Abusadores das mentes juvenis

Percival Puggina

Que está em marcha uma estratégia para utilizar a rede de ensino com o objetivo de fazer a cabeça da juventude, ideológica e partidariamente, é fato evidente e sabido. Seria necessária muita alienação para ignorar o que se passa nas salas de aula do país e sobre o perfil dos profissionais que, há décadas, com Paulo Freire debaixo do braço, comandam a Educação dos desafortunados e abusados estudantes brasileiros.

Que a sociedade seja pluralista, é uma coisa. Outra, bem diferente é, em nome do pluralismo, chamarem libertadora uma educação que abusa da infância e da adolescência. E o faz para instilar, com mais afinco do que em relação a qualquer outra coisa, conceitos e valores não desejados famílias e contraditórios com sua orientação espiritual e filosófica.

Se você pensa que isso ocorre apenas na rede pública de ensino, está enganado. A utilização ideológica da sala de aula, as “explicações” marxistas para quaisquer fatos históricos, sociais, ou econômicos, vêm acontecendo com absurda tolerância também na rede particular de ensino. Os processos de infiltração seguem à risca os ensinamentos de Gramsci. E assim, em nome da liberdade de cátedra, inúmeros professores (quando não, estabelecimentos inteiros) dedicam-se a esse insidioso processo de doutrinação.

MANIPULAÇÃO

Quando você, pai, mãe, matricula seu filho d numa determinada escola particular, o faz tendo em conta a orientação filosófica ou religiosa que ela segue. Se você for católico, evangélico ou israelita, provavelmente optará por um estabelecimento de igual confissão religiosa. Sua criança, nessa idade, não tem, por exemplo, um miligrama de marxismo no cérebro. É bem provável que já ame o Brasil, creia em Deus, no valor da solidariedade, na dignidade da pessoa humana. Você o ensinou a respeitar a propriedade alheia. Você exerce o direito de ter seu filho educado em fidelidade à fé, princípios e valores que você adota e segue.

O ato de levar uma criança a um estabelecimento particular de ensino não implica uma irrestrita concessão. Tais colégios estão autorizados a educar seus filhos, mas não o estão para manipulá-los, influenciá-los politicamente, ou para lhes fazer a cabeça com idéias que você não quer ver lá dentro. E se eles aparecerem em casa com conceitos exóticos ou marxistas, as escolas podem e devem ser processadas com base no Código de Defesa do Consumidor.

EM ESCOLAS PÚBLICAS?

É preciso pôr um freio nesse tipo de estupro mental que só poderia acontecer com autorização expressa dos pais, e somente em escolas particulares que informassem seus objetivos com total clareza. Jamais em educandários públicos! Que os educandários privados formem para a revolução social os filhos dos pais que o desejarem. Tenham coragem! Deixem de lado a dissimulação. Anunciem o que disponibilizam. Mudem o nome de seus estabelecimentos. Passem a se chamar Colégio Che Guevara, Faculdade Karl Marx, Escolas Reunidas Mao-Tse-Tung, Curso Técnico Luiz Carlos Prestes. E deixem de usar, para fins impróprios, nomes de santos e de pontífices.

8 thoughts on “Abusadores das mentes juvenis

    • Amigo Ricardo, estou concentrado no blog, não me preocupo muito com o Facebook. Sei que é importante, mas sei também que, quando a matéria é boa, acaba rolando por todas as redes sociais.

      Abs.

      CN

  1. Sem dúvida a ANEDOTA DO ANO ! ! !

    Em qualquer lugar do Brasil, um menino regressa da escola cansado por andar a pé uma grande distância. O governo subiu os preços e não há dinheiro para o ônibus.

    Faminto, prefeito desviou parte da verba da merenda escolar,
    pergunta à mãe;
    – Mãe, o que temos para comer?…
    – Nada, filho!…

    O menino olha para o papagaio que têm em casa e pergunta:
    – Mamã, porque não comemos papagaio com arroz?…

    – Não há arroz!….

    – E papagaio ao forno?…

    – Não há gás!…

    – E papagaio no grelhador elétrico?…

    – Não há eletricidade!…

    – E papagaio frito?…

    – Não há banha ou óleo!…

    O papagaio felicíssimo gritou:

    VIVA O PT !!!…

  2. Para quem quiser saber mais sobre a história do livro cuja charge ilustra a matéria:
    http://tinyurl.com/ozeg473
    Ele chegou a ser recomendado pelo MEC durante alguns anos, depois foi retirado da lista. Mas aí o mal já estava feito, quase um milhão de exemplares tinham sido adquiridos por escolas.

  3. Na prática essas psicoses ideológicas acabam se evaporando, pois o mundo civilizado, desenvolvido e que dá as cartas no planeta já jogou isto no lixo na década de 50. Até a China que tem uma estrutura governamental autoritária e comunista já jogou toda essa porcaria econômica marxista fora e viu na prática o lucro que isso deu ao país ao liberar geral a economia de mercado.
    De maneiras que , países que quiserem ficar isolados no planeta, como é o que parece com alguns da América Latina , inclusive o Brasil, infelizmente, que coma esse lixo para depois arrotar miséria.

  4. No RS, infelizmente, este problema de ideologia comunista nas escolas é grave. E não é de hoje, faz tempo. Não começou com os governos petistas, que apenas o incrementaram; já vem desde o tempo de Brizola, que nunca escondeu sua forma de pensar, claramente esquerdista, envernizada com uma capa trabalhista.
    O filho de uma amiga, 16 anos, que conhece minha forma de pensar, me disse outro dia que tem um professor claramente comunista, que não se envergonha de pregar em plena sala de aula. Pois bem, ele estuda em um colégio católico.
    Detalhe: a mensalidade não é barata. É cara. Para isso eles são bem “capetalistas”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *