Ação do Procurador Geral vai ampliar processo da Petrobrás

Pedro do Coutto

Carolina Brígido e Jailton de Carvalho, em reportagem publicada pelo O Globo na edição de quinta-feira 27, revelam que o Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, com base nos depoimentos de Alberto Youssef e Paulo Roberto Costa, tão logo receba o conteúdo das delações premiadas, pretende enviar no Supremo tribunal Federal pedido de abertura de inquérito contra os políticos que possuem foro especial, caso dos parlamentares e ministros envolvidos. O processo envolvendo os escândalos da Petrobrás, portanto, vai se ampliar consideravelmente.

Antes da abertura dos inquéritos, o ministro Teori Zavaski, relator da matéria na Corte, deverá decidir se homologa a delação premiada pedida pelo doleiro. A do ex-diretor da Petrobrás, Paulo Roberto Costa, a medida foi concedida, tanto assim que ele se encontra em prisão domiciliar. Liminarmente porque, de forma definitiva, a concessão depende da apresentação de provas.

As quais, aliás, não faltam, tantas são as evidências e até, não só as confissões, mas também as confirmações produzidas ao longo dos depoimentos realizados. Uma das provas concretas, inclusive, está na devolução do dinheiro, por parte de Roberto Costa, autorizada pelo governo da Suíça, conforme revelou na mesma edição de ontem a enviada especial de O Globo, Deborah Berlinck.

Uma coisa leva a outra. Se vai haver devolução, é porque ocorreu subtração e evasão ilegal de dinheiro. E a proposta pelo ex-diretor, 26 milhões de dólares, não é a maior colocada na pauta. O ex-gerente Pedro Arbusco, compromete-se a devolver nada menos que 95 milhões de dólares. Portanto, essa iniciativa acrescenta as provas exigidas para que as acusações tenham curso. Isso de um lado.

De outro, ao divulgar o rumo que adotará, Rodrigo Janot, tacitamente, antecipa seu posicionamento em relação ao desempenho do juiz Sérgio Moro, que, ao rebater alegações levantadas por advogados de duas empresas, afirmou que está limitando suas ações para cumprir papel que lhe cabe dentro da limitação determinada pelo Supremo Tribunal Federal. Assim, caberá ao Procurador Geral da República solicitar a abertura dos inquéritos ao STF.

MUITOS ENVOLVIDOS

Serão muitos, sobretudo porque, segundo Youssef e Paulo Roberto Costa, são muitos os parlamentares envolvidos e espalhados por várias legendas. Nesse ponto cabe uma indagação: o detentor de mandato legislativo, na ocasião do fato ocorrido, mas que não se reelegeu agora, em 2014, tem ou não direito ao foro especial? Este é um conto de dúvida porque, se não se enquadrar, aí estará sujeito à Justiça comum, no caso a décima-terceira Vara Federal, exatamente a do Paraná, presidida por Sérgio Moro. Esta questão, inclusive, não é das mais simples.

Porque se as denúncias recuam em parte há mais de dez anos, nesse período realizaram-se eleições. Dessa forma, quem possuía foro especial, digamos, em 2004, pode não se enquadrar na legislação a partir de 2006, ou a partir de 2010. Além disso, existe o caso de um parlamentar acusado não ter sido reeleito no passado recente e ter sido eleito para um novo mandato, agora, neste ano. A seleção desses casos exige cautela e atenção. Porque, além do mais, existe a perspectiva dos suplentes que, por um outro motivo, tenham assumido o mandato em substituição ao titular da cadeira.

 

5 thoughts on “Ação do Procurador Geral vai ampliar processo da Petrobrás

  1. Nem uma linha sequer das “pistas” de quem ta roubando o Metrô de São Paulo,há 28anos ….
    Nem uma linha sequer das “pistas” de quem taroubando as Santas Casas deSão Paulo.
    Que (IM)parcialidade
    Interessante.

  2. Por falar nisso, o que deu aquelas cinco contas em bancos na Suiça daquele que transitava leve livre solto aspone do geraldo efeagacê…????
    Será que num gesto digno de um homem “honesto” devolverá todo o valor roubado do Metrô>>??????

  3. A complicada questão econômica

    O governo de Dilma/PT, até agora tem mantido nossa economia em estado de pleno emprego. Grande façanha econômica, principalmente, se comparada ao gigantesco desemprego do primeiro mundo, sem solução a vista, desde final de 2008. Porém, temos que reconhecer que continuar mantendo a economia do Brasil fora da grande crise mundial do capitalismo não coisa simples. Para agravar, temos Dona Tecnologia fazendo milhares de desempregados em todas as áreas da produção de riquezas, substituindo com grande sucesso, operários braçais e intelectuais. Além disso, os crônicos e insolúveis problemas sistema, dentre eles, a maldita antiquíssima corrupção, que somada com a traição à Pátria, são capazes de gigantescas destruições na economia.

    Inseridas nesse contexto, temos a turma de preto, a conhecida informação paralela, sem nenhum temor a Deus pelos trágicos feitos dos tempos da ditadura militar, agora, fazendo de tudo para empurrar o Brasil para o desmonte econômico. Descontente com a Comissão da Verdade, tentaram inviabilizar a reeleição da presidente Dilma/PT, a qualquer custo. Essa conhecida turma de preto, presente em todos os espaços, públicos e privados, disponíveis para coisas inconfessáveis, não satisfeitas com as gigantescas badernas promovidas, resolveram focar a velha grande corrupção. Até que, denunciar a maldita corrupção seria muito bem vinda se o intuito fosse de combater a corrupção na Petrobras.

    Nessa empreitada, o grande capital, rapidamente percebeu a oportunidade de ouro nas intenções da turma de preto. Em conjunto, estão apresentando a importantíssima Petrobras como exemplo da grande corrupção, em persistentes desmoralizações de contínuas reportagens por toda a grande mídia “livre”, expondo a muito antiga, conhecida e gigante roubalheira, fazendo a cabeça do povão, com claros objetivos: privatização da Petrobras junto com as suas fantásticas reservas de petróleo existentes no Pré Sal.

    Se Aécio/PSDB ganha, junto com FHC, tudo leva a acreditar que a Petrobras e sua sideral riqueza em petróleo existente no Pré Sal seriam privatizados, leiloados a preços de bananas como no governo FHC/PSDB, especialmente, a importantíssima CVRD (hoje Vale) privatizada a preços ínfimos e ridículos. Assim, dariam início a um novo ciclo de privatizações, com outras privatizações em seguida, Banco do Brasil, Caixa Econômica, CEDAE, SABESP, etc.

    Não podemos esquecer que as malditas privatizações FHC/PSDB destroçou nossa economia. Jogou o trabalhador num grande desespero, nunca antes vistos. Por todo o Brasil, só ruas desertas, portas arriadas e milhares de placas “Vende” e “Aluga”. Grande parte da população ficou desempregada. No Rio de Janeiro, em pleno horário de trabalho, os ônibus e metrô circulavam quase que vazios. O centro era um deserto, com pouca gente transitando. Se computando os prejuízos a valores de hoje decorrentes das privatizações FHC/PSDB, passam de R$ 10 trilhões. Dez trilhões de reais. Sideral impune roubalheira.

    Por outro lado, diante do sério quadro geral decorrente da Operação Lava-Jato, a sociedade organizada deveria recolher assinaturas para elaboração de eficiente lei contra a corrupção, sugerida pelo povão há muitas décadas atrás: total transparência tributária e bancária de todas as pessoas, sem exceção alguma.

    Por conta da já demonstrada competência e integridade, essa transparência poderia ficar a cargo da Polícia Federal – PF dotada de todos os meios e recursos, necessários para efetuar contínua fiscalização bancária, tributária e de registros de imóveis, de todo cidadão, pessoa física e jurídica, em permanentemente varredura das contas bancárias e registros de imóveis buscando indicação de inconsistências.

    Semelhantes providências, somadas as outras, reduziria muito a destrutiva corrupção. Com certeza. O grande obstáculo na implantação de qualquer tipo de ratoeira viria da própria elite, nada interessada. Apesar disso, não podemos deixar passar o atual momento para implantar eficientes meios de estancar a velha corrupção, pai e mãe da traição a Pátria, da injustiça, da miséria e da pobreza. Acorda, Brasil.

    • Muda o disco Sr Welinton
      Essa de culpar FHC em tudo que acontece de ruim já se foi a tempos agora é hora de chamar a responsabilidade em quem sempre fez criticas alias só sabem fazer isso, resolver os problemas do país que é bom isso eles nunca fizeram, ja resolveram o problema do bolso deles, isso o Sr nunca vê não fala e não admite, não é verdade?

  4. Sr. Satiro

    Basta ler com atenção o que já escrevi para perceber que nunca, nunca mesmo, aceitarei qualquer tipo de roubalheira e traição à Pátria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *