A praga da roubalheira, geral, antiga e conhecida

Welinton Naveira e Silva

O exemplo da integridade e competência, seguidamente demonstrado pela Polícia Federal – PF e Controladoria Geral da União – CGU, constituem alguma esperança de solução, apesar da consolidada descrença do povo, por conta da corrupta natureza da democracia capitalista. Pois que as elites não são bobas, jamais ficariam encurraladas e sem saídas. E nesse sentido, a justiça está aí, adequadamente configurada para livrar os grandes e poderosos corruptos das barras da lei, apesar de todo empenho, competente e árduo, da PF e da CGU.

Na maioria dos casos, poderosos corruptos continuam escapando das barras da lei através de brilhantes advogados junto com inúmeros recursos e brechas nas leis. Leis essas, feitas ao sabor e gosto das elites dominantes.

Se na poderosa China, com leis severas, inclusive com pena capital para corruptos e entreguistas, ainda assim, pelo que se vê nos jornais, semelhantes bandidos continuam por lá, com certeza que em números bem menores dos daqui. Agora, imaginem só o paraíso que temos para esses bandidos, com leis frouxas e adequadas à impunidade dos poderosos e/ou para quem tem muita grana, inclusive, para poder pagar competentes advogados.

Para por fim na nossa desgraçada corrupção (e entreguismo), grande responsável pelos nossos excluídos, só mesmo, com algo extremo e radical. Por exemplo, fazendo com que todo o corrupto, junto com o corruptor, assim que condenado, pagasse de volta ao Estado, o montante roubado corrigido para valor presente, multiplicado por 2 ou 3, dependendo do cargo e função ocupada. Se necessário para atingir o montante cobrado, buscar o que ficou faltando nos bens dos filhos, irmãos, pais, avós, etc. Tirar até o último centavo disponível na família, objetivando saldar integralmente, toda a dívida monetária e moral para com o Estado.

Caso acontecer das famílias ficarem absolutamente sem nada, na miséria, aí entraria a generosidade do Estado, concedendo-lhes um belo cartão (plastificado) para livre mendicância. Semelhante drástica providência, após ter transformado poderosos corruptos em mendigos, nunca mais haveriam outros, com certeza.

A partir daí, em pouco tempo os excluídos também seriam extintos. Pois  se contabilizarmos toda a grana que o Brasil perde pela maldita corrupção, nas suas mais variadas formas, tipos e natureza, possivelmente, o montante perdido por esse ralo, por ano, vai a mais de R$ 400 bilhões.

Mas, apesar de todas as evidentes vantagens e maravilhas de semelhantes providências, na democracia capitalista, isso é impraticável, pois que é lugar dos homens loucos, egoístas, perigosos e irracionais. Por isso mesmo, o mundo continua rumando para a derradeira guerra mundial, nuclear e definitiva.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *