A comédia dos vices agora envolve até um príncipe e um astronauta

Kacio Viana/Metrópoles

Charge do Kacio Viana (Arquivo Google)

Bernardo Mello Franco
O Globo

Primeiro ele convidou um dublê de senador e cantor gospel. Depois, um general de pijamas. Em seguida, a advogada que prometeu acabar com a “República da Cobra”. A novela dos vices de Jair Bolsonaro já parecia suficientemente bizarra. Agora entraram na dança um príncipe e um astronauta.

Luiz Philippe de Orleans e Bragança, o bolsonarista de sangue azul, sonha com a restauração da monarquia. Se não der certo, pode aceitar um cargo na linha sucessória da República. Enquanto não é convocado, ele produz vídeos para o Facebook. Há três dias, informou aos plebeus que está escrevendo uma nova Constituição.

COSMONAUTA -Marcos Pontes, o cosmonauta brasileiro, parece fazer planos mais modestos. Depois de viajar de foguete, passou a ganhar a vida com palestras motivacionais. Agora quer trocar seus dez dias no espaço por quatro anos no Jaburu.

Bolsonaro não é o único presidenciável sem vice. A dois meses da eleição, Geraldo Alckmin, Ciro Gomes e Marina Silva também penam para compor suas chapas. Entre recusas e desistências, ninguém consegue parceiro para concorrer ao Planalto.

Ciro já ofereceu a vaga aos conservadores do centrão e aos socialistas do PSB. O ex-ministro promete revogar a reforma trabalhista, mas também topa dividir chapa com Benjamin Steinbruch. O industrial já propôs coisas que nem o atual governo ousaria, como limitar o intervalo de almoço dos operários a 15 minutos.

OUTRA NOIVA – Alckmin tentou se aliar a Josué Gomes, que também foi cotado para vice de Lula, Ciro e Flávio Rocha. O empresário fez charme, mas não subiu ao altar. Agora o tucano busca outra noiva no centrão. Entre os cotados, estão o privatista Mendonça Filho e o comunista Aldo Rebelo.

Na campanha de Marina, tudo anda a passos de tartaruga. Não seria diferente com a definição da chapa. Sem alianças, ela deve improvisar uma solução caseira. Estão no páreo o presidente do Flamengo, que nunca foi político, e um deputado federal de onze mandatos.

A comédia dos vices seria mais engraçada se o cargo fosse apenas honorífico. No Brasil, não é. Dos últimos sete presidentes, três chegaram ao poder sem votos, depois da morte ou da cassação do titular. Foi o caso de Michel Temer, aquele que não queria ser “decorativo”.

31 thoughts on “A comédia dos vices agora envolve até um príncipe e um astronauta

  1. O petista Mello Franco volta a carga pois morre de medo de perder o jabá do dinheiro público. Sem apoio, morre de fome porque o que escreve suja o papel. Mas bom mesmo, foi o vice da Dilma que expulsou a Anta do Planalto. E, como o Lula não vai ter vice pois presidiário não é candidato o petista sujo vem destilar o seu veneno contra aqueles que um dia vão fazê-lo trabalhar.

  2. Eduardo Boçalnaurozinho comparou em estúpido discurso Janaina Paschoal ao torturador Coronel Ustra.

    Se Janaina tiver o mínimo de juízo se desfiliaria do tal PSL.

    Ficou evidente que Jair Boçalnauro lidera uma seita de extremistas sem noção.

    Conclusão: Estamos lascados com as terríveis opções para as eleições de 2018.

    Pobre Brasil sem presente e nenhum futuro!

    • Os mesmos que detonam quem evoca Ustra cultuam Castro, Chaves, Maduro, Ortega, Kin-Jon-Un, Lenin, Stalin, Marx, etc… A desproporção é a tônica nessas cabeças empedernidas. Afinal, quem matou mais e ainda continua matando? Só falta dizerem que foi Ustra, né? Argh!

      • Não cultuo vagabundos assassinos, seja de direita ou esquerda.

        Não existem ditadores bem intencionados, e quem os cultuam são igualmente canalhas.

        Mitos são farsantes que nada farão de positivo para o Brasil.

        • Os seguidores do boçal vivem aprisionados por antolhos mentais onde quem não venera o imbecil tem a obrigação de venerar outros imbecis.
          Não conseguem enxergar nada além de seu mundinho intelectual restrito.
          Haja boçalidade!!

  3. Que será que o jornalista tem contra a realeza? Ou contra o destemido homem que foi ao espaço fazer experiência com o feijãozinho, como fazíamos na escola primária? Ou contra a professora que botou a fronteiriça pra correr? Quem será que serve, pra ele?
    Deveria oferecer-se a algum candidato. A Lula, talvez. Que tal?

  4. O grupo que conduz a campanha do Bolsonaro esta se revelando serem um ótimo estrategista. Com um partido micro, sem dinheiro, sem tempo de TV, sem apoio da imprensa e do establishment, consegue que se fale o tempo todo de Bolsonaro, quem será seu vice, direciona as pautas do debate político e apresenta um Bolsonaro que aceita críticas de Olavo, Janaína, Gen. Mourão, disposição para conversar com quem tem opinião contrária, mas que no final, como líder, tomara a sua decisão. Não tenham dúvidas, nas próximas pesquisas estará ainda mais a frente dos demais candidatos. Bolsonaro esta muito bem assessorado. Acho que tem o dedo do Olavo de Carvalho nisso tudo aí.

  5. Com respeito ao artigo do despeitado jornalista, Dom Luiz Philippe de Orleans e Bragança que é um exelente nome para vice presidência. É um homem culto, cientista político, vários mestrados na Europa e Estados Unidos, esta trabalhando uma proposta de nova constituíção do Brasil, é escritor, empresário, integro, cristão conservador, patriota e com história.

  6. Interessante a defecação produzida pelo “jornalista” Bernardo Melo Franco….
    Ele diz que os tres vices que assumiram a vaga não tiveram votos.
    Pergunto:
    Mas como foram eleitos!!!??.
    Bernardo….mentiroso esquerdista!!!
    Só pra vc…aprenda comigo…
    O cargo eletivo é casado!
    O vice é eleito com o mesmo numero de votos do cabeça de chapa.
    Larga dessa mania petista de ser BURRO por escolha!
    Não existe eleição individual para Presidente e para vice.
    Ambos fazem parte de CHAPA única, Anta Petista!
    Aprenda bestão.

  7. Com respeito ao Marcos Pontes, ele é Tenente Coronel da Aeronaútica, Mestrado em Engenharia e Administração, Formado pelo ITA, Piloto de Caça, Astronauta, além de muitas outras qualificações. É um excelente nome tanto para o ministerio da ciência, tecnologia e inovação como para vice.

  8. Acho muito interessante que o Marcos Pontes seja o vice de Bolsonaro.
    Pessoa íntegra que merece é quero colocar seu conhecimento em favor do Brasil.
    Penso que a doutora Janaína , também, seria uma boa vice.
    Entretanto, para isto tanto Janaína ou Pontes , não deveriam ser postes como é estilo aqui no Brasil

  9. Nunca, no âmbito político, consultas a videntes estiveram tanto em voga. Sarney, Itamar e Temer já sabiam, previamente, que os seus titulares seriam defecados da presidência da República.
    A mesma brecha, não estariam vislumbrando todos os convidados a vice, que rejeitaram a oferta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *