A ausência de limites nos afundará no caos social

José Fidelis

A sociedade podre e violenta em que vivemos atualmente é o resultado direto da falta de limites.

Faltam limites em casa, na escola e na sociedade. Em casa, filhos são criados como tiranos, os pais são melindrados e assumem uma tarefa passiva e culpada, autopenitentes, sempre reticentes no processo educacional.

Falta pulso firme e todas as vontades dos filhos são satisfeitas e seus pais, independentemente da classe social, são transformados em verdadeiros escravos.

Na escola, os professores são reféns do temor exacerbado. Medo de serem assassinados, agredidos, perderem seus empregos (com uma remuneração tão baixa que os torna dependentes de seus subempregos). Os adolescentes violentos são acobertados e o famoso bullying é incentivado por meio da omissão (que impera na nossa sociedade desde a época escolar) e da impotência das autoridades e da covardia dos demais membros do corpo social.

A sexualidade violenta e unilateral é banalizada. Mulheres e crianças são vistas, desde a infância e a adolescência dos nossos jovens bombardeados com a pornografia da violência, como objetos para a satisfação da própria lascívia, do prazer pessoal que está acima de qualquer dignidade humana dos outros seres.

Os estupradores são incentivados pela impunidade e pela fragilidade e omissão que imperam em nossa sociedade.

Assassinos apoiam-se no desvalor da vida humana e sabem que vão rir da cara dos familiares da vítima diante da subpunição ou da não punição que geram o sentimento de que a violência e a arbitrariedade são os valores supremos.

As poucas forças que se levantam para reagir são reprimidas com um discurso vazio de que a “liberdade” (autêntica libertinagem, abuso que oprime e anula a liberdade alheia) é superior ao direito à vida.

Não há responsabilização e vivemos a época da ausência de responsabilidade, do passar a mão na cabeça (por medo, omissão e conivência)dos bandidos e da aniquilação do valor social da integridade, do respeito e da honestidade nas relações humanas.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

3 thoughts on “A ausência de limites nos afundará no caos social

  1. Regra geral, os filho de hoje já nascem cansados, menos para sair à noite e dormir até (bem) mais tarde no dia seguinte. Se estudam, tem que descansar primeiro para fazer a prova, depois tem que descansar porque ficou cansado. Dificilmente está disponíveis para atender a um chamamento dos pais para realizar desde a mais simples tarefa até (nem pensar!) as que exigem um pouco mais de “sacrifício”. Ao abusarem de sua liberdade, invadem a liberdade dos pais que perdem sono, que se privam para lhe dar, por exemplo, melhor escola e sustentá-los com as “maravilhas” do consumismo desenfreado. Essa é uma pequena amostra de como a nossa sociedade vai mal, muito mal.

  2. O Brasil é um dos países na vanguarda do planeta em degradação social. Países assim onde sua classe “esclarecida”, tipo uma Chauí, Sader, etc trocam o óbvio por ideologias, cujos mentores, os esquerdinhas) no afã de alcançarem o podere usufruir de seus privilégios, pregam fantasias de mundo perfeito e falsa-moral.
    Taí também um Boff, um Beto, um Suplicy que, ainda agora há pouco no Senado discursa pela maioridade penal não diminuir, e outros mais do mesmo tipo que , para quem conhece a condição humana sabe o que eles significam verdadeiramente na história da humanidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *