Advogado de executivo da OAS diz que Veja é irresponsável

Advogado desmente a Veja e diz que Léo não fará delação

Carla Araújo
Estadão

A defesa do ex-presidente da OAS José Adelmário Pinheiro Filho, conhecido como Léo Pinheiro, disse que o executivo não tem a intenção de fazer uma delação premiada e contestou a revista Veja desta semana que traz em matéria de capa a informação de que ele teria firmado tal acordo para contar o que sabe sobre a participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no escândalo da Petrobras. “A reportagem é mentirosa e irresponsável”, disse Edward Carvalho, um dos advogados de defesa de Pinheiro, ao Broadcast Político, serviço de notícias Agência Estado.

Mais cedo, a defesa de Pinheiro já havia soltado uma nota reforçando que o executivo não tinha a intenção de fechar o acordo de delação premiada, em troca da redução de pena. “Sobre a reportagem da Veja deste final de semana, José Adelmário Pinheiro e seus defensores têm a dizer, respeitosamente, que ela não corresponde à verdade. Não há nenhuma conversa com o MPF sobre delação premiada, tampouco intenção nesse sentido.”

Carvalho afirmou ainda que “não há nenhuma chance” de Léo Pinheiro estar negociando com uma outra banca de advogados para poder aderir ao mecanismo de delação.

EM SILÊNCIO

Léo Pinheiro é réu na Lava Jato, acusado de atuar no núcleo empresarial do esquema que cartelizava licitações de obras da estatal e pagava propina para diretores da petrolífera indicados por partidos da base do governo – PMDB, PP e o PT. Ele já esteve preso por seis meses, no âmbito desta operação, em uma cela em Curitiba.

Em maio, Pinheiro preferiu permanecer em silêncio em interrogatório no primeiro processo criminal da Operação Lava Jato, em que foi acusado por corrupção, lavagem de dinheiro e formação de organização criminosa, no esquema que vigorou na Petrobras entre 2004 e 2014. “Por orientações dos meus advogados prefiro ficar em silêncio”, disse Léo Pinheiro diante do juiz federal Sérgio Moro, que conduz os processos desta operação.

Preso preventivamente no dia 14 de novembro de 2014, Pinheiro ficou quase seis meses encarcerado e conquistou o direito no Supremo Tribunal Federal (STF) de cumprir prisão em casa, embora monitorado com tornozeleira eletrônica.

 

6 thoughts on “Advogado de executivo da OAS diz que Veja é irresponsável

  1. O empresário integra – conscientemente – uma ORCRIM e em parceria com o governo federal petralha esvazia os cofres públicos em milhões de dólares; está indiciado criminalmente; por graça usufrui de uma liberdade vigiada e a reportagem da revista Veja é que leva a pecha de “mentirosa e irresponsável” ?
    Sugiro que os advogados, com o advento da Lava Jato, passem a abandonar justificativas infanto-juvenis na defesa de seus clientes. A impunidade dos mafiosos acabou.

  2. Gostaria de saber quando os advogados de defesa do ex-presidente da OAS José Adelmário Pinheiro Filho, conhecido como Léo Pinheiro, irá processar a revista Veja?

    Isto de dizer, depois que a reportagem é publicada, que a Veja é irresponsável, mídia golpista, comprada, etc. é padrão PT. Parece até palavras do Marqueteiro do PT.

    Só lembro que, os jornalistas não são irresponsáveis a ponto de publicar uma reportagem sem ter documentos autorizando sua divulgação. A entrevista ou entrevistas estão gravadas em MP3, MP4, AVI, etc. nuvem, pen drive, DVD, etc. para preservar a revista contra qualquer processo por calunia.

    Continuo aguardando Lula, Dilma, PT e outros processarem a Mídia Golpista.

  3. A “Carta Capital”, subsidiada pelo notável governo petista, certamente é referência para a “Veja” e outros “montes de lixo” que ousam assassinar reputações de moralistas do nível Barba ou Brahma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *