Alerta Petrobras! A privatização desta vez está vindo a galope

Charge do Sponholz (sponholz.arq.br)

Carlos Chagas

Em palestra realizada em Washington, o juiz Sérgio Moro declarou que nos contratos celebrados pela Petrobras, o pagamento de subornos era a regra, não a exceção. Será possível que nenhum governo, de Dilma Rousseff para trás, tivesse conhecimento dessa ladroagem? Não se trata de acertar contas com o passado. Fosse essa a necessidade e estaríamos na obrigação de rever as contas de Tomé de Souza. O que não dá para aceitar é saber que Dilma Rousseff teve a Petrobras a seus cuidados, foi ministra de Minas e Energia, chefe da Casa Civil e presidente da República.

O caso não é de bater em quem se encontra exangue, derrotada e prestes a sumir  da História. Mas de examinar nos mínimos detalhes a performance da petroleira, ao menos nos últimos dez anos.  O prejuízo dado pela Petrobras aos cofres públicos serviria para equilibrar qualquer crise econômica porventura registrada entre nós.

Por que a referência à maior das empresas nacionais? Porque lá nos escaninhos mais escuros do governo Michel Temer, prepara-se o maior dos golpes contra a Petrobras.  Dentro da diretriz de entregar tudo o que é público ao capital privado, de preferência estrangeiro, a atual quadrilha que administra o país determinou como climax de sua atuação a cessão da Petrobras aos Estados Unidos, Inglaterra, China e outros parceiros.

FHC TAMBÉM QUERIA – No governo Fernando Henrique isso quase aconteceu, mas agora o ímpeto surge bem maior. O novo argumento é o velho: que a empresa dá prejuízo. E tudo o que dá prejuízo deve ser lançado ao mar. Não se dão conta de que os bebês dão prejuízo. É preciso gastar com eles leite, mamadeiras, fraldas e tudo o mais…

É bom tomar cuidado antes que tamanha barbaridade aconteça, pois já está em desenvolvimento. A primeira fase é desmoralizar a Petrobras, o que já vem sendo feito. Para evitar reações, mesmo em tempos de crise, aumentaram sua  verba publicitária, distribuindo dinheiro farto para jornais, revistas, emissoras de televisão, rádio e  demais veículos de comunicação. Até jornalistas amigos e amestrados são objeto de doações. Logo, alegando o alto custo das operações de produção de petróleo, começarão a demolição. Alerta, Petrobras!

38 thoughts on “Alerta Petrobras! A privatização desta vez está vindo a galope

  1. Sempre houve corrupção no Brasil, mas agora passou do ponto, o povo será enganado mais uma vez, foram para as ruas pedir ética na política, fora Dilma e PT, mas agora o país vai ser comandado por PMDB e PSDB, vai voltar as privatizações deslavadas da era FHC, a coisa tende a piorar ainda mais, até quando jogarão no time de fora do país, o objetivo desta corja é vender de vez o país, não há patriotismo.

  2. No momento, não cabe falar em privatização da Petrobras; para isso antes será necessário sanar os malefícios impingidos à empresa por conta da última privatização, a petista.

  3. Os governos que privatizam só sabem fazer isso, o povo é só um detalhe. Vendem as empresas para estrangeiros. Quantos dólares são remetidos ao exterior como remessa de lucros? Quantos serão no futuro? E afinal de contas as empresas privatizadas não deram muito certo, tarifas caríssimas, atendimentos mal atendidos, A VALE é um exemplo clássico com a barreira da Samarco inundando um território imenso com lama contaminada e muitas outras coisas que todos nós sabemos, mas alguns não querem enxergar.
    E por falar em VALE, ela foi doada não é mesmo?

    E quando acabarem com as estatais irão vender o que? O pão de açucar? O corcovado?
    O rio Amazonas? Ou algum estado Brasileiro?

    Abre o olho BRASIL!!!!!

  4. Uma Economia só prospera e CAPITALIZA 100%, com Empresas de Matriz no País. A melhor eficiência é conseguida com Empresas PRIVADAS, que não sofrem brutal “interferência Política”, e operam em Regime de MERITOCRACIA. Em seguida vem as Empresas ESTATAIS/MISTAS, como a Petrobras SA, que mesmo sofrendo os defeitos apontados, tem Matriz no Brasil e CAPITALIZA aqui 100% do seu Faturamento, desenvolve TECNOLOGIA NACIONAL e é âncora de toda a Indústria Nacional de petróleo/gás, induzindo a se construírem no Brasil todas as Plataformas, navios petroleiros, rebocadores, equipamento submarino, tubulações, cabos, bombas, etc,etc, e tudo com 65% de Conteúdo Mínimo Nacional. Isso adensa a nossa INDÚSTRIA que é a maior geradora de CLASSE MÉDIA do mundo.
    Se, se vende o controle da Petrobras SA para uma grande Empresa de Matriz no Exterior, ( ex. EXXON-MOBIL), o mais provável, ela vai servir os interesses dos EUA. e perdemos imediatamente todo o conhecimento do sub-solo terrestre e principalmente marítimo desenvolvido a alto Custo pelos Geólogos/Engenheiros de Petróleo da Petrobras SA, toda TECNOLOGIA NACIONAL E EXPERIÊNCIA geradas em Águas Profundas, toda a indução Industrial gerada, etc,etc.
    E para completar o quadro, ela, a EXXON-MOBIL só CAPITALIZARIA aqui dentro +- 30% do seu Faturamento, enviando para a Matriz nos EUA, o máximo de LUCRO possível e comprando tudo lá fora, enfim onde for mais barato, “se lixando” para a Industrialização do Brasil.

    Resumindo;
    Até não ser possível vender o CONTROLE da Petrobras SA para uma Empresa Privada de Matriz no Brasil, é preferível assumir os Prejuízos já incorridos, punir energicamente os CULPADOS, e aumentar a PRODUTIVIDADE/PRODUÇÃO da Petrobras SA principalmente no Pré-Sal, até sairmos do “sufoco”, e ganhar lá na frente.

    • Bortolotto, que admiração sinto por você. Não há paixões no que você escreve, tampouco desconhecimento do assunto. Apenas análise fria. Não sou assim, eu até me descubro bélica quando defendo uma ideia. Estou aprendendo a mudar esse jeito de ser e a TI tem me ajudado nisto.

      Você sabe?, até hoje entrei duas vezes e fiz DOIS comentários no O Antagonista.

      O primeiro, sobre o juiz Sérgio Moro no show do Capital Inicial, foi bem recebido.
      Falei da sensação de estranhamento que senti quando nosso notável juiz se curvou para agradecer ao público, como se fosse ele o artista da noite. Eu também o aplaudo, mas senti um ‘estranhamento’ no gesto.

      O segundo, quando perguntei sobre o que ganhamos com a privatização (doação) da Vale e a perda do nosso minério de ferro, um comentarista disse: “Ora, Ofelia, vai catar coquinhos. O que você ganha com O Petróleo é Nosso?”

      Outro me disse que “levamos menos ferro” com a doação da Vale.
      A lama do acidente com a Samarco foi o quê mesmo?

      Então, parabéns, Bortolotto. Não estão se preocupando com a matriz no Brasil de que você fala. Não se preocupam com o erro. Nem com ‘o país é nosso’.

      Por enquanto, diga-se.

      • Meus queridos mestre Bortolotto e Ofélia,

        No último parágrafo do comentário do mestre Bortolotto, o excelente economista admite a privatização da estatal em tela para uma empresa brasileira e, não sendo possível, que punamos energicamente os culpados pelos roubos que a Petrobrás foi vítima e assumamos os prejuízos, pois melhor desta forma que vendê-la para estrangeiros.

        Ofélia elogia as razões do meu mestre neste sentido, que também seria o meu pensamento, se não fosse um detalhe de suma importância:
        Não vejo alguma empresa nacional com cacife para adquirir o controle acionário da gigante brasileira, salvo um consórcio, que poderá se dissipar em seguida ou, então, vendê-la para quem quiser posteriormente, frustrando o mestre neste seu cuidado de a Petrobrás ficar entre nós.

        Por outro lado, PERMANENTEMENTE a população assumir os prejuízos da estatal, sejam eles por más administrações ou desfalques ou roubos, como nas gestões petistas de Lula e Dilma, definitivamente precisamos pôr um fim a esta sangria.

        Conclusão:
        PRIVATIZE-SE, mas com cláusulas que impeçam a empresa que a adquirir de vendê-la posteriormente para o capital estrangeiro, sob pena de anulação automática da aquisição, voltando a Petrobrás para o povo brasileiro!

        Não sendo possível esta barreira contratual, lamento, mestre, que seja vendida para quem se dispuser a pagar o preço, mas continuarmos bancando os corruptos governantes que fazem da estatal cabide de emprego e fonte de recursos obtidos criminosamente não concordo!

        Ofélia, não temos apenas o mestre Bortolotto a nos premiar com comentários sensatos, pois tu também tens este dom, razão, pela qual o meu texto dirigido a ambos que tanto admiro e considero, mesmo quando divergimos em certos assuntos como este, de a Petrobrás ser vendida porque não podemos mais patrocinar os roubos que a estatal tem sido alvo nas últimas duas décadas.

        Um forte abraço a ambos.
        Saúde e paz!

        • Oi Bendl,

          obrigada por suas palavras amenas em momento tão conturbado.

          Sinto dificuldade no ‘desfazimento’ do que é nosso.
          E penso que uma Petrobras bem administrada não seria o que hoje se vê.

          O problema maior, me parece, é político-partidário. Nossa maior estatal foi estuprada. E o PT (não só ele) tem culpa nesse estupro.

          Pergunto: se uma filha fosse estuprada, nós a jogaríamos na rua ou tentaríamos levantá-la e prender os estupradores para que não voltassem a estuprar?

          Botar a filha na rua ‘soa’ mais prático.

          A Petrobras, tal como a Varig, já foi motivo de muito orgulho para os brasileiros.

          A Varig teve um final imerecido, infeliz. A estatal Petrobras vai pelo caminho.

          Abraço, Bendl. Saúde e paz;

          • Ofélia,

            A tua analogia não aceito, respeitosamente, entre a violência que a Petrobrás tem sido alvo e o estupro de uma filha sobre qual seria a atitude do seu pai.

            Evidente que se eu sou o pai desta moça, irei fazer justiça pelas minhas próprias mãos!

            Não conseguindo, quero ver seus agressores presos e, detidos, encontrarei meios de detentos acabarem com eles!

            Quanto à Petrobrás, trata-se de uma empresa pertencente ao povo, ao patrimônio nacional.

            Durante décadas, seus pais (nós, a população) não têm dado a essa filha a importância que ela merece, os cuidados necessários, POIS PERMITIMOS que a estatal seja permanentemente violentada, agredida, estuprada, e não vamos em busca dos torturadores para darmos cabo deles ou exigirmos que sejam presos!

            Desta forma, não se trata de expulsarmos uma filha que tenha sido violentada, mas POSSIBILITAR QUE ESTA COITADA ENCONTRE UMA VIDA LIBERTA DESSES AGRESSORES, que tenha uma existência decente porque SEUS PAIS FORAM OMISSOS, NEGLIGENTES, IRRESPONSÁVEIS, e não mais devem ter o pátrio poder!!!

            Acho que fui claro, Ofélia, que a Petrobrás mereceria muito mais atenção nossa que apenas aspirarmos um dia constar na sua lista de funcionários, e quando fosse prejudicada da maneira como tem sido constantemente, o nosso comportamento deveria ser categórico em impedir que as agressões terminassem, mas não foi o que fizemos.

            Portanto, nós é que devemos perdê-la; a estatal é que deve conseguir a sua emancipação de pais relapsos, descuidados, que a desprezaram e abandonaram!

            Um forte abraço, Ofélia.
            Saúde e paz!

  5. A Petrobras, a princípio, é tecnicamente competente e viável. Porém é estatal e politicamente manipulável pelo governo do momento. A meu ver, o estado deveria ser dono de grande parte das ações e passar o controle para quem sabe fazer o lucro crescer no mercado petrolífero. Assim, o estado (povo) se beneficiaria da empresa, através dos dividendos, e a iniciativa privada também, sem o ônus da administração. O que ocorreu recentemente foi o resultado típico de uma gestão ruinosa e corrupta, que vai sempre se repetir enquanto os políticos e partidos puderem indicar diretorias e presidentes. As empreiteiras, certamente, recuperarão seus nichos e o conluio nojento voltará assim que a poeira baixar. Para salvar a Petrobras basta menos estado por dentro dela e mais controle por fora.

    • Repara, Bendl, que você acabou concordando comigo. Repara.

      E, como brasileira, orgulhar-se da Petrobras não quer dizer vontade de fazer parte de seus quadros. Nunca pensei no assunto. Muitos outros também não.

      Basta sabê-la viva e parte da família brasileira.

      No resto, os Meirelles bem intencionados dão jeito. Se quiserem.

      Abraço, Bendl.
      Saúde e Paz.

  6. Empresa que capitalista é empresa que dá lucro e paga tributos, dividendos e expande o mercado de trabalho brasileiro. Empresa que dá prejuízo e precisa de aporte de recursos financeiros do Tesouro para se manter, apropriandi-se de recursos do contribuinte, descapitaliza o país.

    O que capitaliza o país é o capital excedente. Seja ele vindo tanto de dentro quanto de fora do país.

    Eu não sou acionista da Petrobrás, portanto não colho nem um dividendo da empresa. No entanto, sou chamado a pagar pelos prejuízos que a empresa está arcando, seja pagando o combustível mais caro do mundo só para fortalecer o caixa da miserável estatal, seja pagando tributos que vão ser direcionados pelo Tesouro para capitalizar o oaquiderme que não me tem cervejaria alguma. Pelo contrário.

  7. A quem interessa manter a estatal? Aos sindicalistas pelegos, aos políticos corruptos e aos trabalhadores acomodados.

    Não há qualquer interesse nacional legítimo e racional em manter o controle estatal acionário de uma empresa que é um peso descomunal nas costas do brasileiro.

  8. Fosse a Petrobrás privada e eu não estaria sendo chamado a pagar o combustível mais caro do mundo, pois ís preços estariam alinhados com aqueles praticados no mercado externo. Não estaria sendo chamado a contribuir com recursos tributários para o Tesouro capitalizar a empresa, Pois o lucro ou o prejuízo seriam privados. É ponto final na história.

      • A questão é que se os tributos forem direcionados não ao lixo estatal, mas sim ao sistema de saúde e de ensino, eu, pelo menos posso me beneficiar dos tributos que paguei.
        Essa é a grande questão!

    • A gasolina vai ficar barata (talvez até de graça), igualmente aos pulsos telefônicos e celulares , energia elétrica, gás, água, prometidos pelo então General da Armada Entreguista Caviariana EfeagaceBashur TucaBok.
      Precisa olhar como o cerveró, um olho no gato e outro no rato com esses vendedores (doadores) de ilusões.

  9. Tudo que escreves tem fundamento. Mas, não tocas no que deve ser feito. Quem roubou quem não roubou isso são lantejoulas. Ninguém pode inculpar Dilma, mas debitar-lhes todos os devios e crimes acontecidos na Petrobrás, também não. O que devia fazer a imprensa, principalmente “os capitães de longo curso” como é teu caso é exigirem que o povo dê seu veredito em um plebiscito. Faz-se um confronto das duas propostas explica durante algum tempo ao povo e deixa que ele decida. Particularmente eu entendo que a única mudança que deveria ser feita seria a Petrobrás nos trinta por cento, arrendar ou associar-se.

  10. Entrando no debate sobre a atuação estatal ou privada, pergunto quem investirá naqueles setores sociais e econômicos que não dão lucro? Quem fornecerá financiamento subsidiado para que a população pobre deixe de morar na rua e tenha seu imóvel próprio? Quem vai levar iluminação pública às áreas rurais pobres, negócio cuja rentabilidade é nula? Mesma pergunta em relação a levar a internet a esses locais. Quem vai financiar a agricultura familiar e os pequenos agricultores? Quem vai levar escolas ao interior do Maranhão, onde a população não tem o que comer e o que calçar? O mercado? Não, o Estado. Cada um tem seu lugar e sua função. A César o que é de César, a Deus o que é de Deus.

    • A Petrobrás como praticamente toda estatal brasileira só dá prejuízo por interferência política. Portanto, essa constante maldita que traz sofrimento ao brasileiro deixará de existir com a iniciativa privada.

      Por outra, o Estado só pode entregar aquilo que ele efetivamente arrecada, nada mais.

    • Caro Alverga,

      Então a Petrobrás não é uma empresa de prospecção de petróleo, refinamento e sua industrialização, mas um braço do governo para projetos sociais?!

      E os impostos exorbitantes que pagamos?!

      E os mais de cinco meses que trabalhamos de graça – escravidão! – para sustentar o custo Brasil e os salários nababescos e penduricalhos dos Três Poderes?!

      E, da estatal, uma boa parte do seu lucro é destinado a projetos sociais que JAMAIS resolvem a miséria brasileira?!

      Se antes eu tinha dúvidas quanto à privatização da empresa, conforme mencionei acima, agora mesmo é que defenderei a sua venda e para quem quiser ou, então, que não se pague mais imposto algum, e os lucros das estatais sejam locados para saúde, educação e segurança, pelo menos até onde as empresas conseguirem se manter sem poderem lançar mãos de seus lucros para investimentos e aperfeiçoamentos nelas mesmas!

      Ora, se a gasolina caríssima que pagamos servisse mesmo para amenizar a pobreza brasileira, vá lá, mas esta aumenta a cada ano, portanto, esta política de usar os lucros da Petrobrás para destinos que também são ineficientes, explica o seu endividamento e parque industrial rapidamente sucateado!

      PRIVATIZAÇÃO JÁ, DA PETROBRÁS!!!

  11. A PETROBRAS há muito deixou de ser um instrumento de políticas publicas saudáveis do governo e passou a ser somente um instrumento de roubo para interesses políticos-partidários da pior espécie, principalmente por parte da ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA DENOMINADA PARTIDO DOS TRABALHADORES!
    Por isso não tenho mais dúvidas com relação a privatização dessa empresa.
    Mas ainda que não seja privatizada, cabe antes de mais nada saneá-la e aí sim depois de algum tempo(vou chutar uns 5 anos) fazer uma nova chamada de capital. Ainda que não seja privatizada, a influencia estatal na empresa tem que ser drasticamente reduzida, assim nunca mais terá que ter indicações politicas, e sim, somente técnicas com aval de um conselho de investidores, nunca mais poderá servir para controlar inflação e nunca mais ficará sobrecarregada com obrigações que não tenha condições de cumprir como é o caso de participação minima de 30% em qualquer exploração do pré-sal, conforme preve o regime de partilha.Se a empresa achar conveniente poderá até mesmo negociar esse direito.
    E o mais importante, ainda que não seja privatizada o principal objetivo da empresa terá que ser o de dar lucro, como qualquer empresa saudável dentro do capitalismo, seja privado ou estatal

  12. “Até jornalistas amigos e amestrados são objeto de doações.”

    Quem seriam esses jornalistas amigos e amestrados.?
    Em tom de Tucânismo-caviar…..

    eliane tucanicanhede
    tucalavo de carvalho
    reinaldo tucazevedo
    josé tucanêumanne
    diogo tucanairde
    william tucabonner
    william tuca-waak
    tucanata Lo prete
    carlos tucalberto sardenberg
    cristiana tucalobo
    tucarnaldo jabbor
    mirian tucaleitão

    Obs. Por enquanto lembrei desses, se esqueci de algum por favor completem a lista…

  13. Tenho a impressão que se o Brasil doasse as empresas estatais teria mais lucro do que submetê-las às administrações políticas ladras e incompetentes como tem sido até hoje.

  14. Pingback: Alerta Petrobrás! A privatização desta vez está vindo a galope! – Debates Culturais

  15. Pelo que conclui dos comentários ao artigo de Carlos Chagas alguns são favoráveis a privatização outros são contra e há os que concordam com a privatização de 100% para empresas nacionais ou saneamento completo da estatal e a volta da meritocracia contra a corrupção desvairada. Enfim a diversidade de opiniões retrata o caos que ocorre no país fruto da simbiose do público com o privado.

    Penso, que a suposta privatização da empresa gestada pelo futuro governo Temer, que já elegeu a privatização e a venda de todos os ativos do Estado para pagar a dívida dos Estados da Federação e sobrar dinheiro para jogar no BNDES e doar para empresários e empreiteiras voltarem a tocar obras que gerem emprego.

    O perigo dessa medida privatizante é tirar do Estado o PODER de gerir suas empresas criadas com sangue e suor do povo, de seus impostos, da inteligência de seus engenheiros, quando a inciativa privada quedou-se inerte quando era necessário construir REFINARIAS e investir na prospecção de petróleo, uma atividade de enorme risco. Isso ocorreu na década de 50, quando importávamos todo o petróleo consumido no Brasil. Chegamos a autossuficiência, logo não interessa mais ao capital estrangeiro o controle da Petrobrás.

    No Brasil, quando uma empresa estatal começa a incomodar os rivais de fora, nesse momento começa o trabalho de destruir a empresa. A corrupção foi a maneira que encontraram para destruir a imagem da Petrobrás. Nesse particular, o PT contribuiu muito para o possível enlace privatizatório. Como? Quando comprou uma refinaria nos EUA enferrujada por preço estratosférico. deu um grande prejuízo a estatal. Depois também ajudou na dilapidação da empresa ao nomear para Diretorias importantes, os representantes do PMDB, do PP e do PT. Politizaram a empresa ao invés de investir nos funcionários de carreira.

    É hora de mudar os rumos e voltar a antiga eficiência da maior empresa do Brasil.

    Na questão suscitada de que o Estado não deveria fazer aporte de recursos na Petrobrás, esquecem de que a estatal socorreu por anos seguidos os governos federal e os governos estaduais para compor o superávit primário e os royalties do petróleo que salvou o Estado do Rio de Janeiro por anos a fio. Por qual a razão, agora o governo não poderia ajudar a empresa, que os governos anteriores ajudaram a tirar o que ela tinha para ajudar o Tesouro carente de recursos?

    Na questão da panaceia da privatização, sob o argumento de que a venda de ativos é necessária, exemplos cabais estão sendo dados nesse ano.
    1 – A ODEBRCHET está entregando o estádio do Maracanã de volta para o Estado do Rio de Janeiro alegando prejuízo financeiro depois da nação ter colocado lá mais de 1 bilhão e 200 milhões de reais. O Estádio foi privatizado e a iniciativa privada não foi capaz de gerí-lo com eficiência.

    2 – A OAS também está deixando o Consórcio do Aeroporto de Guarulhos, da qual detinha 16% do controle.

    3 – Uma empresa de Telefonia está a beira da falência. Setor das Teles cantado em verso e prosa pelos amantes da privatização, que ganharam a concessão-privatização praticamente de mão beijada pelo governo FHC.

    4 – A VALE DO RIO DOCE segunda maior empresa do Brasil foi vendida por 3 bilhões com metade desse valor subsidiado pelo BNDES, hoje enfrenta sua pior crise financeira. E aí, o que podem discorrer sobre esse desastre da mineradora? Se fosse ainda estatal estaria sendo execrada por gregos e troianos como incompetente e estatal ineficiente, com certeza absoluta.

    Bem senhores, só para concluir: Há empresas privadas importantes para o país e empresas estatais também muito importantes até essenciais para nosso desenvolvimento industrial, dentre elas a Petrobrás, que a meu juízo não deveria ser privatizada de maneira alguma. Os corruptos deveriam ser afastados e sofrerem processos de sindicância de modo a servir de exemplos para futuras condutas em prol da nação. A pena para um agente público estatal deveria ser o dobro do apenado do setor privado.

    Margareth Tatcher privatizou tudo o que podia na Inglaterra e nada mudou na ilha depois daquele processo de venda de ativos do povo inglês. Pelo contrário, a Inglaterra perdeu o protagonismo que tinha na Europa e enfrenta uma dura crise, que afeta o orgulho inglês.

    É preciso muita calma nessa hora de crise, pois qualquer passo mal dado na ânsia de mostrar resultado a curto prazo pode comprometer o futuro da nação condenando as futuras gerações ao papel secundário de país fornecedor de commodities agrícolas e minerais, até o dia que todo o petróleo e todo o minério se esgote nos deixando reféns das potências estrangeiras.

    Sabe senhores, qual será o resultado da falta de alternativas num futuro próximo? A venda de território. A Bolívia já fez isso ao entregarem – venderem o Acre para o Brasil, portanto, há exemplos no passado remoto. Não é esse o desastre que ninguém quer, muito menos os defensores das privatizações, essa palavra que está na moda outra vez, demonstrando que o passado retorna como farsa na cabeça dos novos donos do PODER.

    Verdadeiramente o país gira como rabo de cavalo e um cachorro louco sempre em volta do eixo sem seguir em frente e de olho no retrovisor.

  16. Na verdade a Petrobras já está privatizada há muito tempo. Seus últimos proprietários, o PT e sua corja, quebraram a empresa e nos sobrou o prejuízo. Se antes eu era contra, hoje sou francamente a favor da sua privatização e de tudo o que possa ser privatizado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *