beira de nova recesso, no se pode agir de forma irresponsvel

Resultado de imagem para guedes e a recessão charges

Charge do Frank (Arquivo Google)

Roberto Nascimento

Est cada vez mais difcil comentar qualquer assunto, com esse clima beligerante e negativo do atual momento que atinge a conjuntura internacional e, especialmente, o Brasil. Estamos sob ameaa de uma nova recesso, que tende a se agravar devido guerra econmica e comercial dos Estados Unidos contra a China, que se tornou a maior rival da Amrica e hoje a inimiga da vez, que os norte-americanos elegeram para ser combativa e destruda, como fizeram com a URSS durante 40 anos, at a dissoluo da repblica sovitica, hoje dividida em pedaos como uma pizza.

Detalhe: a Repblica da China tem a mesma tendncia a ser dividida, pois formada por pases distintos, com idiomas, hbitos, religies e costumes diferentes, exatamente como a antiga Unio Sovitica.

PRIMEIROS PINGOS – Vejam bem, uma chuva torrencial comea com os primeiros pingos, at surgir a pororoca que arrasta casas e pessoas nas enchentes terrveis. No caso chins, Hong Kong est em chamas, os habitantes clamam por um liberdade que a China ainda no pode dar.

Se for aberta uma janela, todas as portas tambm se abriro e ser o fim da ditadura do Partido Comunista criado por Mao Ts Tung. Algum duvida que a China seguir o caminho da outrora URSS?

Pois bem, a crise de 2008 reverbera agora no Brasil e no mundo, com seus reflexos danosos, que algum dia disseram que era apenas uma marolinha. Hoje, at a outrora poderosa Alemanha, como motor e locomotiva da Europa e do Euro, enfrenta dificuldades econmicas, tambm se encontrando beira da recesso.Do outro lado, a America Latina, incluindo Brasil e Argentina em particular, est sangrando em meio as dificuldades econmicas.

MOMENTO RUIM – Ento, este no era o melhor momento para impor dificuldades aos agentes econmicos e as pessoas, com reformas destinadas a tirar direitos e garantias trabalhistas do proletariado e da classe mdia e transferir para o capital especulativo, as indstrias e o comrcio.

o caso da implantao do imposto intitulado de CPMF, com o argumento de que financiar a Previdncia Social e desonerar o empregador do desconto de 20% para o INSS sobre a folha salarial. O que desejam o modelo em voga no Chile, no qual somente o trabalhador contribui para sua aposentadoria, alis, uma esmola que coloca para escanteio, todo aquele que se aposenta.

Se passar a capitalizao, ser o fim dos idosos. E, ainda, no teremos a garantia de que os empresrios contrataro mais pessoas, na nsia de reduzir os ndices de desemprego crescente.

A FORA DO ESTADO – A histria demonstra, que para sair das crises, o maior empreendedor sempre foi o Estado e o exemplo da crise econmica de 1929 nos EUA a maior prova para as novas geraes de economistas neoliberais. Mas, eles no se do conta disso, pois creio no se preocuparem com o estudo da histria das naes.

No entanto, mesmo sob ataques, ousarei comentar um tpico do que disse Carlos Alberto Sardenberg em recente artigo no O Globo.

O jornalista de economia adentra na poltica para defender um novo Contrato Social, pensando talvez em ressuscitar o gnio Jean-Jacques Rousseau ,enciclopedista do Renascimento.

LEI LEI – Concorda Sardenberg com Deltan e sua ousadia dos mais jovens contra os poderosos de colarinho branco e defende seus exageros ao arrepio da lei. Bom, o caso de concluir, que se a lei no boa, dane-se a lei, bastando interpret-la como lhe convm!

Quando a lei no respeitada, por quem quer que seja, cidados ou juzes, a verdade perece e viceja o autoritarismo.

18 thoughts on “ beira de nova recesso, no se pode agir de forma irresponsvel

  1. O meu caro Roberto Nascimento uma das cabeas mais brilhantes da TI.

    Inteligente, culto, grandes conhecimentos sobre vrios temas, analista poltico de qualidade, seus textos so informativos e esclarecedores, e este no foge regra!

    Concordo com o comentrio quase que totalmente, mas por um pequeno detalhe, a meu ver importantssimo para o momento atual que vivemos, contesto a frase que tambm o ltimo pargrafo:
    “Quando a lei no respeitada, por quem quer que seja, cidados ou juzes, a verdade perece e viceja o autoritarismo.”

    Justamente porque hoje no temos justia no Pas, onde impera a impunidade, a corrupo, os poderes constitudos esto podres, corrodos pela desonestidade, incompetncia, roubos, a Lava Jato mesmo sendo desmoralizada e por meios ilcitos, precisa agir de maneira mais contundente com os ladres do povo e do Brasil!

    De nada adianta a correo, seguir a lei, obedecer os trmites judiciais, se essa formalidade continuar ocasionando a corrupo, a bandidagem, pois essa gentalha, mesmo no governo, a primeira a deixar de lado a Constituio e demais cdigos menores!

    Ora, meu caro Roberto, enquanto somos obrigados a reverenciar as leis nos seus mnimos detalhes, os ladres desrespeitam o povo e desobedecem as normas em larga escala!

    Esta a nica observao que deixo, salientando a qualidade do texto, as verdades nele contidas.
    Se quisermos prender os golpistas, temos de ir pelo atalho, fechando um olho para certos pormenores que jamais so levados em conta.

    Um forte abrao.
    Sade, muita sade.

    • Prezado amigo. obrigado pelas palavras que me deixam envaidecido.

      No h nenhuma divergncia de fundo, apenas na forma. Todos os corruptos devem pagar pelos seus crimes. A justia deveria ser mais clere com todos os cidados que se desviam das condutas legais. O que me surpreende a seletividade da atuao do MP e de alguns juzes. Os vazamentos da Lava Jato eram direcionados para os inimigos, porm, os amigos do PSDB foram poupados. Acio, Juc, Lobo dentre outros menos votados esto a, livres, leves e soltos. O Eike parceiro do Cabral est em priso domiciliar e o Palocci tambm. E nesse particular que me referi naquele pargrafo. Infelizmente no ficou muito claro.
      Todavia, s pelo fato de voc ter lido j valeu a pena como dizia, o poeta portugus Fernando Pessoa

  2. Com as condies atuais, Estado consumindo 37% do PIB de Carga Tributria + um Deficit Nominal ( o que leva em conta Amortizao e Juros da Dvida Pblica), e +- 8% do PIB, totalizando +- 43%do PIB, estamos ENGESSADOS.
    Nessas condies podemos ainda criar Crdito via BC e darmos uma arrancada, mas seria mais um “voo de galinha”.
    Ou reduzimos o tamanho do ESTADO via AUSTERIDADE e flexibilizamos as Leis Trabalhistas, Tributrias, Polticas, etc, como vimos fazendo, ou ficamos ENGESSADOS, estagnados.
    A outra alternativa seria partirmos para um Regime Corporativo tipo Fascista, fechar as fronteiras do Pas e buscar Autarquia Econmica via Plano Central . Isso implica em TOTALITARISMO POLITICO, mas dessa forma seria possvel acabar com o DESEMPREGO relativamente rpido, mas a custa de grande queda do Padro de Vida.

    A crtica que fazemos ao Plano BOLSONARO-PAULO GUEDES de no dar PREFERENCIA ao Capital Brasileiro, nico capaz de criar TECNOLOGIA NACIONAL e que CAPITALIZA 100% aqui dentro.
    No resto no temos muita alternativa.
    Temos que nos DESENGESSAR, de preferncia via medidas que venha. aumentar nosso Padro de Vida Mdia do POVO.
    Abrao.

    • Flvio Jos Bortolotto. Comungo do comentrio do ilustre Francisco Bendl abaixo.
      Precisamos de um New Deal. Mas, o que vemos so remdios neoliberais que esto matando a economia todo ms.
      S se ouve corte de direitos, demisso, aumento de impostos, venda de empresas que do lucro e ainda sim nada, a economia patina rumo a recesso.
      Ser que no est na hora de substitui o Guedes?

  3. Mestre Bortolotto,

    Esclarea-me o seguinte:
    Na dcada de trinta, aps a quebra da bolsa norte-americana, em 29, aquele pas entrou na Grande Depresso.

    Fome, misria absoluta, pobreza em escala nacional, tristeza, frustrao, decepo, inrcia.

    Roosevelt, ento, criou o New Deal, e investiu os dlares que havia em caixa para dar trabalho para o povo.
    E desenvolveu os Estados Unidos em ferrovias, rodovias, tneis, elevadas, pontes, aeroportos, escolas, hospitais … no s dando emprego aos necessitados como deixando a sua nao to prspera, que ao estourar a Segunda Guerra, os americanos foram os maiores responsveis pela vitria dos aliados!

    Pergunto:
    Por que o governo no faz o mesmo??!!

    Abrao, de novo.
    Mais sade.

    • Prezado Colega Sr. FRANCISCO BENDL,
      O senhor que um dos melhores Escritores do TRIBUNA DA INTER ET ONLINE, me honra com pergunta.
      ? to bonito quando se escreve um Artigo como o seu sobre o PT no ter sucessor p o Presid. LULA, e sua opinio sobre o Gov. CIRO GOMES, e se ter quase uma centena de troca de Opinies com cortesia. Muito se aprende assim.
      Lembremos que Senhoras e Jovens nos lem. Temos que ter cuidado.

      A nosso ver, as condies dos EUA em 1933 e Ns em 2019 so muito diferentes.
      Os EUA de F D ROOSEVELT tinham Carga Tributria de +- 15% de um grande PIB, e seu Endividamento era baixo, +- 20 % do PIB.
      Ento e Governo USA tinha um espao de se Endividar muito mais do que Ns cujo nosso Governo j est Endividado em + de 80% do PIB e de perfil curtssimo de +- 6 anos.
      Podemos ainda fazer alguma coisa mas bem menos.
      D o que pensar a Presidenta DILMA ter feito o Projeto e propor o Capital Internacional,especialmente o Chins, fazer e operar por 30 anos o Trem Bala Rio-Sao Paulo- Campinas e Ningum se interessar.
      Ningum se interessou por essa “Ponte Area”.
      Provavelmente porque no tem CONFIANA nas Leis de Garantia da Propriedade do Brasil.
      Assim, fica tudo mais difcil p Ns.

      A nosso ver, o melhor caminho mostrar RESPONSABILIDADE FISCAL do Governo viver com os prprios meios, e garantir de verdade a PROPRIEDADE.
      Em caso de dvida os Capitais de fora no vem e isso at no o pior, mas nossos Capitais voam para fora.

      Abrao.

      • Boa resposta Sr. Flvio.

        Todavia, o tal Trem Bala foi uma quimera, um sonho de noite de vero da Dilma. A geografia entre as duas cidades beneficiadas joga os custos da obra para as alturas e o preo das passagens seria maior do que uma passagem de avio.
        Tanto, que o projeto no avanou, por tratar-se de megalomania.
        O Brasil abandonou literalmente a malha ferroviria, que muito mais barata do que a rodoviria, principalmente para o transporte de gros para os Portos nacionais. J temos uma ferrovia que une os dois Estados mais ricos da Federao, mais razovel seria moderniz-la, mas, quem d bola para essas coisas. Somos um pas rico, no verdade?

        • Prezado Autor Sr. ROBERTO NASCIMENTO,

          Parabns pelo excelente Artigo chamando ateno para a desacelerao do crescimento Econmico Mundial e como deveramos manobrar para voltarmos a crescer forte.
          Tanto o senhor como o Sr. FRANCISCO BENDL advogam um New Real p o Brasil.
          Pelo ainda alto Deficit Fiscal e alto Endividamento Federal, por este lado no temos muita margem de manobra sem desencadear fortssimas presses inflacionrias e
          a nosso ver, primeiro precisamos arrumar a casa, ou forando a barra poderemos fazer um voo de galinha.

          Muitos criticam o Brasil por ter grande prioridade Rodoviria, em detrimento da Navegao e Ferrovias.
          O que no se fala que uma Legislao excessivamente protetiva dos Trabalhadores Navais e Ferrovirios, fortssimos Sindicatos, etc, encareceram muito os Custos e as Empresas foram falindo passando para as mos do Governo, at onde o Governo aguentou.
          Na Economia nada acontece por acaso.
          A nosso ver o Governo BOLSONARO est no caminho certo, s errando em no dar prioridade para o CAPITAL BRASEIRO, o nico que cria TECNOLOGIA NACIONAL e CAPITALIZA 100% aqui dentro.
          Com um Mundo Globalizado e inter-Conectado, temos que flexibilizar, se no nos colocaremos fora do Mercado.
          Vai levar uns 2 anos mas depois cresceremos SUSTENTADAMENTE. A URSS estava errada e a China est certa, criando Riqueza e Empregos, e a Cuba dos Castros tambm vai para esse caminho.
          Nenhum Regime cria mais Riqueza e Empregos do que o RUDE CAPITALISMO DE MERCADOS. Depois de enriquecer, ento podemos partir para o WELFARE STATE.
          Se invertermos a ordem no chegamos l.
          Eu gostaria que fosse diferente, mas no .
          A vida uma luta ……..

          Abrao.

          • Muito bem explicado, Caro Fvio Bortolotto.

            Todavia, o capitalista brasileiro dependente dos recursos do Estado. A prtica aqui socializar os lucros e capitalizar os prejuzos.
            Tanto que a venda das empresas do Estado ou sua concesso so feitas depois de milhes investidos no negcio estatal. Modernizam depois vendem e a arrecadao da venda nos leiloes sempre menor do que o real valor das empresas. Por esta razo, vende-se a rodo e o Estado continua endividado a ponto de contigenciar (cortar) recursos da Educao, da Sade, da Cultura, etc,,.
            Alm do mais, essa receita j foi implementada no regime militar pelo Ministro Delfin Nertto, que cansou de falar que deveramos deixar o bolo crescer para depois dividir. At agora, felizmente estou vivendo e constatando que o Estado de Bem Estar Social est longe de chegar esse dia glorioso. Os economistas sempre fazem e falam o mais do mesmo, todavia, vamos de atraso em atraso perdendo o bonde da histria.
            Juro que gostaria de acreditar na sua tese, mas, vou ficando a cada dia mais descrente dos nossos homens pblicos.

  4. Os ataques ao pai da Alta Comissria da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachellet so inaceitveis.
    O general chileno Alberto Bachellet foi torturado e morto na priso por cometer o erro de defender a Constituio e a democracia e por ser contra a deposio do presidente eleito Salvador Allende derrubado e morto no Palcio La Moneda em 1973.
    O usurpador e golpista, o general Augusto Pinochet, prendia os opositores que se opuseram ao seu regime de direita, foi um perodo sangrento e infeliz para os chilenos.
    Depois comprovou-se que era uma ladro dos cofres pblicos, um impostor. Tinha milhes de dlares na Inglaterra. nada como o tempo para desnudar figuras messinicas, na pele de diabos do seu povo: ” Entre os muitos vcios do diabo est em ser o pai da mentira e maior enganador, nas palavras do Frei Catalano de Bolonha, nas palavras de Dante na obra prima Divina Comdia.
    O obscurantismo est to gritante, que o falastro ministro, o “bonito” Paulo Guedes chamou a primeira dama da Frana de feia. Um ataque gratuito a professora Brigitte Macron, anulando-se para glorificar seu chefe a quem tudo deve, o emprego, a alma, sua existncia no governo. Desculpou-se quando viu a reao interna e interna, mas, o estrago j estava feito.
    O que espantou a todos foi a reao da platia de empresrios cearenses, onde ele palestrava as bobagens de sempre. A platia aplaudiu o comentrio entusiasticamente a demonstrar a deselegncia e a falte de educao dos presentes.
    O ataque a Brigitte e a Michelle Bachellet so ataques a todas as mulheres do mundo. Mexeu com uma mexeu com todas. preciso reagir a tantos retrocessos, as vulgaridades e ao horror contra as mulheres, remetendo ao perodo medieval.
    Esse retrocesso no pode continuar. .

    • Estupendo comentrio final em prol de todas as mulheres do mundo.
      Na verdade os animais (com todo o respeito pelos animais) esto no comando deste desgraado pas.
      Atenciosamente

  5. Gostei do artigo.
    No podemos torcer para que leis e a Constituio seja deixada de lado somente porque desejamos para esse ou aquele sejam punidos.
    Ultimamente, leio comentrios a respeito do STF sobre decises tomadas. Apesar de que em algumas houve equvocos como a de Toffolli abrir um inqurito, muitas decises foram acertadas. Como sempre digo, o STF deveria ser guardio da Constituio e suas decises no deveriam ser interpretaes pessoais para agradar a massa.
    Por isso respeito muito juzes como o Marco Aurelio que que sempre coerente nos seus votos.
    Lei deve ser lei, mesmo que desagrade a muitos Hoje parece que qualquer deciso tomada e que possa parecer uma brecha para a defesa de Lula criticada. A lava jato se tornou para grande parte da populao a lei suprema e licenciada para cometer abusos ao arrepio das leis. No deve ser assim.
    Quanto aos comentrios sobre a situao econmica concordo que o Estado o maior responsvel para melhor-la. A reforma da previdncia necessria, mas deveria ser diferente (os que ganham menos deverias ser preservados). A capitalizao pura no uma boa coisa, um teto mnimo (uns 4 SM razovel). A desonerao de empresas atravs da diminuio da contribuio previdenciria no gerar mais empregos. s ver o que aconteceu com as medidas tomadas por Dilma.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.