Aécio, preocupadíssimo com a candidatura Lula. Campos “engrenou” de vez na vice de Lula. Na reforma político-partidária, quem manda é Lula. O fim da reeleição e dos mandatos, serve a Lula. O artigo no New York Times, ridículo para Lula.

Helio Fernandes

Ontem revelei aqui os novos rumos da caminhada de Eduardo Campos. Ainda sem comunicação oficial, estaria desistindo do que jamais assumiu verdadeiramente, a candidatura a presidente, agora em 2014. O PSB já teria incorporado essa convicção e estaria dividido, de acordo com os interesses de cada grupo. Não foi sempre assim?

Só que para Campos a caminhada teria sofrido uma bifurcação. Em vez de partir direto para conquistar o Planalto (que não conquistaria), ele faria uma parada obrigatória como vice de Lula. Se não surgissem complicações de saúde, Lula seria eleito, no primeiro turno.

(Não estou tomando posição, contra ou a favor, apenas fazendo análise e chegando a conclusões. Qualquer analista isento e sem predileções chegaria ao mesmo resultado. Isso já era realidade antes do povo nas ruas, agora se transformou em exigência política, partidária, eleitoral. Dona Dilma foi tão desastrada a partir de 6 de junho, que se transformou na grande derrotada).

CONSULTA A JURISTAS

Agora, a continuidade do que escrevi ontem e dos novos caminhos percorridos pelo governador de Pernambuco. Está conversando com juristas e pedindo resposta para uma única pergunta, como se fosse plebiscito: “Se eu me eleger vice em 2014, para ser candidato a presidente em 2018, preciso me desincompatibilizar?”. Ainda não receber resposta, vou me antecipar.

A reforma da Constituição, comprada às pressas para permitir imediatamente a reeleição de FHC, implantou no Brasil uma Constituição parecida com o “Samba do Crioulo Doido” (Sergio Porto/Stanislaw Ponte Preta), subverteu as coisas, juristas podem interpretá-la da maneira como bem entenderem.

E a razão principal é esta: o tradicional e obrigatório “quem pode o mais, pode o menos”, desapareceu completamente. Quer dizer: o presidente da República (FHC, Lula e supostamente Dona Dilma) podem se reeleger no mais alto cargo da República. Mas se hipoteticamente decidirem disputar qualquer outro cargo, lógico, todos abaixo da Presidência, terão que se desincompatibilizar.

CAMPOS: VÁRIAS RESPOSTAS

Diante da minha exposição e esclarecimento, o ainda governador de Pernambuco pode se preparar: receberá informações com SIM e com NÃO. Alguns juristas-constitucionalistas responderão SIM, tem que sair. Outros dirão NÃO, pode se candidatar no cargo.

Uma pergunta que receberá SIM unânime: tenho de deixar o cargo para ser candidato a vice? Nesse caso, FHC não mexeu na Constituição, não tinha interesse pessoal. E ele só se movimentava por interesse pessoal ou para servir à “privataria”.

A PREOCUPAÇÃO DE AÉCIO E DO PSDB

A chamada oposição que não se opõe, não deixava qualquer dúvida: queria muitos candidatos para então, possivelmente, chegar ao segundo turno. Nunca se viu tanto candidato apregoando que “pretendia apenas chegar ao segundo turno”.

Isso nos tempos de Dona Dilma candidata. Agora que Lula, que era mais forte, e sobe ao pódio junto com o governador de Pernambuco, está prática e oficialmente no palco, os outros não sabem o que fazer. Presidente do PSDB, o ex-jovem Aécio Neves tem total liberdade de desistir de ser presidenciável, sem autorização de ninguém.

LULA IMPÕE SUA VONTADE NA
COMISSÃO DA REFORMA POLÍTICA

Essa comissão não mudará nada, não transformará os partidos ou seus representantes. Mas todos brigam para participar da Comissão. O presidente da Câmara decidiu (?) assim: cada partido terá um representante. O do PT deveria ser Henrique Fontana, há anos estuda o problema.

Lula não se conformou, deu ordens. Indicou o deputado Candido Vaccarezza. Henrique Eduardo Alves, já com um pé no jatinho, aceitou as determinações. Cumpriu a indicação de Vaccarezza, garantiu: “O PT terá dois representantes na Comissão”.

Não explicou a razão, ninguém perguntou, quem quer contradizer um ex-presidente quase futuro outra vez? É evidente que essa Comissão, que “tem 90 dias para fazer”, não fará nada. E quem pensa (?) ao contrário?

PS – 80 por cento, pelo menos, dessas reformas, nem precisariam de 90 dias. Bastaria uma PEC, aprovada e executada em menos de 15 dias. Só que liquidaria com os privilégios dos parlamentares mais antigos.

PS2 – O presidente da Câmara não se cansa de repetir: “Sou deputado de 10 mandatos, estou aqui há 42 anos”. O presidente do Senado, por que ajudaria a transformar um sistema político-partidário, no qual, apanhado em flagrante de vários crimes, renunciou à presidência do Senado, para não ser cassado?

UNIFICAÇÃO DOS MANDATOS
E FIM DAS REELEIÇÕES

A idéia de acabar com todas as reeleições e fixar os mandatos em 5 anos, de vereador a presidente da República, foi a melhor sugestão, aplaudida em toda essa confusão das ruas e dos gabinetes. Não será aprovada, tem que passar pelo Legislativo, quem votará a favor?

Agora, apareceu proposta semelhante, com aumento de mais um ano. Foi apresentada por prefeitos, só que, em vez de 5 anos, todos teriam 6 anos, mas sem reeleição. São muito prefeitos apoiando essa sugestão. Afinal, os prefeitos, mais de 5 mil e 500.

LULA ESTÁ “INCHADO”

O único obstáculo político-eleitoral, impedindo Lula de voltar ao Planalto-Alvorada, seria a saúde. Ele estava “escondido” há muito tempo, agora apareceu na TV por causa do artigo do New York Times. E a constatação irrefutável: ele não parece bem, a palavra correta para defini-lo: inchado. E totalmente roliço.

O ARTIGO NO JORNAL DOS EUA

Engraçadíssimo. Foi uma “sacanagem” do jornal americano. Embora soubessem que o artigo não seria escrito por ele, tinham certeza de que não passaria de uma peça de humor, não do tipo Chico Anysio/Millôr Fernandes, mas sim de “Zorra Total”. Puxa, não havia um conselheiro, um marqueteiro, um diretor do Instituto para alertar: “Lula”, isso é uma armadilha”. Só houve mesmo repercussão (negativa) no Brasil. Lá, ninguém leu.

NINGUÉM QUER LIGAÇÃO
COM SERGIO CABRAL

Depois de Dona Dilma, o maior perdedor com a participação do povo nas ruas foi o governador do Estado do Rio. Antes mesmo de toda essa confusão e tumulto, eu já dizia aqui, taxativamente: o futuro governador do Estado do Rio será Garotinho (a terceira vez, a segunda foi quando elegeu a própria mulher) ou Lindbergh Farias.

Quando o secretário de Segurança não aceitava ser vice de Pezão, eu explicava aqui: “Ele não quer se o segundo do primeiro que não vai ganhar”. Agora é o próprio vice Pezão, cotado para ser promovido a governador, que não quer disputar, prefere ser senador. Como é só uma vaga, Cabral não aceita indicá-lo.

CABRAL: DE EMBAIXADOR
A SENADOR, E OLHE LÁ

Antes do povo ir para as ruas, Cabralzinho tinha um plano perfeito, revelado aqui várias vezes. Como em 2014 não havia chance para ele, conseguira com Dona Dilma que o nomeasse embaixador na França. Ficaria lá até o fim de 2016, início de 2017, voltaria no auge, cheio de possibilidades. Com a derrocada de agora, se ficar em liberdade, tudo é lucro.

Ontem à noite, quando eu terminava este texto, manifestantes queimavam um boneco diante do prédio luxuoso onde mora o governador que nunca trabalhou na vida e ficou miliardário antes dos 40 anos. Cabral é um fenômeno de enriquecimento ilícito. Às custas da política. Só sonha em morar na França, porque a guilhotina está desativada.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

25 thoughts on “Aécio, preocupadíssimo com a candidatura Lula. Campos “engrenou” de vez na vice de Lula. Na reforma político-partidária, quem manda é Lula. O fim da reeleição e dos mandatos, serve a Lula. O artigo no New York Times, ridículo para Lula.

  1. Lula candidato, em primeiro lugar só se DEUS deixar , a neoplasia maligna é altamente democrática ataca independente de partidos. Lula pensa que é um semi-deus, mais esta enganadado.

  2. Pelo que estamos observando, os políticos e os dirigentes brasileiros não estão muito preocupados em resolver as reivindicações dos gritos das ruas e sim preocupados com os seus futuros políticos. Os políticos brasileiros são os POLÍTICOS COPA DO MUNDO só aparecem a cada quatro anos para pedir o nosso voto com o objetivo de se eleger ou reeleger, temos que dar um basta nisso.
    No século XVIII a França passava por uma grande injustiça social, má distribuição das riquezas, altos impostos pagos pelo Terceiro Estado que trabalhava para sustentar o primeiro e o segundo estados( clero e a nobreza, detentoras de riquezas, cargos, prestígios e privilégios), culminando com a Revolução Francesa, tendo como marco a Queda da Bastilha em 14 de julho de 1789.
    Enquanto que no Brasil atualmente, não é tão diferente daquela época. Existe grande injustiça social, péssima distribuição de renda, uma das maiores cargas tributárias do mundo. O povo estar abandonado, faltam investimentos na saúde(que estar doente), educação, segurança, transportes, etc., o povo só serve para colocá-los no poder e trabalhar, ou seja carregá-los nas costa, para sustentar o luxo, as mordomias e regalias dos poderes executivos, legislativo e judiciário, com seus altos gastos, estando entre os mais caros do mundo.
    Os protestos do mês de junho de 2013, trouxeram à tona a insatisfação do povo brasileiro, contra a política, os políticos, o executivo, o legislativo, o judiciário e o fim de suas regalias, foros privilegiados e prerrogativas e mostraram ao Brasil e ao mundo que não precisam de manipulações de políticos, de partidos e de organizações sindicais(que recebem o impostos sindical) para manipulá-los conforme seus interesses. Mas parece que os políticos e dirigentes do nosso país nada viram ou ouviram.
    A reforma tem que ser política, dos políticos, do executivo, do legislativo e do judiciário com o fim de suas regalias. O povo clama por igualdade entre os cidadãos brasileiro(os privilégios e regalias desses poderes torna-os cidadãos diferenciados), o movimento das ruas foi só uma alerta aos poderes de que nada estar funcionando bem, e que cada vez virá com mais força, enquanto que para eles tudo estar funcionando bem, até parece que estão morando em outro planeta, onde tudo estar às mil maravilhas, inclusive com a corrupção em plena ascensão.

  3. OME,ÓI, VEJA ESTA ENTREVISTA CONCEDIDA A SARGENTELLI, ISTO EM
    1961:

    “NÓS MILITARES NUNCA GOSTAMOS DE ASSUMIR O PODER. ACONTECE QUE OS SENHORES, CIVIS,
    QUANDO ESTÃO NO PODER BAGUNÇAM TUDO. QUANDO O PAÍS ESTÁ NA BANCARROTA, NÓS, OS MILITA-
    RES ASSUMIMOS O PODER, ARRUMAMOS A CASA E A DEVOLVEMOS AOS SENHORES. AÍ OS SENHORES
    BAGUNÇAM TUDO NOVAMENTE. AGORA … NO DIA EM QUE OS MILITARES ASSUMIREM O PODER NESTE
    PAÍS, VAMOS TER QUE FICAR PELO MENOS TRINTA ANOS, PARA ARRUMAR A CASA DE MANEIRA TAL
    QUE OS SENHORES NUNCA MAIS CONSIGAM BAGUNÇAR”. Marechal Juarez Távora.

    SEGUNDO A IMPRENSA, O RIO DE JANEIRO TÁ EM POLVOROSA, PALAVRAS DE ORDEM JÁ COMEÇAM
    A TER O VERDADEIRO OBJETIVO, COMO: FORA GOVERNADOR!
    O PROBLEMA É QUE O FORA DEVE SER DO PLANALTO À PLANÍCIE.

  4. O túnel da mudança não tem luz, salvo a da violência.
    (Violência é a única forma de assegurar que a moderação seja ouvida – H.Arendt)
    .
    E a gente aqui vendo, lendo, conversando, ouvindo e escrevendo. Escrever preenche o vazio; é conversar com o etéreo. Dá uma inebriante sensação de conversar com o mundo embora se saiba que o mundo não quer conversa; segue, não tem opinião. Nietzsche, o sem limites, diz ser o pensar uma ação depravada: “Se essa (natureza) nos destinou a ser sadios, ouso quase assegurar que o estado de reflexão é um estado contra a natureza e que um homem que medita é um animal depravado”
    .
    Helio, como poucos, empresta, quando escreve, as verdades dele, antigas, escoimadas, puras, sentidas, por vezes doídas. É mais do que jornalismo, é história vivida e vívida. Mesmo quando aqui e ali se discorda como quanto a importância de Lula para 2014 fica difícil saber se esta discordância é isenta de todo um cenário conjuntural dantesco onde Lula foi protagonista formal. A natureza se explica e o homem se compreende e esta é a forte dificuldade: Dilthey:”…a natureza se explica, a sociedade , a cultura, o humano , enfim se compreende… O homem é sujeito e objeto”. Rousseau faz uma interessante observação;

    “Além disso, para pregar o Evangelho, não é preciso senão zelo e Deus faz o resto: mas, para estudar os homens, é preciso ter talentos que Deus não se compromete a dar a ninguém e que nem sempre confere aos santos”
    .
    Em meio a natural e costumeira feira informativa da imprensa (informação é mercadoria) é bem possível que Lula esteja sim e ao doentio (sentido literal) feitio político dele, tecendo para o sucesso dos interesses que defende que não são mais pessoais, porém, de todo um grupo que – sem Dilma – necessita de líder; não pode correr risco.

    Ninguém estudou melhor os movimentos totalitários em geral que a pensadora contemporânea H. Arendt – e é dela a afirmação de que nada melhor caracteriza “a fama de que desfrutam os seus líderes – do que a surpreendente facilidade com que são substituídos.” Menos o ‘quem’ e mais a lealdade que os une na marginalidade, ou, com menos rigor, que os une no regime onde a lei é instrumental de poder; é mera fachada porque o crime foi o passaporte necessário de acesso. Barbosa é a exceção que confirma a regra. Quem é o Presidente, do Senado, da Câmara? Quem são os senadores e deputados muitos processados e alguns sentenciados; picaretas como afirmou o próprio Lula? O vice-presidente, os governadores, os prefeitos? Quem são os Ministros? Os diretores e presidentes das estatais? Os ocupantes das dezenas de milhares de cargos de confiança nos três níveis, federal, estadual e municipal?
    .
    Não há como esperar mudança, salvo pela violência, pela ruptura com a lei; portanto, por prudência.

  5. Concordo plenamente com o comentário do Tarciso. Quando o LULA pôr a cara de fora vai tomar vaia porque ele Dilma e o PT significam a mesma porcaria para o povo que não quer mais vê-los em poder nenhum, FORA TODOS ELES.

  6. E Serra?
    (Por um debate “sujo” para um Brasil passado a limpo)
    .
    Não é tarefa fácil falar de Serra; de candidaturas para quem não acredita (lamentando) em: democracia, voto, representação, etc.
    Acreditar talvez não seja o verbo adequado porque acreditar ou não é bem mais uma questão de fé. Fé que nada prova, salvo a intensidade com que se crê. No caso é a história, são os fatos que me levaram a formular que vivemos num mundo de mitos, hipocrisias, cinismos e inverdades com o progresso da mentira produzindo a mentira do progresso, ou seja, onde palavras fazem fatos, e do universo o inverso.
    .
    Política que se fundamenta na palavra; se socializa, se humaniza não muda a vida; não altera a realidade fundada na escassez. Política é uma palavra ambígua. Não será esta a dificuldade?
    .
    Esquecendo o metafísico, descendo para o mundo que não é bom nem mal, é o que temos. Serra, entre os ‘nomes’ impostos pela imprensa é, sem dúvida, o nome de menor índice de rejeição. Transmite seriedade e verdade. Sente-se uma latente vontade pela candidatura dele. Mas o que move o mundo é menos a vontade que a necessidade e o interesse. E a necessidade e o interesse não são favoráveis a ele.
    A dificuldade de Serra está em estabelecer separação e monopolizar a tão festejada mudança que se resume em duas visões antitéticas de mundo, dois estados de necessidade do mundo: economia e política. Questões sociais não se resolvem com política, com palavras; mas tão-somente propiciam a subversão da economia por uma organização política e por meios revolucionários. Aliás, foi esta a mais negativa contribuição de Marx ao transformar questão social em força política com a utilização do termo “exploração”(dominantes e dominados que nada tem com a essência do capitalismo); de que pobreza não é uma necessidade histórica ou outra qualquer; persuadir (a contrário senso factual e sem comprovação histórica) de que pobreza seria “ um fenômeno político, não natural, resultado da violência e da violação e não da escassez”.
    Essa mesmice política ainda que prospere no campo da demagogia não concede estabilidade às relações sociais por onde transita e se forma o verdadeiro poder. Portanto, não o poder enquanto resultado com a concepção escolhida por Weber na dissertação sobre “A política como vocação”: “ o conjunto de esforços feitos com vistas a participar do poder, ou a influenciar a divisão do poder, seja entre Estados, seja no interior de um único Estado”, ou seja, conjugação manipulação de moeda, força e Direito, ao invés do conceito esposado por Michel Foucault: “A análise em termos de poder não deve postular , como dados iniciais, a soberania do Estado, a forma da lei ou a unidade global de uma denominação; estas são apenas e, antes de mais nada, suas formas terminais…O poder está em toda parte; não porque englobe tudo e sim porque provém de todos os lugares…O poder não é uma instituição e nem uma estrutura, não é uma certa potência de que alguns sejam dotados: é o nome dado a uma situação estratégica complexa numa sociedade determinada”

    E esta situação estratégica socialmente reclamada é a da verdade:

    “Por um debate “sujo” para um Brasil passado a limpo”

  7. “Não estou tomando posição, contra ou a favor, apenas fazendo análise e chegando a conclusões. Qualquer analista isento e sem predileções chegaria ao mesmo resultado”
    É MUITA HIPOCRISIA!!!!!

  8. EXISTE UM HOMEM ACIMA DE QUALQUER SUSPEITA PARA LIDERAR O BRASIL NA NOVA ERA, TODOS SABEM O QUE ELE REPRESENTA, ESTA ESCRITO NA HISTORIA BRASILEIRA UM FUTURO MELHOR, ATUALMENTE EXISTEM POUCOS COM ESSA NACIONALIDADE E EU VOTARIA NELE.

  9. até podem trazer este cadáver 0 Èbrio 51 de volta. Mas antes senhores reporteres vamos entrevistá-lo acerca “da primeira dama adjunta”. Êle lula deverá explicarquem vai ser a primeira dama – e qual o papél dela no cenário politico brasileiro – a esposa dele e/ou a rosegate? Para o bem do Brasil isto é necessário.

  10. para evitar o aprececimento de lula – é só colocar m reporteres de plantão para entrevistá-lo. Ê – Lula – corre dos reporteres que nem o diabo da cruz. Afinal -os reporteres querem saber da história do seu envolvimento com a Rosegate?

  11. Em primeiro lugar, só não vê quem não quer. Não é possível que ainda pensem que Luiz Inácio Lula da Silva ainda possa ser candidato a presidência. O PT está bichado, o povo está nas ruas, os jovens sabem muito bem o que querem e tanto que tentam tirar o Cabral,corrupto transverso e sagaz do seu governo perverso e macabro no Rio de Janeiro.A base do governo federal petista está imunda e fétida. A juventude carioca agora está sendo acusada por autoridade irresponsável e político carioca mal caráter, de ligação com o tráfico expulso das favelas. Isso é ignorar e minimizar a inteligência, o poder de informação e a indignação dos nossos filhos, jovens que estão nas ruas sendo espancados, feridos e mortos porque estão fazendo o que nós já deveríamos ter feito.Perdemos o bonde e agora são eles que pagam . Eduardo Campos deve ser sim candidato a presidente e não a vice. Mas primeiro deve se desligar, ele e o seu partido , PSB , dessa base corrupta e sem futuro.
    Não sou sonhadora. Já passou o tempo. Mas as redes sociais me deram um novo alento e eu acredito que hoje temos ferramentas importantes e eficazes para combater a corrupção, a desfaçatez e colocar no governo gente mais séria e competente.E assim será. Não será preciso reforma política, plebiscito, mesmo porque não é isso que lemos nas cartolinas e não é esse o interesse que emerge da vontade de quem grita nas ruas. Só precisaremos votar em 2014 em gente de bem.E tenho certeza de que teremos em quem votar.

  12. Deus que livre o povo do Rio de Janeiro de eleger o ex-desgovernador “GAROTINHO”, que não tem nada do nome, será que o povo esqueceu do desgoverno deste senhor?
    Não acredito que seja eleito, só se o povo for demente, um governo péssimo, não construiu uma escola e a que existia de Brizola, foi esquecida ou deteriorada pelo governo deste senhor.
    Que o povo eleja outro, mais compromissado com as causas do povo, passou ele, a mulher dele e a tal Benedita, que não tem nada do nome.

  13. O CINISMO
    O cinismo toma conta de um PAÍS RICO, de GOVERNANTES sem moral que escancara a falta de escrúpulos em esconder os seus roubos ou falcatruas juntos as grandes empresas de comunicação como REDE GLOBO E GRANDES JORNAIS, ganhando muito para esconder da sociedade ordeira que paga as contas.
    FOI sabido por poucos e através do CONTINENTE EUROPEU E O JORNAL CORREIO DA MANHÃ DE PORTUGAL, que o EX – PRESIDENTE LULA esta sofrendo.
    O bloqueio de bens tem como finalidade garantir a devolução aos cofres públicos de quatro milhões de euros que Lula, segundo o MPF, usou indevidamente.
    AS NOTÍCIAS de mais esse desfalque não foram noticiadas aqui no BRASIL, por que a brigada de incêndio da corrupção de DILMA despejou muito dinheiro nos grandes JORNAIS E TELEVISÃO, e manda um recado para os pequenos JORNAIS se falar desta noticia, eu DILMA ROUSSEFF mando fechar esse PASQUIM, E ASSIM A NOTÍCIA ROLOU.
    A PRÓPIA DILMA mandou enviar essas noticias para a EUROPA isto sim só porque LULA em entrevista com o RATINHO que custou caro até para o SBT, LULA mostrou interesse em voltar a PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA BRASILEIRA, e disse que voltaria se DILMA tirasse o HOMEM de SÃO FÉLIX DO XINGU DO ESTADO DO PARÁ BRASIL, JOÃO DE DEUS FERREIRA eu serei candidato o SBT não deu direito de resposta para (JD) falar a verdade, mais dá direito a todo tipo de corrupto iguais a LULA falar mal de homens honestos.
    DILMA O MAL ESTÁ EM SEU REDOR E A DESMORALIZAÇÃO DE VOCÊS É TAMANHA (GG) não está bom, queremos mais, segue cenas das vergonhas citadas.
    DILMA cega não põe venda que os alejados tomam conta
    Por: Domingos
    O bloqueio de bens tem como finalidade garantir a devolução aos cofres públicos de quatro milhões de euros que Lula, segundo o MPF, usou indevidamente.
    A acção interposta pelo MPF refere-se ao gasto desses quatro milhões de euros com a impressão e o envio pelo correio de mais de dez milhões de cartas enviadas pela Segurança Social a reformados entre Outubro e Dezembro de 2004, segundo ano do primeiro mandato de Lula.
    A missiva avisava os reformados que um convénio estabelecido entre a Segurança Social e o até então desconhecido Banco BMG lhes permitia a partir de então pedirem empréstimos a juros baixos e sem qualquer burocracia àquela instituição bancária, com o desconto das parcelas sendo feito directamente nas reformas.

    Até aí não haveria problema, não fossem dois detalhes, que chamaram a atenção dos promotores. O BMG, único banco privado a ser autorizado na altura a realizar esse tipo de empréstimo, conseguiu a autorização em menos de duas semanas, quando o normal seriam vários meses, e as cartas, simples correspondência informativa, eram assinadas por ninguém menos que o próprio presidente da República, algo nada comum para esse tipo de aviso.

    Para o Ministério Público, não há dúvida de que Lula e o então ministro da Segurança Social, Amir Lando, que também assinou as cartas e é igualmente acusado na acção, usaram a correspondência para obterem promoção pessoal e lucro político e que a acção do presidente da República favoreceu a extrema rapidez com que o BMG conseguiu autorização para operar o negócio, desrespeitando as normas do mercado. A 13.ª Vara Federal, em Brasília, a quem a acção foi distribuída, ainda não se pronunciou sobre o pedido do MPF.
    O PODEROSO DEUS DE ABRAÃO ESTÁ REUNINDO A SUA IGREJA.

    JOÃO DE DEUS FERREIRA.

  14. NOVA IMAGEM
    Esses petistas enrustidos estão tentando criar uma nova imagem para o LULA: “O rouba, mas faz”. Aliás, imagem roubada do Paulo Maluf. ou ninguém aí se lembra de quantas eleições esse carcamono venceu em São Paulo com esse slogan de campanha. Essa nova imagem substituiria muito bem aquela que já não combina mais com ” O FILHO DO BRASIL”. O capadócio agora está tripudiando diante da desgraça dos trabalhadores e da juventude sem perspectiva. No New York Times o embusteiro, fanfarrão e canastração, fala, ou melhor, repete feito papagaio de feira livre aquilo que o Dulce (esse nome não lembra um certo fascista morto depois de revoltas populares na Itália, no início do século passado?)escreve,ou lhe diz ao ouvido. Aquí, neste espaço, se discute eleições, e eleições e…
    È tirar esse, e eleger aquele, e depois outros …
    E depois exigir reformas , e reformas, e reformas, e …
    Que m… e essa! 30 anos de despolitização petista deu nisso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *