Acio e Kassab, duas Xerox

Sebastio Nery

BELO HORIZONTE – A historia de Juscelino foi uma guerra, naquela Minas plcida e sonolenta do sculo passado. Nascido em Diamantina em 12 de setembro de 1902, filho de caixeiro-viajante e professora, rfo de pai tuberculoso ainda criana, seminarista, telegrafista, estudante de medicina, em abril de 1930 ganhou bolsa e foi para Paris.

Voltou no fim de 30, abriu consultrio em Belo Horizonte, entrou para a Policia Militar como medico e participou da revoluo de 32 contra os paulistas, ao lado de Benedito Valadares, depois nomeado por Getulio interventor. JK foi ser chefe de gabinete e no saiu mais da poltica.

Em outubro de 34, deputado federal mais votado de Minas. Golpe em 37, volta medicina. Em abril de 40, prefeito de Belo Horizonte.

***
JUSCELINO

Em dezembro de 45, novamente o mais votado do Estado para a Constituinte de 46. A UDN esperava que Pedro Aleixo, presidente do partido, fosse o deputado mais votado na capital. Ou Milton Campos. Foi Getulio : 12.208 votos. Segundo, Juscelino : 7.024 votos. Terceiro, Milton Campos : 4.134. JK era o segundo depois de Getulio. Luz e maldio.

Herdeiro eleitoral evidente de Vargas (Joo Goulart ainda estava no Rio Grande), Juscelino atraiu contra ele toda a fria da UDN, que ento comandava a maioria da imprensa nacional. No era s Carlos Lacerda na Tribuna da Imprensa. Era o Diario de Noticias dos Dantas, O Globo dos Marinho, o Estado de S. Paulo dos Mesquita.

Ganhando o governo de Minas com Milton Campos em 47 contra Bias Fortes, do PSD,a UDN mineira comeou cedo a guerra de 50, quando sabia que Getulio seria candidato imbatvel a presidente e JK a governador. Lanou Gabriel Passos, concunhado de JK, casado com uma irm de dona Sarah, e tentou ajudar o melancia Carlos Luz, metade PSD metade UDN, a ser o candidato do PSD. Juscelino venceu a conveno e a eleio.

***
UDN E PSD

A batalha final foi transferida para 55. Juscelino j assumiu o governo do Estado em 50 candidato a presidente em 55. Getulio se matou,

Caf Filho assumiu, a UDN tomou conta do governo, Lacerda dava as ordens. Nereu Ramos, presidente da Camara dos Deputados, props a Juscelino uma reunio do PSD no Rio. L estava o presidente do partido, Amaral Peixoto, e, entre outros, o governador de Pernambuco, Etelvino Lins, do PSD, mas corpo e alma de udenista. Etelvino props o adiamento das eleies de 3 de outubro para o Senado, a Camara e as Assemblias.

Alegava que, depois do suicdio de Vargas, o PTB teria uma votao em massa, que irritaria os militares. Com Etelvino, concordaram Nereu, Benedito Valadares, presidente do PSD de Minas, Lucas Nogueira Garcez, governador de So Paulo, outros. Era a tese de Lacerda, da UDN e de Raul Pila, do PL. Juscelino viu o ovo da serpente e vetou :

– Como governador de Minas, lanarei mo de todo o poder que me confere o cargo para impedir que o calendrio eleitoral seja alterado.

Recuaram. Houve as eleies e nada aconteceu do que diziam : o PSD tinha 112 deputados passou para 114. A UDN com 84 caiu para 74. O PTB com 51 subiu para 56.E Jango perdeu o Senado no Rio Grande do Sul.

***
BENEDITO

Mas era preciso saltar primeiro os obstculos de Minas. Benedito Valadares, chefe do PSD de Minas, morria de medo dos militares e no queria Juscelino de jeito nenhum. E JK dependia de ser aprovado primeiro pela Executiva Estadual. Depois de tensas horas trancados numareunio dramtica at a madrugada, ainda me lembro da cara emburrada, de boi chuchado, de Benedito, cabea baixa, humilhado, plido, saindo l de dentro derrotado, pela primeira vez, no partido. Por um voto.

Afinal, em 10 de fevereiro de 55, dos 1.925 delegados da conveno nacional, 1.646 aprovaram a candidatura de JK. Contra, unnimes, os diretrios de Pernambuco (Etelvino), Santa Catarina (Nereu), Rio Grande do Sul (Perachi Barcellos), 160 da Bahia (Antonio Balbino), e 26 do Rio.

Em 27 de janeiro, a Voz do Brasil divulgou documento em que militares apelavam por um candidato nico e civil. Juscelino respondeu com um discurso duro : – Deus me poupou do sentimento do medo.

E saiu pelo pais pregando desenvolvimento e 50 anos em 5.

Em 3 de outubro, dos 9.066.698 votos, Juscelino teve 3.077.411 (36%), Juarez 2.601.166 (30%), Ademar 2.222.725 (26%) e Plnio 714.379 (8%).

Em 31 de janeiro de 56, JK era o presidente da Republica. O golpe da UDN, de 50, 54 e 55, tinha sido mais uma vez adiado. Para 1964.

***
CORAGEM

Desde Juscelino, Minas est escorraada da presidncia da Republica. Acio Neves quer disputar 2014 com Dilma, falando em JK. O paulista Kassab criou um partido, chamou de PSD, usando JK. Querem ser duas xerox. Falta-lhes o que sobrava em Juscelino: coragem e verdade.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.