Advogado de Lobão e Roseana critica a postura de Catta Preta

Advogado não pode se acovardar, diz Kakay

Paula Reverbel
Folha

O advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, conhecido em Brasília como Kakay, fez uma apresentação sobre delações premiadas na Casa do Saber, centro de palestras e cursos em São Paulo, criticou a maneira com que as delações premiadas vêm sendo feitas.

Responsável pelas defesas de quatro políticos investigados na Lava Jato, o criminalista não poupou colegas de profissão das críticas: direcionou ataques à também advogada Beatriz Catta Preta, que, até fechar seu escritório e abandonar os processos da Lava Jato, foi responsável por nove acordos de delação.

Apesar de criticar a convocação de Catta Preta para depor na CPI da Petrobras, o advogado disse que a reação da colega – a quem chama de “caixa preta” – “não honra a profissão”. Logo antes, havia dito que advogados não podem “se acovardar”.

“Essa senhora é uma especialista em delação premiada. Onde está a advocacia nisso?”, provocou.

EXEMPLO DE BARUSCO

Na visão de Kakay, uma aplicação correta da delação é a do ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco, que não estava preso quando fechou o acordo de colaboração e se comprometeu a devolver US$ 97 milhões depositados no exterior. Outros acertos, no entender do criminalista, são forçados, não voluntários.

“Forçam a prisão para se chegar à delação”, disse, alinhado a diversos outros advogados que atuam nos casos.

De acordo com o defensor, o doleiro Alberto Youssef teria até recebido um ultimato para desistir de pedido de liberdade provisória e preservar as negociações de sua delação.

ESPETACULARIZAÇÃO

Conhecido por ter defendido, com sucesso, o publicitário Duda Mendonça no julgamento do mensalão, Kakay também atacou as ações penais que foram levadas aos holofotes: “O Judiciário não precisa desses processos espetaculares. É preciso fazer essa espetacularização?”

Na Lava Jato, Kakay representa a ex-governadora do Maranhão Roseana Sarney (PMDB) e os senadores Ciro Nogueira (PP-PI), Romero Jucá (PMDB/RR) e Edison Lobão (PMDB-MA), que é ex-ministro de Minas e Energia.

13 thoughts on “Advogado de Lobão e Roseana critica a postura de Catta Preta

  1. Sim, está fora de contexto, mas…
    Eminente Dr. J. Béja, aqui, no RJ, segundo o jornal O Dia, o “Governador”, vulgo “Pezão, lamentou (e muito) a morte de um notório traficante ( Playboy) nesta presente data. Ah!, isto criou, para mim, uma celeuma sem precedentes… Quero questionar tais declarações junto ao Ministério Público. É possível? Como cidadão, terei sucesso? Agradeço qualquer comentário neste sentido.

    http://odia.ig.com.br/noticia/rio-de-janeiro/2015-08-08/lamento-a-morte-mas-mostra-que-a-policia-esta-agindo-diz-pezao-sobre-playboy.html

    • Na manhã de 17 de julho passado, o Departamento de Narcóticos (Denarc) de São Paulo fechou com chave de ouro um trabalho de quatro meses de investigações. Dentro de uma casa na zona rural de Santa Isabel, cidade a 60 quilômetros da capital, os agentes fizeram a maior apreensão de drogas no país em 2015. Foi encontrada 1,6 tonelada de cocaína pura – quantia avaliada em mais de 20 milhões de reais – e mais 900 quilos de produtos que seriam usados para a mistura da droga. No local, uma espécie de central de refino e abastecimento de todo o Estado, ele prenderam cinco homens, entre eles o líder dessa distribuição: Welinton Xavier dos Santos, o Capuava, de 50 anos. Três semanas se passaram e, na última quarta-feira, o criminoso ganhou o direito de voltar às ruas, beneficiado por um habeas-corpus concedido pelo desembargador Otavio Henrique de Sousa Lima, do Tribunal de Justiça de São Paulo, que autorizou o criminoso a responder às acusações em liberdade.

      • Francisco
        Quando se calcula a quantidade que o material apreendido representa quando transformado em distribuição, é ridículo.
        Este material todo, deve ser consumido/traficado em 1 dia numa das capitais, retirando-se as 5 maiores.
        O volume parece muito, mas é bem pequeno em relação ao total que roda/voa e é plantado no país.
        Seria bom se pudéssemos conhecer dados que circula. Se é que tem.

    • Nelson, li a notícia. Lamentar é o mesmo que chorar, prantear, sentir grande pesar, lastimar, conforme vejo escrito no dicionário do Aurélio. Mas o governador não empregou aquele verbo nesse sentido. Certamente foi porque, se sobrevivesse, pagaria pelo que fez e poderia ser útil à polícia, no combate à criminalidade.

      Qualquer pessoa pode peticionar não apenas ao Ministério Público como a todas as autoridades contituídas. É o Direito de Petição, inscrito na Constituição Federal. Qualquer cidadão também pode interpelar judicialmente seja quem for. Sendo um governador de Estado, o órgão competente é o Tribunal de Justiça. Aquele “questionar” entendi como interpelar. Ou seja, chamar o governador para esclarecer o verbo “lamentar” que ele utilizou. E tudo vai parar aí. As interpelações judiciais, segundo o Código de Processo Civil, nem admitem defesa. Ele pode ser notificado da interpelação e nada responder. Vamos considerar que o governador Luis Fernando de Souza, o “Pezão” tenha feito uma declaração imprópria. Não mais que isso.
      Grato pela confiança.
      Jorge

      • Caro Béja, na DOENÇA do politicamente correto que assola o país de norte a sul, acometendo, principalmente uma CLASSE MÉDIA MEDÍOCRE, concordo contigo.

        Creio que o governador quis apenas lamentar a morte do traficante como se faz hoje ao lamentar a morte de uma cobra CASCAVEL, de um leão lá no fim do mundo ou de qualquer INSETO…

        Abraços.

  2. “Forçam a prisão para se chegar à delação”, disse, alinhado a diversos outros advogados que atuam nos casos.

    -Quer dizer que as prisões foram forçadas?

    Ou será que está com medo de que “no dia em que acabar o milho da impunidade nesta FAZENDA, decorrente dos infinitos recursos, acabe-se, também, a pipoca dos gordos honorários???

    DEPOIS DOS LADRÕES, as pessoas da marca do doutor Kakay são as mais beneficiadas financeiramente com a atual IMPUNIDADE!!!

    E ainda tem o cinismo de falar de honra…

  3. Esse famoso “adevogado’ é beneficiário de dinheiro amealhado na corrupção. Logo, faz sentido ser contra a delação, seja premiada ou não. A confissão do crime transforma a galinha dos ovos de ouro num pintinho de feira, e os honorários do brilhante causídico defensor dos ladrões do povo vai para o ralo.
    Ou vocês acham que Kakay (que nome para um advogado que pretende ser respeitado, hein?) está preocupado com algum aspecto filosófico da delação premiada?

    Está na hora desses “luminares da pátria ” pegarem o boné, junto com os petralhas et caterva.

  4. Lamentáveis as críticas do advogado das estrelas, o advogado luminar Kakai, sobre a atuação da advogada Catta Preta.
    Cada advogado utiliza um método para defender o cliente. Isso não pode ser questionado de forma alguma, principalmente por outro advogado. Trata-se de uma relação entre o causídico e o cliente.
    O que se depreende das críticas, lógico, é que as delações desmontaram a defesa dos advogados luminares em relação aos seus próprios clientes. Agora ficou mais difícil a defesa, em função das provas colhidas nas delações, as quais desnudam a sinergia do crime e toda a sua complexa teia que envolve entes públicos e privados, em prejuízo da sociedade brasileira.
    Nesse sentido louvo o excelente trabalho da advogada Catta Preta. Sobre a decisão de renunciar as defesas e também de se afastar definitivamente da advocacia, como se trata de decisão pessoal, creio que não devemos entrar no mérito, nem eu, nem Kakay, nem ninguém.
    Alea jacta est

  5. O Juiz Sérgio, Moro , Procuradores e Polícia Federais ameaçam o negócio bilionário desses advogados do período jurássico.

    Acabou a fonte boa da Justiça cega de um olho só.

    Devem procurar outra profissão ou pós-graduarem-se em delação premiada.

  6. Todos se esforçaram para dizer o que devia ser dito. O que Pesão falou não tem uma mínima importância para sociedade. O que aconteceu é que HOUVE QUEIMA DE ARQUIVO. A SOCIEDADE PERDE QUANDO UM BANDIDO DO PORTE DE PLAYBOY É MORTO. Porque digo isso porque é elementar quando um bandido é localizado ele ser preso e não ser assasinado. Dá-se um ultimato: Tem instrumentos para isso. Você está cercado saia de mãos para cima. Sua vida esta garantida entregue-se. Os policiais naturalmente devem estar fisicamente protegidos. Deixa que ele esgote sua munição. passa uma hora, duas, um dia dois dias. Desliga a luz a água. ele será preso como um passarinho. Aí ganha a sociedade porque ele vai ser interrogado para dizer de onde vem as drogas que distribui assim como o armamento. Para a polícia isso não interessa porque está quase toda comprometida com a corrupção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *