A marcha batida para o adesismo de Lula a Dilma

Sandra Starling

Muitas e muitas vezes me perguntaram: por que, afinal, Lula escolheu Dilma Rousseff? A dúvida já vinha acompanhada de uma meia explicação. Ele teria querido primeiro Antonio Palocci e, depois, José Dirceu. Quando ambos foram abatidos pelo mensalão, restou sua grande gestora. Agora vejo com clareza que tanto fez quanto tanto faz. Um ou outro, todos, inclusive ele, já haviam embarcado na estrada do adesismo.

Foi disso que tentei falar no prefácio para o livro de Tilden Santiago. Tateava, procurando saber onde havíamos errado mais, pois, creio, há erros e erros. A isso me referia quando falei dos “tesouros perdidos pelo PT”, pois centramos toda a nossa atenção naquele operário carismático que fazia questão de dizer que não era de esquerda, e tão pouca atenção demos a outros que tratávamos como se fossem todos iguais, mas que tinham tido incríveis experiências de tentar mudar o destino de tantos povos. A gente nunca parou de verdade para ouvir Apolônio de Carvalho, nem Mário Pedrosa, nem Clara Charf, nem José Ibrahim, nem Manoel da Conceição, nem Xico Mendes…

CACOS DE MEMÓRIA

Hoje, juntando cacos de memória, escuto alguém martelando, pouco antes ou pouco depois de 1989, que o PT sozinho não saía dos 30% do eleitorado. Aliás, esse raciocínio já devia ter aparecido na Constituinte, na qual ficou claro o apoio do partido aos dois turnos nas eleições para o Executivo, questão nunca discutida amplamente entre nós. Para mim, coisa de maluco beleza em partido de esquerda.

Então, as coisas foram se precipitando, dinheiro correndo para o caixa do partido, prefeituras realizando coisas boas para as populações locais, muito e muito oba-oba.

As bancadas cresciam. Em 1996, quando fui líder, já havia espaço para fazer algum barulho. Até o Palácio do Planalto mandava cedo buscar os “Informes” da bancada do PT na Câmara, nos quais fazíamos a análise dos projetos em pauta e dávamos orientação para a votação. Chegamos a inaugurar nossa página na internet, saudada pelo antigo “Jornal do Brasil” como o melhor noticiário de partido político.

CALDO ENTORNADO

Pois quero hoje reafirmar que não podemos deixar de reconhecer os erros que foram cometidos por Lula e secundados por todos nós – eu só saí quando achei que já era demais ele nos impor Dilma.

Mas o caldo já havia entornado. Tão logo a reeleição foi aprovada, contra nosso voto, ela foi alegremente adotada no partido. A CPMF, contra a qual votamos, já em 2003 virou modo de fazer mais caixa. Para os de cima, Lula entregou a rapadura ao ir muito além de Fernando Henrique e patrocinar a Emenda Constitucional 40/2003, que, além de tudo, tirou da administração pública o direito de fiscalizar o sistema financeiro. Depois, a cooptação dos movimentos sindicais e sociais, os créditos ao consumidor privado. Mesmo aumentando o salário mínimo, foi Lula quem estimulou o surgimento de uma sociedade de cidadãos conservadores em espírito e em prática. O bispo Rodrigues que o diga.

Agora é hora dos pingos nos is. Sem choro nem vela.

9 thoughts on “A marcha batida para o adesismo de Lula a Dilma

  1. O seu arrependimento veio muito tardiamente, professora Sandra Starling. Por quê razão a senhora e seus amigos mais fiéis nunca pararam de verdade para ouvir Apolônio de Carvalho, nem Mário Pedrosa, nem Clara Charf, nem José Ibrahim, nem Manoel da Conceição, nem Xico Mendes ? Se tivessem ouvido homens de tanto valor e experiência ficaria sabendo desde a fundação do PT que Lula é um pilantra. Porque, a senhora sendo de esquerda foi seguir um líder que declarou, como a senhora mesmo testemunhou e relatou neste seu artigo, que ele não era de esquerda ? Se seu líder não era de esquerda, o que a senhora ficou fazendo lá ? Já tinha sido avisada de que Lula não poderia ser seu companheiro – avisada por ele mesmo !

    A senhora, com sua cegueira, digna da charge que acompanha este seu artigo na Tribuna da Internet – é só trocar Dilma pela senhora, deixou-se arrastar cegamente por Lula por mais de dez anos e só agora a senhora declara: “quero hoje reafirmar que não podemos deixar de reconhecer os erros que foram cometidos por Lula e secundados por todos nós – eu só saí quando achei que já era demais ele nos impor Dilma”. Só por isso a senhora abandonou o PT, professora Sandra ? Todo este tempo não foi suficiente, mesmo estando a colaborar com este infame partido, a senhora nunca notou que Lula aparelhou o Estado, as estatais, o BNDES, os fundos de pensão, tudo isso só para roubar ? Para roubar alegadamente para inchar as finanças do partido, mas não notou o enriquecimento pessoal de Lula, Palocci, Dirceu ?

    Recomendo, professora, que a senhora tire a venda dos olhos. Nunca é tarde para enxergar a verdade e recomeçar.

      • Explicando a minha alta… Fui do PT antes do PT existir, na época de recolher assinaturas para a sua legalização. O primeiro tranco que ajudou a sair do letárgico estado mental foi o escândalo CEPEM, também conhecido como guerra PT x PT, já que o combate principal se deu entre o Paulo de Tarso Wenceslau e o Paulo Tarciso Okamoto. Um dos personagens dessa guerra foi o ‘cumpádi’ do Lula Roberto Teixiera, que então emprestava ao Lula uma de suas casas. Posteriomente o Lula trocou a cobertura onde mora até hoje, que também era do cumpádi por um Opala Diplomata usado.
        O eletrochoque definitivo ocorreu em um vôo que fiz de SP para Brasília. Nesse voo encontrei a jornalista Janína Leite, que havia trabalhado no MTE e foi violentamente demitida.
        Após a sua demissão era foi ser sub editora da sucursal da època em Brasília,
        Nesse voo ela estava toda animada, pois no dia seguinte ela iria estourar o primeiro escândalo do Governo Lula, que foi o do Zé Dirceu com a Waldomiro Diniz, funcionário do Cachoeira.
        Depois dessa matéria a Janaína sofreu uma verdadeira caçada por parte dos penas de aluguel, dos blogs chapa branca, tanto que saiu do jornalismo. Essa máfia joga pesado.

        • Senhor Virgilio, parabéns. Tenho colegas que são professores universitários e mesmo na altura desta “missa negra” que se desenvolve à luz do dia, continuam apoiando os oficiantes. Daí minha estupefação.

          • Conheço vários professores universitários, que ainda tem a burra viseira, que o petismo colocou… Fazer o quê ? Qualquer pessoa da área ‘psi’ sabe que se um doente não quer enxergar a sua doença não ha cura…
            Há pouco tempo, em uma reunião de amigos em Santa Teresa um desses, ligado a igreja, chegou a dizer que o PT deveria ter feito milícias como na Venezuela e que se o Lula fosse preso o ‘exército’ do Stédile sairia as ruas. Até a noção ‘estratégica’ esse alienismo faz perder. Só em SP a Polícia tem mais de 130 mil homens armados e 40 helicópteros blindados… Iriam derrubá-los com enxadas ?
            Há menos de uma semana o ‘general’ Stédile foi deposto sob vaias do areorporto de Fortaleza..kkkk São uns sem noção….

          • Esqueci, para você ver como funciona essa ‘imprenssa’ petista, se você buscar o meu nome no Google, verá em primeiro lugar um artigo do jornalista que foi contratado pela EBC por ‘notória especializaçao’ Luis Nassif. Essa ‘matéria está lá desde novembro de 2014. Quem está pagando por esse ‘favor do Google não sei, só sei que a matéria além de estar cheia de erros, o jornalista com ‘notória especialidade’ chegou a profunda e brilhante conclusão de que sou um ‘troll’ kkkk
            São tão abjetos que chegaram a usar a morte do meu sogro, que foi primeira página do Estadão e do Jornal da Tarde, pelos seus serviços prestados a área de educação , principalmente a USP. Enquanto isso o pessoal do PT sai no Estadão pelas mãos do grande reporter policial Fausto Macedo…

  2. Sr. Ednei Freitas, me perdoe por dirigir-me assim diretamente ao Senhor. Mas verifico que a culpa, a culpa, é minha ainda perder tempo com este salafrário embusteiro. Continuo afirmando que o câncer que este salafrário teve era¨ preguiçoso¨. Quanto me aporriei e fiquei nervoso naquele debate com o ¨collllorido¨e que nada teve a falar, a não ser um tal de negócio de caça de maracujá. Que porcaria da falta de conhecimento de minha parte. E é que já lia o Jornal Opinião e o Pasquim. Mas era um completo nordestino ignorante da política chegado na cidade do Rio Janeiro em 1972, mas não militava. Depois fui a algumas reuniões no clube de Engenharia, na R.Branco, onde o far$ante lá estava e também o Sr. Brizola que tinha apoiado-o num gesto de grandeza. Tive uma ocasião numa reunião neste mesmo Clube, de acompanhar até o seu carro o Sr. Brizola, junto ainda a duas pessoas que também acompanharam o Sr. Brizola, mas não nos conhecíamos. Para terminar logo. Decidido que o candidato seria o $alafrário em questão, estávamos dentro de taxi em direção ao Clube Municipa para discutirmos um encaminhamento, eu, Sr. Ronald Barata, Sr. Sérgio e o Sr. Wagner e que o Sr. Ronald Barata nos dizia que não votaria no $alafrário já indicado. E ficamos nós questionando o Sr. Ronald Barata em quem iriámos votar, sem entender nada. O Sr. Barata fez umas explanações e informações, pois que já tinha sido da executiva do partido PT (início da quadrilha), mas não aceitamos e votamos nesta desgraça que ainda está aí. Chega. Que o inferno seja bem infernal para estes miseráveis!!!!

Deixe um comentário para Tarciso Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *