Aconteceu o que se previa: reeleição de Mauricio Azêdo na ABI é anulada pela Justiça.

 Azêdo quer ser presidente eterno da ABI

Carlos Newton

Decisão da juíza Maria da Glória Bandeira de Melo anula a eleição da ABI, e determina a realização de novo pleito. A decisão atendeu os argumentos do advogado Jansen Oliveira, que representa a Chapa “Vladimir Herzog – Uma ABI para todos”, que é encabeçada pelo jornalista Domingos Meirelles.

Na sentença, a magistrada destaca que irregularidades perpetradas pela Comissão Eleitoral “demonstram às escâncaras a inadmissível desigualdade no tratamento entre a chapa da situação, Prudente de Morais, e a concorrente, Vladimir Herzog, integrada pelos autores, com o nítido propósito de afastar esta última da disputa, mantendo-se, a primeira, presidida há nove anos pelo jornalista Oscar Maurício da Lima Azedo, na administração da entidade ré”.

Assinalando que foi “maculada de forma indelével a eleição”, destaca a juíza Maria da Glória Bandeira de Melo: “Verificam-se evidências gritantes de que o processo eleitoral foi dirigido de forma parcial e temerária pela então administração da ré, a fim, repita-se, de inviabilizar o registro da chapa dos autores, garantindo para a chapa da situação uma eleição sem concorrentes e sem impugnações. Assim é que, em consonância com a decisão de fls. 129, ficam ampliados os efeitos da tutela antecipada inicialmente deferida, para tornar sem efeito a eleição ocorrida no dia 26 de abril próximo passado, devendo ser realizada outra com escorreita observância ao Regulamento Eleitoral e dos princípios da isonomia, transparência e publicidade que devem nortear as disputas eleitorais, que é o que se espera, em especial, de instituição do gabarito e respeitabilidade da ré (ABI)”.

 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

3 thoughts on “Aconteceu o que se previa: reeleição de Mauricio Azêdo na ABI é anulada pela Justiça.

  1. Não consigo entender como pessoas que constroem uma história,conquistam o respeito de seus familiares e até da sociedade e chegando praticamente ao final da vida se esforçam para jogar tudo no lixo. Sinceramente, o Sr. Oscar Maurício de Lima Azedo,advogado e jornalista, fundador do cineclube macunaima não precisaria usar deste tipo de expediente a esta altura de sua vida.

    Abraços.

  2. Pingback: Azeda corrupção na ABI. Na Federação dos Jornalistas o mando do peleguismo | andradetalis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *