Agora os jovens pilotam seus cavalos de aço

Flavio José Bortolotto

Quando eu era pequeno, início dos anos 50, na região onde então morávamos, centro-oeste de Santa Catarina, todas as crianças tinham o seu cavalo. Filhos de patrões e de empregados, todos montados. É verdade que os ricos tinham arreios de prata, os cavaleiros usavam botinhas etc, mas todos a cavalo. E muitas vezes o cavalo mais mal azaejado, do mais humilde menino, era quem ganhava a corrida. Íamos longe, tempos de liberdade e de simplicidade, e todos montados.

Hoje, na “melhor idade”, fico feliz em ver de novo quase todos os jovens com o seu carrinho, motorizados. O automóvel é uma das melhores coisas do mundo. Que todos tenham o seu, como nós tínhamos nossos cavalinhos.

Das 18 montadoras existentes, honra e glória à valente Agrale, de Caxias do Sul-RS, berço da nossa colônia, única fabricante brasileira legítima, e que deveria gozar de mais incentivos ainda. Aqui em Santa Catarina, em Joinville, temos o orgulho de ter a TAC (Tecnologia Automotiva Catarinense), que produz o excelente Jeep 4×4 Stark (Forte, em alemão), e que tem grande sucesso. Obra do grande engenheiro Adolfo Lentz da Silva. Com gente assim, se constroi uma economia de pleno emprego e altos salários.

A infra-estrutura virá, países com muito menos espaço e densidade demográfica muito grande, como o Japão e Países Baixos, resolveram facilmente esse problema, nós também resolveremos.

Quanto à carga tributária, é de  35% a 60% de tudo, até material escolar/remédios. Temos que reduzir nossos custos governamentais, para baixá-las.

Por fim, quanto à valorização da Educação, é mais uma questão de mentalidade. E temos que aprender com os hebreus, que há quase 6.000 anos acabaram com o Analfabetismo, e que cuidam maravilhosamente bem de suas crianças. Aprendamos a fazer o mesmo.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *