A decisão final do mensalão fica para quarta-feira, porque o Supremo é muito chique e não funciona às segundas e sextas-feiras

Carlos Newton

Quando falamos aqui em Podres Poderes (royalties para Caetano Veloso, que cunhou a expressão), pode até haver algum exagero, porque sempre há exceções. Mas a grande maioria das autoridades de Executivo, Legislativo e Judiciário, com toda certeza, está mais do que apodrecida.

A política está infestada por gatunos da pior espécie. Quando Lula tomou posse como deputado na Constituinte, em 1987, e depois proclamou que a Câmara Federal tinha “300 picaretas”, ele estava sendo até condescendente. A realidade é nauseante.

Veja-se o exemplo da política do Rio de Janeiro, antigo Distrito Federal, chamada de capital cultural etc. e tal. No Estado, temos um governador como Sérgio Cabral, que é um ladravaz de recursos públicos. Na capital, um prefeito como Eduardo Paes, que diz que vai fechar para pedestres a Avenida Rio Branco, principal via de trânsito da cidade, e ninguém se preocupa em interná-lo para tratamento psiquiátrico. Na Assembleia e na Câmara Municipal, um festival de corruptos, milicianos, um baixo nível constrangedor.

No Judiciário, também um quadro de desalento. Os magistrados se julgam semideuses, são os primeiros a descumprirem as leis, no desempenho da própria função. Não cumprem os prazos dos processos (dez dias para despachar), jamais o fazem. Para eles, quem tem de cumprir são os advogados, e ponto final.

Não cumprem também a lei federal que determina que recebam os advogados para audiências. Estão pouco ligando para a falta de respeito a esses profissionais. Os magistrados não trabalham às segundas e sexta-feiras, enforcam os dias úteis em “fins de semana prolongados”, tiram 60 dias de férias por ano, só chegam ao Fórum e às Varas depois do almoço, e ainda recebem vultosos “vales-refeição” atrasados…

CORRUPÇÃO IMPUNE

E o pior – quando magistrados cometem atos de corrupção, a punição é exemplar. São aposentados com “salários proporcionais ao tempo de serviço”, o que significa remuneração  acima de R$ 20 mil reais por mês, até que a morte os separe da corrupção e da boa vida.

De todos os Poderes, o pior é o Judiciário, sem a menor dúvida. Se funcionasse a contento, se os magistrados fizessem jus ao esforço que a sociedade faz para remunerá-los, todo o resto do poder público funcionaria. Mas isso é apenas um sonho ilusório.

Em Brasília, a suntuosidade dos tribunais agride a realidade brasileira. Seus orçamentos e seu espantoso número de funcionários (concursados e terceirizados) deveria ir parar no Livro Guinness de Recordes. E o Supremo, que deveria dar o exemplo, é igualzinho aos outros. Não trabalha às segundas e sextas-feiras, nem mesmo num julgamento da importância do mensalão, dando um péssimo exemplo a todos nós. Mas que país é esse?

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

28 thoughts on “A decisão final do mensalão fica para quarta-feira, porque o Supremo é muito chique e não funciona às segundas e sextas-feiras

  1. Sr. Newton, permita assinar embaixo,infelizmente o brasileiro está no “mato sem cachorro”, País que a justiça é estuprada, em favor dos poderosos, que “pouco trabalha”, e assim mesmo, em desfavor do povo, envergonha até santo de pedra, e Rui, morre de novo, com vergonha.
    A dissidia do STF, em manter o Reg. Interno, quando a LEI (2009) determina que os Reg. Int. em 90 dias, se “enquadrem”;o resultado aí está, discussão quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha”, apequenando o Supremo em “pequeno”.
    O que vem acontecendo no Brasil, até Deus duvida!?!?
    De Gaulle, você esta certo, esse Pais não é sério, o “Zé Bagaço” se contenta com pão e circo e gosta do “me engana que eu gosto.
    Enquanto isso, o Brasil vai sendo roubado,em seus minerais (Niobio é prova e Petroleo com leilões), PT transformou “sonho em pesadelo”.

  2. Troquei o (!) por (?). A farsa da ação penal 470 (mensalão) estava montada; ou: tá tudo amarrado? (6×5)
    .
    Não contávamos com a astúcia da Ministra Carmem Lúcia. O golpe de mestre foi o voto singelo, sóbrio e surpreendente, por dissidente, da Ministra Carmem; a estrela da tarde que fez raiar a esperança no céu da pátria.
    .
    “Brasil, um sonho intenso, um raio vívido
    De amor e de esperança à terra desce,
    Se em teu formoso céu, risonho e límpido,
    A imagem do Cruzeiro resplandece”
    .
    Quem inesperadamente desmontou a farsa foi o grato ‘evento’ Ministra Carmem Lúcia. O Ministro Gilmar Mendes de maneira magistral segurou a granada com o pino destravado e a entregou para o Ministro Marco. Este, com o costumeiro e invulgar salamaleque juridiquês, mas mostrando sua conhecida inteligência e ousadia moral a entregou, com as devidas e máximas vênias – não sem antes desagravar a nação com um pito no esquisito “novato” – nas mãos arredias e desconfiáveis do profano decano, o Ministro Celso de Melo. Então, o sinal luminoso de uma esplêndida tarde verde passou para amarelo. Nuvens sombrias surgem ameaçadoras.
    .
    Antes de iniciar a sessão do empate épico tinha trazido o relato de um telefonema que consta do livro “ Código da Vida” travado entre o Ministro Celso de Mello e o autor, Saulo Ramos, ex-chefe (quando Consultor da República) do Ministro Celso de Mello. Relembro com pequeno trecho:

    “Apressou-se ele (Celso de Mello) próprio a me telefonar, explicando:

    (CELSO) – Doutor Saulo, o senhor deve ter estranhado o meu voto no caso do Presidente.

    (SAULO) – Claro ! O que deu em você?

    (CELSO)- É que a Folha de São Paulo , na véspera da votação, noticiou a afirmação de que o Presidente Sarney tinha os votos certos dos ministros que enumerou e citou o meu nome como um deles. Quando chegou a minha vez de votar, o Presidente já estava vitorioso, pelo número de votos a seu favor. Não precisava mais do meu. Votei contra para desmentir a Folha de São Paulo. Mas fique tranquilo. Se meu voto fosse decisivo, eu teria votado a favor do Presidente.

    (Saulo ) Não acreditei no que estava ouvindo. Recusei-me a engolir e perguntei:

    (SAULO) – Espere um pouco. Deixe-me ver se compreendi bem. Você votou contra o Sarney porque a Folha de São Paulo noticiou que você votaria a favor?

    (CELSO)- Sim.

    (SAULO) – E se o Sarney já não houvesse ganhado, quando chegou sua vez de votar, nesse caso, você votaria a favor dele?

    (CELSO) – Exatamente. O Senhor entendeu?

    (Saulo) – Entendi. Entendi que você é um juiz de merda.”

    Prossigo. Conjecturando sobre o que seria o julgamento também escrevi em uma opinião seguinte ainda antes do julgamento:

    “Na hipótese da inacreditável ingenuidade de Reinaldo Azevedo refletida na exortação final do texto no Blog dele hoje:“Que Celso de Mello inspire Celso de Mello!”: tudo está perdido…
    Quando chegar a vez de Celso de Mello votar o julgamento já estará decidido. Como já está. Celso e também o Ministro Marco Aurélio (muito feliz ontem) sabem perfeitamente disto. Estes dois estão comprometidos até o pescoço por suas declarações jurídicas anteriores que rejeitam o espúrio “embargo infringente”. Instituto jurídico que covardemente fere de morte a democracia pela desmoralização definitiva da instituição STF. Desse modo, votar a favor dos infringentes é batom na cueca, confissão da imoralidade.
    .
    Este último, Marco Aurélio, com o recente affaire da filha cooPTada, junto com Celso de Mello, então, com desabridos, hipócritas e cínicos votos poderão compor o rol de perdedores e ficarem em paz com suas consciência pessoais covardes e imorais.
    .
    O fiel da balança (ou seja, do PT) é a Ministra Carmem Lúcia, que, junto com seus demais parceiros: Barroso, Teori, Weber, Toffoli, Lewandowski formam a camarilha vencedora.
    .
    “Que importa a paisagem, a Glória, a baía, a linha do horizonte? – O que eu vejo é o beco –
    Manuel Bandeira em Poema do Beco””

    Continuo. Pelo visto, no fim do Beco havia a luz, a luz de um ‘evento’:

    “Eventos, por definição, são ocorrências que interrompem processos e procedimentos de rotina; apenas em um mundo em que nada de importante acontece poderia tornar-se real O SONHO DOS FUTUROLOGISTAS. Previsões do futuro nunca são mais do que projeções de processos e procedimentos automáticos do presente, isto é, ocorrências que possivelmente advirão se os homens não agirem e se nada de inesperado acontecer; toda ação para o melhor e para o pior , e todo acidente destroem , necessariamente, todo o modelo em cuja estrutura move-se a previsão e no qual ela encontra sua evidência…O perigo está me que essas teorias são não apenas plausíveis, pois tiram seus indícios de tendências presentes efetivamente discerníveis , mas também possuem um efeito hipnótico em função de sua consistência interna; elas adormecem nosso senso comum , que nada mais é do que nosso órgão espiritual para perceber , entender e lidar com a realidade e com os fatos – H. Arendt”
    .
    Talvez os eventos sejam a pedra no caminho da fortuna dos futurologistas e a Ministra Carmem Lúcia foi o evento que ainda nos mantêm no rumo da esperança.
    A Ministra Carmem Lúcia eram favas, mas não estavam contadas.
    .

    O VOTO DA MINISTRA CARMEM.
    .
    A atuação da Ministra foi surpreendente. Não tanto pelo preciso Direito que disse, mas pela coragem moral em dizê-lo.
    Tirou a escada, deixou os Ministros Celso e Marco Aurélio com o pincel na mão.
    Mais lúcido, jurídico, isento, objetivo e claro que o voto da ministra Carmem, só desenhando.
    O lado sensível mulher da Ministra Carmem falou mais alto; ouviu o Ministro Gilmar e esbarrou no ridículo, do qual, os maus advogados e juristas não se envergonham encurralando, traiçoeira e covardemente, a sociedade brasileira que os guindou, constitucionalmente, a uma invejável e diferenciada importância cívica. Injuriosamente a desmerecem com um Direito objetivo, banal, venal e comercial onde a verdade não é um fim.

    A surpresa Ministro Gilmar.
    .
    O que mais espantou e surpreendeu, também nele, não foi o Direito que disse. Despiciendo, nenhum iniciado duvida. Foi a franqueza detalhada e cruel colocando o trem nos trilhos da moral, da legitimidade que, sem ela, faz um Direito canhestro e cocho:

    a) trouxe logo o caso do deputado/presidiário Donadon que a se tornar vencedor o pleito faccioso levado ao STF, o caso Donadon precisa ser revisto e levado para o foro competente, o Juizado de Pequenas Causas.

    b) apontou com dedo em riste para a promiscuidade Estado/ Partido Político que fere de morte o estado democrático;

    c) não pestanejou em levantar a desmoralizante, descarada e ostensiva questão da manipulação do STF pela mudança partidária e não observando o principio constitucional da moralidade, para composição do colegiado;

    d) tirou o véu das CHICANAS (ombreando o isolado Barbosa) que assolam o Judiciário, ou seja, a proposital procrastinação recursal que escoam na impunidade;

    e) firmou a tão démodé quanto imprescindível coragem moral necessária ao magistrado que não pode ser colocada em dúvida;

    f) postou-se corajosamente pela soberania. Os foros internacionais devem se sujeitar aos sistemas jurídicos dos estados constitucionais. Não poderia ser diferente;

    g) o Direito em sua inteligência sistêmica guarda, sim, espaço para valores morais em face seu objetivo prático;e,

    h) por fim e por primeiro a importância histórica do caso para a saúde da vida política da nação da qual todos dependemos, portanto, também o STF.

    O Ministro Gilmar – a par da insondável motivação interior que o moveu – deu um ímpar exemplo cívico de cumprimento de dever da verdadeira magistratura que não dispensa a coragem moral, portanto, de conceder à opinião pública o conselheiro lugar de destaque.
    .
    “Para cada povo, num determinado momento de sua história, existe uma moral, e é em nome dessa moral reinante que os tribunais condenam e a opinião pública julga – Émile Durkheim”

  3. O Direito, uma visão.
    .
    O Direito não é uma ciência em seu mais estrito sentido de verdade posto que produção contaminada da luta humana; do homem com ele próprio e não com a natureza.
    .

    O Direito é incapaz de acompanhar a cada vez mais veloz carruagem dos tempos contemporâneos, por conseguinte, da moral .
    .
    O Direito é incapaz de prever a infinda tipicidade da conduta humana.
    .
    O Direito existe para a sociedade e não o inverso.
    .
    Isto posto, compete ao magistrado a difícil tarefa sistêmica de fazer a necessária acomodação da lei ao que é legítimo no seu esforço hermenêutico e de aplicação do Direito. Alguém precisa fazer o trabalho “sujo”, pois,

    “Tudo se interpreta inclusive o silêncio”

  4. Após mais essa pizza sair do forno, como se chamará a versão do “baader meinhof” brasileiro que certamente virá por ai?

    Alguém quer ajudar a escolher o nome?

    • O Baader-Meinhof de EXTREMA-ESQUERDA defendia o já ultrapassado COMUNISMO. Os PeTralhas, desde que chegaram ao poder em 2002, aparelham o estado em beneficio proprio e defendem um tal de “comunismo bolivariano” que nada mais é do que: FAÇA O QUE EU DIGO E NÃO FAÇA O QUE EU FAÇO. Esses PeTralhas estão envolvidos até o pescoço nos maiores escândalos de CORRUPÇÃO jamais vistos NESSEPAIS.

  5. Mensagem enviada pelo site do Supremo Tribunal Federal para o Exmo. Ministro Celso De Mello.

    ———- Mensagem encaminhada ———-
    De:
    Data: 13 de setembro de 2013 07:55
    Assunto: Central do Cidadão – Confirmação de Envio do Relato Nº 187616
    Para: paul88482005@gmail.com

    Prezado (a) Senhor (a) JOSÉ PAULO DE RESENDE,

    Sua Mensagem foi recebida pela Central do Cidadão e registrada sob o nº: 187616.

    Mensagem: Exmo. MInistro Celso de Mello Exmo. Ministro do Supremo Tribunal Federal. Em vossa mãos e mente está o desfecho deste julgamento que já se tornou histórico para a maior corte do País e para a história jurídica do Brasil.. O povo brasileiro espera que a Justiça seja feita neste escabroso caso chamado Mensalão. Vossa Excia. poderá restituir, com seu voto, a independência do Supremo e poderá demonstrar a todos os brasileiros e brasileiras que não é só pobre e preto que vão para a cadeia e mofam nas mesmas enquanto bandidos de colarinho branco ficam impunes desfrutando de liberdade. Crimes de colarinho branco na maioria das vezes ficam impunes neste País. É preciso, Exmo. Ministro Celso de Mello, que a órdem seja restabelecida neste meu amado e querido Brasil. Não podemos mais conviver com os ratos que travestidos de homens sérios e competentes se lambuzam com o dinheiro público. Não é mais possível conviver com este tipo de gente que infesta a política brasileira. Há a necessidade preemente que este julgamento tenha seu desfecho levando todos que usurparam do dinheiro público que tanto falta a setores importantes da nação brasileira para a cadeia. Não estou pressionando Vsa. Excia. Ministro Celso de Mello. Quem sou eu para pressionar o décano do Supremo Tribunal Federal, mas é preciso que haja um fim forte e contundente para este julgamento para que se possa reverter para sempre da Nação Brasileira esta onda de assaltos aos cofres públicos que beneficiam somente a quem os comete. Aos Ministros que votaram a favor de um novo julgamento o meu respeito pela decisão tomada, mas demonstro aqui a minha não concordância ao voto dos mesmos. Dar um novo julgamento a quem não merece seria danoso para a história jurídica deste País e para a própria história jurídica do Supremo Tribunal Federal. Aos que votaram contra este recurso chamado Embargos Infringentes os meus parabéns pela decisão precisa e correta. O Povo Brasileiro agradece também aos mesmos. A Opinião Pública é importante sim e merece ser ouvida as vozes que vem das ruas. Então Exmo. Ministro Celso De Mello que seu voto seja pelo Povo Brasileiro e pela restituição da órdem neste País. Não podemos mais conviver com os desmandos e falcatruas que acontecem quase todos os dias. O dinheiro público tem que servir ao Povo Brasileiro via excelente saúde, educação, saneamento básico, moradia e etc.etc..etc……e não servir a grupos espúrios que se juntam para apenas se beneficiarem enquanto há no Brasil tantas mazelas que só prejudicam principalmente o Povo Brasileiro. Em Vsa. mãos e mente Exmo. Ministro Celso De Mello está uma decisão para lá de importante. Restituir definitivamente a órdem neste País é o que todos os brasileiros e brasileiras honestos e cumpridores dos seus deveres querem. Muito obrigado pela atenção dada a minha pessoa Exmo. Ministro Celso De Mello. Aproveito o ensejo para enviar para Vsa. Excia. e vossos diretos assessores, Cordiais Saudações! Atenciosamente, José Paulo de Resende. Itaipu Niterói Rio de Janeiro.

    Responderemos em breve.

    Atenciosamente,
    Supremo Tribunal Federal
    Edifício Anexo II, Térreo, Sala C 011
    Brasilia (DF) – CEP: 70175-900

  6. Verdade CN, este país não tem jeito mesmo e, com essa gente fanática no governo, a coisa tende a piorar.
    É até um milagre o STF chegar onde chegou. Uma anormalidade nesta república bananeira.
    Fosse nos EUA, os criminosos já estariam cumprindo uma pena longa há algum tempo.
    Enfim, satã é brasileiro.

  7. Prezado Carlos Newton, você mostrou acertadamente o retrato dos três poderes. Este é o Brasil da atualidade. A esperança de melhora inexiste, não é pessimismo, mas realidade.

  8. O mais revoltante (sim, existe um campeonato macabro, para ver o que revolta mais, no Supremo) é ver que ao final do voto de Marco Aurélio, três ministros estavam ausentes: que tinham reunião no TSE e por isso a sessão tinha que ser encerrada: que Celso de Mello declarou-se pronto para votar e Joaquim Barbosa, mesmo assim, decidiu pelo encerramento dos trabalhos. Como pode? O país inteiro aguardando ansioso e estressadíssimo o fim desta porcariada toda … e teremos que esperar mais e mais e mais. Afinal, pode existir algo mais importante do que a decisão do Mensalão no Supremo? Pode. Uma reunião no TSE.

  9. O PODER JUDICIARIO TRABALHISTA não PERMITE que um CONDOMINIO RESIDENCIAL contrate terceirizados mas PERMITE QUE O PROPRIO ESTADO – petrobras, ministerios, etc etc etc – OS TENHA. Façam o que eu digo e não façam o que eu faço. É VERGONHOSO.

  10. Não uso disfarce.
    .

    Não sei como seria recebido pelo Minstro o e-mail de uma barata que não sabe escrever o que não pensa.
    Bem que gostaria.

    “Cada indivíduo, com efeito, cada consciência moral exprime a moral comum à sua maneira; cada indivíduo a compreende, a vê sob um ângulo diferente; pode ser que nenhuma consciência seja inteiramente adequada a moral de seu tempo, e poderíamos dizer que em certo sentido não existe uma consciência moral que não seja imoral por certos aspectos – Émile Durkheim”
    .
    Não uso disfarce, não dissimulo no rosto o que não sinto no coração. Sou sempre igual a mim mesma. Não ponho a máscara, como aqueles que pretendem representar um papel de sábios e andam desfilando como macacos vestidos de púrpura e como asnos com pele de leão. Que se vistam com disfarces quanto quiserem, que suas orelhas sobressalientes revelarão sempre um Midas (o do Toque de Ouro) oculto – E. de Rotterdam”

  11. Desculpem,podem me chamar de que vocês quiserem,porém hoje tenho certeza, esse país uma grande farsa.Dane-se o mensalão,existem milhares de processos mais importante do que esse,que precisam ser votados.Processos que envolvem vidas ,sonhos,etc;chega de conversa fiada o povo quer trabalho, ,segurança,saúde,educação.Pra não dizer que não falei de flores,porque não falar desta figura maravilhosa,Estela ,mãe de santo na Bahia,eleita para academia de letras da Bahia com 88 anos.Devemos dar valor a essa gente,que com dignidade, luta e perseverança,engrandecem nosso país.Se nos analisarmos bem,estamos a anos neste blog falando das mesmas pessoas,cujos sentimentos continuam o mesmo,nenhum.

  12. Prezado Luiz Fernando Freire Júnior,
    Tens o direito de opinar como tu quiseres, portanto, não serei eu a faltar com o respeito contigo -“chamar do que vocês quisierem” – pelo teu posicionamento político que é diemetralmente oposto ao meu nesta questão do mensalão.
    Mas o plano petista era exatamente este que apontaste: trabalho para a população, e não interessa o modelo!
    Faltaram outros componentes que aliviassem a carge de trabalho, tais como: Educação, Segurança, Saúde, Infraestrutura, Saneamento Básico, Estradas de Ferro, mais rodovias, casas populares…
    O mensalão se tornou um acontecimento pela importância que o PT considerou dominar o País, esquecendo-se do resto que deveria se preocupar como governo e que havia jurado tal comprometimento com a nossa Nação e povo.
    Para o PT, importava era a manutenção do poder em moldes absolutos, abandonando a ética e moral de forma plena, unindo-se a inimigos no passado, alianças espúrias, compra de partidos, entregas de ministérios, secretarias, diretorias, estatais, e corrupção generalizada como jamais constatada em nossa História.
    O mensalão é o julgamento de corações e mentes de pessoas que traíram o Brasil, que se achavam impunes, superiores aos cidadãos, intocáveis, que quiseram transformar este grandioso País em feudo político e mina a céu aberto para suas ilicitudes e desmandos.
    Discordo do teu pensamento, Luiz, haja vista dar a impressão – e me corrige se estou errado – de que uma vez o povo sendo contemplado naquilo que espera, o governo pode fazer o que quiser, principalmente, roubar e se comportar como reles ladrão e criminoso!
    O julgamento do mensalão está sendo feito porque uma boa parte de habitantes deste Brasil repudia este tipo de administração que o PT empregou.
    Um abraço, Luiz.

  13. Fortalecendo a democracia

    Na iniciativa privada, salvo honrosas exceções, o único objetivo sempre foi o lucro, se possível, honestamente e sem matar ninguém. Só se possível. Por isso mesmo que nessas empresas, o inadequado desempenho de qualquer profissional constitui grande motivo para sua inapelável demissão. Assim tem sido com o trabalhador da iniciativa privada. Em nome da boa eficiência e da lucratividade.

    Agora, para os trabalhadores ocupando cargos públicos, pagos com o dinheiro do povo, essa regra não vale mais. Notadamente, tratando-se de caríssimos e importantes profissionais, como dirigentes, senadores, deputados e vereadores, juízes, ministros, etc. Essa turma pode fazer o que bem entender. Pode não trabalhar, pode chegar atrasado, ser incompetente, ter baixo desempenho, ser corrupto, ladrão, entreguista e traidor da Pátria. Pode tudo. Raramente são demitidos e ou punidos.

    Com a admirada Dona Tecnologia, o tempo todo trazendo surpreendentes e maravilhosos recursos e facilidades, em todas as áreas e setores da sociedade, principalmente no campo da informática, já passa da hora do povo ter bem ao alcance da mão, poderoso gatilho, 24 horas por dia, conferindo-lhe o direito de por no olho da rua qualquer político ou homem público que não esteja correspondendo ao exigido desempenho. Tudo simples e via internet, com senha eletrônica de uso pessoal fornecida pelo TSE. Semelhante sistema teria que ter por base adequado software objetivando exigida eficiência e justiça. Claro.

    Em todos os importantes centros de grande movimentação popular, inclusive na internet, deveria haver um painel mostrando o nível de satisfação do povo para com esses profissionais. Quando o nível de aprovação de um determinado homem público, cair abaixo de certo valor, a demissão seria sumária e irreversível. Já estaríamos livres de muitos vagabundos, incompetentes, corruptos e entreguistas.

    Também, já teríamos chegado à conclusão, que Dilma Rousseff, apesar de seus defeitos, no atual quadro de nossas lideranças, continua sendo insubstituível. Comprovadamente, não é corrupta, não tolera corrupção, apesar de por força do cargo, ter que conviver com inúmeros poderosos corruptos. Além disso, conseguiu situar o Brasil bem distante do desmonte econômico e financeiro que vem devastando o primeiro mundo desde 2008, com milhares de desempregados e de falências.

  14. Está no jornal EXTRA de hoje.
    “Meninos roubam um par de sandálias e são presos. Eles não conhecem os Embargos Infringentes”.
    Meu comentário:
    Semana retrasada, um menino roubou uma maçã, na feira. Foi pego. Bateram muito nele e o encaminharam para uma delegacia. De lá, segundo soube, iria para uma cadeia.
    Ninguém nunca jamais em tempo algum agiu para mudar esta realidade. E vai continuar tudo igual.
    Os ministros ganham pelo Supremo e ganham pelo TSE. Ninguém trabalha às segundas nem às sextas, porque afinal o corpo não resistiria. Interrompem sessões no STF para assinar o ponto no TSE.
    VERGONHA.

  15. Dias atrás, disse em artigo, que o processo do mensalão pode acabar no ano 2020. Isto porque, além de demorada tramitação e julgamento dos Embargos Infringentes (e tudo indica que serão aceitos), vem depois o recurso de revisão criminal, quando tudo recomeça da estaca zero e pode ser apresentado por cada um dos réus condenados. E sem descartar a possibilidade da concessão de liminar (antecipação da tutela) para que os que estejam presos sejam postos em liberdade e os que ainda não estejam no cárcere, a este não precisam ser recolhidos, enquanto durar a tramitação deste recurso de revisão criminal, que é sempre demoradíssimo. Leva anos e anos, mormente pela variedade dos crimes e da quantidade de réus. Se, em matéria cível, às Ações Rescisórias que visam descontituir sentença ou acórdão transitado em julgado os tribunais concedem liminar (antecipação da tutela) para que as condenações cíveis percam seu efeito de coisa julgada, por que não será concedido o mesmo benefício no campo do Direito Penal, para o recurso (ou ação, segundo alguns) de revisão criminal?
    Mas a situação a que chegou esta Ação Penal 470 pode se tornar muito mais tumultuada do que já está. E para que isso aconteça, hábeis e talentosos advogados é que não faltam. Afinal, dentre muitos outros, os mais notáveis criminalistas estão à frente das defesas dos réus do processo do mensalão.
    Explico: no curso das sessões de julgamento, os ministros que votaram pela absolvição não votaram depois, no momento da fixação (dosimetria) das penas. Isso foi bastante razoável. Se absolveram antes, como fixar penas depois?. Ocorre que, no mesmo rumo, sentido e entendimento, também os ministros que votaram contra a admissão dos Embargos Infringentes não poderão (ou não poderiam) votar quando do julgamento desses Embargos. Sim, porque se recusaram antes a admitir os embargos infringentes, como poderão votar depois a respeito de um recurso que antes recusaram. A analogia com a anterior situação (ministros vencidos que votaram pela absolvição não votaram na
    dosimetria da pena) é procedente e tem pleno cabimento. Mais ainda porque essa questão de admissibilidade ou não dos Infringentes se deu de forma destacada dos próprios Infringentes, que ainda nem foram apresentados.
    Inusitadamente, primeiro dIscutiu-se a admissibilidade ou não do recurso para depois, aí sim, uma vez admitido, ser facultado aos réus a sua interposição, que ocasionará muitas outras sessões de julgamento. Ou seja, a apreciação do cabimento dos Infringentes não foi matéria preliminar apresentada nos próprios Embargos. Se fosse, aí a situação seria outra: os ministros vencidos quanto à preliminar e que rejeitavam os embargos poderiam apreciá-los, uma vez que a maioria teria aceito tal recurso. Mas não foi isso que ocorreu. A possibilidade da apresentação dos Innfringentes foi examinada, votada e decidida, antes mesmo da interposição do recurso. E quando isso acontece e caso o decano Celso de Mello decida pela aceitação dos embargos, aí estariam 5 ministros impedidos de apreciá-los, porque antes votaram contra, repetindo aquela mesma situação anterior, no tocante à absolvição e dosimetria.
    E se os experientes advogados suscitarem esse impedimento, poderão obter êxito. E nesse caso, apenas os 6 ministros que concordaram com a subsistência dos Infringentes é que poderão julgá-los: Lewandowsky, Toffoli, Barroso, Rosa, Teori e Celso Mello. E pelo andar da carruagem, tudo indica que, ao serem os Infringentes julgados, apenas por aqueles 6 ministros, haverá reforma com absolvição ou considerável diminuição das penas. Vamos esperar. Isso pode acontecer, infelizmente.
    JORGE BÉJA

    Explico:

  16. Estimado Jornalista Carlos Newton,
    Vi o Ministro político G. M. acusar os outros de novatos, seguido por M.A. Veja bem, um Ministro tem que ser um jurista, se é novo (novato) ou velho (velhaco), não interessa à Justiça. Todos devem ter capacidade suficiente para decidir. Cada Ministro tem direito ao voto de acordo com o seu entendimento, acredito.
    Votar para agradar a opinião pública não demonstra saber jurídico, mas interesse de aparecer na mídia. Motivo que deveria ter que se submeter à quarentena, mas acho mais plausível um afastamento automático de no mínimo de 10 anos para se candidatar. Com ente raciocínio não haveria julgamento de acordo com a mídia.

  17. Caro Francisco,não pense que eu não sofro com essa turma que se lambuzou com o poder,claro, sinto e muito ,porém o meu desabafo é contra essa parafernália que essa turma quer fazer de um fato que eu julgo simples,errou tem que pagar,independente de partido.Jamais na minha vida ,mesmo em momentos que fui privado da minha liberdade por acreditar na democracia,deixei de me posicionar pela justiça.Independente de valores,tenho certeza que nossos ideais são o mesmo,o melhor para o nosso país.Saudações afetuosas……

  18. Precisa sua crítica ao Judiciário. Apenas incluiria o Ministério Público, que ressurgiu das cinzas com a constituição de 1988 com a gloriosa missão de combater justamente esses tipos de privilégios, mas, rápida e sorrateiramente, alinhou-se aos privilegiados e transformou-se em uma inútil e cara caixa preta, onde imperam a morosidade, a desídia, a impunidade e a desfaçatez. Pobre povo brasileiro!

  19. Prezados… com todo respeito. Os réus da Ação Penal 470 são ricos e amigos dos ricos que por sua vez são amigos de outros ricos. Vcs acham mesmo que rico é preso no Brasil? Vcs acham que o deputado Donadon vai ficar 13 anos na Papuda? Logo vai conseguir sair e pode se recandidatar. Escrevo de forma realista, sem ilusões. Se está tudo ótimo para o povão e a massa, não vai mudar nada e eles não estão nem aí nessa história de PT x PSDB… é briga de rico. É o que ouço nos trens e ônibus… melhor é o futebolzinho, cervejinha, churrasquinho e o baile funk com a mulherada.

  20. Prezados Senhores,

    Venho por meio deste comunicar minha nota de repúdio à situação do gênero humano.

    É insustentável continuar:

    – A classe política não tem escrúpulos, e muito menos caráter. Chafurdam o lixo que é sua própria condição de vida.

    – Todo esse Supremo Tribunal Federal deveria concorrer ao Oscar por suas atuações em frente as câmeras, até porque todos já sabem como acabam os filmes “hollywoodianos”.

    – A maioria do povo é ignorante, omisso e, em alguns casos, covarde. Muitos ainda não se corromperam só por falta de oportunidade.

    – Teria vergonha de pertencer à mídia. São mostrados vários escândalos, porém sempre com um viés político e eleitoreiro. Quando uns poucos lutam pra mudar algo, são taxados de vândalos.

    – Esses “vândalos” são igualmente ignorantes, pois não têm a capacidade de se organizar para “bater” de modo eficaz no sistema, pois buscam sempre aliar o “útil” ao “agradável”.

    – Boa parte da polícia é truculenta e corrupta, mas mesmo os que não são, não possuem coragem de romper com as ordens absurdas de seus superiores.

    – Todos nós continuamos fazendo essa imundice continuar, pois escolhemos a cada segundo não sair da inércia em que vivemos.

    – Estamos a cada segundo destruindo o planeta e nossas próprias vidas, em um lento suicídio, recheado de requintes de crueldade que só nossa espécie consegue produzir.

    – O controle mundial oscila nas mãos da indústria armamentista, de energia e pelos bancos. Todos tentando obter o poder absoluto, mas sem sucesso, pois o mundo é caótico, como todo o universo que nos cerca.

    – Quanta astúcia adquirimos desde que evoluímos das amebas! E assim chega a Ciência que turva o coração e nos arrasta para a crença cega naquilo que podemos “ver”. Ela tomou de assalto o lugar que a igreja ocupava na idade média.

    – Temos a Educação parcial e corrompida, que nos entrega os peixes, mas não nos ensina a pescar. Pois se deixássemos nossa condição de ignorância, os que “acham” que dominam o mundo teriam que se contentar com “Chocalhos” menos coloridos.

    – E nós, os reis “EGO”, que possuímos a verdade absoluta, a ciência e sabedoria perfeitas continuamos a nos aninhar em idéias que nos são “afins” e negar outras, que nos parecem divergentes.

    – A grande alegria em meio a isso tudo é a nossa “bela e pálida amiga” chegará para todos. Enfim, um dia, ela nos livrará deste mar de misérias e infelicidade.

    Graças a Deus! Pra quem acredita, e pra quem não o quer… FIM!

    – Enfim… Mais uma vós estúpida… Vamos para o próximo comentário…

  21. Carlos Newton,

    ótimo artigo e, infelizmente, verdadeiro.

    Neste caso do MENSALÃO quem está sendo julgada é a Justiça brasileira.

    O voto de Celso de Mello será definitivo para que o povo brasileiro considere e respeite o STF como uma CORTE DE JUSTIÇA ou para que tenha a certeza de se tratar de mais um APARELHO DO PT.

  22. Seytrym, saudações
    Não há como discordar de uma linha sequer da sua nota de repúdio. Constatações autênticas de como funcionam as coisas, neste Plano. O Paulo Solon às vezes aborda o tema VIDA, de uma outra forma (estou equivocado, Paulo? Se estiver, peço que me corrija). A Sociologia nos apresenta o “olhar para o outro”, como ponte para atravessarmos, juntos, este oceano de bestialidades com o qual vivemos e convivemos. Parece tudo tão inútil, diante desta catástrofe existencial que nos é servida num banquete totalmente desprovido de alimentos saudáveis. Paulo até se regozija da necessidade de haver sempre mais guerras, mais mortes, mais desentendimentos como forma de tudo encontrar logo um Fim (novamente, Paulo: me corrija …).
    E … Seytrym … quando contemplamos o Universo, percebemos que não temos sequer um tamanho mínimo no Espaço: não temos expressão energética, não temos capacidade vibratória, aqui nada foi colocado pela Criação. Quem sabe, alguns Mensageiros aqui vieram com seus Códigos de Vida, para que pelo menos, em algum momento, busquemos e tentemos a valorização da nossa Existência neste curto período que nos foi dado? Ao contrário: aqui é o Reino da Arrogância, da Mentira, da Traição, da Tortura, da Exploração do Indivíduo, da … Morte Impiedosa. Temos condições para neutralizar ou mitigar este processo? Ou somos assim mesmo, bestas humanas que adquiriram as formas que temos por uma deformação da natureza? Helena Blavátski disse que AQUI, antes, só havia árvores, animais, plantas, insetos, mares, etc, e que NÓS representamos tal deformidade, ou seja, somos algo que nem deveria existir, somos uns desajustados no contexto universal. E olha que Albert Einstein afirmou que muito das suas descobertas decorrem dos livros que leu da Madame Blavátski. Nem sei se te dou parabéns. Nem sei se dou parabéns ao Paulo. Não é caso de parabenizar ninguém. Mas que o quadro que você pintou já está emoldurado há milênios ou … desde sempre, não há como contestar.

  23. Prezado Almério,

    Estou muito grato pelo seu comentário. Certas coisas já são senso comum, mas a grande maioria prefere ignorar, pois essas constatações somente geram mais dor.

    Já li muito Blavatski, Max Heindell, Steiner e outros. É curioso ver como algumas “verdade” já eram conhecidas muito antes da ciência atual sequer questioná-las.

    Meu povo se perde por falta de conhecimento.

    Homem, conhece a ti mesmo.

    A mensagem é sempre a mesma, nossos ouvidos é que são duros.

    Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *