Afinal, por que Maluf e o filho Flávio, procurados em 188 países, continuam livres, leves e soltos

Reportagem de O Estado de S. Paulo revela que a Justiça de Nova York negou pedido do deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) e de seu filho Flávio para que eles fossem retirados da lista internacional de procurados pela polícia, conhecida como “difusão vermelha”.

A decisão da corte norte-americana recusou também o encerramento da ação criminal em andamento contra Maluf em Nova York. A defesa de Maluf apontou várias irregularidades formais no processo da Justiça norte-americana para tentar acabar com a ação criminal, mas todas as alegações foram rebatidas pela corte.

O deputado é acusado de manter contas no exterior abastecidas com dinheiro resultante de atos de corrupção em sua gestão na Prefeitura de São Paulo de 1993 a 1996.

Segundo o promotor de Justiça Silvio Marques, a decisão reforça as ações de improbidade em curso contra o deputado do PP no Brasil.

A assessoria de Maluf afirmou que ele não iria se manifestar sobre a decisão e que o deputado “não tem e nunca teve contas no exterior”.

Página da Interpol que mostra Maluf como “procurado”

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – A impunidade de Paulo Maluf & Cia é a maior demonstração de que a Justiça no Brasil não funciona a contento. Trata-se de um criminoso procurado no mundo inteiro pela Interpol em 188 países, menos no Brasil. Quem entende uma maluquice dessas?

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

One thought on “Afinal, por que Maluf e o filho Flávio, procurados em 188 países, continuam livres, leves e soltos

  1. Por isso que as leis no Brasil não são levadas a sério. Maluf é procurado pela interpol em 188 países e aqui no Brasil é Deputado Federal. Dá para acreditar ? aqui no bananão dá.

Deixe um comentário para Levi da Rosa Bangardt Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *