A privacidade acabou e a nave do crime flutuava livremente no espao sideral da internet

Resultado de imagem para privacidade charges

Charge do Gilmar Fraga (Arquivo Google)

Pedro do Coutto

O ttulo, creio, pode sintetizar claramente o episdio marcado pela invaso dos celulares do Ministro Srgio Moro e do Procurador Deltan Dallagnol, amplamente destacado pela reportagem de Aguirre Talento, Leandro Prazeres, Bela Megali e Jailton de Carvalho, edio de ontem de O Globo. O tema foi tambm abordado pelo O Estado de So Paulo, que ouviu especialistas em matria de comunicao pela internet. Entre os especialistas est o professor Jeferson Campos, da Universidade do Rio Grande do Sul. Para o Estado, a invaso se deu pelo sistema Telegram capaz de uma vez violado revelar detalhes que colocam em risco a privacidade.

Lembrei-me do grande filme de Stanley Kubrick, 2001 Odissia no Espao. A valsa Danbio Azul foi o tema sonoro adotado pelo autor da trilha sonora, o brasileiro Eumir Deodato.

VULNERABILIDADE – Qualquer pessoa pode se tornar alvo de hackers, uma vez que a defesa do sistema de privacidade levou a Polcia Federal a prender um grupo suspeito de comportamento criminoso. Desse panorama foi destacado pela reportagem de O Globo a vulnerabilidade das plataformas de segurana, uma vez ultrapassado um limite, permite o acesso de qualquer coisa.

, a meu ver, o eterno confronto entre o legal e o ilegal, entre o moral e o imoral. As redes de computadores refletem os impulsos nos seus vrios sentidos e nos diversos objetivos, entre os quais crimes financeiros, casos de chantagem, clonagem de cartes de crdito, acessos a contas bancrias. A imaginao dos ladres transforma-se num jogo de xadrez.

medida que o tempo passa as blindagens aumentam, mas aumentam tambm os ataques do crime.

LEI E CRIME – Os romances policiais de Agatha Christie e Conan Doyle, autor de Sherlock Holmes, retratam na fantasia a corrida eterna entre a lei e o crime. Cada vez que um crime ocorre nesse campo aumentam as invases por meio de curvas sombrias. Esse processo tem prevalecido atravs dos sculos.

As cortinas de proteo tm sido invadidas, incluindo-se nessa invaso repugnantes crimes que habitam crebros humanos. Assassinatos, roubos, agresses, trfico de drogas, enfim, etapas que colocam em risco a vida e a integridade da pessoa.

TUDO POR DINHEIRO – Alm disso, como no caso de Srgio Moro, ocorrem invases por dinheiro com finalidades que s os prprios criminosos podero revelar.

Os criminosos, entretanto foram descobertos pela Polcia Federal, por ironia do destino enveredando pelas estradas da comunicao que deram acesso aos invasores e as invases. Como complemento, o ministro Paulo Guedes tambm sofreu invaso em sua comunicao pessoal.

A privacidade acabou. O que fazer para reconstru-la? No tarefa simples, pelo contrrio.

2 thoughts on “A privacidade acabou e a nave do crime flutuava livremente no espao sideral da internet

  1. Pedro do Couto ests cada vez melhor e faze-nos refletir sobre crimes praticados por autoridades que nem sempre so considerados. Aonde quero chegar? Refiro-me as aes do Ministro do STF Barroso: O ministro legalizou a “marcha da maconha”(essa marcha no seria uma “apologia” ao crime? Em nosso cdigo penal o trfico da maconha crime. Uma marcha da maconha mesmo para pedir sua legalizao no deixa de ser “apologia ao crime”. Outro caso do mesmo ministro Barroso: Vai aos EEUU fazer uma palestra e diz alto bom som: “O STF est se autodestruindo”. Isso no seria um crime de “lesa a ptria”? Tambm foi relator de projeto de lei favorvel a descriminalizao da maconha. Deixo para quem quiser concordar ou discordar.

Deixe um comentário para AndreBR Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.