Agência do Irã desmente matéria da Folha que publicou críticas ao governo Dilma Rousseff

O jornalista Valter Xeu, do site Pátria Latina, nos envia um despacho da IRNA News, agência oficial do governo iraniano, com esclarecimentos sobre uma matéria publicada pela Folha de S. Paulo, na qual o assessor de imprensa do presidente do Irã teria criticado duramente a diplomacia do governo Dilma Rousseff. O esclarecimento é o seguinte, na íntegra:

Teerã, 25 de Janeiro, IRNA – O assessor de imprensa do Presidente Mahmud Ahmadinejad, Ali Akbar Javanfekr, desmentiu o conteúdo da sua recente entrevista publicada no jornal brasileiro Folha de São Paulo , apontando que suas declarações foram “distorcidas”.

A agência de notícias iraniana citou que Javanfekr tinha se queixado das  relações entre os dois países na gestão da presidente Dilma Rousseff que seriam inferiores a ‘ anos de boas relações “de Brasilia com Teerã.

Javanfekr salientou, no entanto, que a entrevista dele havia sido distorcida e, por meio desta comunicação, enfatizou nas palavras ditas ao jornal Folha de S. Paulo que “presidenta Dilma precisava do tempo para consolidar as relações entre Teerã e Brasília”.

Javanfekr notou ainda, que tinha elogiado o governo do Brasil e o seu povo pelo seus apoios à República Islâmica do Irã. Brasília insistiu no passado em manter um diálogo diplomático com Teerã sobre o programa nuclear da República Islâmica, uma política que havia começado com o antigo presidente Luiz Ignácio Lula da Silva em que rejeitava qualquer uso da força fora do âmbito das Nações Unidas.

Nos EUA, o jornal New York Times, citou na terça-feira que Javanfekr teria afirmado na sua entrevista com o jornal brasileiro Folha de São Paulo que a presidente Russeff Dilma tinha destruído anos de boas relações entre as duas nações.

Lula da Silva, que deixou seu cargo, visitou Teerã em 2010 e introduziu no Médio Oriente a diplomacia brasileira através de uma tentativa de amenizar a crise sobre o programa nuclear do Irã. E junto com o governo da Turquia, ele esboçou um acordo de troca de urânio enriquecido com combustível nucleares com o Irã.

Este acordo falhou após a rejeição da administração da Obama, e o Irã afirmou que iria continuar com o enriquecimento de urânio.

Mesmo assim, as exportações do Brasil para o Irã aumentaram durante os meses seguintes. E o Irã superou a Rússia em 2011, como o maior mercado de exportação de carne brasileira.

Agência de Notícias da República Islâmica/IRNA News

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *