A vitória de Trump você leu primeiro aqui no blog da Tribuna da Internet

No ano 2000, Simpsons já previam a vitória de Trump

Jorge Béja

A GloboNews não sai do ar. A cada hora a emissora apresenta o seu costumeiro noticiário de 30 minutos, sempre atualizado. E se algo de anormal e importante acontece no Brasil e no mundo, a notícia é imediatamente dada pelos jornalistas e apresentadores de plantão. Quando a GloboNews é a primeira a noticiar, aparece na tela da televisão, bem em cima na legenda referente à notícia, a nota de fundo vermelho e letras brancas com a frase “Você viu primeiro aqui na GloboNews”. Mas se constata agora que este blog da Tribuna da Internet foi o primeiro a noticiar a vitória de Trump.

Este excepcional privilégio, que nenhum outro blog do mundo tem, visto que todos os demais são estáticos e só noticiam e comentam horas depois do fato ter acontecido, se constatou nesta madrugada de ontem (terça-feira) para hoje (quarta-feira). Quem ficou ligado na Tribuna da Internet pôde acompanhar os momentos que antecederam à divulgação da contagem dos votos na eleição americana até à proclamação final do resultado que deu a vitória a Trump.

COMO FOI – E tudo isso aconteceu graças à vigília da jornalista Ofelia Alvarenga, que não dormiu, acompanhou a divulgação dos resultados parciais e noticiou, com exclusividade, que Donald Trump foi o vencedor. Aconteceu assim: nosso editor, jornalista Carlos Newton, publicou na tarde de ontem a matéria da Folha intitulada “Hillary chega ao dia da eleição com dianteira frágil sobre Trump”. Isso foi ontem à tarde.

Como Ofelia Alvarenga não dormiu esta noite, ou foi dormir muito tarde, ela acompanhou a apuração. Ficou atenta ao noticiário vindo dos Estados Unidos e com seu computador ligado e aberto na Tribuna da Internet, precisamente no espaço dos comentários do referido artigo.  E fez três decisivas e importantes intervenções.

A primeira foi às 22:38h (10:38 pm). Escreveu Ofélia: “Ouvi a TV dizer que Bush não votou nem em Hillary nem em Trump. Tal como Susan Sarandon“. A segunda foi aos 34 minutos de hoje, (12:34 am), madrugada de quarta-feira: “Parece que vai dar Trump. À 01h33 há uma tendência do mapa americano avermelhar. O mundo assustado“. E a terceira e última intervenção foi a notícia da vitória de Trump que Ofélia Alvarenga postou às 3:24 da madrugada: “Os americanos aguardam a declaração de vitória de Trump. Ele já venceu Hillary“.

UM BLOG E TANTO – É, Carlos Newton. Ter um blog como este seu (e de todos nós) não é para qualquer um. Somos todos privilegiados. A GloboNews não sai do ar. E muitas das notícias que a emissora divulga traz a chancela “Você viu primeiro na GloboNews”. A Tribuna da Internet, que também é dinâmica e não sai do ar, pode também estampar aquele aviso, com esta frase “Você leu primeiro aqui na Tribuna da Internet”.

Desta vez foi por causa da dedicação da jornalista Ofelia Alvarenga, uma escritora e comentarista de primeira grandeza, que colabora para que nossos leitores estejam atualizados e saibam o que acabou de acontecer em cima da hora. E graças também ao nosso Virgílio Tamberlini e a outros participantes, que volta e meia inserem nos comentários a notícia sobre fatos que acabaram de acontecer. Obrigado, Carlos Newton. Obrigado, Ofélia Alvarenga e Virgílio Tamberlini. Ambos são de muito valor e muita importância para este blog da Tribuna da Internet.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Gratíssimo, Dr. Béja, por suas belas palavras de reconhecimento à extraordinária Ofelia Alvarenga. Como sempre faço questão de dizer, este blog pertence a quem nele escreve. Sou apenas o editor que organiza a encrenca. O fato concreto é que a Tribuna da Internet é cada vez mais lida, especialmente pelos jornalistas, que nos usam como fonte de pauta e análise. Esta semana, por exemplo, a Folha publicou que “a mídia classificou de pacote de maldades o projeto de Pezão”. Bem, onde se lê “a mídia”, por favor leia-se “a Tribuna da Internet”, que assim classificou o projeto, logo após ser anunciado, e o apelido viralizou. E agora vamos em frente, sempre juntos. (C.N.)

32 thoughts on “A vitória de Trump você leu primeiro aqui no blog da Tribuna da Internet

  1. A Ofélia além de ser uma pessoa muito bem informada, é super irônica. Outro dia ela publicou um conto sobre o ‘bobo’ e se há pessoa que não tem nada de boba é ela…

      • Caro Lucas Silva … sds!

        Cansei de comentar por aqui que havia necessidade de COALIZÃO – em que se acerta um PROGRAMA DE GOVERNO – e depois se escolhe Ministros para realizá-lo; claro que Ministros dos partidos que participaram da elaboração do Programa … não houve tal Programa nem houve Coalizão.

        Governo de base de apoio ou de base aliada era um só partido minoritário impondo seu Programa por meio de quê??? ??? ???

        Assim como não havia este programa comum … também a eleição foi diferenciada … … … quantas vezes o senhor viu Temer aparecer no horário eleitoral??? foram campanhas diferente; pois, Temer fazia o que podia no convencimento do PMDB … preciso desenhar??? abração!!!

    • Meninos, ganhei o dia com tanto elogio. Valeu a pena ficar sem dormir, se bem que foi por insônia mesmo, talvez atiçada pelo noticiário que não queria perder.

      E não, Bortolotto. Não foi feeling. Meu computador agora marca 14h37 e a TI marca uma hora a menos.

      Merci, escrevo em francês por causa do Dr. Béja, que, segundo contou, morou muito tempo na França com sua mulher e é o autor desse belo artigo elogioso.

      Vou dizer que não gosto? Que nada. Elogio é bom. De vez em quando. Ou a gente fica sem-vergonha.
      Escritora, comentarista de primeira grandeza, extraordinária, bem informada, super irônica e que nada tem de boba.
      Posso confessar? Nada tem de boba foi o que mais gostei, gente.

      Ih, sou boba tantas vezes…

      Amo estar aqui com vocês.
      Obrigada mesmo.
      Ofelia

  2. Final dos anos 70 (1978), tempos do Carter, os jovens americanos tinham um comportamento embuído na idéia de que todos eram heróis, líderes; igualavam-se no modo de vestir, todos carregando um pente de cabelo no bolso de trás do jeans.
    Ser um US Mariner era um sonho heróico a almejar …

    Final dos anos 90 (1998), tempos do Clinton, primeiro presidente eleito depois o chamado “fim da guerra fria”, os jovens americanos viviam ainda o sonho americano.
    Uma média de 913 soldados americanos morreram a cada ano da administração Clinton.

    Final dos anos 00 (2008) tempos do Buscha, os jovens americanos conviviam com o espectro do Terror, todos buscando emprego no Homeland Security.
    Colocar um óculos escuro, um coldre preso a calça e arrumar emprego na segurança nacional era o que havia de emprego disponível, num país em crise.
    Uma média de 947 soldados americanos morreram a cada ano da administração Bush.

    Final dos anos 10 (2018) tempos do Trump, ?? ?? ?? ?? ?? ???

  3. Algumas informações que ouvi na BBC e que podem ajudar a esclarecer a vitória de Trump:

    Composição demográfica/étnica do eleitorado americano:
    Brancos – 70%; Negros – 12%; Latinos – 11%; Asiáticos – 4%;
    Proporção dos votos dos negros e latinos que Obama obteve em 2012: 93% e 80% respectivamente;
    Proporção dos votos que Hillary obteve dos votos dos negros e latinos em 2016: 88% e 65%
    respectivamente;
    Estados em que os Democratas perderam em 2016 e que não perdiam desde 1992: Michigan, Pensilvânia, Wiscousin.

    O desempenho de Clinton entre as minorias, pior do que o de Obama, influenciou decisivamente a sua derrota.

  4. Oportuno registro do dr.Béja quanto à atualização da Tribuna da Internet ser mais ágil que os demais órgãos de informações!

    Da mesma forma, parabenizo a Ofélia que, atenta aos escrutínios da eleição dos Estados Unidos, nos deu em primeira mão a notícia sobre a eleição de Trump, contrariando todas as pesquisas que anunciavam Hillary como vencedora.

    O que vai acontecer com o mundo e conosco, particularmente, uma incógnita.

  5. Somando tudo que foi lembrado sobre a eleição americana nesse artigo do Dr.Jorge, e pelo Moderador, sobre a eleição do Trump e a notícia do resultado pela -TI em primeira mão – graças a Dona Ofélia, só gostaria de acrescentar que também preconizei a vitória do neófito político Trump, pela imensa maioria dos olhos azuis.
    Para mim uma eleição voltada para os anos dourados, prometendo reviver os passados anos 50 e 60 em busca do sonho americano.

  6. O macaco chines(dizem que jamais errou) já havia previsto a vitória de Trump, ao beijar seu retrato em detrimento do de Hilary. Esse histeria toda em relação a vitória de Trump tem um nome muito simples e é fundamental para uma democracia de verdade: alternância de poder.
    Em tempo: Trump não era meu preferido.

  7. Parabéns ao Jornalista por gastar o tempo dele oferecendo este espaço a todos na esperança de fazer um país melhor.
    Parabéns aos “tribunários” citados pelo nobre jurista!

  8. Sinceramente e com todo respeito, às 4h45 havia apenas projeções. O resultado final saiu ali por volta das 5h05 no horário de Brasília. Ah! Venezuela, Coréia do Norte e Cuba estão tremendo nas bases com a vitória do Trump. Principalmente, os comunistas e petistas têm o que temer.

    • Sem relação de causa e efeito, a eleição de Dória, em São Paulo, Kalil, em Belo Horizonte, Crivella, no Rio, e Trump nos EUA mostra, de forma inconteste, que o eleitorado está cheio de falsas promessas e cansados dos políticos conservadores. Agora, só falta o PT desaparecer do mapa e Lulla sair de cena por completo para que a festa seja em todos os tons.

    • Sinceramente e também com todo respeito, fui reler os comentários que a leitora Ofélia Alvarenga postou na matéria intitulada “Hillary chega ao dia da eleição com dianteira frágil sobre Trump”, postada ontem, 8/11. E constato que na madrugada de hoje, 9/11,realmente, às 3:24 Ofélica escreveu:

      “Os americanos aguardam apenas a declaração de vitória de Trump. ELE JÁ VENCEU HILLARY”.

      Nada mais é preciso dizer, sinceramente e com todo respeito.

  9. Vai ser interessante um presidente da construção civil … é a primeira a sofrer na crise … é a última a sair dela.

    Trump tem hotel no RJ … e tem planos de construir 5 torres na zona portuária do RJ … tem poucos investimentos fora dos EUA … … … mostra interesse pelo RJ.

    Jesus mostrou seu saber aos 12 anos, conforme qualquer judeu para entrar na maioridade.

    Temos dificuldades no Brasil, pois antigamente saber ler era sinal judaizante nos cristãos-novos … não saber ler era confortável às famílias de então!!!

    Obrigado, Mestre Bortolotto.

  10. Achávamos que nossos cidadãos não votariam em Donald Trump, um candidato notoriamente desclassificado para a Presidência, de temperamento instável e amedrontador.Pensávamos que a maioria dos americanos tinha valores democráticos.Ainda que estejamos longe de acabar com o preconceito racial e a misoginia, nos tornamos mais tolerantes e abertos com o tempo.Estávamos errados,”[…]”Temos de pegar os cacos e seguir adiante”, afirmou um cético Paul Krugman,prêmio Nobel de Economia de 2006.

  11. Enquanto todos, aqui e no mundo, estavam voltados para a eleição americana, André Moura (Ali Baba) e os outros “quarenta” tramavam para passar na surdina projeto de lei sobre a leniência que, segundo divulgaram, barraria a delação da Odebrecht. Não vejo ou ouço nada sobre o que aconteceu. Aprovaram na calada da noite, ou não?

  12. TRUMP teria sido eleito por um grande número de
    evangélicos por causa da liberação do aborto(?);
    Diante das celebridades que apoiavam a Clinton,
    TRUMP disse que só tinha a sua família como referência-
    todos lindos,louros,de olhos azuis,bem vestidos
    tudo cinematográfico…);debochou com ironia da
    Clinton, dizendo que o lugar dela era na cadeia,,,
    São muitos os comentários que não vale a pena escrever. Temos que pensar no nosso Brasil,,,,,

  13. Não consegui controlar a tentação, ou melhor, a curiosidade, e telefonei hoje para senhora Helen, a londrina naturalizada brasileira, hoje com 101 anos, lúcida e neta do escritor irlandês Oscar Wilde e que, recentemente, foi assunto de um dos artigos de duas ou três semanas atrás aqui na Tribuna da Internet. Dela cuido, com toda dedicação, com todas as forças e recursos. Ela só me tem. E eu só a tenho. E sempre vou vê-la para prover o que precisa ser provido. A senhora Helen é pessoa lúcida, culta, independente, vai às compras sozinha no mercado ao lado da casa dela. E gosta de viver só. Mas são 101 anos de idade!!!

    E no meio da conversa, perguntei sobre a vitória de Trump. Eis a resposta, em breve síntese.

    “Fomos nós, os nossos antepassados inglêses, que foram povoar as colônias americanas. São laços que nunca se romperam e não se romperão. Foi bastante surpreendente a eleição desse candidato que não defende outras etnias, outras culturas, outros povos. Para ele apenas o importante é a América do Norte, o seu pais, os Estados Unidos e os americanos. Meu pai era também londrino como eu e morreu na 1a. guerra defendendo a França. Minha mãe, meu tio e eu viajamos para o Brasil e todos nos naturalizamos brasileiros, com muito orgulho e somos muito agradecidos a este país e seu povo. Me preocupa a radicalização. O planeta Terra é de todos. Essa divisão em nações é política e geográfica. As gentes, os povos, formam uma só raça, a raça humana. Sinto preocupação pelos estrangeiros que trabalham na América do Norte e estão lá sem legalidade. Também me preocupa o ressurgimento de um perseguição contra os optantes por gênero. Meu avô sofreu no cárcere essa perseguição da era vitoriana. Como cristã presbiteriana só me resta pedir a Deus por todos nós que dele somos sua obra e em nós Ele reside.
    O senhor que está anotando o que estou dizendo pode publicar na página que o senhor escreve e que eu sempre leio, que é a Tribuna da Internet e
    transmita aos leitores meu encantamento e minha gratidão por viver tantos anos no Brasil, desde Niterói e depois no Rio de Janeiro”.

    Pronto, aí está a declaração pausada, lenta, num português bem articulado e sereno da senhora Helen, aposentada do INSS e neta de Oscar Wilde.

    Ainda perguntei se a senhora Helen gostaria de mandar uma mensagem para Donald Trump. Eis a resposta:

    “Ele me parece um homem de negócios, bem e mal sucedidos. Tem cassinos, teve muitos amores, sinto que vive de prazeres e dos lucros financeiros. Não sei se ele sabe quem foi meu avô. Se já leu alguma obra do escritor. Pelo que aparenta, parece que não. E não será de uma neta sua que ele vai ler com interesse o que eu escrevesse para ele. Que ele faça um muito bom governo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *