81% dos brasileiros acham que os partidos são corruptos ou muito corruptos

Pesquisa divulgada nesta terça-feira pela Organização Não-Governamental (ONG) Transparência Internacional revela que 81% dos brasileiros acreditam que partidos políticos são “corruptos ou muito corruptos”. O Congresso Nacional aparece em seguida entre as instituições mais desacreditadas pela população, com 72%. O estudo faz parte do Barômetro Global da Corrupção 2013.

Além dos partidos e do Congresso, o levantamento indica ainda que 70% dos entrevistados creem que a polícia também é afetada pela corrupção e outros 55% o sistema de saúde. O Poder Judiciário aparece na lista com 50% de desconfiança, seguido pelo funcionalismo público, com 46%; imprensa, 38%; ONGs e setor privado, 35%; igreja, 31%; e militares, 30%.

O levantamento ouviu 114 mil pessoas em 107 países — em 51 deles a população diz acreditar que a corrupção atingiu os partidos —, no período de setembro de 2012 a março de 2013, e mostra que a corrupção é um fenômeno amplo. É a oitava versão da pesquisa sobre o mesmo tema, envolvendo vários países. No Brasil, foram 2.002 entrevistados. Os dados completos podem ser obtidos no site da Transparência Internacional.

DECEPÇÃO AUMENTA

‘As manifestações representaram tudo isso’, diz Abramo. Em 2010, segundo a Transparência Internacional, a percepção do aumento da corrupção chegava a 64% dos brasileiros. No levantamento atual, o setor público brasileiro atingiu nota de 4,6 no grau de corrupção, numa escala de 1 a 5.

— As manifestações que ocorreram no Brasil representaram tudo isso. E com razão. O noticiário político só aparece nas páginas policiais. O Brasil é um país onde não se discute política, se discute apenas o crime — afirmou Cláudio Abramo, diretor-executivo da ONG Transparência Brasil.

Para Abramo, a lentidão no julgamento de processos reflete o resultado referente ao Poder Judiciário:

— A Fundação Getúlio Vargas também faz pesquisas e os resultados mostram que a população critica, mas ainda recorre à Justiça para resolver suas pendências. A lentidão é um problema. Os brasileiros perdem a confiança nas instituições porque os representantes se comportam mal. A Justiça, por sua vez, não oferece bem o serviço.

 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

13 thoughts on “81% dos brasileiros acham que os partidos são corruptos ou muito corruptos

  1. Em termos de corrupção, desmandos, roubalheira e cinismo, o PT é mesmo insuperável. A pesquisa está correta. Temos que ficar atentos em relação ao avanço do Movimento Comunista Internacional, cujos braços se estendem por todo o Brasil.

  2. nik fj saudações
    Faltou você completar: o óbvio é … “ululante” !!!
    Mas … nas próximas eleições estes 81% continuarão a votar no: PT, PMDB, PSDB, PDT, PR, DEM, PCB, PC do B, etc etc etc.
    Alguma dúvida???

  3. Por essas,e por muitas outras,o partidarismo-eleitoral,de fato,chegou ao seu final,posto que, na prática,a ruptura entre população eleitoral e partidos já ocorreu.Para constatar isso,basta analisar o percentual de abstenções,mais os votos nulos e em branco das últimas eleições,somando-se a esses fatos o fato de que sem a obrigação de votar sob pena de multa e outras implicações punitivas na vida do eleitor a abstenção talvez chegue aos 70%. Quem iria às urnas,no caso, seriam apenas os próprios candidatos, agregados e dependentes.Portanto,em sendo Democracia a prevalência da vontade da maioria,sendo certo que pelo menos 51% da população eleitoral,a maioria,não quer mais ir às urnas, então o partidarismo,por si só,não pode mais ser considerado a expressão da Democracia, como sofisma a caciquia partidária-eleitoral dizendo que sem partido não existe democracia. Ora essa, demo é povo, cracia é governo.O partido, na verdade, é o atravessador dessa relação. Aliás, um atravessador caro demais para o povo, diga-se de passagem.

  4. Saudações Sr. Almério.

    Não, não tenho nenhuma dúvida de que continuarão a votar nesse monte de esterco citado pelo senhor…
    Sempre foi assim, e segue círculo vicioso…

  5. Os partidos são piores do que os políticos que o compõe. É a junção dos interesses mais promíscuos. Votarei NULO. Menos políticos, mais democracia direta ou participativa. Voto nao obrigatório

  6. Brasileiros – Essa briga do CNJ com o Supremo está nesse contexto? Uma disputa pela transparência e prestação de serviço no Judiciário ou a questão é a suspeita de corrupção em um e outro caso? M.C. – Em todo o mundo civilizado, democrático, na vigência do estado de Direito, existe um controle externo das atividades de cada poder. O Poder Executivo tem de se explicar ao Tribunal de Contas, certo? O Legislativo é cobrado pelo eleitor. O Judiciário não tinha um controle externo, mas havia essa demanda, vamos dizer, internacional da criação de um controle externo do Judiciário para o Brasil ser admitido como um país de ranking internacional aceitável. Aí, criou-se o Conselho Nacional de Justiça. Acontece que o CNJ, por alguma razão, virou uma entidade muito ativa. Não só na questão da fiscalização de juízes, como também no plano humanitário. Ao decidir mergulhar nas penitenciárias, como fez. Tem gente presa há dez anos e sem nenhum processo. O Judiciário não julga e fica lá o sujeito mofando dez anos no presídio porque bateu no carteiro. O CNJ foi lá e tirou gente que não devia estar. E faz uma série de coisas ligadas ao interesse público de prestação jurisdicional. Prestigia a arbitragem. O controle da moralidade no Judiciário é uma entre essas outras atividades. Mas há uma resistência enorme. Os magistrados têm vitaliciedade. Nunca foram tocados. Então, como pode vir agora um sujeito fiscalizar a atividades deles? Não admitem. É como um feudo do século 12 na Normandia, chega o rei da França com seu exército e diz que agora o território também é jurisdicionado também por ele, o rei da França. “No meu feudo você não entra”, diz o outro. O feudo é meu tribunal.

  7. QUESTÃO DE BOM SENSO – O pluripartidarismo previsto na Constituição do Brasil tem grande significado para todos nós, porque a diversidade faz parte da vida e os coletivos políticos se expressam através dos partidos. Sobre a ideia de acabar com os partidos, com base em pesquisas de opinião publicada (ainda mais feita por ONGs – “não governamentais”?), seria mais coerente então propor antes a extinção dos mandatos sendo as instituições partidárias suas fontes geradoras. Os partidos políticos são instituições da democracia, ruim com eles muito pior sem eles porque o mundo político fica vazio. Distorcer ou omitir fatos como este pode ser tão nocivo à democracia quanto nociva é a censura. As ideologias que se formam mesmo precariamente nas agremiações partidárias não constituem problema para a democracia, ao contrário, a fragilidade delas – muitas vezes estimulada por campanhas negativas contra os partidos – é que deforma e debilita todo o processo. Por quê, por exemplo, não se questiona a quantidade de clubes de futebol ou de templos religiosos existentes no Brasil? Se a importância da diversidade de organização nesses setores é concreta, o mesmo deve continuar sendo considerado no campo político.

  8. Carlos Newton,
    4,6 numa escala de 5,0 significa 92% DE CORRUPÇÃO.
    Isso significa que no “quesito” CORRUPÇÃO o SETOR PÚBLICO BRASILEIRO, devidamente aparelhado pelo PT, passou com “LOUVOR”; tem a média mais elevada de nossa galáxia. Esse feito tem que ser comemorado de modo marcante na próxima passeata, da qual fará parte a antiga UNE (União Nacional dos Estudantes) e atual UNE-UNIÃO NACIONAL OS EUNUCOS.

  9. As Igrejas Cristãs(sérias)têm prestando um grande serviço de ordem pública: Abrir os olhos das massas sobre a alienação das novelas e toda a programação TV Globo!Claro que seu objetivo é proteger o Cristão da mentira contada e repetidamente afirmada que o casamento é descartável(logo família também o é). Não é somente convicção religiosa, é questão de ordem, é bom senso. No que depender das novelas(que até ontém foi a escolinha da vida para uma população pobre e ignorante),sejamos IRRESPONSÁVEIS! com a nossa vida e com a dos outros também, é a mensagem diária transmitida afinal.E não me digam ser exagero por se tratar de ficção; esse veneninho de conta gota é pior doque jogos violentos de video game, alias também ficção!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *