A palavra sensata do Papa contra o tráfico e a liberação de drogas

Milton Corrêa da Costa

O Papa Francisco, ao posicionar-se claramente contra a liberação de drogas, citando inclusive a violência gerada pelo narcotráfico, durante seu discurso nesta quarta-feira, na inauguração, no Rio, de uma ala no centro de tratamento de dependentes químicos, do Hospital da Venerável Ordem Terceira de São Francisco da Penitência, afirmando que a solução contra o mal do século não é a sua liberação, mostrou, sem dúvida, o caminho do bom senso e da esperança na luta contra as drogas.

A chamada ‘corrente progressista’, que insiste, de forma insensata, na legalização de drogas, com sérios riscos para os mais jovens, de aumento do consumo e do número de dependentes, sofre pois um duro revés com o pronunciamento do líder da Igreja Católica, caracterizado pela fé e esperança na recuperação humana, não na permissividade..

Drogas não agregam valores sociais positivos e constituem um perigoso caminho de destruição de jovens e seus familiares, Quando não há prazer na convivência familiar, nos estudos, no trabalho, na prática esportiva, no lazer, na vida social, na religião, a droga pode se apresentar perigosamente ao jovem como uma falsa fuga.

Como mostrou o Sumo Pontífice o caminho é o da esperança e da auto-estima na luta contra as drogas, onde dois ex-dependentes, em suas narrativas de vida e experiências frustantes com drogas, durante a emocionante cerimônia, mostraram ao mundo que é possível superar o grande mal e reerguer-se para a convivência sadia, de valores positivos.

O Santo Padre deu o tom da fé e da esperança na luta contra as drogas. Que suas palavras sirvam de reflexão para os que continuam dominados pela praga que destrói seres humanos. Quem se ama não se droga. Francisco deixou clara a sua posição de bom senso e de amor ao próximo. Que Deus continue iluminando o missionário da bondade e do amor profundo aos mais necessitados.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

9 thoughts on “A palavra sensata do Papa contra o tráfico e a liberação de drogas

  1. A Bebida alcoólica é a porta de entrada, aquela geladeira cheio de CERVEJA, os dias festivos com o odor de cevada e Álcool, o consumo durante a gestação afirmando uma memória implícita a uma criança que nem nasceu , os comerciais com mulheres bonitas em Horário nobre, a relação entre futebol e cerveja, o próprio patrocínio da Copa do Mundo que relaciona DROGA A FUTEBOL, se vocês fazem parte desses cotiano não reclame se os filhos de vocês Usarem, Usam ou usaram drogas, Chega de Hipocrisia imbecil,idiota aquele que é viciado em cocaína é estimulado pela bebida alcoólica, só cheira cocaína quem bebe, só usa crack e metanfetamina quem não tem mais dinheiro para comprar cocaína, enquanto isso um comercio de Bilhões sendo desperdiçado pelo estado pelo simples fato do governo esta concedendo o monopólio da venda para os traficantes. Se o Papa soubesse que no Brasil Cerveja da mais dinheiro que Petróleo, que a política de introdução às drogas através de comerciais de Cerveja regado a muito ‘entretenimento’ e o grande vilão com certeza ele mudaria sua abordagem em relação ao assunto.

    O segredo de combate as drogas não é proibir, o sistema está montado, a demanda por drogas sempre terá, já houve fatos históricos em relação a proibição que só beneficia os corrupto, caixa dois de campanha com dinheiro de arrego, policiais corruptos, extorsões, violência e criminalidade sendo dado o tom com a deterioração da economia que socialmente se degrada também, já temos exemplos vívidos de combate às drogas, as leis ante fumo foi um sucesso, PROIBIR A VINCULAÇÃO DE PROPAGANDA, VENDAS EM LOCAIS PÚBLICOS, NÃO RELACIONAR O FUMO COM O ESPORTE, AUMENTO DO IMPOSTO NA FABRICAÇÃO, reduziram a demanda por cigarros, se fizerem com o Álcool diminui em mais de 50% o consumo e por consequência as suas drogas satélites, cocaína, crack e metanfetamina.

    A quem não interessa a legalização da Maconha, manter o estado repressor, fazer da violência comoção social nas mídias que desviam olhares da corrupção. Por que a MACONHA está sendo legalizada no mundo todo e quais são o motivo de tanto preconceito em uma droga de baixo potencial psicotrópico compara do com outras drogas??

    Ninguém preconceitua a pessoa que bebe nos finais de semana, a madame que toma uma pilula para dormir, que é viciada em aspirina mas a Maconha sempre foi mal vista pela sociedade porque é a droga dos escravos, fumo-de-Angola, você herdou o preconceito dos homens brancos,
    a MACONHA NÃO É PROIBIDA PORQUE ELA FAZ MAL A SAÚDE E SIM PORQUE VEIO PRECONCEITUADA ATRAVÉS DOS TEMPOS, A SIMBOLIZAÇÃO DO RACISMO ESTÁ INSERIDO NO PRECONCEITO A MACONHA.
    http://www.zerohedge.com/news/2013-07-12/cocaine-production-drops-fresh-21st-century-low

  2. CARO MILTON,

    Não sei se aí pelo Rio as drogas são proibidas, mas AQUI NO DF JÁ ESTÃO LIBERADAS!
    Em qualquer lugar é possível ver alguma criança ou adolescente curtindo o seu DIREITO CONSTITUCIONAL em paz!
    No tempo em que eram proibidas SÓ APARECIAM EM FESTA CHIC E NA UNB…

    Liberar?

    -SÓ SE FOR O TRÁFICO…

  3. Descriminalização das drogas é questão de tempo. O que deve-se exigir é que sejam restritas à uso doméstico e que, constatado o uso da mesma ao cometer um crime, a pena seja triplicada. A mesma metodologia que deveria ser aplicada na relação álcool x direção. Mas isto é tudo utopia tratando-se de Brasil. Questão de uma década pra se tornar a república dos “chapados”.

  4. Cá comigo, outro dia estava ouvindo uma entrevista com um médico falando especificamente da maconha; pesquisas constatam que provoca um certo enfraquecimento dos neurônios, que com o tempo passa a prejudicar o sono, etc. Conheço uma pessoa (consome apenas maconha e faz uso moderado do álcool); já se queixa de ouvir vozes …

  5. Milton Corrêa da Costa se equivoca quando coloca no pedestal da moral a referência do Papa sobre a questão das drogas ilícitas. A igreja católica se mostrou anacrônica aos anseios e a realidade da sociedade. E os governos estaduais e da Dilma temem reações de outras correntes religiosas sobre o assunto. Já está mais que provado que criminalizar o usuário do qual furta em razão do financiamento do seu vício é uma porta de entrada ao mundo do tráfico. A legalização geraria uma grande desmobilização do crime organizado, possibilitaria ao consumidor(eventual ou dependente) cultivar e produzir dentro da sua residência sua droga. Até mesmo no aspecto econômico seria vantajoso, uma produção em pequena escala poderia gerar renda e aquecer a economia. A proibição é ótimo em aspectos negativos: corrupção em todas as esferas do poder público, lavagem de dinheiro, aumento do comércio de armas….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *