A incompetência da Light, a imprudência de Alqueres, a calúnia contra o Leblon, o desprezo contra outros bairros. E a ANEEL, ficará apenas espiando?

O físico Hermes Chipp (como registrei) disse no Senado, que “ninguém sabe até agora, o que aconteceu no apagão que escureceu 17 estados e mais o Distrito federal”. Já no Rio (e no resto do estado) essa falta de energia se multiplica, centenas de milhares e milhares de pessoas são prejudicadas. Esse “dono” da Light, um tal de senhores Alqueres, vem a público, diz bobagem, falseia a realidade, mas confessa a incapacidade.

Confessa que a Light “está trabalhando no limite”, e portanto os apagões se repetem por falta de investimento, não acompanhamento diário da distribuição dessa energia, que segundo ele mesmo, “não está chegando para atender toda a demanda”.

É uma confissão e uma negação do que ele mesmo afirmou quando houve o primeiro apagão isolado no Rio (capital) e no Estado do Rio. Esse senhor Alqueres (ou não queres?) disse publicamente numa entrevista coletiva: “Foi um cabo subterrâneo que se rompeu de madrugada, começamos a trabalhar com extrema dificuldade”.

O presidente da Light (sócia da Cemig de Aécio Neves e da empreiteira Odebretch, envolvida em tantas trapalhadas, aqui e no exterior) mentiu vergonhosamente, e por duas vezes seguidas.

1- Botou a culpa no rompimento de um cabo subterrâneo. Como na semana passada, os mais diversos bairros da capital e da Baixada ficaram várias vezes sem energia, que cabo é esse que se rompe seguidamente?

Não há acompanhamento do que acontece com a distribuição de energia? (Agora, a ANEEL informa que exigirá da Light um relatório diário para saber como estão as coisas e quando acontecerão mais apagões?)

2- O senhor Alqueres faltou novamente com a verdade, ao dizer que o “cabo se rompeu de madrugada”. É o mesmo cabo de sempre? E por que só de madrugada, se tem faltado energia em plena luz do dia, diariamente, escurecendo em média, 8 bairros, não apenas o Leblon?

3- Ofende os moradores do Leblon ao dizer que “a repercussão foi maior porque esse bairro é privilegiado”. Com isso calunia um grupo de moradores e despreza outros. Se a falta de energia, segundo esse Alqueres, ocorresse na Praia de Ramos, Laranjeiras, Jardim Botânico, Baixada Fluminense, Catumbi, nada seria revelado, os que moram em outros bairros, não têm prestígio, podem ficar sem energia (e suas múltiplas utilizações) que ninguém saberá.

Além de ter incorrido em diversas infrações como dirigente de uma empresa, o senhor Alqueres pode ser acusado de favorecimento ilegal do Leblon.

Houve visível intenção de valorizar o Leblon, com o aumento do poder de compra e venda dos apartamentos. E redução do preço em outros bairros. Quem conseguirá vender um apartamento em local sem energia diária e não há providência recuperadora pelo fato desses bairros não merecerem atenção?

* * *

PS- E o governador Aécio Neves, cujo governo tem um terço da Light, e sabidamente divide o tempo entre Minas e o Rio, não reclama? Provavelmente não mora no Leblon. E esse senhor Alqueres, mora em que bairro? Deveria revelá-lo imediatamente.

PS2- A Light não pode ficar impune. Tem que haver providência severa da ANEEL, o Rio tem 6 milhões de habitantes fixos fora mais de 1 milhão que estão aqui diariamente. A ANEEL tem poderes até mesmo para livrar o Rio da incompetência e imprudência dessa empresa e desse senhor. Em cuja palavra não se pode acreditar.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *