A Fetranspor controla todos os ônibus, tem a caixa preta do trânsito do Rio. Paes sabe disso. Morales desafia EUA por causa de palavras. Joaquim Barbosa continuará como relator do mensalão. Sarney, do próprio punho, mostra que não conhece História do Brasil.

Helio Fernandes

Joaquim Barbosa não deixará de ser o relator do mensalão, embora a defesa tenha o direito de pleitear isso e ainda mais, em favor dos seus clientes. E não estou falando por falar ou tentando “adivinhar”. Já vivi pessoalmente esse problema. Fui preso e julgado pelo Supremo em 1963, antes do golpe.

Me enquadraram na Lei de Segurança, pediram 15 anos de prisão para mim. O presidente do Supremo, Ribeiro da Costa, desconfiou de “alguma coisa” pelo fato do Ministro da Guerra, Jair Dantas Ribeiro, querer que o julgamento fosse no Supremo, ficou como relator, acumulando com a presidência.

Fui levado ao plenário, preso, fiquei de braços cruzados, ouvindo e vendo quatro ministros dizerem que eu era um “traidor nacional”, outros a me chamarem de “herói nacional”. Eu não era nem uma coisa nem outra, apenas recebera uma “circular secreta e sigilosa” do ministro da Guerra e a publicara.

(O Millôr, que assistiria o julgamento em Rasília, disse logo, e os jornais publicaram: “Jornalista que não publica circular reservada e sigilosa de um ministro da Guerra, é melhor que abra um supermercado”. Rigorosamente verdadeiro.

Com o resultado de 4 a 4 , ministros pediram levantamento da sessão. Uma hora de luta de bastidores. Os que votaram contra mim, certos que me condenariam, pediam a transferência da sessão, para que os três ministros ausentes (um estava no hospital) comparecessem.

Ribeiro da Costa não admitiu, declarou: “Vou desempatar, e pela Constituição posso votar contra ou a favor do jornalista”. Votou a meu favor, fui absolvido e solto imediatamente. No avião, já vim escrevendo sobre o julgamento.

Interessante apenas o PS final, em que eu me dirigia diretamente ao ministro da Guerra, assim: “General, desculpe, mas tudo o que acontece no seu gabinete eu sei imediatamente, menos de 24 horas depois”. No dia seguinte, desespero do ministro.

###
PS – A partir de hoje, no Supremo, tudo pode acontecer. Os condenados que tiveram 4 votos a favor têm esperanças enormes no voto de Teori Zavascki, que não votou antes.

PS2 – Os quatro que votaram a favor da absolvição, não mudarão de posição. Pode voltar a se repetir o 5 a 5, a favor dos acusados.

PS3 – Comentaristas de grandes jornais e principalmente da televisão por assinatura, insistem: “A presidente Dilma pode indicar o 11º ministro a qualquer momento”. Tolice.

PS4 – Já informei e revelei: “Dona Dilma não quer escolher o ministro, está convencida de que esse voto, contra ou a favor dos acusados, atingirá sua popularidade.

PS5 – De qualquer maneira, voltarão as emoções. E não há prazo. Ninguém pode estabelecer quanto tempo cada ministro poderá utilizar.

MORALES NÃO GOSTA DE VER A BOLÍVIA
CHAMADA DE “QUINTAL DOS EUA”

Foi justa a revolta, presidente, mas isso vem de longe, é comum aos arrogantes americanos. Em 1901, o presidente Theodore Roosevelt, que assumira com o assassinato de MCKinley, insultou todos os países da América do Sul e Central, usando a palavra “quintal”.

Mais tarde, em 1904, rotulou a todos de “Banana Republics”, principalmente os da América Central, que tinham a fruta como principal item de exportação. Esse sempre foi o comportamento dos EUA com os vizinhos. Mas o presidente não respeitou nem mesmo os ricaços do seu país.

Desbaratou os dois maiores monopólios. O de John P. Morgan (bancário) e o mais cruel de todos, o homem mais rico do mundo. John D. Rockfeller, do petróleo. Rockfeller nunca furou um poço. Mas entrou no negócio do refino, foi crescendo e em 1885 sua empresa (Standard Oil) refinava entre 80 e 90% de todo petróleo do mundo. Todos os que se investiam na prospecção do petróleo se arriscavam, ganhavam ou perdiam, acabavam nas garras de Rockfeller.

Roosevelt liquidou os dois monopólios.

MARX: ALEMANHA,
INGLATERRA, RÚSSIA

Surgiu agora uma discussão meio atrasada, mas não despropositada: qual o país que o grande filósofo preferiria para a Revolução proletária? Pelo coração, lógico, a sua amada Alemanha. Pela razão e pela mente, a Inglaterra, principalmente depois da Revolução Industrial (Manchester), em 1780. Exigia um proletariado consciente e progressista.

Se estivesse vivo em 1917, perplexo, diria: “Não pode ser, a Rússia é dominada pelo trabalho escravo, não tem indústria, é o país mais atrasado.” Durou 74 anos, nunca passou nem perto do Socialismo (embora estivesse no título do país), o povo continua miserável, torturado e escravizado.

LULA E O LINCOLN
CONTINENTAL

O ex-presidente já se comparou ao presidente dos EUA, um dos raros estadistas daquele país. Agora o semanário “Inconfidência” compara Lula ao Lincoln automóvel. Justificativa do órgão: “Os dois bebem demais”.

SARNEY NÃO CONHECE
A HISTÓRIA DO BRASIL

Sábado, num artigo na Folha, o ex-presidente garante: “O Senado, em defesa do Supremo, recusou os nomes de Barata Ribeiro, médico, e dos generais Everton Quadros e Inocêncio Queiroz, indicados para o Supremo. Quanta inverdade e desconhecimento.

Os três foram recusados pelo fato de Floriano Peixoto estar na Presidência de forma ilegítima. A Constituição de 1891 determinava que, se a Presidência ficasse vaga (por qualquer motivo), o vice assumiria e faria eleições em 30 dias. Deodoro renunciou (foi derrubado pelo vice, que era também ministro da Guerra), Floriano assumiu e não fez eleição alguma.

Um ano depois, o mesmo Floriano nomeou o mesmo Barata Ribeiro (excelente figura) prefeito do Distrito Federal. Nova recusa. Floriano tinha a força, ficou até o fim. Não passou o cargo a Prudente de Moraes em 1894. O mesmo que o general Figueiredo faria com Sarney em 1985, 91 anos depois.

OS ÔNIBUS CONTINUAM
ASSASSINANDO NAS RUAS

Está ficando impossível, esses possantes veículos matam mesmo. Protegidos pela Fetranspor, o órgão privado mais importante do Rio, esses ônibus acumulam infração e impunidade. O prefeito Eduardo Paes age com eles da mesma forma como agiu e continua agindo com o Engenhão.

A morte do triatleta de 31 anos, atropelado em área privativa para ciclistas, tristeza total. E a impunidade dos motoristas e do prefeito, como explicar?

###
PS – Há mais ou menos 60 anos, Manoel Bandeira e o editor José Olympio iam atravessando a Avenida Copacabana, na faixa, perto do Lido. Vinha um ônibus em alta velocidade, Bandeira gritou para Olympio: “Corre que ele já nos viu”.

PS2 – Porque Maduro não fecha o Congresso? Muito simples: proíbe deputados da oposição de usarem da palavra ou pertencerem às comissões. Assim, garantem: “O Congresso está funcionando”. Só que a democracia não funciona, não está madura.

PS3 – Anteontem, na televisão, vi entrevista com Carlos Veloso, ministro do Supremo. Foi chamado o tempo todo de “ex-ministro do Supremo”. Esse erro é comum com todos os ministros que atingem 70 anos e vão para casa.

PS4 – Veloso é ex-presidente do Supremo e ministro aposentado. Jornais e televisões que se julgam poderosos informam equivocadamente. Era e é facílimo identificar os ministros do Supremo de forma correta.

PS5 – Ex é apenas o ministro de Estado. Ele é transitório, qualquer que seja o tempo que ficou no cargo. Informar corretamente é importante.

PS6- Na quinta-feira, a ESPN, No excelente programa “Bola da Vez”, entrevistou o técnico Paulo Autuori. Mais de duas horas, perguntaram tudo. Ontem, domingo, o FOX Esportes entrevistou o mesmo Paulo Autuori. Nada a perguntar, nem a responder. Quanta falta de imaginação.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

11 thoughts on “A Fetranspor controla todos os ônibus, tem a caixa preta do trânsito do Rio. Paes sabe disso. Morales desafia EUA por causa de palavras. Joaquim Barbosa continuará como relator do mensalão. Sarney, do próprio punho, mostra que não conhece História do Brasil.

  1. Caro Helio, realmente o dia seguinte no Brasil, vem sempre o “pior”. Mais uma vês, parabens, pela análise; muita saúde e longa vida, pelos exemplos de brasilidade e fraternidade.

  2. Segundo entendi, do sempre brilhante artigo do Sr. Hélio Fernandes, e de excelente artigo anterior do Dr. Jorge Béja, haverá agora julgamento dos Embargos Declaratórios interpostos pelos Advogados dos Réus AP-470, tendo como Relator o Ministro Joaquim Barbosa. Serão arcabuzados. Depois os Advovados de Defesa apresentarão Embargos Infringentes para os Réus condenados por 4 a 5, que são os Políticos mais ilustres e que podem pegar Cadeia Fechada. Esses Embargos Infringentes terão como Relator, outro, que não o atual Presidente da Suprema Corte Dr. Joaquim Barbosa, e grupos de 3 Ministros, ou a Corte toda, julgarão esses Recursos Infringentes. Com a mudança de 01 Voto, e o voto do Ministro Teori Zavascki que ainda não Votou, a chance é muito grande de que os Réus mais ilustres, escapem da Cadeia Fechada. Mas outra coisa é mais certa ainda, em plena Campanha Presidencial de 2014, se entendi bem, estaremos em pleno Julgamento ainda da AP-470. Só não sei se será capaz de causar muito dano Político como pretendem, acho que não. Acho que vai depender mesmo é do Desemprego, da Inflação, e de boa Comunicação. Abrs.

  3. Ciro Gomes, do Ceará para o Brasil, ruge igual Leão e cobra ideias.

    Em matéria divulgada pelo Caderno de Política do Povo online/Jornal de Hoje, do Ceará, repercutida pelo Blog do Jornalista, Josias de Souza, do UOL, Ciro Gomes, do Ceará para o Brasil, rugiu igual Leão, rasgou o verbo geral e cobrou ideias com vistas às eleições de 2014, e que não sejam de véspera.

    Para Ciro Gomes, não importa o nome do candidato, que pode ser ” Chico, Manoel ou até mesmo Rola-bosta”.

    ” Sobre a sucessão da presidente Dilma Rousseff (PT), Ciro afirmou que antes de lançar candidatura própria o PSB deve responder a perguntas: ” como”, “por quê” e “para quê ?”. Na opinião dele, o Brasil vive “vazio dramático de ideias” e não quer ideias oportunistas de véspera.

    Aliás, o tal “rola-bosta” é uma brincadeira que começou no site OP há muito tempo com o besouro de OBI rolando a bosta do continuimo da mesmice para fora da Política do Brasil, e que pelo visto pegou.

  4. Tudo leva a crer que os Estados Unidos são agora o quintal da América Latina, a julgar pela grande quantidade de latinoamericanos que lá já fincaram os pés e até decidiram a última eleição presidencial. Anglosaxões já são minoria. Franklin Roosevelt iria morrer de desgosto. Aliás, conforme se viu agora com os dois rapazes da Chechênia, gente de toda parte vem plantar sua arvorezinha nesse quintal. (Mas nem sempre árvores que dão bons frutos).

  5. Terrível prenúncio

    Não fosse a decidida e obstinada da atuação do ministro Joaquim Barbosa no processo de condenação mensalão, contando com vigoroso apoio do PSDB, junto com implacável, inisitado e sistemático fogo cerrado da “grande e pequena mídia livre”, nada teria acontecido. Como de sempre nada acontece, tratando-se de suspeitas sobre as elites. Esse processo teria rumo de incontáveis outros, envolvendo gente poderosa. A velha impunidade teria sido confirmada. Disso, todos sabem, para desespero dos homens honestos e honrados, cansados de tantas impunidades, aqui e lá fora, tratando-se de gente poderosa e das elites dirigentes.

    Mas, dessa vez, tudo foi diferente. Os azarentos suspeitos, não tiveram a necessária percepção de época e de tempo, que semelhante oportunidade gerada, jamais poderia ser perdida por poderosas forças externas (contando com velhos aliados internos), justo num tempo que os EUA, junto com a Europa, estão metidos em gigantesca encrenca econômica e financeira, precisando como nunca, iniciar o desmantelamento de todas as forças nacionalistas exitentes na América Latina, principalmente, no Brasil. Reconduzir toda a América Latina, à velha humilhante condição de dependência externa, de grande importadora de tudo e, grande exportadora de matérias primas e de alimentos, a preços de bananas, é tudo que os gringos querem e precisam.

    Gigantescas forças por detrás desse singular e bizarro julgamento, não estavam, nem nunca estiveram, atrás de corruptos e de ladrões. Provavelmente, estavam e estão, buscando por fim na trajetória de qualquer partido político e ou liderança, que expressem atitudes e ações nacionalistas. Buscam desmantelar a atuação do Partido dos Trabalhadores – PT, de confirmada posição pró Brasil e pró povo, claramente expressada pelo governo Dilma Rousseff/PT, continuidade do governo Lula/PT.

    Há que se supor, que as mesmas decididas forças entreguistas que estiveram por detrás das fulminantes bilionárias privatizações, em estratégicos países, inclusive no Brasil de FHC/PSDB, de triste memória em siderais prejuízos para nossa economia e para nosso povo, viram no episódio mensalão, uma oportunidade de ouro para virar o jogo, abrindo possibilidade para retorno do grupo FHC/PSDB ao poder, com face Aécio, Serra, ou outro qualquer.

    Não fossem os consolidados feitos econômicos do governo Lula/PT, continuados, reforçados e aprimorados pelo governo Dilma/PT, capazes de ter impedido que o Brasil fosse, também tragado pelo furacão econômico que vem devastando o primeiro mundo, desde 2008, fazendo milhares de falências e desempregados, o apoio do povo ao governo Dilma/PT, teria mudado. O julgamento mensalão, por certo envolvendo ladrões, quem sabe, também inocentes, é o que menos importa aos objetivos maiores dos entreguistas, dos que visam desmoralizar o PT, desmantelar o Brasil, abrindo as portas para novas devastadoras privatizações, vistas no passado FHC/PSDB. Acorda, Brasil.

  6. O que tenho para dizer? Nada. Apenas li o Helio … comentei com amigos que leêm o nosso blog … e fiquei leve e feliz.
    Agora … Paulo Solon!
    Seu comentário de hoje, aqui … parece o piano de Chopin; poucas notas e um efeito maravilhoso. Você usou poucas palavras e disse muita coisa. Ou tudo. Li em uma revista italiana o título da capa:
    L’ULTIMO IMPERO o último império
    GLI STATI UNITI os Estados Unidos
    DA GEORGE WASHINGTON de George Washington
    A BARACK OBAMA a Barack Obama
    Não haverá mais impérios. O jornalista Norman Mailer sentenciou, há alguns anos: “O presidente Bill Clinton é o último presidente dos Estados Unidos da América … pois as grandes decisões já não passam mais pela presidência”.
    Paulo, veja só isto. Os jornais internacionais publicaram em 1963: “Milan comprará Pelé por Um Milhão de dólares. O Santos Futebol Clube receberá Trezentos e Cinquenta Milhões de Cruzeiros”. Como seja; a relação era de UM para TREZENTOS E CINQUENTA !!! Nos anos 60, os Estados Unidos detinham 85% do comércio internacional; hoje … pouco menos de 19%, com tendência de queda (acentuada e rápida). Neste jogo surgiram muitos parceiros, alguns com real poder para influenciar; vale ressaltar que, em 1992 a China era menos do que 2% da economia mundial.
    O desenho do mundo vai sendo alterado a cada momento, não a cada ano ou mês. Agora mesmo, Israel e Síria estão em vias de iniciar uma guerra. O mundo árabe revolta-se contra os israelenses. Na Europa a “austeridade” prossegue torturando e assassinando seus povos. Você, Paulo, diz que não tem convicção de nada, pois entende a convicção como prisão. Não penso desta forma, mas no rumo que as coisas estão tomando … posso aderir ao seu posicionamento filosófico. Abraço!

  7. Helio Fernandes,

    RISCO DE PRESCRIÇÃO?

    Os planos econômicos não correm o risco de prescrição como os bancos desejam? Pois o STF até agora não julgou definitivamente os planos.

    Será, que estão esperando prescrever ou a morte de tôdos poupadores?

    Joaquim Barbosa, colocará em julgamento no plenário, antes de terminar o seu tempo como Presidente?

    A maioria dos poupadores, têm idades avançadas e passam por dificuldade financeiras e doênças. Nehum ministro tem sensibilidade para esse fato?

    O ministro Gilmar Mendes viaja com frequência para a Alemanha fazer o que? E, o processo ficar no seu frigobar de seu gabinte.

    Obrigado

  8. O projeto de governo do PT assemelha-se em larga escala ao do “Reich dos Mil Anos”, idealizado por Joseph Goebbels, que dizia: “Uma mentira, tantas vezes repetida, transforma-se em verdade”.
    Lula, quando presidente, disse certa vez: “A opinião pública somos nós” (do PT). A tentativa de desmoralizar o Judiciário está bem clara, já que o Legislativo e o Executivo apenas cumprem o roteiro idealizado por ele. Os resultados atuais, seja na indústria, no comércio internacional, no turismo, os efeitos da inadimplência generalizada, apontam para dificuldades seríssimas para o Brasil. Restou para a dupla Lula/Dilma uma união; verdadeira ou de mentirinha, mas … união. Ou … um “aventureiro porá a coroa na cabeça” e dirá “Abaixo os marajás!” (argh!!!). No nosso cinema … o único filme que temos … parece ser este.

  9. O que salta aos olhos (além das lágrimas de raiva e impotencia) é: nós, cidadãos honestos, profissionais que pagamos os nossos impostos em dia e carregamos o fardo pesado desse brasil e suas bizarrices: miséria, insegurança, bolsas-esmola, intocáveis, maior desigualdade social do mundo ….) estamos num beco sem saída: votar em que(m)? PT há muito perdeu-se em seus (des)caminhos de paladino da ética e da liberdade (inclusive de imprensa); se teve programa um dia, rasgou-o e limpou a região anal com ele, continua o programa de privatização de fhc/psdb, os tais “leilões” de petróleo, etc, agora de maneira mais sutil e sub-reptícia, não orgulhosamente e às escâncaras, como nos negros anos 90. As compras de “base aliada” continuam fluindo, as “agencias reguladoras” que nada regulam com seus cabideiros lotados, e os “amigos do rei” continuam vivendo em “Pasárgada” (Brasilia), comendo na mesa do rei, vestindo as roupas do rei, dilapidando o erário do rei (que, na verdade, é do povo, mas as chaves do cofre ficam com o rei que só as entrega aos “chegados”)! Para os despossuídos/esbulhados nos seus mais elementares direitos restam as migalhas que caem da mesa de banquete dos “favoritos”. Votar em que(m), repito?! PMDB? PSDB? Estamos entre a frigideira e o fogo! O último a sair apague a luz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *