar as bombas de “efeito moral” e as de gás lacrimogêneo, atiçou a todos, e não apenas o “pequeno grupo de vândalos e baderneiros”. Basta ver que a multidão inteira gritou slogans contra a PM. E, após o confronto iniciado, foi consequência direta as investidas contra os estabelecimentos, em represália. Ninguém houve que dissesse aos manifestantes responsáveis pelo ataque: “pára com isso, meu filho”. E a impressão que tive é que, quanto mais a polícia reprime, mas a multidão quer investir contra ela, mesmo sabendo que pode sair no prejuízo.

  17. Sr. Chagas, estou com o Sr. Helio Fernandes que disse ser essa luta de 15 rounds. Só vencemos um round. Falta muito, entre outras:

    – Punição à corrupção;
    – Reforma política;
    – Reforma tributária;
    – Reforma na educação;
    – Reforma na saúde;
    – Investimentos maciços no transporte público e na logística de integração nacional;
    – Diminuição da União frente aos 27 Estados e DF e aos 5.565 Municípios.

    Hoje a União fica com 70% da arrecadação tributária, 25% fica com os Estados e apenas 5% com os Municípios que têm a obrigação de manterem saúde, transporte, educação e segurança. Isso tem de mudar urgentemente.

    Esse federalismo assimétrico e a falta de um pacto federativo que corrija essas distorções, esses desequilíbrios, estão prejudicando os brasileiros em todos os sentidos.

    Se a Dilma tem, realmente, o intuito de corrigir isso, deve começar a chamar os governadores e prefeitos para construírem um pacto federativo.

    A questão é que, enquanto a reação dela for somente verbal as manifestações devem continuar a ocorrer. A União não quer “largar o osso”; e não fará isso sem a devida pressão.

    O Congresso não vota as matérias necessárias, como, por exemplo, o fundo de participação dos Estados e Municípios. E, ainda, de quebra, põe na pauta a indesejável PEC 37, subjugando o interesse nacional.

    Assim não dá. Temos de continuar protestando mesmo!

  18. Acompanho Carlos Chagas por muitoa anos. De vez em quando fala umas besteiras em seus artigos e neste artigo em particular ultrapssou a barreira do ridículo por falar tanta besteira em poucos parágrafos. Acorda Carlos Chagas até parece que fica só no sofá!

  19. Esses caras não nos entendem mesmo. São esquerdopatas com ideias antigas. Se as manifestações são contra o governo do crime organizado, da roubalheira, dos mensaleiros, da falta de aplicação honesta dos recursos públicos nos serviços essenciais, esses porcarias vem dizendo que somos massa de manobra da direita e muitos outros dizem que somos massa de manobra da esquerda. Ora, vão todos vocês bater com o focinho na merda.

  20. Má notícia para o autor: os “animais” são a maior parte da população revoltada, que ainda não se colocou em peso nas ruas por questão de tempo. Mas sexta, aqui no Rio, já deram uma palhinha.

    Tem gente que acha que o Brasil é a Noruega…

  21. Carlos Chagas se promover? A juventude que está nas ruas não o conhece!!! E o que fala faz muito sentido. Não precisa nem ler o TI para saber que os militares pensam em endurecer se continuar a desordem. Que o povo siga avante com ideias, junto a representantes da sociedade civil para que nos livrem da ameaça deles!

  22. Sim Juares. Por isso precisamos de FOCO. De nada adianta irmos para as ruas e apanharmos da polícia, só pelo fato de estarmos lá. Por que eles não fizeram distinção entre quem depredava e estava manisfestando inocente e pacificamente, como na última 5ª feira no Centro. Eu moro aqui e mesmo em minha rua houve um CAOS. Precisa de BASTA nestas manifestações de massa sem foco. Precisamos sentar para pensarmos em como elaborar as reivindicações. Precisamos de uma Assembléia Constituinte, por exemplo, e nas nossas cidades, chamarmos os técnicos das áreas de educação, saúde e segurança para elaborarmos um plano que atenda às necessidades de cada cidade. Mas isso demanda, tempo, inteligência E não indo às ruas aleatoriamente neste momento, que vamos conseguir mudar algo concretamente. Na 3ª feira, soube que haverá uma plenária no IFICS para serem discutidas estas questões.

  23. VOTARAM NESTA CAMARILHA TODA, DESDE A ÉPOCA DO SARNEY/COLLOR, AGORA MAIS DO QUE DERREPENTE VEIO A RESSACA ( sic ). AS PORTAS JÁ ESTAVAM ARROMBADAS DESDE AQUELA ÉPOCA E É AGORA QUE VÃO ACORDAR !?!?!?
    INFELIZMENTE O BRASILEIRO NÃO SABE VOTAR OU MELHOR NUNCA SOUBE VOTAR.
    A INSATISFAÇÃO DA NAÇÃO SE MOSTRA NAS URNAS E NÃO NA BADERNA !!!

  24. “Acontece que a polícia, quando começou a lançar as bombas de “efeito moral” e as de gás lacrimogêneo(…)
    E a impressão que tive é que, quanto mais a polícia reprime”

    Então quer dizer que a polícia reprime e a população tem que aceitar calada?? Que eu me lembre, os manifestantes foram atacados do nada. No RJ, não a polícia, mas o BOPE e o CHOQUE simplesmente bateram, atiraram e jogaram bombas em todo mundo, inclusive em bares e casas de show. Isso p/ mim não é ordem, é baderna institucionalizada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *