ABI repudia decisão que proíbe Globo de veicular documentos do Caso Queiroz: “Atropelo à liberdade de expressão”

Charge do Duke (otempo.com.br)

Caio Sartori
Estadão

A Associação Brasileira de Imprensa soltou nota neste sábado, dia 5, para repudiar a decisão da juíza Cristina Serra Feijó, da 33ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio, que proibiu a TV Globo de veicular documentos da investigação contra o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ). O filho ’01’ do presidente Jair Bolsonaro está prestes a ser denunciado no âmbito do processo sobre as chamadas ‘rachadinhas’ de quando era deputado estadual.

“Parece estar se tornando praxe no país a censura à imprensa, tal como existia no tempo da ditadura militar e do AI-5”, diz a ABI. “É mais um atropelo à liberdade de expressão. É urgente que o STF restabeleça o império de lei.”

CHEQUES DE QUEIROZ – A associação, cuja sede é no Rio, aproveitou para endossar a pergunta que viralizou nas redes sociais depois que Bolsonaro atacou um repórter que lhe perguntou sobre os cheques de Fabrício Queiroz, suposto operador do esquema de Flávio. A nota é assinada pelo presidente da ABI, Paulo Jeronimo.

“A propósito, sabe-se que os recursos da chamada ‘rachadinha’ alimentaram vultosos depósitos na conta da primeira-dama. Por isso, cabe mais uma vez a pergunta, ainda não respondida pelo presidente da República: Afinal, por que Fabrício Queiroz depositou R$ 89 mil na conta bancária de Michele Bolsonaro?”

A decisão já havia sido criticada pela Associação Nacional de Jornais (ANJ) na noite de ontem. “Qualquer tipo de censura é terminantemente vedada pela Constituição e, além de atentar contra a liberdade de imprensa, cerceia o direito da sociedade de ser livremente informada. Isso é ainda mais grave quando se tratam de informações de evidente interesse público”, apontou a entidade.

###
ÍNTEGRA DA NOTA DA ABI

Censura volta a ser praxe,  como na ditadura

Parece estar se tornando praxe no país a censura à imprensa, tal como existia no tempo da ditadura militar e do AI-5.
Decisão da juíza da 33ª Vara Cível do Tribuna da Justiça do Rio proibiu, nesta sexta-feira, a divulgação de qualquer documento relacionado com o esquema das “rachadinhas”, a pedido dos advogados do senador Flávio Bolsonaro.

É mais um atropelo à liberdade de expressão.

É urgente que o STF restabeleça o império de lei.
A propósito, sabe-se que os recursos da chamada “rachadinha” alimentaram vultosos depósitos na conta da primeira-dama.

Por isso, cabe mais uma vez a pergunta, ainda não respondida pelo presidente da República: “Afinal, por que Fabrício Queiroz depositou R$ 89 mil na conta bancária de Michele Bolsonaro?”

10 thoughts on “ABI repudia decisão que proíbe Globo de veicular documentos do Caso Queiroz: “Atropelo à liberdade de expressão”

  1. EVANGELHO DE FLÁVIO BOLSONARO : “CONHECEREIS A CENSURA E ELA VOS LIBERTARÁ”

    Reprodução/Instagram Leonardo Sakamoto Colunista do UOL 04/09/2020

    A Justiça baixou censura sobre a TV Globo ao impedir que ela divulgue documentos da investigação que corre contra Flávio Bolsonaro. Em outro tempo e local, isso seria um escândalo. Hoje, chamamos de cotidiano do Rio de Janeiro. A juíza Cristina Serra Feijó, da 33ª Vara Cível do Rio, decidiu que a população brasileira não tem o direito de conhecer mais detalhes do esquema que desviava salários dos servidores da Assembleia Legislativa para o bolso de Fabrício Queiroz e, de lá, para o da família Bolsonaro.

    https://noticias.uol.com.br/colunas/leonardo-sakamoto/2020/09/04/evangelho-de-flavio-bolsonaro-conhecereis-a-censura-e-ela-vos-libertara.htm?cmpid=copiaecola

  2. A OJB – defendeu em nota oficial e no facebook o Jornalista e Blogueiro Oswaldo Eustaquio – que já deve ser o mais novo filiado a OJB – Brasil 2020.

  3. Atenção a OJB talvez única no Brasil que divulgou uma declaração oficial no site e no facebook em apoio a todos os Jornalistas e Blogueiros e em especial ao Oswaldo Eustaquio, que devem está já filiados na OJB no Brasil neste 2020. Confira no http://www.ojb.org.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *