Ainda a questão indígena e as novas ‘reservas’

 Gélio Fregapani

 Apesar do STF ter declarado inconstitucionais as demarcações de novos territórios ditos indígenas e proibido a ampliação dos já existentes, a Funai, em conluio com o Conselho Indigenista Missionário, continua “inventando” novas terras pretensamente indígenas.

Tem havido uma série de invasões de terras produtivas, por parte de grupos de índios guaranis provenientes do Paraguai, incentivadas por ONGs indigenistas, com o consentimento da Funai e do Ministério Público. Alguns municípios e mesmo Estados (como Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul) se preparam para a reação.  Aonde vai parar essa disputa?

Tanto o Legislativo como o Executivo estão se conscientizando que a Funai extrapolou e que acabaria por dividir o Brasil. Membros da Frente Parlamentar da Agropecuária se preparam para apresentar à ministra Gleisi Hoffmann provas de fraudes na identificação e delimitação de áreas de uso exclusivo dos índios.

OUTRO FRACASSO

Além do mau resultado da demarcação da Raposa–Serra do Sol, onde os índios, sem terem o que comer, migraram para os lixões de Boa Vista, na reserva Ianomâmi as diferentes etnias reunidas artificialmente, como se ianomâmis fossem, estão lutando entre si, já com vários mortos e feridos. Naturalmente a Funai acusa os garimpeiros de armarem os índios, como se eles não guerreassem antes com arcos e flechas.

 Apesar dos conflitos tribais na terra indígena ianomâmi, o rei Harald da Noruega ignorou apelos de autoridades brasileiras e foi visitar a área, certamente para exercer o seu “dever de ingerência”, servilmente autorizado pela Funai. Se fosse um brasileiro, jamais a Funai autorizaria a visita.

Obs: A expressão “Dever de ingerência” foi substituída a ONU por “Responsabilidade de proteger”

POR FIM, DECLARAM GUERRA

Dois dias depois de ocupar o plenário da Câmara, uns 400 índios, aos gritos de “Dilma assassina partiram para a invasão, contida pela segurança reforçada por contingentes do Exército de prontidão.

Entre eles haviam índios muito pretos, índios muito brancos com óculos “Armani”, índios carecas e índios de bigode.

Será que aprenderemos?

 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

One thought on “Ainda a questão indígena e as novas ‘reservas’

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *