A indústria Du Loren comemora e aumenta a divulgação do comercial com Gisele Bündchen usando lingerie.

Carlos Newton

A ministra Iriny Lopes, da Secretaria de Política Para Mulheres, teve seus 15 minutos de fama, mas já foi esquecida. Enquanto isso, Gisele Bündchen segue altaneira em seu reinado de maior top model do mundo.

A decisão do Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) foi sábia. Como se sabe, por unanimidade,  decidiu que não irá suspender a campanha da marca de lingerie Hope, estrelada pela modelo brasileira, que já teve um filho mas está em perfeita forma, conforme se vê no belíssimo comercial.

O ridículo e destemperado processo foi encaminhado pela ministra Iriny (até já esqueci o nome dela, toda hora tenho de conferir), em conjunto com outras 40 consumidoras barangas e revoltadas. Eles consideraram o conteúdo da peça discriminatório, por expor a mulher como um objeto de sedução.

O comercial mostra a forma errada e certa de dar uma notícia ao marido. Na forma errada, Gisele, usando vestido, short e blusa, aparece falando que bateu com o carro, estourou o cartão e que a mãe irá se mudar para a casa do casal. Já no que seria a forma certa de dar uma notícia, a modelo, sorrindo bastante, usa apenas uma lingerie.

O voto do relator do Conar, que foi acompanhado pelos demais conselheiros, aponta que “os estereótipos presentes na campanha são comuns à sociedade e facilmente identificados por ela, não desmerecendo a condição feminina”.

A decisão, tomada em primeira instância, ainda permitia recurso das partes interessadas, mas a ministra (agora, esqueci mesmo o nome dela) já avisou que não vai recorrer. Ela saiu de fininho, argumentando que, ao admitir a existência de estereótipos na peça publicitária, o voto do relator já representou um avanço no debate.

Com o final da polêmica, a empresa Du Loren comemora a publicidade extra e aumenta a inserção dos comerciais, para deleite dos respeitável público.

Por fim, o que faz mesmo essa ministra na secretaria que tenta posar de ministério, mas sem usar lingerie?

 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *