A fantasia das doações eleitorais é a fonte da corrupção em massa no Brasil

Charge do Junião (juniao.com.br)

Pedro do Coutto

As manchetes principais das edições de quinta-feira dos quatro mais importantes jornais do país (O Globo, Folha de São Paulo, O Estado de São Paulo e Valor) não deixam dúvida quanto à origem da corrupção devastadora que ocorreu no país e, na realidade, explodiu o cenário político brasileiro. O ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, expôs à opinião publica e à Justiça um elenco de parlamentares, ministros e ex-presidentes, para os quais ele repassou 100 milhões de reais de origens ilícitas.

Poucos partidos escaparam do vendaval, nem mesmo o Partido Comunista do Brasil, que recebeu recursos da Queiroz Galvão. Iniciativa privada remetendo dinheiro a uma legenda que defende o socialismo estatal? Essa não.

Um absurdo, mas que funciona para transmitir com nitidez a certeza de que, como digo no título, as doações empresariais às agremiações partidárias são, de fato, uma fantasia. Uma fantasia que se transformou na fonte da avassaladora corrupção que invadiu o Brasil. E olha que estamos falando das confissões de Sérgio Machado limitadas a políticos federais. E se descermos às áreas estaduais e municipais?

MONTE EVEREST – Seguramente a acumulação dos roubos incessantes e em série atingirá a altura de um Everest. Os condutos das propinas foram tantos e envolveram talvez milhares dE políticos e administradores que O Globo, ao focalizar o episódio, dividiu sua reportagem em capítulos, tendo como autores dos textos André de Souza, Carolina Brígido, Jailton de Carvalho, Vinícius Sassine, Mariana Sanches, Sérgio Roxo, Isabel Braga, Letícia Fernandes e Maria Lima. Foi, sem dúvida, a matéria mais completa sobre os fatos iluminados por Sérgio Machado, que, ao acusar seus parceiros, acusou a si próprio.

Exatamente como procedeu Roberto Jefferson ao acusar José Dirceu pelo Mensalão 2005.

UM MERGULHO MAIOR – Com Sérgio Machado, agora, a profundidade do mergulho tornou-se várias vezes maior. Não se podia calcular que a fantasia das doações pudesse abastecer na verdade um oceano de corrupção. Sabia-se da fantasia das doações eleitorais, mas não que atingissem a dimensão agora exposta. Vamos por etapas.

As doações – claro – sempre foram uma ficção. Nenhuma empresa iria doar dinheiro a candidatos e partidos sem que condicionassem a algo em troca. Evidente. Sobretudo porque as doações políticas não são dedutíveis do IR. Pensava-se que encher os bolsos alheios representasse somente uma permuta de interesses ou algo destinado a objetivos econômicos comuns. Pensava-se, mas não é somente isso.

Pois tais doações, na verdade, nunca saíram dos cofres das empresas. Sua origem provinha nos contratos superfaturados, nas licitações cartelizadas, especialmente nos termos aditivos assinados, os quais elevavam várias vezes os preços iniciais estabelecidos.

UM GRANDE EXEMPLO – A refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, é o exemplo: orçada em 2 bilhões de dólares, suas obras foram reajustadas para 4 bilhões e terminariam alcançando quase 18 bilhões de dólares.

Portanto, as doações – isso sim – não vinham de empresas privadas.  Procediam, como hoje se constata, de fontes estatais. E deixavam pelo trajeto percorrido maiores parcelas de lucros crescentes a empresários e executivos, sem os quais a corrupção não poderia existir na escala atingida. Assim, doações privadas nunca existiram. Eram obras de ficção. O que houve – e talvez continue havendo – são desembolsos estatais abrangendo tanto o sistema político, quanto o sistema empresarial. Os bancos podem ser acrescentados ao rol das testemunhas. Inclusive os que administram fundos no exterior.

10 thoughts on “A fantasia das doações eleitorais é a fonte da corrupção em massa no Brasil

  1. Caro Pedro do Couto, permita, assino em baixo, como sempre teus artigos são a expressão da VERDADE, mas sempre me perguntei: como uma obra avaliada em 10, pode ai final ter custado 100, e onde estavam os Tribunais de Contas, os Ministérios públicos em sua MISSÃO de ZELAR PELO COFRE PÚBLICO, abastecido com o “suor e lágrimas do cidadão trabalhador honesto”???.
    Nos Estados e Municípios, rotina do roubo, é mesma, com a conivência dos TCE. no Município em que moro a 20 anos- Guapimirim/Rj, Desde o ano 2000, denuncio o roubo na Saúde, a 10 Autoridades, que aprovam as contas.
    Agradeço a DEUS, e peço sua PROTEÇÃO A ESSE JOVEM JUIZ Dr. MORO e Equipes MPF E PF QUE ESTÁ APLICANDO JUSTIÇA, Servindo de exemplo, aos ESTUPRADORES E VILIPENDIADORES DA Srª JUSTIÇA, O QUE É SER JUIZ!!!
    87 anos, quase de partida para o ALÉM, já sem Esperança de ver o BRASIL LIMPO E JUSTO PARA SEU POVO ESTUPRADO PELOS VENDILHÕES, espero, ainda ver, os larápios, onde, devem estar: na CADEIA POR MUITOS ANOS, pela DOR E ANGUSTIA EM VIVEMOS, E NOS HUMILHANDO PERANTE AS NAÇÕES.
    A CADA UM SEGUNDO SUAS OBRAS, LEI DA JUSTIÇA DIVINA, A QUE TODOS NÓS ESTAMOS SUJEITOS, PARA A DEVIDA PRESTAÇÃO DE CONTAS DA CONSCIÊNCIA ALÉM TÚMULO

  2. Pedro do Coutto, parabéns pelo excelente artigo. É a pura verdade. As doações de campanha sempre foram meios de enriquecimento ilícito, mas nos governos petistas ultrapassaram dos limites, institucionalizou-se a propina. Na ânsia de enriquecimento do partido e companheiros, para se perpetuarem no governo, o PT incentivou este tipo de doações. As doações de campanha eram permitidas por lei e, todos os partidos receberam doações, o problema era os partidos saberem se esse dinheiro de doações era dinheiro de propina ou não.
    Quem nomeou os corruptos em postos chaves para exigirem propina sabiam da origem do dinheiro das doações é o verdadeiro responsável por esse oceano de lama. Lula e Dilma, são os maiores responsáveis, haja vista que um Presidente da República que foi o maior beneficiado pela doações, não pode dizer que não sabia de nada diante da corrupção generalizada das doações de campanha.

  3. Quem acredita em eleições no Brasil, desisti, não voto mais, cansei de ser enganado, membros de partidos políticos se locupletam, saem ricos e o país continua com suas aberrações, saúde, educação, segurança, tudo precário, tributação abusiva, alimentos caros, as prioridades não são ao que a maioria deseja, continua a enganação, passa anos e novas eleições, assim vai vivendo o Brasil para inglês ver, mas a realidade é triste, bancos cobram juros estratosféricos, faça a comparação com outros países, o Brasil continua a não ser um país sério, qualquer outro país já teria defenestrado este congresso, minha decepção é grande e não volto mais atrás, é muito triste, o povo é um mero detalhe para os políticos.

  4. Roberto.
    Estamos no mesmo barco. A partir deste ano deixo de votar.As urnas são vulneráveis e só vemos idotas berrarem para mudarmos pelo voto. Votar no Brasil é cagar na urna. Se vocé teclar aí no seu computador ” Hacker de 19 anos mostrou como fez para fraudar eleiçoes no Rio de Janeiro”
    Tenha a certeza,meu caro Roberto, a manada perdeu mais um boi

  5. Como eu venho dizendo aqui, reiteradamente, o PPS é a Reserva Moral dentre os partidos políticos. Os demais partidos ativos no Congresso Nacional, PT, PTB, PDT, PSB, PMDB, DEM , PSD, PCdoB, PR e outros do gênero (nem vamos falar das legendas de aluguel) estão com as mãos sujas de dinheiro roubado dos cofres públicos. Mas não há qualquer alusão, de qualquer delator, de propina enviada ao PPS ou aos políticos do PPS.

    Continuo achando que temos uma liderança nacional, a mais evidente, e insuspeita de negociatas, e com capacidade para governar o país, que é o deputado federal (PPS-PR) Rubens Bueno, cuja atuação parlamentar impecável esteve clara para quem tem olhos para ver. Foi implacável com os corruptos, apresentou projetos de Lei que, se aproveitados, melhorarão o cenário político e, por consequência, a vida da população. O PPS tem programa, não precisa de improvisos, e Rubens Bueno, como é de seu feitio, se estiver na Presidência, seguirá o Programa do Partido.

  6. Muito triste o desencanto de tantos homens de bem, e sobretudo a descrença no processo democrático como está posto o nosso. Mas também, realmente, quando até os comunistas (PCdoB) são eleitos na base da propina de empreiteiros e afins, é o fim da picada, não tem mais jeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *