A Bíblia e a Constituição: O difícil é descobrir e interpretar a essência dos textos

Mendonça equilibrou-se entre os cristais durante sabatina

Pedro do Coutto

Ao ter o seu nome aprovado ontem pelo Senado para o Supremo Tribunal Federal, o ministro André Mendonça destacou a sua posição de evangélico, mas frisou que em sua visão, aliás, visão universal, o Estado é laico e por isso a sua atuação vai se reger por esse princípio fundamental.

Mas André Mendonça destacou a frase “na vida, a Bíblia, no Supremo, a Constituição”. São pontos básicos de um tipo de comportamento humano contra o qual não se pode dizer nada, mas o difícil não é seguir a Bíblia ou seguir o que está escrito na Constituição.

NECESSIDADE DO DEBATE – O essencial e eterno é a capacidade de interpretar os pontos do que está escrito e decidir, considerando o ângulo da diversidade das situações humanas. Pois se fosse apenas para seguir o que está redigido na Constituição Federal não haveria necessidade de um debate profundo sobre as questões contidas de forma menos aparente na Carta Magna.

Não só no Brasil, mas nos Estados Unidos também e nos demais países democráticos. André Mendonça recebeu votos da oposição, inclusive o PT abriu a questão. O comando petista provavelmente considerou melhor não criar problemas para a nomeação de Jair Bolsonaro do que partir para um lance de atrito que tanto poderia não mudar o resultado, quanto redundar numa outra indicação menos flexível do que a de André Mendonça. A respeito deste tema, lembro uma frase curiosa de Benedito Valadares, do PSB, mineiro,porém não muito próximo de Tancredo Neves.

Tancredo, em 1960, perdeu o governo de Minas para Magalhães Pinto: Benedito Valadares deixou escapar “é melhor um adversário cordial do que um correligionário hostil”. O PT de Lula da Silva deve ter, se não conhece a frase, agir no que identificou ser uma essência importante para o seu comportamento. Se está certo ou errado é outra coisa, mas o que aconteceu foi isso.

INTERPRETAÇÃO DINÂMICA – Mas falei em interpretação e identifiquei a essência dos textos e das situações humanas. A Constituição Federal diz expressamente que os salários são irredutíveis. Porém, uma forma de reduzi-los é reajustá-los em índices inferiores ao da inflação. Portanto, a interpretação constitucional tem que ser dinâmica, pois caso contrário estará confundindo valores nominais com valores reais. Este é um exemplo. Como num rio transcorre uma sequência interminável de outros.

O ministro André Mendonça é muito mais político do que se pensava. Na sabatina ele sinalizou pontos sensíveis que marcam o comportamento das diversas correntes partidárias. Escapou de uma definição mais incisiva sobre do período que sucedeu o Ato Institucional número 5.

CPI DA PANDEMIA – Ao mesmo tempo, manifestou-se favorável ao resultado da CPI presidida pelo senador Omar Aziz. Fez ressalvas à criminalização da política, assumindo posição à favor da independência dos poderes. Essa colocação agradou aos parlamentares que são acusados pelo STF.

Enfim, equilibrou-se entre os cristais. Saiu-se bem, levou a sua família para a sabatina, o que não é usual, visando com isso sensibilizar parlamentares que estivessem pendentes a se manifestar contra o seu nome.

14 thoughts on “A Bíblia e a Constituição: O difícil é descobrir e interpretar a essência dos textos

  1. Comunopata sincero.??

    Presidente do Uruguai, José Mujica

    .
    “Tenho um tipo de riqueza que muitos não ambicionam. Desprezo a acumulação de dinheiro. Tenho 78 anos e estou por um passo (da morte), vou acumular dinheiro?”

    • Provavelmente se referia ao acúmulo de experiência relacionada com idade e sua história. Quisesse dinheiro e sua acumulação, fosse de família sem posses e teria que começar uma poupança cedo, muito cedo. Gosto da sinceridade do homem.

    • A Bíblia não passa de um compilado de estorias, ou seja , contos da carochinha. Segundo estudos científicos, Cristo nunca compilou seus ensinos, Foi a partir do século quarto, sobre o domínio de Constantino, Imperador de Roma, que visava fortalecer seu reinado, que tal doutrina foi compilada e teve como base, os ditos de Paulo de Tarso, não de Cristo.

  2. “Escapou de uma definição mais incisiva sobre do período que sucedeu o Ato Institucional número 5.”
    Já que se trata de interpretar textos, capítulos da Constituição ou versículos bíblicos, não vou escapar de interpretar a frase ente aspas aí de cima.
    Antes do AI-5 a esquerda brasileira financiada pela União Soviética e Cuba resolveu partir para a luta armada para tomar o poder na marra e estabelecer uma Ditadura do Proletariado. O governo endureceu o jogo criando o AI-5.
    Na Oração de São Francisco o governo que antecedeu ao atual interpretava de forma atendesse aos seus interesses imediatos por grana para se manterem no poder, foi a época das grandes falcatruas.

  3. Bozolino mais uma vez perdeu a chance de mudar o Supremo Tucanal Federal.
    Preferiu seguir o que os antecessores fizeram, ou melhor, nada fizeram para mudar aquele lugar repugnante…..

    • Os homens fazem de Deus sua semelhança. Punitivo, Vingativo, castrador, homofóbico e xenofóbico , o Deus destes caras não presta, prefiro o de Baruch Espinoza.

  4. É de se esperar compromisso com o que está na Constituição quando no exercício da função judicante.

    Perigo é achar que cabe o sentimento religioso naquele espaço público e passe a interpretar o texto Constitucional sob o filtro do livro cristão.

    E por falar da Bíblia e a Constituição, no RJ tem um grupo evanjegue que vandaliza espaços com a escrita “Bíblia, sim. Constituição, não”.

    https://piaui.folha.uol.com.br/nao-votaras/

    Ainda falando do assunto Bíblia, não passa de um livro dos costumes para os cristãos (e sagrado somente para eles) tem ainda a Torá (judeus), o Corão (islâmicos).
    Este último suposto escrito ditado pelo próprio Deus (Alah) que, por isso, os islamistas o consideram o primeiro livro sobre todos os outros e fazem as suas interpretações macabras para subjulgar os outros dois seguidores dos outros livros sagrados enquanto que aos infiéis não crentes em nenhum dos livros restaria a morte caso não se convertam – e isso é o que vemos sendo feito no mundo, mas está tudo bem para os liberais e os progressistas em receber refugiados e poderem eles praticar a fé ao jeito deles no ocidente.

    • As religiões monoteístas são as piores coisas que o homem inventou.

      No politeísmo ainda havia alguma coisa de admirável.

      Mas é no agnosticismo, no ateísmo que se encontra o homem no seu estado mais racional de encarar as coisas.

      Para tudo devemos ser céticos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.