A morte de Giap, o estrategista que derrotou a França e os Estados Unidos no Vietnã

Do site Pátria Latina

O general vietnamita Vo Nguyen Giap, estrategista militar e o comandante das históricas vitórias bélicas contra o colonialismo francês e o imperialismo dos Estados Unidos, morreu na sexta-feira, 4 de outubro de 2013, aos 102 anos.

Fundador do Exército Popular do Vietnã, cujas táticas guerrilheiras inspiraram combatentes no mundo inteiro, publicou dezenas de trabalhos e ensaios sobre estratégia militar.

O general Giap era, ao lado do venerado Ho Chi Minh, criador do Partido Comunista do Vietnã, sendo ambos as personalidades mais admiradas pela juventude vietnamita. Em verdade, a admiração por Giap era universal, mesmo entre aqueles que o combateram.

Considerado um dos maiores gênios militares da história da humanidade, Giap foi o organizador da luta dos guerrilheiros nacionalistas vietnamitas contra a colonização francesa que culminou com a derrota das tropas vitória em Dien Bien Phu (1954). Torna-se então o dirigente militar do Vietnã do Norte, conduzindo a estratégia militar que levou à maior derrota da história dos Estados Unidos, depois de uma terrível guerra que dizimou boa parte do povo vietnamita. Giap era ainda considerado um gênio da logística e um político mobilizador de massas.

Com a vitória contra o exército norte-americano, Giap assistiu em 1975 à reunificação do país. Depois disso, o Vietnã teve ainda que se proteger da vizinha China, com Giap ainda à frente da pasta de Defesa, garantindo a manutenção da soberania nacional.

Vo Nguyen Giap continuou no Bureau Político do Comitê Central do Partido Comunista do Vietnã até 1982, quando se retirou da atividade política.

Era filho de um camponês que, embora sem terra, sabia ler e escrever e lutara a vida toda contra o regime colonialista imposto ao seu país.

Jovem estudante, em 1926, começou a luta pela libertação do Vietnã. Aderiu ao Menh Dang do Tan Viet e, dois anos mais tarde, ao Quoc hoc, organizações clandestinas que se opunham à ocupação estrangeira. E nunca mais parou de lutar por seu país.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

39 thoughts on “A morte de Giap, o estrategista que derrotou a França e os Estados Unidos no Vietnã

  1. ” … lutara a vida toda contra o regime colonialista imposto ao seu país”.
    “E nunca mais parou de lutar por seu país”
    Homens como este … são raros. A História guarda um espaço muito especial para o general GIAP, certamente.

  2. O soldado para ser um combatente precisa de motivos para exercer condignamente a sua função.
    Mais que o preparo físico e seu devido treinamento com armas, a razão de ir à frente no campo de batalha depende fundamentalmente do que o conduz para matar e morrer.
    A Alemanha nos apresentou generais extraordinários como estrategistas, uma potência militar inigualável na Segunda Guerra, um Exército, Marinha e Aeronáutica equipadíssimos, que de nada adiantaram porque foi derrotada.
    Em contrapartida, a Rússia nos deu a conhecer o célebre Gueorgi Jukov, que expulsou os alemães do seu país porque mesmo com forças muito menos preparadas, havia o motivo vital em defesa da terra invadida.
    O mesmo se deu com o Vietnã, e seu mais brilhante general, um dos melhores que a História registra:
    Vo Nguyen Giap!
    Com determinação, patriotismo, espírito combatente, enfrentou os frances e americanos, vencendo a ambos onde deveria tê-los derrotados: no campo de batalhas.
    Mesmo os americanos usando de todo o arsenal disponível, menos armas atômicas mas, químicas, e deveriam ter sido condenados pela ONU por infringirem a Convenção de Genebra com o Napalm e bombas de fósforo, o general asiático se utilizava de taquara!
    Os miguelitos (objetos pontiagudos que permanecem em pé) que o Vietnã fabricava deste material, untava as suas pontas com excremento, ocasionando que um soldado americano ao pisar nele fosse conduzido ao hospital, gerando, em decorrência, a mobilização de uma retaguarda enorme à retirada deste combatente ferido.
    Giap concluiu que uma das possibilidades de vencer os Estados Unidos estaria justamente naquilo que mais os colocava como incomparáveis: o poderio financeiro, haja vista que, na selva, a superioridade militar americana seria neutralizada mediante táticas e estratégias de guerrilhas, os túneis, emboscadas, e conhecimento da área, situações que seus inimigos desconheciam por completo!
    Os americanos após uma década de combates verificaram que o custo da guerra ultrapassava os gastos da Segunda Guerra Mundial, além das derrotas sofridas após a ofensiva do Tet, em 1968, o novo ano lunar, que chocou os americanos em casa pela violência da guerra e filmado pela TV, e com o transporte de mortos que chegavam aos Estados Unidos diariamente e em número assustador.
    Afinal das contas, os americanos perderam mais de 58.000 soldados nesta luta fora de seu país, exatamente a justificativa que lhes faltou para os heroísmos necessários para combates e disposição de matar e morrer, diferentemente do inteligentíssimo Giap e suas razões à defesa da dignidade de seu povo e território!

  3. Vo Nguyen Giap superou, em muito, o estrategista prussiano Von Clausewitz. Depois de Nguyen Giap, nem a França, nem os Estados Unidos se arriscam sozinhos, sem a palavra “coalizão”. Israel diz que sim, mas pode estar prestes a enfrentar um moderno Nguyen Giap no mundo árabe, um moderno Saladin, que até ultrapasse o genial vietnamita, o gênio da Indochina.

  4. Giap, um dos maiores guerreiros de todos os tempos. Boa índole, como de resto o povo do Vietnan. Tanto é que até já reataram com os EUA.
    Os vietnamitas tem menos rancor dos EUA , se é que têm, que muitos por aqui no Brasil.

  5. Interessante : Este guerreiro Genial…Nasceu no dia 25 DE AGOSTO … Exatamente no dia
    em que nasceu Luis Alves de Lima e Silva …Outro guerreiro (com muitas contradições),
    que tornou-se “patrono” do Exército Brasileiro e dia 25 é o dia do Soldado Brasileiro.

    Ao mais Gal. Giap, mostrou que antes de ter tecnologia ( para matar), um soldado deve ter
    Disciplina e motivação sem isso, ocorre o que vimos em dunquerque ( uma das mais estranhas
    retiradas da segunda grande guerra, toda a FEB (Força Expedicionária Britânica), foi
    retirada da França, totalmente cercada pelas belissimas formações panzer do Brilhante Gal.
    GUDERIAN . que HITLER de forma misteriosa demostrando uma grandeza incomparavél ordenou que
    não fossem atacados e destruidos pelos citadas divisões panzers e pelas belissimas divisões
    de assaltos da SS PARAQUEDISTAS do tb brilhante Gal Kurt Student… Este episódio da retirada
    de Dunquerque nunca foi devidamente esclarecido pela GB e levada em conta pelos “aliados ”
    desconsiderando esse ato como um boa vontade de HITLER em não mais continuar a guerra. Uma
    cousa podemos analisar pela lógica do combate e estratégia militar…Um pais como a
    alemanha (na época) com suas formações fantásticas de tanques (panteras e leopardos), com
    uma força de SS PARAQUEDISTAS de primeirissima linha cercando TODA A FORÇA EXPEDICIONÁRIA
    BRITÂNICA e deixando estes SAIREM DA FRANÇA sem sofreram um ataque DEVASTADOR que poderia
    ANIQUILAR o que restava (em tempos de guerra ) do exército Brtitânico..nos leva a PENSAR
    que HITLER …não queria uma guerra TOTAL contra a GB (GRÃ BRETANHA), esse fato nos
    leva a essa conclusão guiado pela lógica…esse é o caminho para explicar essa
    fantástica retirada e derrota da GB..em terras Francesas.

    Gal..Giap…mostrou a orgulhosa França como seria os novos tempos de combate principalmente
    nas selvas…Os soberbos americanos de WEST POINT…VIRAM tudo que aconteceu com a França
    mas SOBERBOS que são nem se quer levaram em conta , o resultado ? Deu no que deu.

    Agora, NOTEMOS como tudo é dirigido por YAWHE O ALTISSIMO …a despeito de tudo por que
    passou o Brilhante Gal. Giap..viveu ainda e muito (102 anos) para ver sua NAÇÃO se erguer
    e se tornar uma NAÇÃO unificada e em franco progresso social no sudeste da asia….

    Creio que Gal. Giap…devia estar feliz em ver sua pátria…unificada e em paz.

    YAWHE SEJA LOUVADO…

    Carlos de Jesus – Salvador -Bahia

  6. Se o general não tivesse o apoio financeiro da antiga URSS e China, não haveria gênio militar.
    Não existe gênio militar sem armas e sem dinheiro.
    Outra coisa os EUA não foram derrotados militarmente. Ganhou todas a batalhas que participou inclusive a ofensiva do Tet.

    • Ora, Ricardo, se eles ganharam todas as batalhas, porque então saíram do país? Além do mais, se tivessem ganhado a guerra, não haveria um Vietnã unificado comunista, e sim, capitalista. Na realidade foi uma vitória que custou muito sofrimento dos vietnamitas. Suas perdas em vidas foram muito mais elevadas do que a dos americanos. Coisas decorrentes da guerra assimétrica.

      • Os EUA jamais foram derrotados no Vietnã, pelo contrario o Vietnã do Norte propôs um acordo de paz, que foi assinado em 1973 por EUA, Vietnã do Norte e Vietnã do Sul (acordo de Paris). O acordo selava a paz e tinha entre as suas cláusulas uma que dizia que se o Vietnã do Norte voltasse a invadir o Sul, os EUA reporiam as perdas do Sul militarmente e financeiramente, mas aí houve a renúncia do Nixon, e nas eleições parlamentares nos EUA, os democratas ficaram com a maioria absoluta do parlamento. Sabendo disso e sabendo também que o parlamento americano romperia o acordo de ajudar o Vietnã do Sul, o Norte voltou a invadir o Sul aos poucos e para desespero das forças armadas dos EUA, o parlamento democrata não deixou que os americanos ajudassem o Vietnã do Sul, sendo assim o Norte tomou o Sul e impôs aquela maravilha que é o comunismo no país todo.

  7. Os Estados Unidos saíram do Vietnã corridos!!! As fotos e filmes mostrando os ianques pendurados em helicópteros, fugindo, são históricas!!! O general GIAP lutou pelo seu país e venceu!!! Hoje … Vietnã e Estados Unidos são parceiros em muitos negócios, e a reporter da Globo, Glória Maria, em um Globo Reporter, mostrou-nos um país que vive em paz, próspero, um dos maiores exportadores de café. Dois brasileiros que moram lá (jogadores de futebol) disseram no programa que nem sabem o endereço da delegacia de polícia, andam pelas ruas a qualquer hora, sem problemas. Uma moça recebeu a Glória Maria super sorridente e feliz: e … vive da pescaria, ganha cinco dólares por dia!!! Outras vivem da venda de flores em seus barquinhos!!! O Estado empresta para os pescadores comprarem seus barcos, para os roceiros de abacaxi, mandioca e arroz, a um custo reduzidíssimo!!! Que país criou o GIAP!!! Depois de tantas desgraças … depois de ter um povo massacrado e assassinado barbaramente numa guerra desigual em todos os sentidos, eis o Vietnã reunido e trabalhando!!! Vale recordar o (grande campeão) Cassius Marcellus Clay, Jr. Convocado para lutar na guerra do Vietnã, recusou-se, e disse na tv: “por que eu deveria ir para lá? para matar pessoas que eu nem conheço, que nunca me fizeram mal algum? ora, se eu encontrasse um vietcong na selva, ofereceria para ele um chiclete, perguntaria pela família dele, poderíamos tomar juntos um café” … Claro que foi considerado como desertor e punido (perdeu seu título de campeão e foi proibido de lutar). Quando visitei Washington, estive no cemitério onde estão os norte-americanos que tombaram (55 mil) na guerra do Vietnã. Meu querido amigo (e anfitrião) Bob, enquanto olhava as gavetinhas onde repousam os rapazes mortos … me perguntou, muito triste: “Almério, por que nossos rapazes morreram lá? Para quê? O que nós tínhamos a ver com aquilo lá? Quantas famílias foram devastadas por causa desta guerra?” E eu disse para o Bob que também lamentássemos pelos quase dois milhões de vietnamitas mortos. Afinal, morreram defendendo seu próprio chão, enquanto os ianques eram os invasores. Bob abraçou-me e disse, arrasado: “Sim … este mundo é governado por estúpidos mesmo …” Foi quando eu o interrompi para dizer; vamos para o carro, vamos para o Memorial de Abraham Lincoln (que é pertinho). Após curtir momentos inesquecíveis junto a Lincoln, um dos mais extraordinários líderes, em todos os tempos … fomos para o Memorial de Jefferson (também pertinho), diante do qual ajoelhei-me e rezei um Pai Nosso. Jefferson talvez tenha sido ainda mais extraordinário do que Lincoln. Os turistas me perguntaram porque eu me ajoelhara diante de Jefferson. Eu estava tão emocionado que apenas disse: “Lincoln prosseguiu com a filosofia de governo de Jefferson; terras para todos, educação para todos, o governo ajudando a todos!!!” E construiu uma Nação incomparável, na ocasião.John F Kennedy dizia que iria prosseguir com a mesma filosofia de Lincoln. Não teve tempo para isto. Tentou acabar com a guerra do Vietnã, já em curso bem antes dele. Tão logo foi assassinado, o vice Lyndon Johnson imediatamente assinou pedidos junto a Boeing e Rolls Royce para a compra de aviões, helicópteros, tanques, fuzis e metralhadoras, etc … no valor de US$4 bilhões. Bem, mas aqui (como gostava de frisar Fiódor Dostoiévski) começa uma outra história.
    Glórias eternas a GIAP!!! E aos outros incomparáveis homens que escreveram a História, amantes que foram de suas Pátrias!!!

  8. Caro Francisco Bendl, saudações.
    Peço que leia o que escrevi aqui, sobre o general GIAP. Nada escrevi sobre HO CHI MINH(“aquele que brilha”) o líder principal do Vietnã do Norte (agora há um só Vietnã). Naquela ocasião, em plenos anos setenta, eu andava pelas ruas com camisetas bordadas na frente e atrás: HO CHI MINH, THE VICTOR (o vitorioso). Abraços para você, Francisco!!!
    (peço que me forneça seu e-mail, gostaria muito de publicar seu magnífico trabalho sobre a Cultura Árabe no meu blog; spadoconhecimento.com.br Hoje estamos com algo em torno de cinco mil visitas dia, e certamente meu trabalho estará enriquecido imensamente com aquela extraordinária obra sua).

  9. Prezado João Armínio,
    O Vietnã tem uma formação geográfica como se fosse uma meia lua.
    De modo a encurtar a distância entre o norte e sul – uma linha reta é a solução -, os vietcongs passavam por dentro dos países Laos e Camboja, diminuindo a quilometragem a ser percorrida na comunicação entre seus combatentes e envio de armas, alimentos e remédios.
    Kissinger, que à epoca da Guerra do Vietnã, nos governos Nixon e Ford, era Conselheiro de Segurança Nacional e Secretário de Estado, autorizou os bombardeios contra esses dois países e sem autorização do Congresso americano para evitar que essa trilha denominada Trilha Ho Chi Minh servisse como uma rede de caminhos e trilhas como ligação logística entre a República Democrática do Vietnã a República do Vietnã passando pelo Laos e Camboja durante a Guerra.

  10. Darcy, saudações
    A “Escalada” na guerra do Vietnã começou na manhã do dia 31 de janeiro de 1965 (Kennedy havia falecido em 22 de novembro de 1963), quando foram dadas ordens a um esquadrão de caças sediados em Okinawa/Japão para entrar em ação. O general William Westmoreland foi quem comandou todas as operações norte-americanas nesta guerra. Quando Kennedy assumiu, encontrou 17 mil marines no Vietnã do Sul, e disse textualmente que “não tinha nada a ver com aquilo”. Mas foi a partir da ofensiva do TET (Ano Novo Lunar) que os Estados Unidos decidiram entrar pra valer na guerra, invadindo também o Laos e o Camboja. Kennedy já havia partido há muito tempo. No filme JFK, do Clint Eastwood, vemos o presidente Kennedy discursando, ao vivo!!!, dizendo o seguinte:
    “Bebemos a mesma água. Respiramos o mesmo ar. O alimento, bem distribuído, é suficiente para todos. Então, pra que brigar?” Agora … ele mesmo se chamou de burro, quando aceitou a Invasão da Baía dos Porcos (Cuba), planejada ainda na gestão Eisenhower. “Como podíamos ter êxito se o povo cubano, mesmo armado pobremente, estava disposto a não se render nunca? Fui um “jackass” (tipo; burro demais!!!)!!! Assim ele expressou-se, como está no livro Os Mil Dias De Kennedy (que na verdade foram 1036) escrito por Arthur Schlesinger.
    Convido você, Darcy, a visitar meu site: spadoconhecimento.com.br Recebemos em torno de cinco mil visitas/dia, vindas de órgãos públicos, empresas e universidades de todo o Brasil. Lá você encontrará dezenas de artigos de minha autoria sobre a vida e a obra de memoráveis pensadores e filósofos.
    Grato pela atenção. Abraço!

  11. Mauro Julio Vieira, saudações.
    Sim!!! Vivo bêbado de felicidade e alegria, pelos amigos que vou fazendo nesta vida nada fácil …
    Mas devo acentuar que aprecio sim, um bom uísque e um vinho do nosso Rio Grande, além de uns chopinhos nos botecos da vida. Não sou “conhecedor” dos bons vinhos nem dos bons uísques, mas … de vez em quando … não é condenável curtir isto.
    Convido você a visitar meu site: spadoconhecimento.com.br
    Recebo algo em torno de cinco mil visitas/dia, estou presente em órgãos públicos, empresas e universidades espalhadas pelo Brasil. Lá você encontrará dezenas de artigos que escrevi sobre os grandes pensadores e mestres da filosofia. No total, pesquisadores apontam para mais de Um Mil e Trezentos Artigos de minha autoria, presentes em muitas empresas nacionais(SUL AMÉRICA, FOX MOBÍLIA, TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO, etc) e internacionais (XEROX, MET-Life, HARTFORD, etc). Estão todos na internet. O filófoso que mais admiro é BARUCH SPINOZA. O mais “cabeça” de todos, entretanto (deu início a praticamente todo o pensar do bicho Homem), foi e sempre será SÓCRATES. Há interessados em que eu selecione cem artigos para editar um livro na internet, mas não estou inclinado a isto.
    Caso visite também meu outro site, agoranaagora.com.br verá o que dizem deste humilde escritor, ensaísta, filósofo, contista, poeta … um dos ícones do Direito Criminalista do Brasil … um dos ícones do UFC … um cineasta, teatrólogo, etc

  12. O problema Almério, é que vc demonstra nítidos desequilíbrios emocionais, acarretando reações de desagrado nas pessoas com as agressões provocadas por essa condição que carrega.
    Minha posição não é religiosa como a sua.
    Por isso não me interesso por seguidores ou puxa-sacos.
    Nasci sozinho e vou morrer sozinho.
    Estou aqui com meus pensamentos, produtos de constatações trazidas por fatos concretos, muitos deles invisíveis a muitos, principalmente para quem perdeu a função do cérebro responsável pelo processamento dos fatos e se encantou com as fantasias criadas pela mente.

  13. ” Há homens que lutam um dia e são bons, há outros que lutam um ano e são melhores, há os que lutam muitos anos e são muito bons. Mas há os que lutam toda a vida e estes são imprescindíveis”
    Bertold Brecht

  14. Prezada Malu Freitas,
    Não vem ao caso se comunista ou democrata. A verdade é que Giap foi um general extraordinário, e deve receber homenagens pela sua astúcia, conhecimentos sobre estratégias e táticas de guerra.
    Foi o grande vencedor contra os Estados Unidos, a ponto de não se falar no comandante americano, Westmoreland.
    Mais a mais, ele estava defendendo a sua terra de invasores, e mais uma vez, pois onze anos atrás, em 1954, havia expulsado os franceses da sua terra e, em 1965, os americanos a invadiam para ser mandados de volta para casa, derrotados e humilhados, em 1975.

  15. Prezado Reginaldo Oliveira,
    Os fatos, meu caro, são irretocáveis, e a verdade sobre a derrota americana se mostra escancarada na quantidade de mortos durante a Guerra do Vietnã: mais de 58.000 homens.
    Um número exagerado para a maior potência militar à época, que recentemente (20 anos) havia vencido a Segunda Guerra Mundial como o principal responsável pela derrota do Eixo, independente da forma como os americanos terminaram aquele conflito, mediante os lançamentos de bombas atômicas em Hiroshima e Nagasáki.
    Uma vez que o uso de artefatos nucleares seria o fim da Humanidade, é claro que os Estados Unidos não iriam se utilizar desta arma no Sudeste Asiático, em face da Rússia e da China que imediatamente retaliariam os americanos na mesma proporção.

  16. Que importa se ele era comunista ou democrata? Não ser democrata não implica em ser comunista, e vice versa. Uma coisa nada tem a ver com a outra. Franco, Salazar, Mussolini. Hitler e os generais da ditadura brasileira nunca foram democratas, mas comunistas é que não eram.
    O quer importa é que Vo Nguyen Giap não rastejava.
    Em certas circunstâncias, e para alguns, rastejar é um meio mais efetivo de locomoção do que andar ereto, e os melhores rastejadores são os mais efetivos traidores, sendo também os que têm a picada mais mortal. Exatamente por isto é que o fabuloso Fidel Castro, contemporâneo de Vo Nguyen Giap, mandou carradas de rastejantes e traidores para o paredão.

  17. Com todo o respeito, prezado Bendl, o principal responsável pela derrota do Eixo foi Stalin, atuando a pedido de Roosevelt e de Churchill. E sem usar armas atômicas. Tomou de assalto Berlim e acabou com o nazismo. Nazismo alemão, por favor, já que nazistas entre nós é o que não falta.

    • Aqui tem até negro nazista. No ataque integralista contra Getúlio em 1937 tombaram alguns posteriormente identificados e fotografados que atiravam das árvores da rua Pinheiro Machado. A maioria dos atacantes eram mulatos integralistas, simpáticos a HItler, que, capturados, foram trucidados pelo torturador Felinto Müller. Como tudo no Brasil é sui generis, estou convencido que os mais grosseiros apregoadores do capitalismo aqui no blog são duros metidos a besta do gênero come como pinto e pensa que borra como pato.

  18. Há coisa de dois anos, amigos (não comunistas, mas sim budistas) visitaram o Vietnã e gostaram muito. Mais ou menos por essa época assisti uma palestra do representante do Partido Comunista do Vietnã no Brasil e ele disse que, atualmente, muitos jovens vietnamitas estão estudando nos Estados Unidos, perdoaram o invasor. Está acontecendo uma abertura democrática por lá. Tudo isso graças aos grandes general Giap e Ho Chi Mihn. Não se esqueçam que Giap também botou o Japão para correr, antes da França. A menina que ficou famosa na foto onde ela aparece correndo e chorando queimada por napalm, hoje uma sra, tb perdoou os EEUU, ainda tem sequelas corporais… li em entrevista na ocasião… Vietnã… belo país, bela gente.

  19. Paulo Solon,
    Deixa eu ver se melhoro este debate:
    Digamos que tu tens razão de um lado e tenho do outro, com relação às importãncias americanas e russas a respeito do término da Segunda Guerra.

    Fundamental é notar que somente a união da Inglaterra, União Soviética e Estados Unidos conseguiram derrotar uma potência extremamente forte e determinada como a Alemanha. Andrew Roberts destaca a importância das três potências. Quando a União Soviética estava irmanada com Hitler, por meio de uma acordo assinado em 1939, a Inglaterra resistia quase sozinha na Europa, “segurando” as forças nazistas e, com sua resistência, forçando o ditador a se decidir pela invasão do país de Stálin e Púchkin.
    Mais de quatrocentos mil britãnicos , exatamente 444.762 ingleses, entre militares e civis, foram mortos.

    Assim como Norman Davies, Roberts nota que foram os soviéticos “que derramaram os mares de sangue necessários à derrota da Alemanha e jamais se deve deixar de realçar que, para cada cinco alemães mortos em combate, quatro caíram na Frente Oriental. Essa é a estatística central da Segunda Guerra Mundial. O custo total para os russos atingiu a medonha cifra de aproximadamente 27 milhões de militares e civis mortos”.

    Se os americanos exageram sua participação na guerra, não se pode negar que foram decisivos para a vitória. “O custo norte-americano não se centrou primordialmente no sangue — 292.100 mortos —, mas na produção e distribuição de armamentos, no financiamento geral do conflito, no tamanho dos efetivos mobilizados, e nas bem-sucedidas campanhas travadas. (…) Os Estados Unidos gastaram US$ 350 bilhões na guerra, mais ainda do que a Alemanha e tanto quanto a URSS e a Grã-Bretanha juntas. Também mobilizaram 14,9 milhões de militares, mais do que os 12,9 milhões da Alemanha e o dobro dos 7,4 milhões do Japão.” Roberts conclui que “a Segunda Guerra Mundial foi um genuíno trabalho de grupo que requereu muitos esforços dos três principais parceiros, cada um ao seu modo, mas que acabaram se complementando.”

    Solon, em nome da verdade e porque não pode ser diferente, empatamos.
    Se os americanos não tivessem participado diretamente na Guerra, a chance de vitória dos alemães teria sido muito grande, mesmo com os russos tendo conseguido expulsá-los, mas somente lograram êxito em face do trigo e armamentos fornecidos pelos Estados Unidos a eles, principalmente os jipes, pois as armas emperravam com o frio e, os tanques Shermann, à gasolina, qualquer impacto que sofriam pegavam fogo!
    A comida e o transporte foram decisivos à Rússia se reerguer e colocar a sua produção de aviões, tanques e armamentos em franca e total produção, graças aos americanos.

  20. Francisco Bendl e Paulo Solon, saudações.
    Quem sou eu para me aventurar em comentários adicionais, diante do que li?
    Mas, faltou uma informação. No DIA D, com as tropas aliadas comandadas pelo general Eisenhower, chovia muito em todas as praias da Normandia. Os alemães encontravam-se destacados para as lutas em outras frentes, consideravam improvável um ataque em massa (como ocorreu). IKE atacou mesmo assim!!! Verdade que os nazistas lutaram com soldados de até 38 anos de idade, os jovens não estavam ali. Dado interessante. De cada quatro cadáveres encontrados, apenas um estava com a arma utilizada; os outros três não haviam feito um disparo sequer!!! Morreram, segundo relatos, rezando ou dirigindo-se às suas mães. O DIA D foi o mais gigantesco movimento feito em qualquer guerra, em qualquer época. O filme “Resgate do Soldado Ryan” também trata disso. Solon, obrigado. Bendl, obrigado!!!

  21. Almério, coração valente,
    o Dia D foi o maior de toda a História em movimentos de tropas já visto na História, a ponto de não se acreditar que daria certo pelas variáveis em jogo, principalmente o tempo, o clima.
    Mas foi elaborado pelos aliados em conjunto, e não somente com a participação americana.
    E, junho de 1944, as forças alemãs já estavam combalidas, apesar de ainda oferecerem resistência durante a sua retirada à Alemanha.
    Observa que mesmo depois do Dia D, ainda a Segunda Guerra nos apresenta batalhas de grande importância:
    1944
    Batalha de Cisterna- parte da Operação Shingle, plano de invadir a Itália pelo Aliados. Batalha que marcou o desembarque anfíbio na cidade italiana;
    Batalha de Monte Cassino – 4 batalhas na Itália entre janeiro e maio. Aliados (incluindo o Brasil) finalmente rumam para Roma;
    Batalha da Normândia – D-day. Invasão aliada no norte da França (Operação Overlord);
    Batalha do Mar da Filipinas – EUA perdem 123 aviões e destroem 315 aviões japoneses, batalha entre porta-aviões;
    Batalha de Arnhem – a maior batalha da Operação Market Garden. Os aliados alcançam mas falham em tentar cruzar o rio Rhino. Primeira divisão de Paraquedistas Inglesa foi quase aniquilada;
    Batalha da Floresta de Hurtgen – defesa Alemã impede progresso americano em solo alemão;
    Batalha de Aachen – primeira grande cidade alemã a ser invadida pelos aliados;
    Batalha do Bulge ou das Ardenas – contra onfensiva alemã no Saliente das Ardenas.
    1945
    Operação Elefante – ofensiva aliada para libertar os Países Baixos;
    Operação Bodenplatte – ultima investida da Luftwaffe nos aeródromos aliados no países baixos;
    Batalha de Iwo Jima – depois de um mês o EUA domina a ilha vulcãnica no território Japônes;
    Batalha de Seelow Heights – a última batalha em campo aberto em território alemão. Forças soviéticas e polonesas atacam o maciço de Seelow;
    Batalha de Berlin – Soviéticos cercam e capturam a cidade alemã, Hitler comete suicídio. Fim da Guerra na Europa;
    Batalha da Manchúria – Forças soviéticas libertam a região da Manchúria, da ocupação nipônica;
    Agosto de 45 – as bombas atômicas em Hiroshima e Nagasáki. O japão se rende. Termina por completo a Segunda Guerra Mundial, o maior conflito da História da Humanidade!
    Um abraço, Almério, meu caro

  22. Caríssimo Bortolotto,
    A isto chama-se DETERMINAÇÃO, que advém do MOTIVO para se guerrear, que é consequência de se DEFENDER o país invadido!
    Trocando a ordem:
    O Vietnã foi invadido; seu povo tinha de se defender da invasão; houve vontade para expulsar os invasores.
    Americanos:
    os americanos eram os invasores que vinham de outro Continente, faltando-lhes motivo para o combate porque seu território não estava ameaçado;
    Eram os inimigos a ser rechaçados porque invadiram território alheio, psicologicamente uma desvantagem;
    Faltou-lhes determinação para vencer a guerra porque eram os inimigos e invasores de um país, e de matar populações inteiras em face de confrontos ideológicos.
    Independente do poderio militar, Bortolotto, que tu bem o traduzes, os americanos foram fracos mentalmente para esta guerra, enquanto que os asiáticos e muito bem comandados pelo Giap, estavam fortemente decididos a expulsar mais um de seus invasores, e o fizeram com muita disciplina, patriotismo e determinação invejáveis!
    Um abraço, Bortolotto!

  23. E mais. Os norte-americanos lutaram totalmente drogados (maconha e ópio), tudo fornecido pelo próprio governo. Conta-se em quase 20% (vinte por cento) a quantidade dos que morreram no Vietnã em lutas entre eles mesmos e suicídios – tal como ocorre agora no Iraque e Afeganistão, só que em número imensamente maior.
    Francisco, sua análise é perfeita. Uma coisa é você ser o invasor, não ter uma causa para lutar e … ser contra a luta. Outra é você ser invadido e lutar pelo seu chão. Aí você luta mesmo!!! Oferece sua vida para a sua pátria!!! GIAP foi um exemplo de Nacionalista!!! Ah!, se tivéssemos um GIAP entre nós!!!

  24. Almério, meu caro
    Os americanos tiveram mais de 58.000 mortos, no entanto, quase o dobro ficou inutilizado!
    Pernas, braços, olhos, problemas mentais, síndrome de combates, angústias, paranóias, o ambiente das selvas que tu não vês o inimigo, a tensão nervosa permanente, o clima quente e únido, os mosquitos à noite, as emboscadas, o trabalho dos sentinelas, as patrulhas de reconhecimento, a falta de uma cama para poderes te esticar, a necessidade de sempre se estar fardado, a falta de higiene, de comida quente, o desespero porque se pode morrer a qualquer instante, a saudade da casa… sim, a saudade da casa!
    A célebre pergunta que os americanos mais se faziam em campo de batalha e fora dele, no Vietnã, era:
    “O que estou fazendo aqui?!”
    As drogas eram o recurso mais que natural para que suportassem as pressões exercidas sobre seus ombros e, vamos e venhamos, sem motivação, não há quem aguente!

  25. Grato, prezado Bendl. Mas os russos, como você bem sabe, já haviam derrotado os cavaleiros teutônicos em 1242, quando nem existia o chamado Novo Mundo, só descoberto por Christophorus Columbus em 1492. O príncipe pescador Alexander Nevsky derrotou-os quando dominavam a cidade de Pskov, atraindo-os para serem batidos na famosa Batalha do Gelo, a pedido dos cidadãos de Novgorod.
    Em 1938 a Russia estava prestes a ser atacada por Hitler.
    Mas reconheço. Você está certo do seu lado. Eu estou do meu.

  26. Estive no Vietnã na cidade de Ho Chi Minh e pude conversar com alguns locais sobre a vida que eles levam após o termino da guerra. Certo dia um homem de 50 anos com lágrimas nos olhos me contou que quando era criança as tropas do Vietnã do Norte invadiram sua casa mataram seus pais. Depois disso ele fugiu pra Singapura em um barco com uma tia.
    O que evidencia que como todas as guerras não há lado certo ou errado, mas convenhamos que um regime comuno socialista nunca foi bom e libertador pra ninguém, exceto pra quem está no poder.
    O exército Vietnamita do Norte executou, torturou, prendeu milhares de seus semelhantes em campos de trabalho forçado, apropriaram se de imóveis e bens de todos os cidadãos do Sul e isso ninguém conta.
    Esse senhor assim como outras pessoas que conversei durante a viagem me contaram que a vida lá melhorou sim, que os americanos ao contrário do que a esquerda brasileira pensa agiram como deveriam… E hoje em dia economicamente dizendo a vida lá é muito mais regrada e difícil do que antes da guerra.
    Então façam um favor a si mesmos, antes de enaltecer qualquer General Comuna que só sobreviveu com o apoio bélico da UrSs, busquem a verdade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *