A barbárie dos petistas domina a Universidade de Brasília

bs

Nas hostilidades, os universitários mancharam a bandeira

Exibindo Exibindo Felipe Melo
Notícias Faltantes

É bastante alardeado por grupos de esquerda, dos moderados aos radicais, que a universidade brasileira deve ser um espaço democrático e plural. Esses grupos denunciam, a torto e a direito, o que chamam de ataques às minorias. Dizem defender o debate franco, a diversidade e o pluralismo. Tudo muito bonito… mas falso.

No dia 7 de junho de 2016, terça-feira, participei de um ato do Movimento Reação Universitária (MRU) na Universidade de Brasília (UnB). Estudo naquela instituição e faço parte do MRU, que congrega estudantes conservadores e liberais que querem exercer sua liberdade de expressão sem medo de agressões covardes. A principal pauta de nossa manifestação pacífica — que, aliás, foi avisada à Reitoria da UnB antes de ocorrer — eram as paralisações que alguns grupos de estudantes e professores querem promover “contra o golpe”.

Reunimos cerca de 30 alunos no prédio principal do Campus Darcy Ribeiro, o Instituto Central de Ciências (ICC), na entrada da ala norte. Chegamos um pouco antes do meio-dia, horário marcado para começar nosso ato, para confeccionar alguns cartazes e dar início a tudo.

HOSTILIDADES
Pouco depois do meio-dia, grupos de duas outras manifestações, que começaram em outros pontos do ICC, caminharam até onde estávamos e se juntaram com um único objetivo: nos hostilizar. Eram cerca de 150 pessoas — cinco vezes mais do que nós. Ali onde estávamos, experimentamos, por longos minutos, o grau de tolerância da esquerda universitária: nos xingaram de fascistas, racistas, machistas e homofóbicos; nos empurraram, apontaram dedos em nossos rostos e nos cuspiram; arrancaram cartazes das mãos de algumas meninas que protestavam junto conosco; lançaram tinta vermelha contra nós. Tudo isso aos berros, e embalado por palavras de ordem deste tipo: “É no fuzil/é na peixeira/na UnB a juventude é guerrilheira”

SEGURANÇA INERTE
Ouvimos que não pertencíamos à UnB. Acusaram-nos de sermos assassinos. Chegamos a ouvir que, se eles pudessem, teriam nos matado. E tudo isso sob o olhar passivo do corpo de segurança da universidade.

Em dado momento, um simpatizante da nossa manifestação, que estava no mezanino da área onde éramos hostilizados, desfraldou uma bandeira do Brasil Império. Membros da horda que nos intimidava correram até ele e tentaram arrancar-lhe a bandeira. O vídeo do ocorrido já está sendo amplamente divulgado.

O rapaz tomou dois socos tão fortes que seus óculos arrebentaram no rosto. Uma equipe da UnBTV tentou nos entrevistar, mas fomos ainda mais hostilizados. Ficou claro que o corpo de segurança da universidade nada faria para impedir que mais violência fosse cometida. Assim, decidimos abandonar o espaço por volta das 13h30.

FOTOS E VÍDEO
Todas essas agressões foram registradas em foto e vídeo. Tudo relatado aqui traduz fielmente o que aconteceu naquele dia, onde, por quase uma hora e meia, experimentamos o autoritarismo e a barbárie dos grupos ideológicos que, formados por alunos e incitados por professores e partidos políticos, instauraram na UnB um clima de terror ideológico. Se há alguma dúvida de que o patrulhamento político e a doutrinação ideológica são a base do cotidiano acadêmico na UnB, já não resta mais dúvida alguma.

NÃO RETROCEDER
A Universidade de Brasília também é nossa. A liberdade de expressão é um direito sagrado de todos, e reconhecido como tal pela Constituição Federal. Mas não há liberdade de agressão, e nenhuma das agressões que sofremos (e registramos) ficará impune. A violência que sofremos não nos esmorece: nos fortalece. E, diante de tudo, garantimos uma coisa: nós chegamos para ficar. Não parar. Não precipitar. Não retroceder.

(artigo enviado pelo comentarista João Amaury Belem)

7 thoughts on “A barbárie dos petistas domina a Universidade de Brasília

  1. Quem vive o cotidiano de uma universidade sabe do que Felipe està falando.
    O estilo Black Bloc de se organizar com quebradeira, agressão a professores e a colegas que não entram na “onda” é recorrente. Fascismo em nome de métodos esquerdistas.
    Caso para a polícia.

    • Já, sim. Nos Estados Unidos da América, por exemplo, ela é queimada e desfigurada regularmente em atos de protesto. Tudo isso garantido e sancionado por aquela célula comunista que eles chamam de suprema corte, em nome de valores arcaicos como os da democracia e liberdade de expressão.

  2. Hoje, qualquer vagabundo pode violar a bandeira nacional. Nem sempre foi assim; os símbolos nacionais já foram respeitados.

    O Decreto-lei nº 898/69, que definia os crimes contra a segurança nacional e a ordem política e social, determinava, em seu art. 44, que “destruir ou ultrajar a bandeira, emblemas ou símbolos nacionais, quando expostos em lugar público” era considerado crime, com pena de detenção de 2 a 4 anos.

    Esse decreto-lei, foi revogado pela Lei nº 6.620, de 17 de dezembro de 1978, e desde então ficou um vazio legislativo.

    Por isso, um péssimo brasileiro – que seria preso pelo texto legal revogado – que passa seu tempo sem estudar dentro de uma escola gratuita, mantida pelos impostos pagos pelos cidadãos que trabalham, hoje, viola a bandeira nacional e fica impune.

    Assim como impunes ficam os que assaltam os cofres públicos.

  3. Em uma Nação séria, com as Altas Cortes Defendendo e Fazendo Cumprir fielmente a Constituição e prendendo criminosos de lesa-pátria e traidores do país esses Bandidos que rasgam e sujam a Bandeira de seu próprio país já estariam presos. Mas, infelizmente, o grande beneficiário e idolatrado pelas Altas Cortes são Lula e Dilma e seus “cleptômanos e impunes cúmplices”, esses canalhas podem tudo. Se aparecer um Agente Policial sério e cumpridor da Constituição para prender alguns desses marginais, lá no STF sempre terá alguém de plantão para deixarem soltos, impunes, imunes esses baderneiros e traidores do Brasil. Quando será que as Altas Cortes do Brasil voltará, novamente, os olhos para a real situação do Brasil ???? O país tá no cadafalso e refém de Lewandovski e Cia. que fazem de tudo para impedirem a prisão e definitiva saída do âmbito governamental dos “chefes” dessa ORCRIM PETRALHA para que o país volte a sua normalidade. Temo que o povo terá que ir ás ruas com mais enfase e derrubar os 3 PODERES que que se completam e infernizam a vida já sacrificada e miserável do povo brasileiro e de nosso país com suas procrastinações e liminares preparadas ao arrepios das leis para a perpetuação desses traidores do Brasil !!! QUE DEUS NOS PROTEJA, POIS O QUE O STF FAZ A CADA INSTANTE É EMPURRAR O PAÍS PARA ALÉM DO IMPONDERÁVEL !!!!

  4. Uma coisa é certa: se alguém ainda não sabia o que é ser de esquerda, a história de nosso país nos últimos anos está esclarecendo. A esquerda tem todos os defeitos da direita, sem nenhuma exceção, aos quais se somam muitos outros, entre os quais a bestialidade, a prepotência e a absoluta incompetência. Prova disto é o que estes infelizes fizeram com o Brasil nos últimos 13 anos. Deveríamos ter uma lei que determinasse que cada um tem o direito de estragar livremente sua própria vida mas não tem o direito de estragar a do outro. Seria o fim destes cretinos que jamais produziram qualquer coisa que preste desde que Marx escreveu O Capital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *