A desgraça em que se transformou o Rio de Janeiro e todo o Brasil

Resultado de imagem para vanessa dos santos enterro

Um dor infinita, que nenhuma autoridade consola

Jorge Béja

“Meu sentimento é de muita revolta. Estou me sentindo abandonado pelas autoridades. Não tem ninguém dando suporte. Quem está com a gente são os amigos. São eles que estão dando força, nos ajudando a tomar providências”. Este é o desabafo de Leandro Monteiro de Matos, de 39 anos, pai de Vanessa Vitória dos Santos, de 10 anos, morta com um tiro na cabeça nesta terça-feira (dia 4) durante um confronto entre policiais militares e bandidos no Complexo do Lins, Rio de Janeiro.

A outrora Cidade Maravilhosa e todo o país estão completamente perdidos e o povo brasileiro ao desamparo. As chamadas “autoridades” não passam de patifes-corruptos no cargo. Mas a Lei do Carma será implacável com todos eles. E apenas questão de tempo. Aqui se faz, aqui se paga.

OMISSÃO TOTAL – Nenhum deles chora por sua filha, Leandro. Nenhum deles procurou você e sua família e nem vai procurá-los. Nem a Igreja. Cadê o Cardeal Tempesta? Cadê o prefeito do Rio? Cadê o governador do Estado do Rio? Cadê o presidente do Brasil?

Essa gente não se sensibiliza com a tragédia, mesmo sendo responsáveis e culpados. O prefeito chegou dias atrás da Holanda e já voltou para a França, vizinha à Holanda. O presidente viajou para a Alemanha. O governador… bom, o governador nem se sabe onde anda, ou se ainda consegue andar. Pafifes.

Mencionei o cardeal porque ele, ao menos para o catolicismo, é a maior autoridade eclesiástica desta metrópole sanguinária e sangrenta que é o Rio de Janeiro. Mas nada é novidade. Anos atrás a menina Adrielly foi atingida com um tiro na cabeça no Méier, subúrbio do Rio.

NÃO HAVIA MÉDICO – Levada para o Hospital Municipal Salgado Filho, não pode ser operada porque o cirurgião doutor Adão faltou. Não estava no plantão. Transferida para o Hospital Municipal Souza Aguiar, a menina agonizou 11 dias no CTI e seus pais, também por 11 dias, permaneceram na porta do hospital. Quando chovia, se abrigavam na parte coberta. Todos os dias os noticiários das telefisões mostravam os dois sentadinhos na mureta do Souza Aguiar. Definharam, de tanto chorar. E ninguém foi até eles para levar carinho, amor e sustentação para suportar tamanha dor. No 11º dia Adrielly morreu. Também nenhuma autoridade foi ao enterro.

Enquanto tantas mortes, tanto sofrimento acontecem, o presidente Temer está comprando votos na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados para que a denúncia do Procurador-Geral Rodrigo Janot não seja aprovada.

NÃO É CRIME? – Comprar votos não é crime eleitoral? Não importa se em pleitos eleitorais ou em escrutínios entre os já eleitos, empossados e no exercício do cargo. Tudo, enfim, é pleito, é votação. Ou se não for crime eleitoral, não é corrupção ativa? Não é concussão ( “exigir, para si ou para outrem, direta ou indiretamente, ainda que fora da função ou antes de assumi-la, mas em razão dela, vantagem indevida”)? Não é obstrução da Justiça?

Afinal, esta primeira denúncia do dr. Janot contra Temer é denúncia pela prática de crime comum. Foge do âmbito legislativo e é da competência do Judiciário, a ser julgado por sua expressão maior, que é a Suprema Corte, o STF.

 CHORA, LEANDRO! – Choram muitos e muitos outros pais e mães pelas mortes de seus pequenos filhos. Chora, Claudinéia! A bala atingiu você e se alojou no bebê, ainda dentro do seu ventre. Nem ainda tinha nascido, e já foi baleado! Chora o Rio, chora todo o povo brasileiro. É um choro de dor e de ódio.

Os chamados governantes são bisonhos. Mais que isso, são covardes. Mais que isso, são boçais. Mais que isso, são corrutos. E tudo isso junto.

45 thoughts on “A desgraça em que se transformou o Rio de Janeiro e todo o Brasil

    • Dr Béja, um dos culpados por tudo isso, além da Globo e os caciques do PMDB é seu amigo Cabral, que agora todos querem esconder.

  1. Caríssimo dr.Béja,

    O seu artigo coloca o dedo na ferida, que hoje se chama Brasil, chaga ocasionada por governantes corruptos e incompetentes!

    E incurável, pois a vítima sofre de diabetes – não, não a doença conhecida e tradicional, mas de muitos diabos pequenos que infestam os poderes constituídos, e que impedem propositadamente que o país se recupere de suas lesões e males por culpa desses parlamentares e governantes abjetos e deletérios, ladrões e traidores do povo e desta nação!

    Desgraçadamente, as vítimas inocentes tombam diariamente neste solo conspurcado pelos canalhas, que se adonaram desta terra, e diante da impunidade que gozam menso sendo reles criminosos, e garantida pelo STF, atualmente a instituição que mais envergonha esta Pátria, pois continuam agindo como celerados, como bandidos, como membros de quadrilhas elaboradas com um único objetivo:
    ROUBAR O POVO E PAÍS!

    Enquanto isso, o povo vai sendo imolado cruelmente por este sistema diabólico, cópia fidedigna do Estado islâmico, cuja única diferença é o aspecto religioso, mas a desumanidade e os horrores dos assassinatos praticados pelos prefeitos, governadores e por este desgraçado presidente são nos mesmos moldes dos radicais muçulmanos!

    E diariamente lemos nos jornais ou vemos nas TVs as consequências desses imundos, dessa gentalha que nos comanda, desses biltres que agem como legítimos predadores.

    O resultado desses desmandos e descalabros tem sido a população chorar nos enterros de seus entes queridos, derramar suas lágrimas lamentando a perda de vítimas jovens, que teriam uma existência plena pela frente, mas que lhes foram roubadas pelos porcos imundos governantes e parlamentares, pelos assassinos governantes e parlamentares, protegidos e impulsionados em continuar nesta trilha de devastação e aniquilamento do povo por um tribunal não menos desleal com o cidadão, com a Constituição que juraram defender, a suprema corte, simplesmente minúscula e cúmplice de delinquentes!

    Pois o famigerado sistema está profundamente arraigado no país, enaltecendo as elites e castas recentemente criadas, e obtendo fartas e incalculáveis fortunas à suas manutenções, na razão direta do sofrimento do povo e total falta de perspectivas para suas vidas!

    E ainda vemos Lula, Dilma, Sarney – o mestre de todos os corruptos e ladrões -, FHC, que vendeu a troco de tostões nosso patrimônio e foi o causador da quadrilha petista ter sido reeleita porque COMPROU o venal congresso para que este antro de poltrões aprovasse a reeleição, Collor, a serpente, o verme, a ignomínia personificada, o parlamentar dos escândalos, e ladrões que pertenceram a esses governos livres, leves e soltos!

    Gente humilde presa porque roubou comida em supermercados em presídios degradantes, enquanto os maiores ladrões desta nação caótica estão em liberdade, pois assim quer a turma de mau caráter travestida em ministros da alta corte ou “aprisionadas” em suas mansões adquiridas com dinheiro roubado do povo!!!

    Do alto dos meus 68 anos, jamais assisti tamanha degradação ética e moral que se instalou em definitivo nos poderes constituídos.

    O Brasil está falido de todas as formas, principalmente quanto ao executivo e parlamento, restando ainda funcionando as primeira e segunda instâncias do Judiciário, mas também com algumas sentenças prolatadas altamente contestadas.

    O meu apoio, aplauso, reverência, admiração, pelo artigo publicado.

    Louvo as palavras ásperas empregadas, simplesmente retratando a realidade nacional, facilmente identificada com um palavrão, exatamente como sinônimo de parlamentar e governantes, exemplos de assassinos, ladrões, estelionatários, predadores, elementos vis, gente venal, pessoas sem valores e princípios, mercenários, cães raivosos, feridas abertas e fedorentas, desgraçados, que desejo o pior dos males para todos esses infames que arruinaram o país e fazem padecer inocentes!

    E acuso de COVARDE as forças armadas nacionais, pois omissa e irresponsável com a população e esta terra porque permitiram que o Brasil chegasse à sua pior situação desde que descoberto, e que dificultará sobremaneira que um dia tenhamos a chance de voltarmos ao desenvolvimento, a ter emprego, salários adequados e pagos em dia, saúde que atende a demanda, segurança que nos possibilita ir e vir, e uma educação que nos classifique muito melhor que os atuais índices internacionais, mediante nosso analfabetismo absoluto e funcional, classificando-nos como incultos e incautos, carentes em senso cívico e discernimento político!

    Um grande e fraterno abraço, dr.Béja.
    Muita saúde e paz, extensivos à sua cara esposa, a professora Clarinda, que lhe envio minhas recomendações.

    • Concordo com o comentário do Francisco Bendl,mas também devemos refletir sobre o comentário do Fallavena mais embaixo.

      O país passa por uma situação complexa, e de difícil solução.

      Ou o eleitorado brasileiro muda tudo que está aí,ou, vamos ter que aturar tudo isso,talvez por um século.Não é exagero!

      • Meu irmão nordestino César – Fortaleza,

        Grato pelo comentário.

        Fallavena tem razão na abordagem que faz sobre o eleitor, enquanto eu menciono o aspecto político.

        Ambos decidem o futuro do país, indiscutivelmente. No entanto, em face da procuração que damos aos parlamentares para que nos representem, recai sobre eles a maior parte da responsabilidade na condução do Brasil, pois somos enganados, iludidos, roubados e explorados desavergonhadamente justamente por aqueles que deveriam proteger nossos interesses!

        O povo levará muito tempo para aprender, tanto pela sua ignorância, quanto pela sua falta de senso cívico, discernimento político.

        Assim, sempre eu considerarei os poderes constituídos como causadores de nossas mazelas, de nossos males, de nossos problemas, e depois o cidadão, exatamente porque não tem o poder nas suas mãos, apenas de eleger seus candidatos.

        Um forte abraço.
        Saúde e paz.

  2. Trata-se de uma cidade amaldiçoada, que vem sendo degradada de fora para dentro há muitas e muitas décadas.
    E ainda acham bonito ter como santo padroeiro um sujeito varado por flechas, mártir. Tem gente que defende que o povo do Rio de Janeiro deve “viver” desta forma tb … sendo “flechado” ano após ano.
    Dizem que o tráfico é forte no RJ … ora, se isso acontece é porque existe consumo, não? O mesmo se aplica para outros vícios ditos legais.
    Fico imaginando o Cristo Redentor, lá do alto da montanha, como mero expectador disso tudo.
    A verdade é que NINGUÉM tem coragem de enfrentar o mal de frente.
    Há uma cultura de permissividade e complacência. Até quando, não sei.
    E ficam essas pobres almas, sofrendo horrores.
    Quem me dera, houvesse uma vontade maior em direção à luz e alta cultura tb.
    Enfim … que Deus tente abençoar o RJ.
    Vai ser difícil. Há ladrões em vários níveis, e isso não é novidade alguma. Máfias de quinta categoria.
    Pobre cidade. Destroçada, inviabilizada.
    Teve tanta ajuda .. eventos internacionais sem fim, filmes em desenho animado, etc.

  3. Não existe consolo, mas todas as autoridades citadas são diretamente responsáveis por toda essas tragédias. Faltou citar também a televisão, que corrompeu as tradições e os bons costumes.

    • Concordo com vc.
      Mas sempre quando penso no papel da tv e outros meios de “corrupção” … tendo a imaginar que NADA SE IMPÕE se na “outra ponta da corda” não houver receptividade.
      Ninguém age para o mal sozinho. Se essas porcarias crescem e maturam .. é porque HOUVE RECEPTIVIDADE.

  4. A consequência da ganância, da soberba, da ignorância, da incredulidade, fizeram deste estado uma campo minado, pela falta de um espírito de solidariedade com o próximo, temos uma polícia mal preparada, onde assistimos inserções em comunidades e nas ruas, em vez do policial mal preparado atirar no pneu do carro, atiram a esmo, causando dores e sofrimento, mas tudo isto é resultado da péssima gestão de serviços públicos, mal versação das verbas públicas, quem detinha o poder, só pensaram em usufruir das benesses que o poder lhes dá, hoje assistimos tanta violência, onde crianças são impedidas de assistir as aulas pela criminalidade, isto acontence em várias partes deste país, as drogas são compradas em qualquer canto, a polícia tenta combater, mas a quantidade que entra no estado do Rio de Janeiro é incalculável, não há inteligência para impedir, é preciso aplicar a TOLERÂNCIA ZERO, as famílias vivem abrigadas e quem tem que trabalhar, pede a Deus que as proteja, até onde isto vai dar, entra governo, sai governo, mas continua a mesma situação, espero que possa haver um plano para acabar com este caos que se instalou no país.

    • Meu caro Xará,

      Lamento se desta vez eu te decepcionei!

      Porém, devo ser honesto comigo mesmo, em princípio, e não posso dourar a pílula em se tratando do descalabro e desmando cometido por Collor quando no Planalto.

      Um abraço.
      Saúde e paz.

  5. Prezado Jurista,

    Quanto mais o Estado empurrar com a barriga o problema da violência, mais inocentes morrerão; e quanto mais tempo o Estado esperar para tomar alguma providência contra os criminosos, maiores serão os efeitos colaterais no dia em que resolver fazer alguma coisa.
    Se na década de 90 os governantes tivessem a coragem de terem subido os morros cariocas e prendido os criminosos, ao invés de negociar com eles e pedir permissão para ali adentrarem, milhares de vidas teriam sido poupadas de lá até o dia de hoje.

    MAS ESTAMOS NO BRASIL.
    Pode parecer curioso, mas em qualquer país sério, se as autoridades sabem que está acontecendo um crime em algum lugar – porte ilegal de arma, tráfico de drogas, extorsão…, elas mandam a polícia da área ir lá prender o criminoso. Se alguém cometeu um homicídio, manda-se prender o assassino. Se a polícia não tem meios, dá-se esses meios. E nesses mesmos países, o direito de empregar a força e coerção com o emprego de armas é restrito ao Estado…
    Mas estamos no Brasil. E por aqui as leis da lógica e o sentimento de empatia pela dor alheia não funcionam. Por aqui foi possível ver o Governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT-DF), “credenciar” e dar coletes para que drogados e desocupados pudessem extorquir motoristas nos estacionamentos públicos, e também ver o Ministério da Saúde petista distribuir cachimbos na rodoviária da Capital Federal para que os drogados “não cortassem ou queimassem os seus lábios quando fumassem o crack em latas” velhas…

    EFEITO COLATERAL
    Agora, com a doença agravada, só vejo duas possibilidades para resolver a situação do Rio de Janeiro e para o resto do país. Ou se medica com uma dose única de Benzetacil e aguenta a dor ou que se aprenda a conviver com a doença:
    -O Estado enfrenta os atuais bandidos, mesmo que esta ação custe a vida de centenas de inocentes, e estanca de uma vez por todas a carnificina;
    -O Estado deixa tudo como está para evitar esse confronto; neste caso, as mortes crescerão e atingirão milhares de inocentes. Mas, como ocorrerão “pingadas”, no varejo, ao longo de anos e com as pessoas que moram nas periferias, não chamarão tanto a atenção da mídia internacional e nem dos grupos politicamente corretos. O México preferiu esta última opção.

    Abraços.

    PS: Mudar o caráter de pessoas adultas, barbadas, que chamam quem trabalha de otário e que só aprenderam ganhar dinheiro fácil, a matar, a empalar rivais e a cortar pessoas em fatias como se corta presunto?
    Ora, só o PCC conta com mais de VINTE MIL bandidos armados! Quero ver alguém conseguir convencê-los a trabalhar diariamente para ganhar dois mil reais por mês! Enquanto isso não acontece, vamos empurrando a solução do problema para a frente…

    • Concordo plenamente com sua análise.
      Só acrescento a urgência de:
      1. modificar a Lei de Execuções Penais (crimes contra a vida – homicídio,latrocínio e tentativas – não terão mais progressão de pena nem saidinha festiva),
      2. cumprir o resultado do referendo sobre o Estatuto do desarmamento (posse de arma na residência facilitada e não mais malandramente impedida),
      3. modificar a maioridade penal.

      • É preciso também acabar com os privilégios para qualquer segmento da sociedade, tais como:
        -recessos na justiça;
        – foro privilegiado;
        – nomeação por políticos e de políticos para cargos da administração pública;
        – limitar os ganhos ao teto, coisa que não é respeitado de modo nenhum, principalmente no judiciário, que deveria dar exemplo;
        – servidor público não pode enriquecer;
        – acabar com as farras das passagens aéreas, verbas de gabinete etc;
        Em resumo, servidor público é para servir ao povo. Hoje se servem do povo. E nada de plano de saúde diferenciado, SUS pra todos servidores.
        Declarar, no Congresso, guerra ao tráfico. Só para lembrar, em caso de guerra traidor é executado.
        Seria um bom começo.
        O Brasil é de todos nós.

  6. Limongi Neto,

    Nossos conceitos se conflituam quando se trata de Color de Mello.

    Já tivemos embates nada exemplares neste espaço democrático proporcionado pelo Newton.

    Diante do que escreveste, e desta vez sem os insultos anteriores à minha pessoa, mas quanto ao teor do que escrevi, aceito contestar o teu repúdio às minhas afirmações, trazendo à baila o sofrimento que este parlamentar ocasionou ao povo brasileiro quando CONFISCOU a poupança e dinheiro em conta bancária do povo brasileiro!

    Tu já devias ser um adulto, apesar de eu ser mais velho, mas deves te lembrar dos problemas gravíssimos desta medida absolutamente INCONSTITUCIONAL, e que não produziu o resultado esperado, de a inflação ser debelada, muito pelo contrário!

    Collor arruinou milhares de cidadãos com esta decisão arbitrária, totalitária, inaceitável, de penalizar exatamente o inocente pela inflação desmedida, e deixando isento justamente o causador da desvalorização da moeda, os banqueiros, que aumentavam as suas fortunas da noite para o dia, enquanto o cidadão não podia usar o dinheiro QUE LHE PERTENCIA PORQUE SURRUPIADO PELO DESLUMBRADO PRESIDENTE!

    Olha, Limongi, respeitosamente afianço que jamais deixarei de classificar o senador com palavras e expressões que, de certa forma, seriam aquelas proferidas pelos que morreram pelo meio do caminho antes de receberem de volta as suas economias e, evidentemente, sem o devido cálculo ocasionado pela desvalorização deste dinheiro, motivo mais tarde de milhões de ações em busca dessa compensação!

    Milhares tombaram de mortes as mais diversas durante os 18 meses que Collor reteve o dinheiro do povo, e outro tanto morreu enquanto o que lhes pertencia era devolvido em 18 meses, perfazendo um ano e meio de intervalo até o cidadão ter de volta o dinheiro que lhe havia sido tomado à força, com extrema violência, com total desprezo pelas garantias pessoais e constitucionais!

    Aliás, este foi o maior pecado e imperdoável do STF, que se curvou perante o presidente recém eleito, que se acocou diante da decisão estapafúrdia, agressiva e inédita na história brasileira!

    Portanto, Limongi, eis as razões pelas quais este parlamentar a meu juízo é um impostor, uma pessoa pusilâmine, o político que mais desrespeitou o cidadão, que o ignorou, que o desconsiderou!

    Um presidente que deveria ter sido apeado do poder imediatamente ao ato escabroso cometido contra o povo, pois os íntimos da corte, os amigos, estes puderam tirar o dinheiro que tinham nos bancos, restando ao povo mais uma vez sangue, suor e lágrimas!

    Que tu repudies as minhas palavras é um direito teu, agora desde a nossa primeira desavença – e foram muitas – com relação ao que penso desse parlamentar, JAMAIS contestaste os motivos que apresento aos frequentadores e comentaristas deste blog incomparável, simplesmente porque são indiscutíveis, verdades estocásticas, apodíticas!

    Collor pode ser teu amigo, então as tuas defesas do senador, mas este indivíduo foi na presidência da República outro grande INIMIGO DO POVO BRASILEIRO!!!

    Por favor, faço muita questão de te conhecer pessoalmente quando eu for ao Rio, e conversarmos bem mais sobre as consequências desse ato descabido de Collor, e definitivamente eu deixar patente que nada tenho pessoalmente contra a tua pessoa, apenas discordamos quanto ao senador que, assim como tu o defendes, eu o acuso, com base no teu mesmo direito do contraditório, porém eu com os fatos ao meu lado, e tu com a amizade que tens pelo político, que deve ser mesmo leal, admito.

    Saudações, Limongi.
    Saúde e paz.

    • Nunca antes na história do Brasil um ex-presidente correu o risco de ser preso.
      Mas não foi por falta de ex-presidente bandido não.
      Foi por falta de justiça mesmo!!!

  7. Senhores,

    -A IMPRENSA e os JORNALISTAS precisam divulgar que, depois de um disparo ser efetuado em qualquer área aberta, quando a bala sai do cano de uma arma (qualquer arma!), NINGUÉM, só Deus, sabe aonde ela vai acertar e parar

    -Até mesmo um atirador de elite ou competidor de olimpíada com arma com mira telescópica, do tipo sniper, não tem certeza se o projétil acertará o alvo e se depois de atingi-lo, ele não mudará de trajetória e acertará algo que não estava inicialmente previsto.

    -Portanto, quando se culpa um policial por atirar em área aberta, e acertar um inocente, com um fuzil que tem a capacidade de matar em um raio de 1,5km de distância (portanto, em uma circunferência de 3km), indiretamente se está dizendo: “Não atire, deixe os bandidos em paz!”, já que É IMPOSSÍVEL, EM QUALQUER DISPARO EFETUADO EM ÁREA ABERTA, SABER SE ALGUM INOCENTE SERÁ OU NÃO ATINGIDO!!! E quanto mais tiros se efetua, maiores serão as chances de um inocente vir a ser atingido, o que explica por que o Rio tem tanta bala perdida, já que os bandidos possuem metralhadoras e fuzis automáticos que dão rajadas, o que obriga a polícia a trabalhar com esse mesmo tipo de arma
    -Melhor seria desarmar logo a polícia. Pelo menos o policial seria poupado de responder por mortes acidentais decorrentes das LEIS DA FÍSICA.

    Abraços.

  8. Nosso país está em uma guerra. Dia a dia mais mortos, mais mutilados. Amanhã, tudo será igual.

    Por onde andávamos, enquanto quadrilhas de políticos corruptos, de traficantes, de assaltantes de bancos, de vendedores de produtos piratas, de bicheiros, de vendedores de armas, de depredadores de escolas, de ladrões de recursos e de serviços públicos, de descumpridores de leis, enfim, de todos aqueles que usaram e abusaram do país, de seus irmãos, duramente as últimas décadas?

    Todos os dias, ao longo dos últimos 30 anos, homens e mulheres choram a perda de seus filhos, cada um em sua casa e com sua dor.

    Aqui e ali, por vezes, se juntam parcelas dos atingidos por tamanha desgraça, para recordar, mostrar e cobrara respeito á vida, suas vidas e as que lhes foram tiradas.

    Com todo o respeito, não aceito que tudo isto seja transferido, única e exclusivamente para nossos “dignos representantes”, legisladores e/ou administradores públicos.

    Perdemos a guerra travada nestes últimos 30 anos. E a perdemos por omissão, descaso, descuido. A cada pequeno ato errado, calamos, paramos, olhamos e concluímos: “deixa isto para lá, não é minha responsabilidade – que se virem!”

    E está posição de “alguém resolverá ou não me atinge”, nos trouxeram aos dias atuais e nos levarão a dias muito, mas muito piores.
    Não por acaso ou por pretensão ou por pensar ser melhor, enxerguei isto faz muito tempo atrás. E isto me levou a caminhos diferentes da maioria, a embates que poucos desejaram ou desejam travar. A família, os amigos e até alguns desafetos, quantas e quantas vezes atiraram em meu peito, em meu rosto, palavras para que eu meditasse e fizesse como eles. “Só os loucos enfrentam questões assim!”

    Cada notícia que leio ou ouço, cada comentário desesperado, alucinado, regado a lagrimas e a sangue de entes queridos, me faz voltar no tempo e ver o quanto erramos.

    Amigos e amigas, não empurremos para os ombros de alguns, os erros cometidos por tantos, duramente tanto tempo!

    Quando, reiteradamente, empurramos as responsabilidades do que acontece em nossa sociedade, para outros, esquecemos que também nós somos os “outros”.
    Atitudes assim, que nada contribuem para solucionar nossos problemas, deixam ás claras o quão longe estamos de encontrar a saída, de encontrar a verdade.

    O bem só vencerá se os bons o defenderem! Por enquanto, os bons estão apenas assistindo e esperando que as mudanças aconteçam por milagre ou por descuido.

    Esperançar não é esperar.

    Fallavena

  9. Boa tarde.
    Como disse alguém: “a esperança possui duas filhas lindas ; a indignação e a coragem.
    Jorge Beja, por que você não faz uma banca de advocacia, onde trabalharíamos para encher o saco, desculpe-me as palavras”, destes corruptos. Dividiríamos as despesas e preencheria o tempo de muita gente ajudando ao próximo.

  10. A Polícia Federal já “jogou a toalha”, agora foi a vez da Polícia Rodoviária Federal fazer o mesmo.
    O policiamento que já era precário, fica agora totalmente inviabilizado, mas enquanto isso, lá no congresso, as emendas dos deputados estão sendo
    liberadas as carradas.
    No Rio a solução é simples, proíba-se a PM de subir os morros e entregue-se a segurança local aos traficantes, até porque as balas que matam os
    moradores, são sempre ditas pelas vítimas, que saíram das armas dos policiais.
    Eu não sei porque existe polícia, toda a população sempre é contra as forças de segurança, haja visto que todas as manifestações são sempre contra a polícia, nunca contra os bandidos.
    Estamos em guerra civil, só ainda não perceberam os moradores da “ilha da fantasia”, local de maior renda per capita do pais e que não tem uma única chaminé de industria.

  11. O comentário do Dr. Fallavena acaba induzindo a uma reflexão, não exergo solução que não venha de iniciativas da sociedade civil, honesta e organizada, e por consequência, a maior vítima nesta cleptocracia. Não estaria na hora das lideranças naturais organizarem movimentos cívicos, inteligentes e eficientes, que visem as quadrilhas políticas que assolam nossa Pátria? Como aperitivo, que tal “Não reeleja um corrupto”

    • Penso que este espaço, muito bem administrado pelo nosso CN, poderia levantar algumas bandeiras. Temos pessoas de altíssimo nível aqui. É só começar…

      • Prezados F.Moreno e Pedro Rios
        Temos muitos e grandes problemas. Seria complicado expô-los aqui, de uma vez só.
        Mas apenas para exemplificar, vamos lá: confundir educação com escolarização; direitos acima dos deveres; achar que a corrupção começa nos políticos e administradores públicos; alimentar o crime organizado com vícios, são algumas questões que precisam ser enfrentadas.
        Mas, a primeira de todas, a primeiríssima de todas, é assumir a responsabilidade individual para que se construa a coletiva.
        A partir dai, poderemos iniciar a construção de uma sociedade organizada.
        Como fazer isto? Eu sei alguns passos. Contudo, não é possível fazer sem pessoas.
        Abraço e saúde.
        Fallavena

        • Caro Fallavena, você está certo. Mas não vejo como mudar a mentalidade deste povo mimado, acostumado a governos paternalistas. Se os brasileiros, em geral, nem se acham responsáveis por suas próprias vidas, sucessos e derrotas. Por exemplo, enquanto nossos jovens ficam ouvindo funk, jovens canadenses, de 12 anos, já começam a se preocupar com notas e em maneiras de obter descontos nas universidades, seja pelo esporte, música, etc. Sabem que o futuro depende deles. Aqui, o governo diminui a dificuldade das provas e impõem cotas. E defensorias e ONGs defendem os “pobres coitados”.
          Como mudar isso? Como mudar a visão das duas últimas gerações? Não temos nenhum instrumento ou ferramenta que funcione. Como mudar este sistema falido?Plebiscitos? Abaixo assinados? Como nos fazer ouvir para começar a mudar? Quem vai ensinar um indivíduo que ele, e só ele, é o responsável por seu destino?
          Já não vejo mais nenhuma luz no fim do túnel.
          Abraços

          • Prezada Tereza

            O princípio da mudança está diretamente ligado ao grau de responsabilidade que deve assumir.

            Educar a criança passará, forçosamente, pela punição ao adulto, em qualquer idade. É o exemplo que educa.

            Os maiores problemas exigem as mais simples soluções!

            Como fazer? Pensar, definir, organizar e começar – ordem lógica.

            Quem fará? Quem tem cabeça, coragem e quer mudanças.

            Esperamos pelos outros e olha no que deu!

            Parece que estou fazendo tudo muito fácil. Se fosse, já teriam feito.

            Precisamos de um choque de verdades e de ações para enquadrar que está “fora da casinha”.

            Abraço e saúde.

            Fallavena

        • Sr. Fallavena, é preciso um pontapé inicial. Brasileiro não nasce preguiçoso, irresponsável, indisciplinado e tudo mais enquanto em outros países, as crianças já nascem sabendo de tudo de bom. É claro que as coisas não são assim. São os valores dessa sociedade que são repassados de geração em geração.
          É claro que nosso país está destroçado pelos maus servidores públicos (Executivo, Legislativo e Judiciário), mas existem muitos bons exemplos e pessoas idealistas nesse meio. A começar com o Juíz Sergio Moro e por aí vai.
          Vamos trabalhar com fatos, o povo precisa de esperança, o país não tem rumo, ,vamos traçar essa direção. Vamos começar?

          • Pedro Rios, tens razão em tudo que escrevestes.

            Para mudanças, os primeiros dois passos sabemos como dar: reconhecer que temos problemas, identificá-los corretamente e quem os produz. A tarefa mais difícil começa depois e diz respeito a como corrigir.

            O primeiro e principal deles é o que fazer com a “fábrica” dos brasileiros do futuro: aqueles que estão nascendo e nasceram na última década.

            Os “fazedores de crianças – pais e mães” que delegaram ao estado brasileiro (nas três instâncias) a educação dos filhos, inconscientes, continuam contribuindo para o “aperfeiçoamento” da desorganização social.
            Este é um fato que quase ninguém identifica. E quando consegue ver, não deseja mudar.

            No fundo, todos querem mudanças, desde que mantendo seus benefícios e privilégios. E é por isto que continuamos indo na mesma direção: do buraco final.

            É possível fazer-se reforma sem sacrifícios? Quem as fará? Quando? Estas perguntas devem ser respondidas por quem deseja as mudanças.

            Abraço e saúde.
            Fallavena

          • Continuando.
            Sr. Fallavena, a gente luta com o que tem, mas luta.
            A estratégia é simples. É preciso contar com todos que queiram contribuir. Façamos um grupo de discussão para todos os problemas desse país. Em linhas gerais, claro. Depois, o nosso grande CN, Dr. Béja, Bortolotto, você Fallavena, Bendl e outros (que me perdoem não citá-los no momento) poderia começar convidando personalidades de todas as área a debater, aqui na Tribuna da Internet, sobre o que previamente acordamos. De modo também que possam se comprometer e levantar a nossa bandeira. É preciso começar alguma coisa. Não podemos assistir de camarote. Uma longa caminhada começa com um pequeno passo. Vamos lá?

  12. Siróca, quem lá em cima teria coragem de dizer que saiu da arma do trafica!!!
    Eu realmente vi uma bala perdida; foi a que veio do morro da Mangueira, atravessou a lona de um circo na praça 11 e matou o cidadão (que estava com a amante que por sua vez era amiga da mulher do dito cujo); pensando bem, talvez nem esta bala fosse perdida e sim achada.
    Quando querem acabar com a pressão da PM, basta começar a matar civis, pois imediatamente virão culpar a policia. Não sou policial; não tenho parentes na polícia mas digo; talvez depois de professor, seja a função mais miserável e desgastante da sociedade atual.
    O problema, é que nós somos passivos e não pacíficos.
    Mas, voltando ao artigo, o Dr Béja, ele deixou para último lugar, a pior expressão; a real causadora de tudo isto que estamos passando, que é a CORRUPÇÃO.

    • Caro José.

      Realmente…

      Eu diria que são três as piores profissões do Brasil:
      -Primeiro, POLICIAL, pois só em ser policial você já está condenado à pena de morte em qualquer assalto sem despertar a menor compaixão. Até mesmo para fazer amigo é difícil, pois existe a ideia preconcebida de que todo o policial é burro e arrogante, mesmo que seja professor universitário no horário de folga.
      -Segundo, PROFESSOR DE ESCOLA PUBLICA, pois é terrível ficar em uma sala de aula infestada de bandidos, atrapalhando a aula e intimidando quem quer aprender, e você falando sozinho, repetindo dez vezes a mesma coisa para as paredes e chegando em casa com a cabeça a mil. Afinal, quem manda nas aulas e nas escolas brasileiras são os bandidos.
      -E terceiro, MÉDICO DE HOSPITAL PÚBLICO. Para trabalhar em um deles, o médico precisar se tornar indiferente à morte alheia, à tortura de crianças, aos gritos e berros e à dor dos seres humanos. Ou se torna indiferente ou acaba perturbado com tanta miséria e, até mesmo, se pendurando pelo pescoço em alguma corda, caso queira ali permanecer. A outra opção é fazer como alguns médicos aqui do Distrito Federal, com os quais conversei, fizeram: Acaba o plantão na emergência, pega a roupa de cama, fecha a porta do armário e… sai PARA NUNCA MAIS VOLTAR!
      Dos três, o médico tem a melhor opção de escolher onde e quando trabalhar.
      -Se o médico errar, a terra cobrirá;
      -Se o professor errar, basta revisar a nota e aplicar nova prova;
      -Agora, se o policial culposamente cometer um erro, será colocado no rol dos bandidos comuns e ficará desempregado ou até mesmo preso!!!

      Abraços.

  13. Tudo que esta acontecendo não só com o Rio e o resto do País, é função da corrupção, dos nossos políticos incompetentes e de nossa justiça lerda e que protege bandidos.

  14. Trevas tenebrosas e aflitivas ferem a consciência dos que amando a paz e a segurança, odeiam o estado de coisas em que vivemos, muito parecido com o horizonte de um náufrago, onde sofremos pela angústia gerada pela impotência e a bravura do querer sobreviver pelo amor a vida.
    Resolver o problema é enxergar a educação do caráter como ponto de partida, é buscar o autodomínio como o ápice das conquistas humanas e é entender que a família é o berço das virtudes ou excelência moral.
    Senhores, este berço chegou a um estado comprometedor pelo ataque de cupins, de modo que apenas O Carpinteiro de Nazaré poderá salva-lo com a sua humildade e a sabedoria que o espírito de seu Pai o dotou. Amem!

  15. Os poderes constituidos desta nação não são constituidos para promover a ordem social ou garantir a segurança e interesses da sociedade , pelo contrário , tais poderes existem para garantir o domínio e interesses de um estado corrupto , usurpador das riquezas geradas pela sociedade e dos biltres que dela se aproveitam .Violência , crimínalidade , analfabeismo e todas demais desordens sociais na realidade são proposítais , tais distúrbios são fundamentais para sobrevivência deste sistema nefasto .

  16. Dr. Jorge Béja, tem toda a razão em se revoltar, que é também a revolta de todos cariocas decentes.
    Infelizmente, essas cenas de violência vem acontecendo há muito tempo e cada vez em menor espaço de tempo, que para os governantes, corruptos,, insensatos e incapazes tornou-se normal, natural..
    O Tráfico de drogas, roubo de Carros, se desenvolveram com a ajuda de policiais corruptos,
    drogas e armas são levadas até a localidade onde o traficantes dominam. Exitem vários desmontes de carros. e a policia não consegue encontrar um.
    As chamadas milícias tomaram vulto no governo Moreira Franco, que queria acabar com a violência em 6 meses. Lembra?
    Hoje todas as comunidade estão dominadas pelos traficantes ou pelas milícias. Há uma quantidade de locais no RJ. que não se pode entrar., é área de risco..
    Reitero, o que venho dizendo, a tendência é piorar a violência urbana, até chegar ao ponto, que lamentavelmente, só uma ditadura da linha maoista. ou mata-se os bandidos, ou deixa-se que eles continuem matando inocentes e aterrorizando
    a população.

  17. O vibrante artigo do Dr. Béja, sobre detalhes, fragmentos de real comoção que abalam os cariocas, têm endereço certo: o crime organizado, cada vez mais organizado, estendendo a mancha da violência em todo o país.

    Evidentemente o texto mereceu empolgantes comentários. Todos, reais, válidos e pertinentes quanto a total ausência de efetivo trabalho de contenção por quem de direito.

    Em suma, já somos gado indo para o abate, sem direito sequer de se defender.

    O Brasil está prestes a se tornar em mais uma facção criminosa, dado a desenvoltura do crime organizado e a impotência de seus guardiões. É só uma questão de tempo…

    Não há, portanto, deixar passar em branco uma parte do comentário de Bendl, um trecho que personifica o risco que corremos, de perder, para sempre, o dístico Ordem e Progresso, impresso na bandeira brasileira.

    Permita-me caro Francisco Bendl:

    “E acuso de COVARDE as forças armadas nacionais, pois omissa e irresponsável com a população e esta terra porque permitiram que o Brasil chegasse à sua pior situação desde que descoberto, e que dificultará sobremaneira que um dia tenhamos a chance de voltarmos ao desenvolvimento, a ter emprego, salários adequados e pagos em dia, saúde que atende a demanda, segurança que nos possibilita ir e vir, e uma educação que nos classifique muito melhor que os atuais índices internacionais, mediante nosso analfabetismo absoluto e funcional, classificando-nos como incultos e incautos, carentes em senso cívico e discernimento político!

    Bendl tem toda razão… é chegada a hora de virarmos esse jogo, devolvendo a paz a nosso povo. Um novo tempo, do mesmo povo, de farda.

  18. Dr. Béja, assino um milhão de vezes seu artigo, essas almas trevosas, que infelicitam 220 milhões, terão o Ranger de dentes, por sua obras maléficas. A Lei do Carma, é Divina e Universal, cada lágrima de “Dor” de nossos atos criminosos, será bola de fogo, no além túmulo, na prestação de contas da Consciência, Somos Almas eternas, criadas por Deus, com destino à Luz, as Trevas, é fruto de nosso egoismo, pelo uso do “Livre arbitrio”, no bem: luz e Paz e no mal: o Ranger de dentes. Deus, nos mandou o Cristo, que entre nós chamou-se Jesus, que nos legou o Código da Vida, seu Evangelho, através dos séculos, o deturpamos, e sua Doutrina, que deveria estar em nossos corações, à negamos, pelos nossos atos desfraternos: seu alerta: “Eu sou o caminho, a Verdade e a Vida, e ninguém, vai ao Pai, a não ser por mim”: Jesus, o Cristo. O Caminho de nossa Redenção, está posto na Consciência e Livre arbítrio, pelo Evangelho, estudá-lo a sua Luz espiritual, é preciso, e o esforço de o praticar, “Amar à Deus sobre todas as coisas, e ao próximo como a si mesmo, ai está toda a Lei e os Profetas” .
    que Deus Pai em sua Misercórdia nos ajude,

  19. O Rio de Janeiro não é mais cidade maravilhosa. Hoje, choro a distância, pois tive que deixar a cidade que tanto amo por causa desta violência sem freio. Com medo de se eu um dia a chorar por meu filho, decidi morar em outro estado, interior de SC onde ainda vive-se sem a violência. Poder ver meu filho brincar em uma praça pública sem medo, não ouví-lo falar que teve de se abaixar na sala de aula por causa de tiroteio, poder usar celular na rua, chegar tarde em casa sem medo, não fazer de meu lar uma prisão para a minha família. Fica a saudade de meu pai, irmãs, amigos. Meu coração chora a cada notícia triste que assisto ou leio e me dá a certeza de ter tomado a decisão certa para uma qualidade de vida melhor para meu querido e amado filho. Rezo para que um dia, não muito distante, o Rio volte a ser um lugar maravilhoso para se viver.

  20. Mário Henrique Simonsen, ex-ministro da Fazenda do governo militar, em
    entrevista à revista Veja, em 1986, dizia:

    “No dia em que eles descerem os morros do Rio, famintos e desnorteados, como
    soldados abandonados por seus generais, eles tomarão conta da cidade, da
    zona sul, e as classes médias e ricas serão prisioneiras de suas próprias
    avarezas e descuidos com os mais pobres. Será como um exército de centuriões
    romanos, de olhos arregalados, famélicos, entorpecidos e desesperados,
    tentando a última conquista antes da morte…” Pois o dia chegou!…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *