A China, o Brasil e os protestos populares

Paulo Solon

Falam alguns que a China virou capitalista. Mas se isto é verdade, significa apenas que agora pode se dar ao luxo de admitir certa liberalização, após haver sedimentado os princípios de moralidade administrativa traçados pelos Pais da Moderna Nação Chinesa.

Falam muito em Pais Fundadores da Nação Estados Unidos, citando entre outros Benjamin Franklin. Nada de extraordinário. Mas os Pais Fundadores da Nação China moderna foram sem dúvida Mao Tse-tung e Chu En-lai, para não citar o camarada Chang Si-te. Os três estiveram dedicados por inteiro à libertação do povo, trabalhando totalmente a favor dos interesses do povo.

O antigo escritor Sima Chien dizia: “Ainda que a morte chega a todos, pode ter mais peso que a montanha Taishan ou menos que uma pluma”. Morrer pelos interesses do povo tem mais peso que a montanha Taishan, declarou Mao Tse-tung; servir aos fascistas e morrer pelos que exploram e oprimem o povo tem menos peso que uma pluma. O camarada Chang Si-te morreu pelos interesses do povo.

Prossegue o fabuloso Mao: “Servimos ao povo e por isso não precisamos que nos sinalizem e critiquem os defeitos que possuimos. Qualquer um, seja quem for, pode enfatizar nossos defeitos. Se tem razão nós os corrigiremos. Se o que propõem beneficia o povo, atuaremos de acordo com isso. A idéia de “menos mas melhores tropas e uma administração mais simples” foi formulada pelo senhor Li Ting-ming, que não é membro de nosso Partido. Fez uma boa sugestão em benefício do povo, e nós a adotamos. Se em áreas de interesse do povo persistimos no que é justo e corrigimos o que existe de errôneo, nossos destacamentos prosperarão”.

E NO BRASIL?

Agora eu pergunto. Onde já se viu um mandatário brasileiro agir desta maneira? No Brasil a revolução será feita de baixo para cima. Mas não se enganem, ela será feita.

Na China os revolucionários vieram de todos os rincões do país, unindo-se a um objetivo comum. Estará acontecendo algo perecido no Brasil? Creio que é o que vai acontecer brevemente. Todos os revolucionários do país se unindo a um objetivo revolucionário comum. Com o tempo, a imensa maioria do povo brasileiro marchará pelo caminho que leva a esse objetivo, ninguém podendo impedir. Mais de cem milhões como base de apoio para liberar toda a nação. Em tempos de reação, temos que ter presente nossos êxitos, aumentar nossas ações e renovar nossa coragem.

O povo brasileiro está sofrendo. É nossa obrigação salvá-lo, lutando com energia. Na luta sempre haverá sacrifícios e a morte será acontecimento frequente. Mas temos que ter a mente direcionada para os interesses do povo e a morte digna. Não obstante, como dizia Mao, devemos reduzir ao mínimo os sacrifícios desnecessários.

“Nossos quadros devem preocupar-se por cada combatente, e todos os que integram as fileiras revolucionárias devem cuidar-se entre si, possuir afeto e ajudar-se mutuamente”(…) Desta maneira expressaremos nosso pesar quando alguém é abatido e contribuiremos para a unidade de todo o povo”.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

4 thoughts on “A China, o Brasil e os protestos populares

  1. Senhores,

    Segue este recorte de jornal apenas por curiosidade:

    RIO – A CBF admitiu nesta segunda-feira que as manifestações nas cidades brasileiras são “preocupantes” e criticou a violência dos protestos. “Claro que sempre causa uma certa preocupação”, declarou o presidente da CBF, José Maria Marin, no hotel Copacabana Palace no Rio de Janeiro.
    “-Seria preferível que toda a atenção estivesse voltada exclusivamente para o futebol e acho que essa é a preocupação de grande parte do povo brasileiro”, insistiu. “A manifestação sem a violência tem de ser respeitada. Em uma democracia é perfeitamente normal. O que não pode existir é a violência. Ninguém aceita”.

    Questionado se a violência da polícia não era aceitável, Marin respondeu:
    “-O que estou dizendo é que a manifestação de forma democrática e sem violência tem de ser respeitada. Ninguém aceita a violência, não é o melhor caminho. Sempre fui um homem de diálogo”.

    Já o vice-presidente da CBF, Marco Polo del Nero, tentou minimizar a importância dos manifestantes.
    “-Foram quantos? Mil? Tem 199 milhões de brasileiros trabalhando e esses querendo atrapalhar”, atacou.
    Para ele, a polícia está “bem preparada” e garante que não viu nenhum “deslize”. Del Nero admitiu que espera que o protesto não se repita em 2014. “O povo brasileiro é tranquilo. Já já vai entender que a Copa é o maior evento do mundo”, disse.

    Ao ver que jornalistas o pressionavam sobre o assunto, reagiu:
    “-Vamos falar de futebol? “Temos de falar de coisas positivas e fazer a torcida gritar ”Brasil, Brasil, Brasil””.

    Abraços.

  2. Não posso discordar de voce Paulo Solon quanto ao papel de Tung, o Mao, quando tomou o poder e moralizou a China. Mas como sempre, e é fato, o poder corrompe, adquire vida própria e passa a escravizar seu dono. Por essas e outras apareceu Deng, o Xiau e mudou tudo na área econômica (mudar tudo significa revolucionar) e a China então conheceu o progresso. de capitalismo de estado dirigido por meia dúzia, passou ao capitalismo privado, em que milhões de pessoas se atiram no jogo da melhoria pessoal e acabam por produzir milhares de vezes mais.
    Os militares aqui também começaram assim, querendo moralizar as coisas, até caçaram Lacerda, o direitista, inimigo de seu comandante, o Aragão. Contudo, o poder lhes corrompeu e eles acabaram fazendo merda como todos que deixam-se levar por ele.
    Quanto às manifestações, elas têm origem antes de tudo na pele, na carne, no corpo. Ninguém é de ferro. Como um trabalhador que é explorado pelo estado com impostos socialistas, ganhado menos de mil reais viver assim e o governo ainda falando que ele não é mais pobre?
    A mente mente e todas as cortinas e muros , de ferro ou de berlim, caem diante da realidade humana, que é a sua natureza de milhões de anos, cujas verdades não são produzidas pela mente e sim pelo corpo.

  3. Para variar, o texto deste rapaz é repleto de tolices,sectarismos, vigarices.
    Quando afirma: “Falam alguns que a China virou capitalista. Mas se isto é verdade, significa apenas que agora pode se dar ao luxo de admitir certa liberalização, após haver sedimentado os princípios de moralidade administrativa traçados pelos Pais da Moderna Nação Chinesa”. Falam alguns? Se isto é verdade? Ai ele falsifica a verdade, e começa a empulhação. A China, URSS, foram obrigados a adotar o sistema de mercado porque já estavam na bancarrota econômica. Nenhuma economia socialista funcionou bem até esta data, e os Srs. Deng Xiaoping e Gorbatchev, se viram acuados, sob xeque-mate, e tiveram que adotar economia de mercado. O imenso esforço teórico do economista socialista OskarLanger para justificar a “economia socialista” foi inútil, um fracasso. Hoje, a China é uma grande produtora de bugigangas e quinquilharias, tem 60% do seu PIB controlado por membros do Partido Comunista, enquanto a maioria anda de bicicletas, e tem que juntar os seus dejetos humanos para usar como adubo. A China pirateou, fez um download das inovações tecnológicas ocidentais, e insiste em manter uma tirania corrupta, ditatorial, atrasada.
    E continua,o delirante: “Agora eu pergunto. Onde já se viu um mandatário brasileiro agir desta maneira? No Brasil a revolução será feita de baixo para cima. Mas não se enganem, ela será feita.”
    Qual revolução? Este terrorismo que assistimos hoje nas ruas das grandes cidades do Brasil? Este grupo de inocentes úteis,de vândalos, de “homens massa”, de ignorantes, insuflados por grupelhos da esquerda radical, tentando destruir a ordem pública, e reinventar a roda?
    O que quer esta massa de manobra, estúpida? Mais wellfare estate? Mais direitos? Menos deveres? Querem mais migalhas do Estado? Querem mais tutela? Querem ficarmais dependentes do Estado?
    O que não passa na cabeça destes revolucionários de merda, é que esta geração de jovens é formada por as piores cabeças que o Brasil já produziu. O que não passa na cabeça de bagre dos “revolucionários”, é que o socialismo que eles pedem agora é exatamente o mesmo lixo petista que temos aí. O que os idiotas não entendem é que alguém tem que pagar a conta.
    O que vemos agora nas ruas,a “Primavera do Brasil”, não passa de movimento das massas de ignaros, controlado por extremistas, fascistas de esquerda, repetindo os mesmos métodos dos petistas de 25 anos atrás.
    Os “profetas” que preveem a “primavera do Brasil”,são cretinos, e não enxergam a um metro do focinho.

  4. Nelson Ferreira,
    Afora as críticas que teces ao texto do Paulo Solon, que não entro no mérito, quanto ao teu pensamento sobre a “Primavera do Brasil”, interpreto-a diferente.
    Observa que as pessoas que tentam frequentar as passeatas e que portam bandeiras de partidos políticos, o pessoal pede que não sejam desfraldadas.
    Os movimentos estão sendo feitos pela cidadania consciente e com senso crítico a respeito da situação política brasileira, a gestão dos nossos governantes e a corrupção.
    Acredito, e aí de dou razão, que existem elementos infiltrados da esquerda radical para atos de vandalismo, desacreditando as manifestações genuinamente populares, haja vista o caráter variado dos participantes: idosos, profissionais liberais, trabalhadores, estudantes, desempregados, jovens, pessoas de meia idade, donas de casa…no entanto, esta meia dúzia de baderneiros com objetivos específicos não representa o clamor das ruas que, em ordem e pacificamente, mostra o seu descontentamento com o dinheiro gasto nas obras à Copa do Mundo de Futebol.
    Um dos melhores cartazes que vi pela TV, de muita criatividade e pontualidade, dizia que, se o filho de alguém ficasse doente, que os pais o levassem para um estádio!
    Ora, trata-se de um protesto nato, autêntico, verdadeiro, irrepreensível.
    Da mesma forma quanto à Educação, Segurança, Administração, Judiciário, que deixam a desejar na sua prestação de serviço ao povo.
    A meu ver, tais manifestações não podem ser ignoradas, tampouco menosprezadas ou, até mesmo, como se fossem da iniciativa de partidos políticos, mas não mesmo!
    A população brasileira consciente e dotada de senso crítico, repito mais uma vez, cansou!
    E constatou o seu poder quando em prol de melhorias gerais, e não somente reivindicado por grupos específicos que querem se distinguir dos demais. Neste caso, qualquer tendência política, social, econômica e religiosa estaria sendo alvo de maiores atenções, na eventualidade de o governo atender ao clamor popular e mudar o seu comportamento ignóbil, devasso com as contas públicas, irresponsável, perdulário, esbanjador, enquanto que o povo padece das necessidades prá lá de conhecidas de todos nós.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *