Advogado instruiu a Odebrecht sobre a forma de ocultar que o sítio era de Lula

Resultado de imagem para roberto teixeira advogado de lula

Ilustração reproduzida do Arquivo Google

Deu no Correio Braziliense
(Agência Estado)

O patriarca da maior construtora do País, Emílio Odebrecht, detalhou em sua delação premiada ter se reunido com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio do Planalto, para confirmar que as obras do Sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP), ficariam prontas no mês seguinte. Era final de 2010, término do segundo mandato. Os delatores revelaram que executaram uma reforma de R$ 1 milhão na propriedade a pedido da ex-primeira-dama Marisa Letícia (morta em fevereiro). Anotações e e-mails foram entregues pelo delator, como forma de comprovar a reunião.

Emílio contou aos procuradores da força-tarefa da Operação Lava-Jato que, no encontro, o petista não teria ficado “surpreso” com a informação. “Eu disse: olhe, chefe, o senhor vai ter uma surpresa e vamos garantir o prazo que nós tínhamos dados no problema lá do sítio”. Emílio ainda contou que Lula não se mostrou surpreendido.

PEDIDO DE MARISA – Segundo o depoimento de Alexandrino Alencar, que seria a ponte entre Emílio e Lula, a ex-primeira-dama teria pedido, durante um evento de celebração do aniversário de Lula, em 2010, que a construtora ajudasse a terminar as reformas do sítio de Atibaia

O executivo teria informado Emílio sobre a solicitação. “Alexandrino me avisou do pedido de Dona Marisa e me disse para não comentar nada com o ex-presidente, pois Dona Marisa havia informado que o sítio era uma surpresa”. O patriarca da Odebrecht relatou ter concordado com o pedido. “Pedi a Alexandrino que conversasse com algum empresário nosso para identificar um engenheiro da Odebrecht que pudesse coordenar as obras, mas que nossa participação não fosse revelada, para evitar qualquer constrangimento, e assim foi feito”.

“SEGREDO” MANTIDO – Emílio Odebrecht ainda relatou que, “da parte dele”, o segredo foi mantido “até o final do mandato do ex-presidente”, quando houve a reunião no Planalto.

O valor final da obra, de acordo com as delações da empreiteira, foi de R$ 1 milhão. Os executivos revelaram ainda ter combinado com o advogado de Lula, Roberto Teixeira, a emissão de notas frias em nome de Fernando Bittar, para que ocultar que o imóvel pertencia ao ex-presidente e existir provas de que as reformas teriam sido bancadas pelo sócio de Fábio Luís, o Lulinha.

“Pelo que ouvi falar depois que o assunto veio a público, o custo para as reformas do tal sítio foi em torno de R$ 700 mil a R$ 1 milhão, ou seja, bem maior que o valor inicialmente previsto de R$ 400/500 mil, que foi para mim repassado por Alexandrino”, afirma Emílio.

VISITA A LULA – Ao final do depoimento, Emílio Odebrecht ainda relatou nunca ter ido ao sítio de Atibaia.

“Eu só tive uma vez no apartamento dele quando era sindicalista, e nunca mais. Foi a melhor coisa que eu fiz para ele e para mim. A nossa relação… eu sou muito transparente. Eu gosto do Lula. Gosto, confio nele, valorizo ele, posso afirmar, se quiser desligar, desligue a câmera de filmagem do depoimento”.

A reportagem entrou em contato com a defesa do ex-presidente Lula, mas ainda não obteve resposta.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG  – Roberto Teixeira é compadre de Lula, que durante muitos anos morou numa casa dele, sem pagar aluguel. O advogado está por trás de todas as maracutaias imobiliárias de Lula e também se tornou réu da Lava Jato. (C.N.)

5 thoughts on “Advogado instruiu a Odebrecht sobre a forma de ocultar que o sítio era de Lula

  1. Embora o assunto seja outro, é importante reproduzir esta matéria que foi publicada hoje no Diário de Pernambuco.

    Medalhões do forró, Alcymar e Santana criticam programação junina de Campina Grande

    “Show de horrores”, diz Alcymar sobre grade, que tem shows de Luan Santana, Wesley Safadão, Simone e Simaria e Henrique e Juliano

    A grade de atrações do São João de Campina Grande, divulgada nesta segunda-feira (18) pela prefeitura da cidade paraibana, gerou críticas e protestos no meio artístico por estar repleta de nomes de destaque nacional da música sertaneja. Wesley Safadão, Simone e Simaria, Luan Santana, Henrique e Juliano, Fernando e Sorocaba, Mano Walter e Maiara e Maraisa figuram entre os destaques da lista de shows, que ocorrem de 2 de junho a 2 de julho no Parque do Povo. Os cantores Santana e Alcymar Monteiro apontaram a falta de protagonismo de artistas do forró no evento, conhecido como uma das maiores festas do gênero do mundo.

    Confira o roteiro de shows no Divirta-se

    No Facebook, Alcymar detonou a escalação dos artistas, classificando o caso como “um show de horrores”. “Querem acabar com a festa de São João. Querem destruir a nossa tradição. Querem tocar fogo e incendiar a nossa bandeira”, introduz ele. “Quero falar, em nome do forró e dos artistas que compõem a trilha sonora do maior festival de inverno do mundo, que é o nosso São João. Está virando o festival dos horrores, música estereotipada, pessoas que não têm nada a ver com a nossa cultura enriquecendo às custas daquilo que não lhes pertence. O São João é uma festa do povo, do triângulo, da zabumba, dos artistas identificados com a nossa cultura”, aponta.

    E acrescenta: “Campina Grande, pelo amor de Deus, né? Isso aí é um festival dos horrores, um festival que eu posso tachar como ‘o maior festival de breganejo do mundo’, não é mais o grande São João, não é, com certeza. E você, que está promovendo esta aberração, lembre de uma coisa, que nós vamos cobrar: devolva o nosso São João que vocês nos roubaram. Um grande abraço a todos”. No espaço para comentários, o artista recebeu apoio de fãs, que se solidarizaram com o apelo. “Fico triste quando vejo esta ‘bela programação’ e vejo que nomes como Santana, Alcymar Monteiro, Genival Lacerda, Zé Calixto e tantos outros que realmente representam nossa cultura ficaram de fora”, apontou o internauta Carlos Rinaldo.

    Em uma participação no programa Sala de reboco, da TV Tambaú, da Paraíba, Santana fez pedido semelhante aos organizadores da festa, que, neste ano, está sendo produzida pela primeira vez por uma empresa privada com captação de patrocínio da gestão municipal. “Às vezes fico preocupado com a força da grana que ergue e destrói coisas belas. E às vezes me preocupa que o São João, uma festa tão tradicional e secular se transforme numa festa paulista dentro de junho nosso. Então, o empresário que às vezes está por trás de tudo isso só se interessa pelo vio metal – é um direito dele. Agora o que me preocupa muito é essa coisa de plastificar e trazer uma coisa que não é da nossa tradição para tomar conta da nossa festa junina, deixada pelos nossos pais, nossos avós”, comenta ele.

    As críticas ocorreram pelo salto no número de nomes do sertanejo. Ao todo, 68 atrações passarão pelo principal palco do festival, incluindo nomes do forró como Flávio José, Elba Ramalho, Dorgival Dantas, Brasas do Forró, Forró da Barka e Solteirões do Forró, além de grupos de forró pé de serra que se apresentarão em outros polos.

    Confira a programação completa:

    02/06: César Menotti & Fabiano, Jonas Esticado, Os 3 do Nordeste e Andrezza Formiga
    03/06: Flávio José, Joelma e Walkyria Santos
    04/06: Simone & Simaria e Wallas Arrais
    07/06: Mano Walter e Tonny Farra
    08/06: Dorgival Dantas e João Lima
    09/06: Saia Rodada, Ton Oliveira e Alberto Bakana
    10/06: Sirano e Sirino, Gil Bala, Rainhas da Farra e Coroné Grilo
    11/06: Tayrone e Gegê Bismarck
    12/06: Thaeme & Thiago, Alcione e Alexandre Tan
    14/06: Léo Magalhães, Ranniery Gomes e Giullian Monte
    15/06: Gabriel Diniz, Brasas do Forró e Forró da Barka
    16/06: Bonde do Brasil, Forró das Antigas e Vinícius Mendes
    17/06: Eliane, Gil Mendes e Os Gonzagas
    18/06: Amazan e Pedrinho Pegação
    20/06: Padre Fábio de Melo
    21/06: Solteirões e Banda Encantu’s
    22/06: Bruno e Marrone e Romim Mata
    23/06: Elba Ramalho, Thiago Farra, Avine Vinny e Forró Coco Seco
    24/06: Vicente Nery, Capilé e Forró 3×4
    25/06: Maiara e Maraisa e Niedson Lua
    27/06: Evento religioso (atração não divulgada)
    28/06: Aviões do Forró e Ramon Schnayder
    29/06: Luan Santana e Matheus Fernandes
    30/06:Wesley Safadão, Italo & Renno e Karkará
    01/07: Henrique & Juliano, Forró da Resenha e Bob Léo
    02/07: Fernando & Sorocaba, Luan Estilizado, Felipão e Tribo Cordel

    OPINIÃO: O forró tradicional está sendo relegado a segundo plano há mais de uma geração. Aqui na Bahia onde moro não existe mais festa junina tradicional desde os anos 90. Vinha sendo um prolongamento do Carnaval com o Axé Music e o Arrocha,depois houve a invasão sertaneja. Agora o fim chegou a Campina Grande, que disputa com Caruaru o título de maior São João do mundo. A nova geração despreza totalmente o forró tradicional e as prefeituras seguem o mesmo caminho.

  2. Tá na cara que o Emilio Odebrechet está querendo inocentar o Luiz Inácio ao afirmar que este não sabia da reforma. Ora, se não foi ele que pediu, problema de quem pediu. E quem pediu está morta. Muito sabidinho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *