Acredite se quiser: extintor ABC em carro não é mais obrigatório

Deu em O Tempo

Acabou a obrigatoriedade de portar extintor de incêndio nos carros de passeio no país. A decisão foi tomada na manhã desta quinta-feira (17) pelo Contran (Conselho Nacional de Trânsito) e revoga resolução anterior que obrigaria os automóveis a circularem com extintores do tipo ABC a partir de 1° de outubro.

Segundo o Denatran, a mudança foi motivada por avaliação técnica e consulta aos setores envolvidos.

O equipamento continuará obrigatório para todos os veículos utilizados comercialmente para transporte de passageiros e de carga, como caminhões, caminhões-trator, micro-ônibus, ônibus e destinados ao transporte de produtos perigosos.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOGA esculhambação é total. Passaram mais de um ano infernizando os donos de veículos obrigando-os a comprar um extintor que nem existia no mercado. Agora, voltam atrás e simplesmente eliminam a obrigatoriedade de extintor. Que governo é esse, minha gente? (C.N.)

8 thoughts on “Acredite se quiser: extintor ABC em carro não é mais obrigatório

  1. O governo deveria ser processado pelo PROCON e Promotoria de Defensoria do Consumidor, do Ministério Público, quanto ao trabalho que deu para que procurássemos um extintor que inexistia no mercado, para depois cancelar a instalação dos extintores nos automóveis!
    Os caras brincam com a gente, nos fazem de idiotas, de imbecis.
    Pois deveríamos fazer o mesmo:
    Votar e depois pedir cancelamento daquele voto, diante do desempenho pífio e corrupto de seu candidato.
    Em outras palavras:
    Se o governo cancelou os extintores nos carros pela dificuldade de encontrá-los no comércio, o mesmo faríamos com o desaparecido trabalho do vagabundo parlamentar, tomando de volta a outorga porque não utilizada!

  2. Essa é mais uma amostra de um país cujo governo não tem rumo algum!

    Num primeiro momento exige um tipo de extintor que os fabricantes sequer conseguem produzir em quantidade que atenda à demanda. E no momento seguinte pára de exigir qualquer tipo de extintor.

  3. Tá explicada a falta do dito cujo no mercado. Com certeza as fabricas já sabiam dessa medida e reduziram o máximo a produção, para não ficar com eles em seus estoques

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *