A prevalência da Lei e da Justiça

Carlos Chagas

Março está terminando e há quem imagine não passar de abril. Fala-se da conclusão, no Supremo Tribunal Federal, da primeira versão do relatório do julgamento do mensalão. A versão definitiva só será redigida depois do julgamento dos embargos que os advogados dos condenados apresentarem. Na teoria, é possível que o plenário da mais alta corte nacional de justiça modifique algumas sentenças, determinando alterações no texto do relatório.

Os embargos precisarão ser apresentados em prazo rápido, após a publicação inicial, mas deverá demorar a sua apreciação, pois cada um deles será votado por cada um dos ministros. A previsão é de que apenas no segundo semestre tenha o processo transitado em julgado, momento em que os condenados serão conduzidos à cadeia, para cumprimento das respectivas penas. Melhor seria dizer “às cadeias”, pois terão a prerrogativa de ficar presos em estabelecimentos próximos de suas residências. Uns moram em São Paulo, outros em Minas, no Rio, até em Brasília encontram-se alguns.

A prisão parece o ponto culminante de todo o julgamento, tantos são os réus de renome e importância política. Uns precisarão apenas dormir nos presídios, passando o dia fora. Outros, porém, estão condenados ao regime fechado. Ignora-se a possibilidade de ocuparem celas comuns a outros presidiários, mas a hipótese permanece em aberto, na dependência das condições de cada penitenciária a que forem destinados. Nos primeiros meses, serão objeto da curiosidade geral, a começar pela imprensa, mas com o passar do tempo estarão inseridos no conjunto da massa carcerária. Todas essas etapas demonstram que a Lei e a Justiça, não obstante tantos percalços, ainda prevalecem entre nós.

VESTIDO DE ALMIRANTE

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso endereçou ontem à presidente da Academia Brasileira de Letras seu pedido para concorrer à vaga aberta com a morte de João de Scatinburgo. O portador foi o acadêmico Celso Lafer, seu ex-ministro de Relações Exteriores.

Apesar da resistência de alguns imortais, prevê-se a eleição do sociólogo, bem como sua posse de fardão, espada e o que mais tiver direito. Como os demais acadêmicos, vai parecer um almirante do século XVIII. Imagina-se que será saudado pelo maior de seus cabos eleitorais, José Sarney.

Os poucos que contestam sua candidatura indagam com que credenciais ele se apresenta, a ser verdadeiro o pedido feito antes de sua posse no palácio do Planalto, sobre esquecerem tudo o que ele havia escrito. Se os livros do passado não contam, os três escritos depois que deixou o poder bastariam?

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

2 thoughts on “A prevalência da Lei e da Justiça

  1. Enquanto houver a lei de imunidade e foru privilegiado, justiça social e justa distribuições de renda, são apenas falácias de demagogos e hipócritas para se elegerem e se manterem no poder acima da lei da justiça do bem, e do mal!

    E os presídios vão continuar superlotados, mas só de pobres!

    Quem não percebe que a lei de imunidade só serve para acobertar os políticos corruptos e os integrantes de suas quadrilhas; e que o foru privilegiado só serve para facilitar as vendas e negociatas de sentenças?

    Que adianta investigar e fazer CPI se acaba tudo em pizza de marmelada?

    Notem que a população estava idolatrando Joaquim Barbosa; mas e ai no que deu a CPI?

    Será que esta população de desinformados notaram que Lula havia promovido Joaquim Barbosa logo após Daniel Dantas o banqueiro bandido sócio do Lulinha ganhar a liberdade?
    Ai tinha dente de coelho!
    Ou vai dizer que Lula promoveu Joaquim Barbosa de graça? Político não faz nada de graça; quando este povo vai aprender, que no Brasil tudo esta girando em torno de troca de favores e negociatas?

    Abaixo assinado pelo fim da imunidade já!

    http://www.peticaopublica.com.br/?pi=Janciron

    ESTE É O PRIMEIRO PASSO PARA TERMOS UM PAÍS DEMOCRÁTICO, COM DIREITOS IGUAIS E JUSTIÇA SOCIAL!

    Leia, e se estiver de acordo, assine e ajude a divulgar!

  2. Epidemias x corrupções!

    O maior castigo para o povo Brasileiro!

    É a epidemia de dengue, a febre aftosa, febre amarela, a gripe suína, as injustiças, ou o comunismo?

    As verbas que deveriam prevenir o surto de dengue no Rio de Janeiro foram desviadas.

    E mesmo resultando na morte de mais de cem pessoas inocentes, não houve punição, e a mídia nada falou a respeito, devido às eleições e as alianças da época!

    Ó Pátria amada idolatrada Salve, Salve…
    Ou deixar a Pátria livre destes trastes corruptos, ou morrer de epidemia!

    De que vale a lei, a democracia, a liberdade de expressão, se o cidadão não puder ter acesso às informações, se seus direitos continuarem sendo desrespeitados, se os políticos continuarem usando os impostos do povo, e pagar a mídia sensacionalista, para distorcer fatos e esconder a realidade da população?

    Mesmo com tantas promessas de melhorias, estamos regredindo no tempo, prestes a adentrar em uma situação de ordem política, “talvez mais grave” que a daqueles tempos de império, ditadura e escravidão!

    A estória tende a se repetir!!!
    A diferença, é que hoje temos internet e pessoas cultas empenhadas em divulgar as informações verídicas!

    E nem todos somos mais submissos as trevas da ignorância desprevenida, criada pelo sistema político vicioso, destes hipócritas, oportunistas, mentirosos e corruptos!

    Quase toda a população é solidaria aos verdadeiros intervencionistas revolucionários, e a lava jato, por estar divulgando as maracutaias, que já deviam ter sido denunciadas há tempos!

    Não é justo pagarmos as mais altas taxas tributárias do planeta, para bancar mordomias, corrupções, desvios, e permanecermos submissos e omissos, com as explorações e desmandos.

    O “maior castigo, para os que não se envolvem em política, é ser governado por seus inferiores” (Platão)

    Não fosse tal evolução, sem duvidas “nós a população, regressaríamos ao tempo medieval escravocrata, “que deveria ser a vergonha na memória de todo ser, que se diz humano, digno e honrado”!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *