A mídia está entregue às grandes corporações multinacionais.

Roberto Nascimento

Para constatar essa realidade, basta folhear as páginas dos jornais e anotar os anunciantes, que na minha época era chamada de “reclame”. Nenhum jornal consegue sobreviver apenas da venda nas bancas ou das assinaturas. Isso vale para as revistas semanais.

Então, se a mídia é bancada pelo sistema capitalista financeiro/comercial mundial, não se pode conceber razoavelmente que trabalhe a informação contra o financiador.

O importante é a leitura do que realmente interessa para o país. Por exemplo, a leitura dos jornalões é crucial para entender o que pensam aqueles que mandam realmente nos países.

Entretanto, há uma porta de saída para informação de qualidade e por enquanto de graça, que são as redes sociais. O Blog da Tribuna é uma grande e democrática saída.

O grande perigo é que o sistema já identificou o alcance perigoso das redes sociais, principalmente na eclosão da Primavera Árabe. A Inglaterra saiu na frente censurando seus cidadãos na rede. Os Estados Unidos tentaram e, diante dos protestos, recuaram, contudo voltarão à carga quando a situação ficar melhor. O site do Wikileakes foi calado na sua raiz econômica.

Nos regimes autoritários não é diferente, até é muito pior. Não há nenhuma liberdade muito menos a de imprensa.

Muitos donos de jornais faziam inclusive autocensura para agradar o ancien regime.

Agora uma pergunta que não quer calar: Existe alguma saída que agrade a todos? Evidente que não. As relações humanas são pontuadas por interesses e sempre envolvendo dinheiro e poder.

Alea jacta est.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *