A poesia buclica de Luiz Carlos Paran

O cantor e compositor paranaense Luiz Carlos Paran (1932-1970) usou dois estilos poticos, o buclico (Meu cafezal em flor) e o lrico (Ai menina, meu amor/ Minha flor do cafezal), os quais significam a descoberta, o cultivo, a beleza e o desencanto, para fazer a belssima letra de Flor do Cafezal, gravada pela primeira vez por Cascatinha e Inhana, em 1967, no LP 25 Anos, pela RCA Camden.

FLOR DE CAFEZAL

Luiz Carlos Paran

Meu cafezal em flor,
quanta flor meu cafezal
Ai menina, meu amor
Minha flor do cafezal
Ai menina, meu amor,
Branca flor do cafezal

Era florada lindo vu de branca renda
Se estendeu sobre a fazenda
Qual um manto nupcial
E de mos dadas fomos juntos pela estrada
Toda branca e perfumada
Pela flor do cafezal

Meu cafezal em flor, quanta flor meu cafezal
Ai menina, meu amor
Minha flor do cafezal
Ai menina, meu amor,
Branca flor do cafezal

Passa-se a noite, vem um sol ardente e bruto
Morre a flor e nasce um fruto
No lugar de cada flor
Passa-se o tempo em que a vida toda encanto
Morre o amor e nasce o pranto
Fruto amargo de uma dor

Meu cafezal em flor, quanta flor meu cafezal
Ai menina, meu amor
Minha flor do cafezal
Ai menina, meu amor,
Branca flor do cafezal

(Colaborao enviada por Paulo Peres – site Poemas & Canes)

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.