“A luz que perdemos “, um comovente romance que revela o poder de nossas escolhas

Júlia de Aquino
Instagram literário @juentreestantes

“Não consigo deixar de imaginar o que teria acontecido se eu tivesse dito sim” – ou seja, preparem os lencinhos! Eu, que não costumo chorar, fiquei emocionada com a leitura. Um livro comovente, bem construído e que nos prende da primeira página à última.

ENREDO – Após Lucy e Gabe se conhecerem na manhã do 11 de setembro em Nova York, uma história intensa começa entre os dois. Mas desencontros e escolhas nos anos seguintes vão marcar toda essa trajetória e definir o futuro de suas vidas.

Um dos aspectos mais marcantes do livro, para garantir a forte emoção que sentimos durante a leitura, é que todo o livro é escrito como se a narradora estivesse escrevendo uma carta a Gabe (os trechos citados abaixo mostram a característica com mais clareza).

CAPÍTULOS – Além desse formato, os capítulos terminam com perguntas, como se Lucy esperasse respostas de seu par. O início e o final dos capítulos tornam a escrita ainda mais poderosa, e por vezes nos levam a pensar aspectos de nossa própria vida e atitudes passadas.

Fãs de capítulos curtos vão adorar! Cada trecho tem em média cinco páginas, o que nos motiva a ler e dá aquela sensação de “vou ler só mais um capítulo antes de parar…”. O formato também faz com que a leitura não fique cansativa em nenhum momento.

VIDA REAL – Por ser uma história muito possível de acontecer na vida real, ela acaba sendo ainda mais impactante e comovente. Nesse sentido, a autora constrói uma trama da qual conseguimos nos sentir próximos, até mesmo pensar em pessoas que já passaram pelas situações dos personagens (ou nós mesmos).

Até aqueles que não estão acostumados a ler romances vão se identificar com as situações da trajetória dos personagens e alguns questionamentos da narradora Lucy.

CAUSA REFLEXÕES – O livro nos faz refletir sobre nossas decisões ao longo da vida e suas consequências; sobre as pessoas que escolhemos ter por perto; e sobre o poder e a importância de encontrar alguém que se possa amar e tomar decisões em nome dessa relação. Em suma, questões que já passaram pela cabeça de todo mundo pelo menos uma vez.

Recomendo muito para quem está num momento que precisa de uma leitura leve e marcante; para pessoas que queiram retomar o hábito de ler; ou para aquelas que adorem romance e drama.

Livro: A luz que perdemos
Autora: Jill Santopolo
Editora: Arqueiro
Páginas: 272

###
ALGUNS TRECHOS

  • “Você encontra beleza em tudo. Percebe coisas que mais ninguém percebe. É algo que sempre admirei em você”
  • “Beijá-lo no meio de uma tragédia me pareceu ser ao mesmo tempo absolutamente certo e errado”
  • “Fico pensando naquela bifurcação do caminho. O que teria acontecido se a gente tivesse seguido pelo outro lado”
  • “A conclusão lógica de viver cada dia como se fosse o último é que não dá para fazer planos para o futuro. Esse é o problema”
  • “Como você foi capaz de me ligar daquele jeito, trazendo tantos sentimentos à tona, se não planejava fazer nada a respeito? Não era justo, Gabe”
  • “Há pessoas com quem cruzamos na vida e que, depois que se afastam da gente, deixam de fazer parte dela”
  • “Naquela foto vislumbrei o que eu “poderia ter sido”. Vi o caminho que não foi escolhido”

2 thoughts on ““A luz que perdemos “, um comovente romance que revela o poder de nossas escolhas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *