A dor do poeta Belmiro Braga, descendo de queda em queda, como um rio

Lançamento de livro sobre a obra de Belmiro Braga acontece nesta ...

Belmiro Braga, famoso poeta mineiro

Paulo Peres
Poemas & Canções 

O poeta Belmiro Ferreira Braga (1872-1937), nascido em Vargem Grande (MG),  que passou a se chamar Belmiro Braga, foi membro da Academia Brasileira de Letras. No soneto “Olhando o Rio”,  ele compara o transcurso do rio com o sofrimento de seu coração tristonho.

OLHANDO O RIO
Belmiro Braga

Nas noites claras de luar, costumo
ir das águas ouvir o vão lamento;
e, após o ouvi-las, cauteloso e atento
que o rio também sofre, eis que presumo.

Nesse que leva tortuoso rumo,
que fado triste e por demais cruento:
Vai deslizando agora doce e lento
e agora desce encachoeirado e a prumo.

O dorso aqui lhe encrespa leve brisa,
ali o deslizar calhau lhe veda;
além, de novo, sem fragor, desliza…

És como o rio, coração tristonho:
Se ele vive a chorar de queda em queda,
vives tu a gemer de sonho em sonho.

One thought on “A dor do poeta Belmiro Braga, descendo de queda em queda, como um rio

  1. Há alguma outra maneira de a noite ser clara sem o reflexo da luz solar que de sua superficie vem a se espalhar por nossa atmosfera? Poderíamos ter dia claro sem sol? Portanto, essa de “noites claras de luar” é muita licença poética para a minha mente.
    O mais tolo desses versos é a presunção “de que o rio também sofre”. Não, não sofre!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *