A saga do nordestino que busca trabalho na cidade grande

O poeta e campositor baiano Lcio Barbosa tornou-se conhecido, em 1979, quando sua msica Cidado foi gravada pelo cantor Z Geraldo no LP Terceiro mundo, da CBS.

Segundo Lcio Barbosa, a msica Cidado foi composta em homenagem ao seu tio Ulisses, cuja letra narra a saga de um homem que trabalha como pedreiro, mas em razo da sua condio humilde, no pode frequentar nenhuma das obras por ele construdas. A inspirao veio do fato do tio tambm ser pedreiro, ter construdo inmeras obras na cidade grande, mas no possuir casa prpria.

A msica aborda o preconceito e a discriminao que os nordestinos sofrem nas grandes cidades e faz referncia a alguns problemas sociais, tais como moradia, educao e trabalho. E o ttulo Cidado proposital para demonstrar distanciamento entre os indivduos privilegiados, em pleno gozo dos direitos civis e polticos, ou no desempenho de seus deveres para com o Estado e demonstra que a sociedade burguesa pode ser muito cruel, quando no considera as pessoas pobres como cidads.

CIDADO
Lcio Barbosa

T vendo aquele edifcio moo
Ajudei a levantar
Foi um tempo de aflio, era quatro conduo
Duas pra ir, duas pra voltar
Hoje depois dele pronto
Olho pra cima e fico tonto
Mas me vem um cidado
E me diz desconfiado
Tu t a admirado ou t querendo roubar
Meu domingo t perdido, vou pra casa entristecido
D vontade de beber
E pra aumentar meu tdio
Eu nem posso olhar pro prdio que eu ajudei a fazer
T vendo aquele colgio moo
Eu tambm trabalhei l
L eu quase me arrebento
Fiz a massa, pus cimento, ajudei a rebocar
Minha filha inocente vem pra mim toda contente
Pai vou me matricular
Mas me vem um cidado:
Criana de p no cho aqui no pode estudar
Essa dor doeu mais forte
Por que que eu deixei o norte
Eu me pus a me dizer
L a seca castigava, mas o pouco que eu plantava
Tinha direito a comer
T vendo quela igreja moo, onde o padre diz amm
Pus o sino e o badalo, enchi minha mo de calo
L eu trabalhei tambm
L foi que valeu a pena, tem quermesse, tem novena
E o padre me deixa entrar
Foi l que Cristo me disse:
Rapaz deixe de tolice, no se deixe amedrontar
Fui eu quem criou a terra
Enchi o rio, fiz a serra, no deixei nada faltar
Hoje o homem criou asas e na maioria das casas
Eu tambm no posso entrar

(Colaborao enviada por Paulo Peres – site Poemas & Canes)

2 thoughts on “A saga do nordestino que busca trabalho na cidade grande

  1. O nordestino saia de seus Estado para alcanar as cidades grandes , em especial So Paulo,
    Como no havia gua no Nordeste devido a seca constante, pensava que So Paulo, era o paraso das guas.
    Agora, com a Dinastia Corrupta Franco-Suia de 24 anos, acabou agua em So Paulo.
    geraldo/covas/vampiro/thc/aloyusio/anibal, dizem que garante gua at Outubro, pois querem “ganhar” mais uma eleio para se perpetuarem no cargo, pois “borrifam e vomitam” alter^nancia de PHODER s em Braslia, aqui em So Paulo como um “feudo francs”. s ele que sabem administrar.
    Depois de outubro , se ganhar as eleies, geraldo e sua gangue vai fazer um DUTO dqui at o Rio Nilo para “puxar gua” at Sun Palo……….

  2. Pingback: DURANTE 16 ANOS ESTA MSICA FOI TOCADA TODOS OS DOMINGOS NO PROGRAMA WILSON CABRAL, APRESENTADO POR ESTE BLOGUEIRO, NA RDIO DIFUSORA E RURAL DE MOSSOR, SEMPRE AOS DOMINGOS E COM 2 HORAS DE DURAO | www.baraunanoticia.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.