A segunda batalha de Itarar da Histria de So Paulo. Em 1932, armada, no houve. 78 anos depois, desarmados, Alckmin e Marta Suplicy, vitoriosos. Deve voltar tambm o Disque Qurcia para a corrupo.

So Paulo sempre teve enorme importncia. Pelo tamanho, pela produo de caf, pela populao, e quando as eleies passaram a ser verdadeiras (?), pelo eleitorado, o maior do pas. Na Repblica, os trs primeiros presidente foram de So Paulo (Prudente, Campos Salles, Rodrigues Alves), alimentando o ego individual e coletivo.

Isso se traduzia na elucubrao, que palavra, mas exata, do SEPARATISMO. Em 1918, Rodrigues Alves era eleito novamente, com 70 anos, impensvel para aquela poca, no tomou posse. No fizeram o presidente em 1919 (substituio de Rodrigues Alves) ou 1922. Mas em 1926 elegeram Washington Luiz, que era governador do estado.

Em 1924, na Cmara Federal, o aristocrata do caf, Alcntara Machado (que teve filhos destacados), respondendo ao que considerou agresso, retumbou: Paulista sou, de 400 anos. A frase foi muito citada, (sem o autor) se transformou em bordo ou porta-bandeira desse separatismo, (que s era mesmo para valer no Rio Grande do Sul).

Chegaram a criar o slogan, pr-fabricado e que hoje teria grande repercusso: “So Paulo uma locomotiva que carrega 21 vagos vazios”. Acreditavam mesmo nisso, embora os paulistas mais lcidos, alertassem: “So Paulo produz e vende, mas precisa do resto do pas como consumidor”. Com a derrubada de Washington Luiz e o fim do j escolhido presidente (Julio Prestes), o “separatismo” amainou.

Mas a grande derrota do orgulhoso separatismo, chegou 1 ano antes, com o chamado crack da Bolsa dos EUA, evidente repercusso total. O Brasil vendia 96 por cento de todo o caf bebido pelo mundo, sendo que 92 por cento plantados, colhidos e exportados por So Paulo. (Os outros 4 por cento se dividiam entre o Estado do Rio e o Esprito Santo).

Com a crise mundial, o Brasil passou a vender menos de um tero do que vendia. Em vez de administrar com inteligncia e objetividade, burrice em cima de burrice. Mantiveram os preos altos e como a produo ainda fosse enorme, passaram a QUEIMAR milhes de sacas, e depois, para esconder o fato, a jogar MILHES DE SACAS no mar.

A partir de 1931, tendo perdido o poder POLTICO, e desbaratado o prestgio ECONMICO e FINANCEIRO, passaram a defender a CONSTITUCIONALIZAO do pas, que enveredava para uma visvel ditadura. Acertaram, mas no precisavam da batalha de 9 de julho de 1932. Que valeu apenas pela empolgao dos jovens, motivados pelo jornal Estado de S. Paulo, na poca com grande prestgio.

Vargas dominou facilmente essa rebeldia, e depois da famosa Batalha de Itarar (famosa principalmente por no ter acontecido), dominou tudo, decretou a interveno em So Paulo. Quem nomeou interventor? Armando Salles de Oliveira, cunhado do doutor Jlio Mesquita, dono do jornal Estado de S. Paulo, que fomentara e alimentara a revoluo. No Brasil, a partir de 1889, sem nenhuma dvida, tudo merece a exclamao: Que Repblica. (To verdadeira e compreensvel que nem precisa da exclamao grfica).

O estado de So Paulo perdeu totalmente a influncia, caiu tanto que elegeu governador alguns dos maiores CORRUPTOS da Repblica. Chegou a se deliciar com o rouba mas faz de Ademar de Barros, no teve nem fora nem vontade para impedir a chegada, e-s-t-a-r-r-e-c-e-d-o-r-a, de Paulo Maluf, que era e continua sendo Ademar de Barros elevado ao quadrado.

Fabricou Janio Quadros, o ilusionista, que em 12 anos chegou de suplente de vereador (1948) a presidente da Repblica (1960), passando pela prefeitura e pelo governo do estado.

Com tudo isso, aceitaram sem o menor constrangimento todos os eleitos pela ditadura, e alm da incompetncia, ainda conviveram com a corrupo e o DOI-Codi.

Depois da ditadura, veio Franco Montoro, correto, mas fabricando o incorretssimo FHC, que inacreditavelmente (at para ele) chegou a presidente.

E entra na Histria como o mais DESTRUIDOR do patrimnio brasileiro, (com as DOAES) e o mais ENRIQUECEDOR de alguns economistas (e outros acompadrados) que ganharam BILHES e BILHES, com a transio do REAL, de 1 DLAR ( o equivalente) para 3 DLARES.

Nossa Senhora, que lucros espetaculares. Uma desafiadora fortuna em apenas uma semana, concretizada a volpia do enriquecimento ETERNO, COM O DINHEIRO VIAJANDO POR UMA SEMANA, da MATRIZ para a FILIAL, da FILIAL para a MATRIZ, e encerrando a ASSOMBROSA caminhada, definitivamente voltando para a FILIAL.

Desde Pedro lvares Cabral, foi o maior e mais COLOSSAL ENRIQUECIMENTO de um grupo, ao mesmo tempo que acontecia o ESPANTOSO EMPOBRECIMENTO do pas. E os AFORTUNADOS, quase todos de So Paulo. Jamais haver ESCLARECIMENTO sobre esse fato, at hoje desconhecido? Nem precisariam de 91 mil documentos, com muito menos, poderiam RESPONSABILIZAR e IDENTIFICAR os AUTORES desse FASCINANTE GOLPE FINANCEIRO. (Ou que outro nome possa ter, mas de qualquer modo, TOTALMENTE PAULISTALIZADO),

A ERA Covas foi de honestidade e inutilidade. E muita doena. Sem maiores profundidades, se juntou a Alckmin, que continua VIVO at hoje, enquanto Covas MORRERIA logo depois, com 70 anos completados pouco antes. Mas fez praticamente a carreira majoritria, menos nas campanhas e mais nos hospitais.

Em 1986, candidato ao Senado, teve que parar tudo por causa de um enfarte e trs pontes safenas. Saiu do hospital e se elegeu, no havia adversrio.

Em 1989, candidato a presidente, no foi para o segundo turno, mas teve quase 12 por cento dos votos, enquanto doutor Ulysses passava pouco dos 4 por cento. Na campanha teve outro enfarte, escondido.

A felicidade e o futuro de Geraldo Alckmin, vieram com a escolha para vice de Covas. Este, com a sade abaladssima, se elegeu para o mandato de 1994 a 1998. os dois primeiros com Covas sofrendo e os dois ltimos, o vice exercendo. Em 1988 Covas foi reeleito, mas a no exerceu nada, morreu em 2001, Alckmin assumindo o cargo que j exercia.

(Inconstitucionalmente, foi candidato em 2002, era o TERCEIRO MANDATO, que nem FHC CONSEGUIU. Constatem: desde 1994 Alckmin est a, sempre nas manchetes. E agora, novamente governador, s no ganha no primeiro turno, porque so muitos os candidatos).

Alckmin e Serra ficaram esses ltimos anos juntos, mas com Serra humilhando, desgastando e desprezando Alckmin. Em 2008 chegou a ponto de apoiar Kassab e fazer campanha a seu favor, abandonando o correligionrio (?).

Agora, Alckmin ficar em vantagem sobre Serra. Ser governador do segundo Estado da Federao, o amigo perder pela segunda vez para presidente.

Serra, que SABE QUE NO SER PRESIDENTE, no descarta a possibilidade de voltar ao governo de So Paulo em 2014. Estar com 72 anos, MOCSSIMO, segundo ele mesmo.

Acontece que muitos vencedores de agora, tm o mesmo projeto e ambio. Nada absurdo, investir (?) o segundo oramento da Repblica.

***

PS Comeando pelo prprio Alckmin, o mais moo de todos, agora com 58 anos, Aos 62, sem maiores cavalgadas, tentar se reeleger e no cargo, que maravilha viver.

PS2 Marta Suplicy, eleita agora aos 65 anos, (desculpe, no se diz a idade das mulheres) ter chance quase aos 70 anos. Tem uma biografia fascinante e conhecimentos que s a elite exibe, mas com vetos cristalizantes, que no diminuem. Em 1998 perdeu at para Maluf, o que no para contar aos netos. E quem governou? Precisamente o Alckmin de agora.

PS3 Qurcia, o mais velho de todos, mas com uma fortuna i-n-a-v-a-l-i--v-e-l, (enganou at a Organizao Globo na compra e venda do Dirio de So Paulo), est com 72 anos. Pode (ou DEVE?) se eleger senador. Foi governador em 1986, senador em 1990, quer voltar, 20 anos depois.

PS4 Como se v pelo maior estado da federao, o que falta ao Brasil CREDIBILIDADE e RENOVAO. Todos os que dominam e concorrem agora, j CONCORREM DESDE SEMPRE.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.