Acúmulo de salários de secretários desmoraliza o governo do Estado do Rio

http://s2.glbimg.com/e3QCH8rQEkAVls4T_ED9v_ZfseA=/i.glbimg.com/og/ig/infoglobo1/f/original/2016/07/17/59631772_ci_-_rio_de_janeiro_rj_08-06-2016_entrevista_com_o_secretario_de_estado_de_fazenda_do_rio_d.jpg

Bueno, que recebia dois salários, arrochava os servidores

Italo Nogueira
Folha

O Ministério Público do Rio instaurou inquérito para apurar o pagamento de supersalários no governo estadual. O objetivo é investigar a aplicação do teto remuneratório em casos de servidores cedidos por órgãos de outras esferas. A Folha revelou em junho que o ex-secretário estadual de Fazenda, Júlio Bueno, recebe na prática acima do limite no Estado. Além de pagar o salário como secretário, o Estado reembolsa a Petrobras o valor total da sua remuneração como engenheiro concursado da estatal. No total, Bueno recebe ao menos R$ 65 mil mensais do governo.

O jornal “O Globo” depois mostrou que outros dois secretários também recebem acima do teto, por serem cedidos de estatais. A 1ª Promotoria de Justiça e Tutela Coletiva da capital determinou a abertura de inquérito no dia 13 de junho para investigar casos do tipo.

A Secretaria de Fazenda afirma que a regra que permite a Bueno receber acima do teto não foi criada por ele. Para a pasta, “não cabe ao secretário fazer uma defesa do próprio salário”. Responsável por elaborar um duro ajuste fiscal nas contas do Rio, Bueno tem sido alvo de sindicatos e até da base do PMDB na Assembleia Legislativa.

SERVIDORES SOFREM – As medidas propostas preveem limite no reajuste de servidores, revisão de benefícios e maior contribuição à Previdência. Não consta do pacote a regulamentação do cálculo do teto constitucional na remuneração de funcionários da União requisitados.

O duplo salário dos secretários decorre de um vácuo na legislação sobre cessão de servidores públicos. Decretos federal e estadual determinam que o órgão onde o funcionário vai trabalhar reembolse o de origem pelos salários que são pagos.

Contudo, nada falam sobre os vencimentos atribuídos ao novo cargo assumido pelo servidor, nem como deve ser calculada a remuneração total para comparação com o teto constitucional.

Um projeto de lei proposto pela presidente afastada Dilma Rousseff no ano passado regulamentava a aplicação do teto em âmbito nacional.No caso de Bueno e os demais secretários, eles teriam garantidos seus salários como funcionários de estatais –ainda que acima do teto–, mas não receberiam os vencimentos extras referentes ao cargo de secretário.

REEMBOLSO – O Rio tem 160 servidores federais cedidos. O reembolso aos seus órgãos de origem consumiu R$ 19,4 milhões no ano passado. Não é possível saber quantos de fato ultrapassam o teto. A Constituição afirma que o vencimento de ocupante de cargo público não pode superar o salário do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), atualmente R$ 33.763.

No Estado, o teto no Poder Executivo é de R$ 28,8 mil, referentes a 85,22% do salário dos ministros do STF. Parecer da Procuradoria ­Geral do Estado afirma, porém, que a regra não foi regulamentada para casos de acumulação de cargos em distintas esferas de governo.

“Apesar de estatuir os limites remuneratórios também para a hipótese de acumulação de cargos, a Constituição não estabeleceu os mecanismos através dos quais as respectivas remunerações seriam reduzidas”, diz a Procuradoria, em ação que questionava o duplo salário do secretário de Segurança, o delegado federal José Mariano Beltrame.

Durante a ação popular, proposta por um advogado, o Ministério do Planejamento passou a limitar os vencimentos de Beltrame ao teto constitucional.

One thought on “Acúmulo de salários de secretários desmoraliza o governo do Estado do Rio

  1. Estes são os governos PSDB, PMDB e nanicos, destroem e nada constroem, sempre veem seus lados e o povo que se trumbique, governos destruidores do Rio de Janeiro, PMDB, PSDB, PT e aliados, nada fazem pelo povo, mas procuram esta mídia podre para dizer falácias, o povo não acorda, prefere as mentiras das novelas, programas inúteis para enganar este povo, enquanto isto vão embolsando bilhões de reais, o que se gasta com esta mídia é um absurdo, este dinheiro deveria ter finalidade mais proveitosa, não é a mídia que vai fazer minha cabeça para comprar produto, tenho minha opinião, é uma chuva de propaganda para este povo que não separa o fictício do real, ACORDA POVÃO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *