A sucessão está nas ruas, acelerada por Dilma e Campos. A eleição no Estado do Rio, 5 candidatos, apenas 3 verdadeiros. Sérgio Cabral quer ser embaixador na França. Mesmo sem público, o Maracanã não passou no teste da reinauguração.

Helio Fernandes

São  vários os que pretendem a partir de 2015 (ganhando em 2014) trabalhar no Planalto e morar no Alvorada. Não tenho preferência nem simpatia, mas quem está em situação privilegiada é Dona Dilma. Não é de hoje que afirmo e reafirmo: “Ela só perderia se o adversário fosse Lula”.

Mas sempre deixei bem claro que o PT não teria dois candidatos. Poderia haver a candidatura Lula (e bem que ele tentou, não conseguiu), mas não ultrapassou dois obstáculos: 1 – A doença, seu câncer (já eliminado) teve muita repercussão. 2 – A ligação esdrúxula e extravagante com Eike Batista (quase garantindo o Porto do Açu) e as viagens com empreiteiras-construtoras, em grandes negócios pelo mundo.

(A palavra não é bem negócio, é mais longa. Só que, desavergonhadamente, alguns deles vieram a público, “criamos empregos no Brasil faturando no mundo. Nosso interesse é só esse”. Esqueceram que a herdeira de um deles é a “terceira” fortuna do Brasil, na lista da Forbes).

Não desviamos do assunto sucessão, eles são sempre grandes participantes-financiadores. Por enquanto (aparentemente), quatro candidatos: Dilma, Campos, Aécio, Marina. Aécio tem legenda, mas sem os votos de São Paulo. Dona Marina acredita que tenha votos, mas não tem nem partido. Dona Dilma garantida pela máquina e mais pelo ex (Lula) do que por ela mesma.

Dona Dilma pode se reeleger no cargo maior de presidente, não precisa se mudar do Planalto ou do Alvorada. Mas se numa alucinação puramente hipotética, resolvesse disputar outro cargo (governador, senador, deputado federal ou estadual). Quer dizer que a jurisprudência clássica de “quem pode o mais pode o menos” não vale no Brasil? Que República.

Ninguém ainda levantou ou esmiuçou essa questão, deixo para depois, temos tanto tempo até março de 2014. Para Eduardo Campos, esse é o limite. E o acordo com o PDT, que tem o vice de Pernambuco?

VERGONHA, VEXAME, FAVOR E
PRIVILÉGIO PARA KASSAB, DISCRIMINAÇÃO
PARA PARTIDOS QUE ESTÃO SURGINDO

Essa decisão de cortar direitos para os partidos de Dona Marina e do Paulinho da Força, nada surpreendente, é típica do apogeu da corrupção que domina o país. Nem escondem: a Rede de Dona Marina e o Solidariedade do deputado sindicalista, se não fossem discriminados, poderiam crescer e aparecer com um candidato presidencial.

E os 9 dos 29 partidos, que não elegem um só representante? Mesmo recebendo dinheiro do Fundo e totalmente ignorados, usando a televisão “gratuita” todo ano?

O que seria correto? Deixar os partidos surgirem, existirem (/), mas sem qualquer privilégio, enquanto não conquistassem representatividade. O Partido Verde, na Alemanha, ficou anos apenas no papel, não elegia ninguém. Agora é importantíssimo.

CASAMENTO GAY NA FRANÇA

Depois do Parlamento da França aprovar o casamento entre pessoas do mesmo sexo, a ministra da Justiça, Christiane Taubira, comentou o fato. Foi direta, sensível, sintética, definitiva: “Não tiramos nada de ninguém e demos um direito às pessoas que não tinham”. Isso pode, pelo menos, servir de reflexão para quem for contra ou a favor.

DESPRENDIMENTO E GENEROSIDADE SOCIALISTA

O grande pianista (foi secretário de Cultura) Artur Moreira Lima é socialista. Morou muito anos na Rússia (União Soviética), sempre me diz, esportivamente: “Helio, leio, escrevo, converso correta e correntemente em russo”. Verdade.

O mais importante não é isso. De tempos em tempos, às vezes de mês em mês, bota seu piano num caminhão e vai tocando de cidade em cidade, de graça, nas ruas mesmo. Atrai multidões, que pedem até para tocar determinada música.

Relevante e emocionante: deixa seu caminhão e o piano em uma cidade, volta de avião. Chegou do Piauí, o caminhão e o piano estão lá, guardadíssimos pelos moradores. Quando tiver tempo, vai lá, continua a trajetória que faz com o maior carinho, o povo ouve emocionante. (Agora está em Paris, convidado pela ONU, tocando em homenagem).

O NOVO PRESIDENTE DO PARAGUAI

O país, de 6 milhões de habitantes, precisa urgentemente de industrialização, no setor ainda estão na “idade da pedra”. Pois elegeram o homem mais rico do país, enriquecido com produção agrícola. Que além do mais, não serve à vida e sem à morte.

É lógico que não trabalhará para criar indústrias, o que está faltando. A “representatividade”, como sempre e mais uma vez, não representa nada. Dona Dilma foi das primeiras a cumprimentá-lo, o mesmo que fez com Maduro na Venezuela. Isso se chama coerência na insensatez.

DILMA: “DESFAVORITISMO”

A presidente aparece em rádios, jornais, televisões, e nos mais diversos grupos, já com mais 4 anos garantidos. Só discutem se haverá segundo turno. Mas não é o clima palaciano ou pessoal. Ela só discute o assunto, só pensa e fala em 2014, mas sem o entusiasmo de “quem já ganhou”.

A propósito: por enquanto não existe alarme ou perigo de derrota para Dona Dilma. A fraqueza dos adversários reforça a candidatura dela. Perigo à vista: Dona Dilma tem 61% do horário “gratuito” de televisão. Com os discursos chatíssimos, vazios e monótonos que vem fazendo, esse tempo não é favor e sim contra.

A IMPORTANTÍSSIMA ELEIÇÃO PARA GOVERNADOR
DO ESTADO DO RIO, 5 NOMES, 3 CANDIDATOS

Talvez seja uma das mais difíceis e disputadas de 2014. Três que podem ganhar: Garotinho, Lindbergh, Pezão. Um sempre derrotado fora do município, Cesar Maia. E outro, importante participante do MDB da ditadura, mandava mais que o “governador” Chagas Freitas, reconheçamos, em franca recuperação, Miro Teixeira. 13 anos ditatorial, 20 democrata. Escolham. Só que não tem votos majoritários,

Por hoje, acho que basta. Falta muito tempo, e é preciso considerar a instabilidade e o desgaste de Sergio Cabral, pseudônimo do vice Pezão.

O ainda governador lamenta o futuro, nem sabe o que pretende. Sem brincadeira: gostaria de ser embaixador na França (Paris). Ficaria 2 ou 3 anos, como é moço, voltaria com mais biografia e voracidade.

DONA DILMA NO MATO GROSSO DO SUL

Segundo a Folha, a presidente foi a Campo Grande dar um “puxão de orelhas” no governador do PMDB. Há 45 anos, eu ia para a mesma cidade de Campo Grande, desterrado-confinado-sequestrado. Dona Dilma ficou 24 horas, este repórter, 60 dias.

PS – O Maracanã não passou no este de entrada e saída do público. E isso, ressalte-se, registre-se, ressalve-se: não havia público. Só os 21 mil trabalhadores que construíram o estádio.

PS2 – Belíssimo, mas disfuncional. O Maracanã é ainda o símbolo nacional e carioca. Só que dos 200 mil de 1950, agora apenas um pouco mais de 79 mil. Mas o desprezo pelo público, total. Fora serviços essenciais, que não funcionaram.

PS3 – Em 1966, na Inglaterra (quando o Brasil foi eliminado na chave), fui duas vezes a Wembley. Sozinho. Estava no Grosvenor House, no Hyde Park. Saía do hotel, andava 400 ou 500 metros, pegava o metrô, 20 ou 25 minutos depois, chegava.

Ps4 – Saltava numa praça enorme, em frente ao estádio, mostrava minha credencial, entrava, via o jogo. Na saída, a mesma tranqüilidade em sentido inverso.

PS5 – Ontem à tarde, terminando às 16h43, um discurso extraordinário de Mario Coutto. Quem é? Senador que conquistou novo mandato pelo Pará. Duríssimo, “emparedando” Dona Dilma.

PS6 – Ele é do PSDB, estava fazendo a oposição que não existe. Também não existe ninguém da base. Mario Coutto não recebeu um só aparte, nenhum senador subiu à tribuna para defendê-la. Pelo menos no Senado não há governo. Só no Senado?

 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

13 thoughts on “A sucessão está nas ruas, acelerada por Dilma e Campos. A eleição no Estado do Rio, 5 candidatos, apenas 3 verdadeiros. Sérgio Cabral quer ser embaixador na França. Mesmo sem público, o Maracanã não passou no teste da reinauguração.

  1. Caro Helio, parabens pela análise, nos mostra como está dificil a “politica”, a politicagem está solta e desenfreada. Ao vermos a hipocrisia sair vencedora, nos dá desânimo, os politiqueiros só pensam no poder para se darem bem, e o povo que fique escravisado pelo SMM-M de miserável. Dia 01 de maio, nada à comemorar, o trabalhador, continua a levar “ferro”.
    Escola, escola,que ensine, onde estás tu, para abrir a mente do “Zé Povinho”, para agir com consciência e dignidade, para transformar essa politicagem em “POLITICA”.
    Helio, que Deus te abençõe, com muita saúde e longa vida

  2. A meu ver a Economia Nacional pode ser repartida em 4 partes: Empresas Estatais, as quais contam com caloroso apoio do Governo Dilma, e naturalmente o apoiam 100%; Empresas Privadas Nacionais, as quais contam com morno apoio do Governo Dilma, e que o apoiam também mornamente; Empresas Multinacionais principalmente Industriais (espinha dorsal na Indústria Automobilística), tem o apoio entusiástico do Governo Dilma e o apoiam sob condições; e o poderoso Capital Financeiro/Bancário Internacional e Nacional, que tem a oposição do Governo Dilma, foram maltratados pelo Governo Dilma, e naturalmente não o apoiam, mais deduzo, querem a sua derrubada. Como o setor Financeiro/Bancário Internacional/Nacional, é dono de boa parte do Capital Industrial, e tem muita influência nos meios de Comunicação de Massas, vemos que o Governo Dilma está com o apoio da minoria: Capital Estatal e Privado Nacional. Não é uma situação confortável. Não sei se o Povo está preparado para separar o joio do trigo. Muita coisa deve acontecer até a Eleição Presidencial de 2014. Abrs.

  3. Eu fico a pensar como Aécio que recebeu muito beneficios do governo LULA, se reelegendo governodor e o gov Eduardo Campos, parecendo um TRAIDOR, podem conseguir votos para um deles chegar ao segundo turno. Essa coisa de um Aécio elogiar Eduardo Campos e vice-versa, não funciona para o eleitor ou não dá voto. A maior safadesa é chegarem ao ponto de defenderem os JUROS ALTOS, Eduardo se aliar a gente da pior espécie como Serra, DEM, Jarbas Vasconcelos, Roberto Freire [outro traidor]. Com esta elite arcaica que o Brasil tem podemos chegar a convulsões sociais, por que a desmoralização, hoje, é muito grande.

  4. Dr. Hélio Fernandes, esse gesto do grande pianista Artur Moreira Lima é raríssimo. Os pianistas de músicas chamadas eruditas (ou clássicas) só se apresentam em concertos, em grandes Teatros, no Brasil e no Mundo. Não sentem o cheiro do povo, mas o perfume e as palmas das elites. Vi Moreira Lima, muitos e muitos anos atrás, tocar no Circo Voador, na Lapa. Ele é assim, é do povo, gosta do povo e toca para o povo. Tudo isso é grandeza e evolução. Conheci sua filha, muitíssimo parecida com o pai. Trabalhava no Gabinete do Juiz da 13a. Vara Cível, Dr. Célio Murilo de Magalhães Ribeiro, um talento de juiz que foi a desembargador e morreu, não faz muito tempo. A filha do magnífico Moreira Lima era esposa do Dr. Lyra, então presidente do Instituto dos Advogado Brasileiros, quando, 25 anos atrás, lá tomei posse como Membro Efetivo. Tenho certeza de que o inigualável Artur Moreira Lima alcança o pleno Estado de Graça quando toca seu piano dentro do caminhãozão, para o povão, na praça pública. Eu, que também toco piano desde os 8 de idade (hoje tenho 67), mas que nem chego perto de Moreira Lima, me emociono quando me apresento em presídios, hospitais e favela do Rio,
    imagina Artur Moreira Lima, tocando nas praças públicas desse Brasil inteiro, com plateia sentada no chão, ou nos troncos das árvores, na capota de veículos…É muito mais emocionantes do que se apresentar no Theatro Municipal do Rio ou no Salão Pleyel de Paris.
    JORGE BEJA

  5. Gostaria de saber o que este Eduardo Campos fez que está tão prestigiado. Sinceramente, a única coisa que sei dele é que é neto do Arraes.

    Uma coisa é certa neste processo sucessório. O PSDB irá amargurar para sempre a emenda da “reeeleição” como escreve Hélio Fernandes.

  6. Índios dizimam o PT em Roraima. Um belo exemplo para o Brasil.

    Antes de Raposa Serra do Sol, o PT dava banho em Roraima. Depois de Raposa Serra do Sol, não há um só deputado estadual, federal ou vereador em Boa Vista do partido naquele estado destroçado. O governador é tucano. Dilma levou uma esfrega do Serra em 2010, assim como Lula já havia sido derrotado por Alckmin em 2006.

    Este é o exemplo a ser seguido pelo Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Bahia, onde a FUNAI, sob a vista grossa da Dilma, está expropriando legítimas propriedades rurais, como fez em Roraima. Leia aqui o post do Questão Indígena.

    do blog do Coronel

  7. Discurso bom foi o do Garotinho, detonando com a Globo, verdadeira organização criminosa. O Mario Coutto só voce não conhece: dilapidou a assembléia legislativa do Para quando exerceu a presidência da casa. Andava de fusca. Agora está milionário

  8. Vislumbrando o panorama eleitoral pela ótica antiga, do velho continismo da mesmice, e fazendo uma anatomia da votação nacional por esse prisma, olhando-o no retrovisor, vê-se que, de fato, Aécio hoje, a exemplo de Serra ontem, é , de fato, um forte candidato a depositário fiel da votação das direitas (do centro à extrema), mas para chegar lá, no segundo turno, vai ter que robolar, e muito. Nesse cenário, Campos e Marina apenas tirariam votos apenas de Dilma (do centro à esquerda), segmento natural do trio situado mais à esquerda, com chances de fortalecer ainda mais este segmento, muito embora, a esta altura do campeonato eleitoral, Marina e Campos não contam mais com a confiança nem da esquerda e muito menos da direita. Em assim sendo, num eventual segundo turno, caso o efeito copa do mundo o permita, Aécio, PPSDEMB-agregados e cia da mesmice, levariam outra taca do PTMDB-agregados, aliás, a quarta consecutiva, que é o que eles estão querendo, ao que parece. Tudo isso sob o prisma do velho continuismo da mesmice, é claro, mas se o Fato Novo de Verdade (HMM-PNBC-ME-RPL), conseguir furar os bloqueios e entrar na cena eleitoral de 2014, para fazer o contraponto ao velho continuimo da mesmice, à moda quem pode fazer mais pelo Brasil e pelo povo brasileiro, doravante, aí o Bicho pode pegar, não obstante o fenômeno Copa do Mundo. A desgraça e azar eleitoral de Aécio (ppsdemb-agregados) é que, na moral, no jogo limpo, a direita não cola mais no Brasil. E sem projeto novo e alternativo então, nem pensar. Como diria o “Nerso da Capitinga”, sem Projeto Novo e Alternativo a direita morreu.

  9. SOMENTE UMA DUPLA COM AÉCIO A PRESIDÊNCIA E MARINA A VICE PODERIA MUDAR O QUADRO DA DISPUTA, SENÃO VAI DAR DILMA NOVAMENTE. ACORDA ELEITOR POIS O SEU VOTO VALE MAIS QUE UMA BOLSA DA MISÉRIA E PODE MUDAR O RUMO DESTE PAÍS, PONDO FIM ESSE CONTINUISMO SEM PERSPECTIVA DE MELHORA!

  10. A sucessão está nas ruas, e a violência também.
    Só que nossos “grandes” políticos parece que estão num mundo fora da realidade dos aconcimentos.
    Aguardaremos até onde vai a carnificina diária brasileira

  11. A propósito de Sergio Cabral, vi outro dia no canal EURONEWS TV uma entrevista de um técnico ou jogador de futebol na Europa, não me lembro bem o time ou o técnico, aquele tipo de entrevista em que um grande painel atrás mostra logotipos de empresas privadas. Pude ver perfeitamente o nome GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO anunciado. O governador Sergio Cabral deveria vir a público explicar a razão pela qual o dinheiro dos contribuintes do estado do Rio é usado desa forma no estrangeiro. Não havia sequer um apelo turístico para justificar tal gasto.

Deixe um comentário para laco silva Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *