A MP da Privatização e da Corrupção contaminou a Câmara. Copiando Menem, que também era corrupto, Dona Kirchner quer o terceiro mandato. Alckmin elegeu o presidente da TV Cultura, muita ambição, pouca audiência. Sobrinha de Fidel ajuda os gays em Cuba.

Helio Fernandes

Tenho sistemática e diariamente, evitado escrever, contra ou a favor, de chamada “MP dos Portos”. Não é a mais polêmica de todas as medidas que passaram pelo Congresso Brasileiro, pelo fato, simples e indiscutível, de que é a maior vergonha, a maior demonstração de corrupção, o grande e jamais ultrapassado escândalo desde que foi implantada a República.

Para início de conversa, tudo começa com um absurdo, que fere colossais interesses do país, destrói e desmonta tudo o que o PT apresenta como seu programa e sua história.

Querem PRIVATIZAR todos os portos estatais brasileiros, doando-os aos proprietários de portos privados, que ficariam donos de tudo, teriam o monopólio desses portos por onde transitam centenas de bilhões de dólares ou de reais, referentes a toda EXPORTAÇÃO e IMPORTAÇÃO do país.

É inegável citar ou relacionar pessoas ou empresas comprometidas, entrelaçadas ou interessadas nessa PRIVATIZAÇÃO dos portos. As digitais que não podem ser negadas de todos os que participam dessa fantástica negociata, são inapagáveis.

Surpreendentemente, os que “inventaram” essa MP e querem aprová-la, de qualquer maneira, e os que combatem a MP e querem derrubá-la, de qualquer maneira, são igualmente negocistas. Todos ganham fortunas combatendo a MP ou defendendo a MP.

A MODERNIZAÇÃO DOS
PORTOS É INDISPENSÁVEL

É evidente que toda a estrutura do país está com 100 anos de atraso. E nada mais exige reforma total e rigorosa do que os portos. Junto com rodovias, ferrovias, aeroportos e todas as formas de transporte de pessoas e de mercadorias.

Mas nada pode ser feito, colocando tudo sob o crivo de interesses colossais, marcado pelo crivo da privatização.

Combati todas as vergonhosas privatizações do desgoverno FHC, por que iria aprovar esta privatização igualmente calamitosa de agora? Nem digo “privatização do PT”, porque não é isso. Os partidos, sejam os maiores (PT, PMDB e PSDB), estão totalmente divididos. Os partidos médios e os menores, igualmente rachados.

Todo esse espetáculo de baixaria vem exatamente da divisão dos partidos. Dentro da mesma legenda, gente contra e a favor da MP, igualmente “conspiradores” contra o interesse nacional.

###

PS –Já se falava, tarde da noite, que mesmo que a MP fosse aprovada na Câmara, não chegaria a tempo (quinta-feira, amanhã), não daria para ser votada no Senado.

PS2 – Antes do acordo com a Constituição, Dona Dilma mandaria um decreto para o Congresso, exigindo URGÊNCIA – URGENTÍSSIMA. Seria votada em 45 dias.

PS3 – Não adianta. No bojo de tudo, estão a PRIVATIZAÇÃO e a CORRUPÇÃO, visíveis a olho nu.

SENADOR REQUIÃO
IRONIZA FHC

Numa entrevista na televisão, mandou um recado simples e claro para o ex-presidente: “FHC, sai de dentro desse corpo, ele não lhe pertence”. Tratava da nova postura do ex-presidente, como coordenador da candidatura Aecio. Quem perde é o mineiro.

GRANDES DEBATES
NA ARGENTINA

Os “hermanos” discutem (e até apostam alto) dois grandes assuntos. 1 – Quem rouba ou roubou mais: a atual presidente Cristina Kirchner ou o ex-presidente Menem? 2 – O ex-presidente, corruptíssimo, conseguiu se reeleger, e tentou, de todas as maneiras, o terceiro mandato. Não conseguiu.

Dona Kirchner, já reeleita, corre desesperadamente para o mesmo objetivo de Menem, o terceiro mandato. “Hermanos” da Casa Rosada tentam convencê-la a não tentar, não ganha. Só que ela é muito mais audaciosa e violenta.

NELSON BARBOSA
CANSOU DE ESPERAR

10 anos como segundo em 2 ministérios, não saiu do lugar, foi embora. O alegado “motivo particular” pode ser simplificado numa palavra: desesperança. Mantega esteve para sair várias vezes, não saiu.

Agora, pelo menos até o fim do primeiro mandato de Dona Dilma, ele não sai. Barbosa não tem mais paciência, esperar mais 19 meses? E se esperasse por uma certeza, vá lá. Mas Mantega, respondendo a jornalistas, alegre: “O ministro sou eu”.

A DERROCADA 
DE EIKE BATISTA

Amadorismo, exibicionismo e sensacionalismo arruinaram os negócios de Eike Batista. Sumiu das manchetes, até das páginas internas, os holofotes já não o iluminam tanto. O pai não esconde o desconforto, “deixei tudo para ele, aconteceu essa derrocada”. O pai está com a razão.

Se não fosse a Petrobras (leia-se: Dona Graça Foster), Eike estaria longe. Agora, a Petrobras anuncia: “Estamos conseguindo um empréstimo de 11 bilhões de dólares no exterior”. 1 bilhão, no mínimo, para cobrir “rombos” do Eike. Quem autoriza as maluquices do Eike com a Petrobras e com o BNDES (leia-se: Luciano Coutinho)?

A COMEMORAÇÃO DA ABOLIÇÃO, 
ESCONDIDA, ESQUECIDA POR TODOS

Embora não fosse o fim da escravidão sonhado pelo Brasil, pelo menos merecia uma lembrança. Foi lamentável, exatamente como a República. Os “abolicionistas” e os “propagandistas da República”, que lutavam há tanto tempo, miseravelmente derrotados.

Podíamos, pelo menos, ter festejado o fato do Brasil ter sido o último pais do mundo a se livrar dessa vergonha. Os últimos três a acabarem foram EUA (depois da guerra civil de 1860 e o assassinato de Lincoln, que assim mesmo aprovaram a emenda de 1866, com o fim da escravidão, Cuba e nós, lógico.

A SELEÇÃO: POUCAS SURPRESAS.
A MAIOR É FELIPÃO, TÉCNICO

Não influirá em nada o fato de alguns jogadores ficarem de fora e outros aparecerem. O Atlético, como melhor time do momento, no centro da polêmica. Ronaldinho, dado como certíssimo, não foi chamado. O excelente Bernard, de 20 anos, em capo. Justiça para Jefferson, voltou, foi dos melhores do campeão Botafogo.

###

PS – O presidente Marin e o Felipão, sem qualquer surpresa, “apelaram” para que todos se lembrem: NÃO É UM TIME, É O BRASIL.

PS2 – Felipão repetiu 9 vezes a palavra OBSERVAÇÃO, para justificar a visível hostilidade do público contra ele, e não contra jogadores.

PS3 – Dona Dilma, que gosta de se meter em tudo, ficou totalmente ausente, nesse mais de um ano que que Marin é que manda na CBF. Tem muitos meios para tirar esse execrável Marin.

PS4 – E Felipão é produto dessa complacência com o ex-servidor de Maluf e da ditadura. Marins é admirador público do torturador Fleury e ativo participante de tudo que aconteceu com Herzog.

PS5 -Não é dos meus hábitos assistir o programa “Bem amigos”. Mas sempre que dou uma passada, vejo quem está. Fiquei surpreendido que, na véspera da convocação, o único jogador convidado para o programa fosse o jovem (20 anos) Bernard, do Atlético.

PS6 – Registrei, não entrelacei com coisa. No dia seguinte, ontem, quando surgiu o nome do Bernard (excelente jogador), imediatamente lembrei da véspera e do Bernard no programa da Globo.

PS7 – Aí foi fácil concluir. Como a Globo é muito bem informada, principalmente em matéria de seleção, tudo estava combinado.

PS8 – Não fiquei aborrecido, gosto de boa informação, embora, aqui, a palavra mais adequada, fosse influente. Não perdoei a mim mesmo. E como estava sozinho, me recriminei em voz alta: “Hélio, você já teve mais velocidade como analista. Então, só foi perceber a armação no dia seguinte?”

 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

20 thoughts on “A MP da Privatização e da Corrupção contaminou a Câmara. Copiando Menem, que também era corrupto, Dona Kirchner quer o terceiro mandato. Alckmin elegeu o presidente da TV Cultura, muita ambição, pouca audiência. Sobrinha de Fidel ajuda os gays em Cuba.

  1. Caro Jornalista Helio Fernandes com esta dinheirama que o senhor Eike Batista recebeu e ainda recebe do BNDES e Petrobras até eu teria muitas empresas e negócios. Para ajudar empresários amigos o PT e sua turma estão sempre dispostos. Aliás Lula e Dilma que eram contra banqueiros hoje fazem de tudo para agradar os mesmos. Vc mesmo, caro e prezado Jornalista Helio Fernandes em 12 de abril de 2012 aqui no Tribuna da Imprensa online escreveu que Lula ajudou, através banco do Brasil, o banqueiro Antonio Ermírio de Moraes ajudando o mesmo a salvar o seu banco Votorantim. Ele Lula que tanto criticava banqueiros antes de chegar ao poder se rendeu aos encantos dos banqueiros brasileiros e de certos empresários brasileiros. Afinal de contas depois o que esta gente coloca dinheiro na contas do PT em época de eleição não é brincadeira. Para banqueiros e empresários amigos do PT tudo e mais alguma coisa. Agora para a minha querida e saudosa VARIG nada x nada. Obrigado pelo seu testo recente sobre o Julgamento do Processo da Defasagem Tarifária devida para a Varig e que teve um voto magistral da Exma. Ministra Cármen Lúcia. Esperamos que tudo termine bem para a Varig e para todos os seus ex.trabalhadores que há mais de 7 anos passam por séria e terrível situação financeira. Obrigado pelo seu texto.

  2. Prezado Jornalista Hélio:

    Aproveitando que citou o “nobre” e in”competente”, desgovernador de São Paulo, cito uma de suas declarações nesta semana depois de mais uma “saidinha” do palácio, autorizada pela Mídia Esgoto deste Páis.
    Veja o que diz geraldo/serra:

    “O povo não sabe de um décimo do que se passa contra ele. Se não, ia faltar guilhotina para a Bastilha para cortar a cabeça de tanta gente que explora esse sofrido povo brasileiro”.

    PS1: Será que tem coragem de vir a público e dizer o que nõs não sabemos nos 20 anos de Dinastia Francesa deste Estado?
    PS2: E os vários escandâlos de corrupção desde 1995 nesta “festança” e “bandalheira” das priva-doações neste Estado.?

  3. Tudo certo o que o ilustre e experiente Jornalista Hélio Fernandes escreveu a respeito dos Portos do Brasil. Ocorre que o Gov. Federal do Brasil arrecada 36% do PIB (Produto Interno Bruto), não consegue fazer 3,1% do PIB de Superavit Primário, para manter a Dívida Pública estacionária, e atualmente para fazer +- 2% do PIB em Investimentos em Infra-Estrutura, tem que pedir Emprestado de novo. Os gastos do Gov. Federal são enormes com Juros, Folha de Pagamentos, Desperdícios, etc, e mesmo arrecadando 36% do PIB, não sobra nada para Investir em Portos e demais Infra-Estrutura. Infelizmente essa é a situação em que estamos. Temos que partir para o Investimento Privado mesmo em áreas estratégicas como os Portos, ou não desfazemos esse gargalo que estrangula nossa Economia. Abrs.

  4. Caros senhores, teclado em ingles. O grande problema do Brasil eh a imprensa: Toda ela defendendo o indefensavel, esse PT ha exatos dez anos eh poder e esta simples mente acabando com o PAIS, e essa imprensa fica defendendo agora pode privatizar eh legal etc etc,onde ja se viu uma democracia onde quem manda eh o executivo e pronto. Cade a apreciacao dos mais de 3.000 vetos, nao deu em nada e a imprensa caladinha nem se lembra mais. A CUT e os Sindicatos pelegos, estao fazendo o que o executivo quer, caladinhos… Vao se reunir com o governo, quem ditou a pauta o executivo. FATOR PREVIDENCIARIO e JORNADA DE 40 HORAS foi vetado nao podem nem falar, e imprensa com esses jornalistas bajuladores caladinhos… TOMARA QUE ESSE PT DE LADROES FACAM LOGO COMO O HUGO CHAVES E A CRISTINA para acabarem de vez com essa imprensa VAGABUNDA ….

  5. Senhor Bortolotto, obrigada pela piada do dia. Estou rindo até agora. “Temos que partir para o Investimento Privado mesmo em áreas estratégicas como os Portos, ou não desfazemos esse gargalo que estrangula nossa economia.” “Investimento Privado” deve ser mesmo escrito com caixa alta, afinal, o ‘investidor’ – a fundo perdido, é claro é SEMPRE o mesmo: o POVO, através do BNDES (manjadíssimo :sustenta uma meia dúzia de “mais ricos”), BB, CEF etc…e o ‘gargalo’ nunca acaba…Não existe planejamento a curto, nem médio, nem longo prazo para o brasil; pegou ‘no tranco’ e vai descendo despenhadeiro abaixo acelerado, com a ‘politicalha’ e as elites (‘afilhadas’ do investidor) divertindo-se em seus ‘postos de trabalho’ lá em cima…esse S do bndes deve ser alguma ‘alfinetada’ de fino humor do falecido ‘bob fields’, só pode ser; era reaça, antinacionalista, ‘norteamericanófilo’ mas era um intelectual respeitável. Eu lia com prazer os seus artigos nos jornais, mesmo discordando 99,99% do seu pensamento! essa corja política de hoje é bem ‘afinada’ com o povo: é ‘duro’ lê-los/ouví-los falar do alto da ‘tribuna’: ‘nóis vai, nóis foi…’ é de amargar. A maioria dos pensadores de ‘direita’ era intelectualizada: professores, a maioria com Mestrado e Doutorado. Esses pseudo ‘esquerdistas’ de hoje em dia sequer conhecem o vernáculo; Gramsci, Althusser, Mao, nem pensar. De Marx só sabem, mal e mal, o nome e olhe lá! Não tem capacidade de debater idéias, defender seus pontos-de-vista por não possuirem nenhuma base teórica! A própria presidentE da re(s)pública parece que tem dificuldade de falar em públco, não é bem articulada, nem mesmo quando se trata de algum assunto da sua área de formação (Economia?); fala, depois a secom tem que ‘copidescar’ a sua fala. Que país é este?!

  6. Porque o econômico favorece a crise moral.
    .
    Em uma troca de e-mail entre amigos – fiz muitos durante a vida, principalmente militares, meio onde vivi – um deles me respondeu, entre indignado e espantado, que um outro, estava feliz com a conjuntura.
    Respondi: também eu, “hoje e pessoalmente”.
    .
    A economia, o imediato talvez tenha sido sim o grande achado e legado de Marx como aspecto principal, não exclusivo, da vida humana e reprodução dela. Desatentos, desinformados e mal-intencionados de todas as espécies, entretanto, tentaram e ainda tentam ostensivamente ou por vias travessas, fazer disso um determinismo exclusivo que seu fiel escudeiro Engels se apressou, desde cedo, em desmentir:
    “ Segundo a concepção materialista da história, o fator que em última instância, determina a história é a produção e reprodução da vida real. Nem Marx nem eu afirmamos, uma vez sequer, algo mais do que isso. Se alguém o modifica, afirmando que o fato econômico é o único determinante, converte aquela tese numa frase vazia, abstrata e absurda (Engels, Carta a Bloch)
    .
    Não se pode culpar as pessoas pela desatenção com o amanhã, com o futuro. Moral não enche barriga, não oferece saúde, segurança e educação.
    O instinto natural e primeiro de sobrevivência, o parecer civilizado, a sabida mortalidade, a passagem montada no efêmero, tudo insuflado pela mentira do progresso com o progresso da mentira limitam e pressionam o olhar para o agora. E o agora é a economia e a sociedade se é a soma do que são os homens, não é a soma do que eles dizem que são.
    .
    No entanto, basta uma maior atenção para perceber o crítico engodo econômico conjuntural brasileiro.
    É inegável. O mundo comercial e financeiro favorecido por sistemas políticos autoritários se fez globalizado:
    “Essas reformas por atacado foram iniciadas por um punhado de líderes em Países como a CHINA, A RÚSSIA, O MÉXICO, O BRASIL E A ÍNDIA. Esses pequenos grupos de reformistas freqüentemente se valeram da alavanca de sistemas políticos autoritários para libertar as forças de mercado de suas sociedades que eram abafadas pelo Estado. Lançaram (essas reformas) em seus países… SEM JAMAIS CONSULTAR O POVO” (Friedman, Thomas. O Mundo é Plano).

    Neste mundo globalizado, o Brasil se inseriu com um salário irreal (algo três vezes menor) determinado por decreto. Contamina toda a economia, a comprime e exaure o país que ainda se vê – por exportador primário que nunca deixou de ser – sob o jugo de um nefasto índice de relações de troca, ou seja, perde trocando recursos naturais por industrializados não fosse agravante um patamar de juros espoliante e uma política cambial suicida por sustentada por fundamentos falsos, contábeis, que a torna extremamente dependente.
    Servem-se disso, desse perigoso status quo econômico, governos autoritários. Observe-se o que diz Guerreiro Ramos:
    “ A unidade mundial da economia resulta, hoje, não propriamente de uma competição entre iguais, como se supõe no domínio da teoria pura, mas de um conjunto de relações entre dominantes e dominados, em que os primeiros exercem sobre os segundos influências dissimétricas e irreversíveis. Principalmente mediante macrodecisões sobre as divisas e transferências de capitais, monetários ou reais, as economias dominantes exercem sobre as outras economias uma influência decisiva diante da qual só resta as últimas adaptar-se, seja ativa, seja passivamente como é mais comum”.
    Horkheimer: “Hoje o desenvolvimento não é determinado tanto pelas existências médias que na sua concorrência são obrigadas a melhorar o aparelho material de produção e seus produtos, quanto pelas oposições em nível nacional e internacional de camarilhas de caciques nos diversos escalões da economia e do Estado ”
    .
    Não basta. A manutenção do poder serve-se de um ardil político. Tributariamente, animada por uma eufórica distração provocada por um sórdido e demagógico assistencialismo governamental que está levando a miserável população agraciada, ao ócio e ao vício. Distribui, presenteia o que retira do salário represado de quem produz, para quem nada produz estimulando a nada produzir. Quem tem por dádiva mensal R$300,00 é bem pouco provável que dedique um extenuante mês com as adicionais despesas, tendo por retribuição pouco mais de R$ 600,00. Dinheiro, contracapa da produção, não dá em pé de árvore.
    .
    Mais ainda. O único meio em um sistema civilizado e capitalista para conceder a única igualdade econômica possível, especificamente, a de oferecer oportunidades iguais, o que somente se faz provável com o previsto na Constituição Federal, via: SAÚDE, SEGURANÇA E EDUCAÇÃO foi, descarada e criminosamente, repassado para o setor privado deixando o colossal volume de tributos arrecadados disponível para uma estúpida corrupção estatal sem controle.
    Então, não há moral que resista.
    Arrego!

  7. E por falar em ajudar gay, com a devida vênia:

    .

    Sim, eu NÃO sou favorável ao “CASAMENTO” gay.
    .

    “Podem me prender, podem me bater
    Podem até deixar-me sem comer
    Que eu não mudo de opinião”
    .
    Aliás, não é o caso de ser favorável ou não. É porque o nome não muda a coisa. O casamento é uma união, mas nem toda união é um casamento. O Aurélio registra para o verbete casamento:
    .
    “S. m. Ato solene de união entre duas pessoas de SEXOS DIFERENTES, capazes e habilitadas, com legitimação religiosa e/ou civil.”. Ponto e pronto.
    .
    Tenho cabeça de padre, porém, boca de moleque de rua de periferia.
    “Não uso disfarce, não dissimulo no rosto o que não sinto no coração – E. de Rotterdam”
    Não enfio a cabeça na areia para me esconder da realidade. Uma coisa é explicar uma legítima opção sexual; outra, bem distinta, é mentir, escandalizar as gerações que chegam afrontando a ordem natural das coisas; legalizando eufemismos.
    Essa união espúria pode ser tudo, associação qualquer que vise preservar direitos e deveres que não ofendam os dos próximos ou que a lei não vede; tudo, exceto casamento.
    .
    A firme posição contrária vai além do nome; alcança as estúpidas e plenamente desnecessárias consequências.
    Descabe confrontar com a clareza ofuscante do art. 226 da Constituição Federal. Não, não se quer nem pretende a verdade, atender a lei e a ordem. O tempo é de revolução contemporânea via debochada e ostensiva desordem minando as instituições favorecida pelo que H. Arendt chama de Domínio de Ninguém. A mais terrivel forma de tirania:
    “Hoje poderíamos acrescentar a última e talvez a mais formidável forma de dominação: a burocracia, ou o domínio de um sistema intrincado de departamentos nos quais nenhum homem, nem um único nem os melhores, nem a minoria nem a maioria, pode ser tomado como responsável e que deveria mais propriamente chamar-se domínio de Ninguém…é claramente o (governo) mais tirânico de todos”
    Nossa CF é mera fachada, pois, sem independência entre os poderes (produzem uma a cada dia) fazem-na: Judas, Cigana e Bombril. Cabe sim apontar e ressaltar o sucesso da patente imoralidade. Talvez bem além do que pretendem os homossexuais sérios que nada mais almejam que o reconhecimento de uma união num contrato civil que preserve seus interesses pessoais.
    .
    Legalizar uma união estável como instituição “casamento” entre pessoas do mesmo sexo implica, necessariamente, em tornar legais condutas, deveres e direitos que caracterizam a instituição jurídica casamento. Despojá-la, assim, de sua natureza, violentá-la, estuprá-la, castrá-la. Ou seja, expor a sociedade a tudo àquilo que escandaliza se apresentadas em pessoas de mesmo sexo por ir de encontro à natureza das coisas, mormente do casamento que pressupõe sexo. Sexo porquanto:
    “Conformação particular que distingue o macho da fêmea, nos animais e nos vegetais, atribuindo-lhes um papel determinado na geração e conferindo-lhes certas características distintivas.”.

    Sem sexo, portanto, tem-se o denominado casamento branco. Aquele em que não se deu intercurso sexual. Ora, então, resta a essa união sexualmente espúria, a sodomia ou a masturbação. Opções pessoais que, se legítimas e mesmo de certo modo morais, contudo, nada têm a ver com a instituição casamento.
    Émile Durkheim, pai da sociologia, bem descreve o fato moral: “Cada indivíduo, com efeito, cada consciência moral exprime a moral comum à sua maneira; cada indivíduo a compreende, a vê sob um ângulo diferente; pode ser que nenhuma consciência seja inteiramente adequada a moral de seu tempo, e poderíamos dizer que em certo sentido não existe uma consciência moral que não seja imoral por certos aspectos ”
    .

    Esse tipo de união entre pessoas de mesmo sexo jamais resultará em procriação, motivação e razão últimas que unem os humanos na entidade familiar; instinto original que leva a perpetuação da espécie. E isto, ou seja, constituição de uma entidade familiar como a conhecemos, só ocorreu bem recentemente. Vide: “A Origem da Família da Propriedade Privada e do Estado” de Engels .
    O mais é marginalidade sexual que contamina a instituição casamento; expõe ao escárnio a paternidade responsável e as gerações futuras, que, abruPTamente, ver-se-ão frente a frente, tetê-a-tête com condutas públicas e privadas a que não estão acostumadas e que seus pais terão enorme dificuldade para enfrentar.
    .
    Pobre Brasil!
    Arrego!

  8. CPI dos PORCOS.
    .

    Confesso que não me anima examinar esta questão que já anda por aí com o codinome de MP dos PORCOS.
    Não sem razão, não é mesmo?
    Em pocilga não opinam pombos, tampouco cordeiros.
    .
    O que realmente me incomoda é esse açodamento que beira o assanhamento.
    Para extinguir o ECA e a maioridade penal não há pressa; dizem, é emocional, coisa de povo, de PPP.
    .
    Laranja madura na beira da estrada, tá bichada, Zé, ou tem marimbondo no pé.
    Hum!
    Vade retrum!
    Arrego!

  9. Prezada Sra. Dione Castro da Silva.
    Embora o que eu escreví não tivesse intensão de humorismo, confesso que quando a senhora colocou o BNDES na jogada, e o BNDES sempre anda ultimamente nesse tipo de Financiamento, reconheço que a senhora está certa e eu errado. É que na Teoria é uma coisa, e na prática outra. Abrs.

  10. Prezado jornalista, com frequência vejo ali na Av, Brasil, RJ, as paredes pintadas assim: “Trago de volta a pessoa amada” e tem o número do telefone. Quem sabe uma possível solução para a volta dos políticos que deixaram de ser éticos… via votos eu os amava muito. Pelo andar da carruagem… só apelando para as forças ocultas.

  11. Tá tudo dominado; Executivo, Legislativo e o Judiciário. Se alguns políticos (Poucos), estão decepcionados com a política Brasileira, imaginem os simples mortais.

  12. Autoridade no chiqueiro.

    Porquinho é o apelido do dep. Garotinho. Chamado carinhosamente por suas esposa Rosinha, parentes e eleitores da cidade de Campos e em todo o estado do Rio de Janeiro.

    Portanto, porquinho tem muita autoridade para falar de seus irmãos parlamentares do maior chiqueiro do Brasil. “Gongresso Nacional”

  13. Autoridade no chiqueiro.

    Porquinho é o apelido do dep. Garotinho. Chamado carinhosamente por sua esposa Rosinha, parentes e eleitores da cidade de Campos e em todo o estado do Rio de Janeiro.

    Portanto, porquinho tem muita autoridade para falar de seus irmãos parlamentares do maior chiqueiro do Brasil. “Gongresso Nacional”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *